Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Junho 2022
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

AAVV

Foram localizados23 resultados para: AAVV

 

reservado Sugerir

Referência:14924
Autor:AAVV
Título:25 BILHETES POSTAIS MANUSCRITOS AUTÓGRAFOS DE ILUSTRES ESCRITORES
Descrição:

Lotes constituido por 25 bilhetes postais manuscritos e circulados entre 1907 e 1930. Encontram-se todos em bom estado de conservação. O destinatário das missivas é João Maria Santiago Prezado, sendo a maioria escritas no período em que este residia em Paris (entre Figueira da Foz, Viena de Asutria e Lisboa). Do rol de autores, temos:

-Aquilino Ribeiro, escritor (1 BPI)
-Jaime Cortesão, historiador (3 BPI)
-António Sérgio, pensador, pedagogo e escritor (2 BPI)
-Raul Proença, escritor, filósofo e bibliotecário ( 7 BPI)
-Câmara Reys, professor e jornalista (1 BPI)
-Joaquim de Carvalho, pensador,cprofessor e escritor (1 BPI)
-Bernardino Machado, presiente da República e escritor (1 BPI)
-Cardoso Martha, escritor e professor (2 BPI)
-(João Evangelista) Campos Lima, escritror e miliatnte anarquista (1 BPI)
-Augusto Veiga, escritor e redator jornalista (1 BPI)
-Desconhecidos (6 BPI escritos por quatro punhos distintos)
 

Observações:

João Maria de Santiago Prezado (1883-1971), diplomata, político e escritor, natural da Figueira da Foz; Terceiro Secretário da Legação de Portugal em Madrid em 26 de Maio de 1911; Governador Civil do Distrito do Funchal em 29 de Fevereiro de 1912 (o 2º Governador na Primeira República), Segundo Secretário da Legação de Portugal em Madrid em 28 de Dezembro do mesmo ano de 1912; Ministro plenipotenciário e Chefe da 1ª Repartição dos Negócios Políticos e Diplomáticos em 5 de Agosto de 1925 (vide Anuário Diplomático Consular Português, 1939 a 1944).

Posteriormente participou activamente na luta contra a Ditadura e integrou a Frente Popular, a aliança anti-clerical e anti-fascista; e o Movimento de Unidade Democrática; apoiou as candidaturas de Norton de Matos e de Quintão Meireles à Presidência da República e foi um dos subscritores do Programa para a Democratização da República, em 1961.
 

O conteúdo das missivas versa essencialmente assuntos de ordem política em torno de combinações de reuniões em locais específicos e viagens, dependendo do remetente. Outros versam assuntos editoriais em torno da revista Seara Nova, dado que alguns deles foram fundadores da prestigiada revista.

Preço:650,00€

Referência:14854
Autor:AAVV
Título:GRAAL. Nº 1 (a 4)
Descrição:

(Empresa Nacional de Publicidade, Lisboa, 1956-7). in-4~de quatro números com numeração corrida, num total de 410 págs. Brochado.

Capas manifestando alguma acidez, dada a qualidade própria do papel. Terceiro número com insignifiante trabalho de bicho marginal junto à charneira, sem afectar, nem a estrutura do livro, nem a mancha tipográfica.

Observações:

Daniel Pires, no seu Dicionário da Imprensa Periódica, diz-nos que esta revista foi " ... o corolário lógico da aventura que a Távola Redonda constitui ..." .

Conta com a colaboração literária de Manuel Antunes, Fernando Guedes, Luiz de Macedo, Fernanda Botelho, Henrique Segurado, David Mourão-Ferreira, Urbando Tavres Rodrigues, Matilde Rosa Araújo, António Salvado, Natércia Freire, Eduino de Jesus, Agustina Bessa Luis, Vitor Matos e Sá, Herberto Helder, etc.

Da colaboração plástica, destaca-se as contribuições de René Bertholo, Fernando lanhas, Júlio Gil, António Vaz Pereira, Manuel Cargaleiro, etc ...

Preço:60,00€

Referência:14830
Autor:AAVV
Título:GRIFO - Antologia de inéditos organizada e editada pelos autores
Descrição:

Grafilarte-Artes, Águeda,1970. In-8º de 204-(4) págs. Brochado. Capas empoeiradas e com ligeira mancha de humidade. Miolo muito limpo. Como habitualmente, agrafos oxidados.

Observações:

Publicação de índole surrealista que só conheceu este número, organizado e editado pelos seus colaboradores: António Barahona da Fonseca, António José Forte, Eduardo Valente da Fonseca, Ernesto Sampaio, João Rodrigues, Manuel de Castro, Maria Helena Barreiro, Pedro Oom, Ricarte-Dácio e Virgílio Martinho.

Na nota de abertura, “Homenagem ao Surrealismo” da autoria de António Barahona, pode-se ler: “Se não fosse o Surrealismo, o que seria de mim? Tal pergunta faço-a muitas vezes ao defrontar problemas perigosos no decorrer das minhas vidas poética e quotidiana. (...) A voz do Surrealismo, ouve-se sempre nos momentos em que é urgente lembrar ao mundo três palavras: Amor, Poesia, Liberdade. A voz do Surrealismo é que me ensinou a falar e a dizer estas palavras: fonte do Homem, vida do Homem, direito do Homem. Se não fosse o Surrealismo, eu não amava apaixonadamente. Se não fosse o Surrealismo eu não sabia ler. Se não fosse o Surrealismo eu não tinha esperança.

A realização gráfica é de Vítor Silva Tavares.

Preço:50,00€

Referência:14819
Autor:AAVV
Título:CINEMA E LITERATURA
Descrição:

Clube de Cinema de Coimbra, 1960- In-8º de 48 págs. Brochado. Capa de brochura com descoro marginal provocado por acção solar e ligera acidez dada a qualidade do papel.

Observações:

Encerra colaboração de A. Vallet, Mikhail Romm, Henri Agel, François Truffaut, Vaso Matques, Carlos Araújo, José Augusto-França e Jacques Porel.

Preço:19,00€

Referência:14795
Autor:AAVV
Título:A ILHA. À Memória de Sebastião da Gama.
Descrição:

Editor Élio Santana, Setúbal (Tipografia Sado), 1957. In-8º de 16 págs. Brochado. Com um retrato colado de Sebastião da Gama. Capa ilustrada com composição surrealista. Tiragem limitada a 300 exemplares, de circulação muito restrita. Picos de acidez, também marginal e lombada restaurada.

O único exemplar que encontrámos referido corresponde ao descrito na BN.
Desconhecido das principais bibliografias consultadas sobre Sebastião da Gama.
RARO.

 

Observações:

Colaboração de Artur Ribeiro, César Pratas, Manuel Tomé, Maria Elisa Reynaud, Maria Manuel, Miguel de Castro, Sebastião da Gama, Artur Ribeiro.

Encerra um inédito de Sebastião da Gama - A ILHA,  poema que dá o título à plaquete.
 

Preço:60,00€

Referência:14736
Autor:AAVV
Título:ONDE NASCE O SÂNDALO. Os Portugueses em Timor nos séculos XVI e XVII
Descrição:

Grupo de tarbalho do Ministério da Educação para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, Lisboa, 1995. In-4º de 223 págs. Brochado.

Observações:

Encerra colaboração valiosa de diversos especialistas e historiadores e ilustrado no final com motivos artísticos timorenses.

Preço:25,00€

Referência:14722
Autor:AAVV
Título:CADERNOS NECESSÁRIOS 1969-1970
Descrição:

Afrontamento, Porto, 1975. In-8º esguio de 477-(2) págs. Brochado. Bom estado.

Observações:

Reedição de uma publicação periódica clandestina policopiada e distribuida no interior do país desde Junho de 1969 até Março de 1970, Genebra por um grupo de exilados políticos.

Segundo Miguel Cardina no seu A Extrema-esquerda e as eleições de 1969:

"... Outros colectivos, como os agrupados em torno das publicações Cadernos de Circunstância e Cadernos Necessários, também optaram pela desmontagem crítica das eleições marcelistas. Para os Cadernos Necessários, editados a partir do Porto por Mário Brochado Coelho, o parlamentarismo apenas servia a «táctica da burguesia», empurrando a «luta de classes para o espectáculo do gato [e do] rato». E clarifica: É claro que o regime abre brechas no seu terreno quando se obriga a legitimar-se através do processo eleitoral. (…) Somos da opinião de que é de aproveitar essa ocasião privilegiada. Mas também somos da opinião que o problema não é (nunca é) das formas legais ou ilegais de luta e seus aproveitamentos, sim das formas revolucionárias ou não ... Tal como a EDE, também os Cadernos Necessários consideram estar a assistir-se a uma recomposição do capitalismo português, o que levaria o Estado a deitar fora as «incómodas roupagens do fascismo, herdadas da idade rural, [liberalizando-se] para integrar no sistema a oposição ao regime». Em termos genéricos, a perspectiva da extrema-esquerda foi abstencionista, ainda que com diferentes matizes: ora entendendo as eleições como uma oportunidade para radicalizar a luta (foi o caso da EDE), ora desvalorizando as eleições e considerando que qualquer envolvimento apenas serviria para legitimar o regime (foi o caso do CMLP ou dos Cadernos Necessários, através de inspirações ideológicas diferentes)..."

Preço:17,00€

Referência:14532
Autor:AAVV
Título:"José Saramago: o ano de 1998" - COLÓQUIO LETRAS 151/152
Descrição:

Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1998. In-8º de 503 páginas. Brochado. Conserva o encarte fácsimile do caderno manuscrito A JANGADA DE PEDRA de Saramago assim como o Memorandum da semana do Prémio Nobel que na maioria das vezes falta nos exemplares da revista. Impecávelmente bem conservado (mint condition).

Observações:

Número inteiramente dedicado a José Saramago, encerra preciosa colaboração de Fernando J. B. Martinho, Luciana Stegnano Picchio, Luiz Francisco Rebello, Maria Alzira Seixo, Fernando Venâncio entre muitos outros. Apresenta ainda um inédito de Saramago. Apresenta inúmeros documentos reproduzidos em fac-simile e impressos à parte, sobre papel distinto, assim como págins inteiras cm fotografias de grupo em convívio com outros escritores, ilustrações de Bartolomeu dos Santos. Bela e luxuosa edição desta revista literária.

Preço:45,00€