Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Antropologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Bacalhau | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Canada | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Cuba | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Feminismo | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Manuel Macedo | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Oriente | Ourivesaria | Patuleia | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Queirosiana | Quintentista | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Viana do Castelo | Vila Nova de Gaia | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

ANTUNES, José Freire

Foram localizados 4 resultados para: ANTUNES, José Freire

 

Referência:13366
Autor:ANTUNES, José Freire
Título:SÁ CARNEIRO um meteoro nos anos setenta
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1982. In-8º de 227-(5) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias.

Observações:

Biografia política de Francisco Sá Carneiro.

Da contracapa:

“José Freire Antunes conseguiu conciliar, de um modo quase inédito entre nós, a vivacidade do jornalista e a exactidão do historiador. Daí que este seu livro, sem deixar de ser um notável trabalho de investigação histórica, possa ser lido de um só fôlego, como romance de uma aventura de que todos fomos, pelo menos, espectadores."

Preço:13,00€

Referência:10701
Autor:ANTUNES, José Freire
Título:A GUERRA DE ÁFRICA (1961 A 1974)
Descrição:Círculo de Leitores, Lisboa, 1995. Dois volumes de in-4º de 1071 págs. Encadernação editorial. Profusamente ilustrado.
Observações:No preâmbulo ao livro, José Freire Antunes afirma que o objectivo da obra "foi dar a palavra, registar, enquadrar o percurso de dezenas de personalidades que tiveram uma acção relevante nas várias áreas, em Portugal e em África". Inclusive, os depoimentos de Pieter W. Botha, Ian Smith e Kenneth Kaunda, "que revelam facetas do quadro político da África Austral" até então desconhecidas por muitos.

"às versões e experiências dos militares, os protagonistas por excelência da guerra, os homens e as mulheres que nas selvas de África cumpriram o seu dever e arriscaram a sua vida». Mas também há dezenas de testemunhos de «ministros dos governos de Salazar e Caetano, dirigentes da oposição ao Estado Novo, chefes de grupos nacionalistas, (…) mulheres da sociedade civil e das Forças Armadas, dirigentes do Partido Comunista e outros grupos da esquerda, (…) deputados, jornalistas, deficientes de guerra, etc". Tudo com o intuito de "obter e congregar testemunhos fundamentais, sob o risco de se perderem para sempre".
Preço:40,00€

Referência:8140
Autor:ANTUNES, José Freire
Título:A CADEIRA DE SIDÓNIO ou a memória do presidencialismo.
Descrição:

Publicações Europo-América, Lisboa, 1981. In-8º de 192 págs. Brochado.

Observações:

"... o major Sidónio Pais habitou durante um ano o palácio de Belém. Fez no topo do Estado uma crónica romântiva. Amassou com bravura, vilezas e crimes a sua própria lenda. Governou e viveu perigosamente. Morreu assassinado. Nenhum político português do século XX foi tão odiado e tão aclamado. Muito se escreveu sobre ele. Certos autores são pródigos em atribuir-lhe as maiores audácias no plano institucional. Outros autores estão convencidos de que a figura não tinha cabeça própria e foi uma espécie de Mister Chance inventado pelos pais da igreja católica e pelos bacharéis do Integralismo Lusitano. Este livro não visa fazer de Sidónio nem um herói nem um bandido e tão-pouco retomar a torpeza da esquerda ou a nostalgia da direita. Mas tenta retroceder ao chão histórico real onde medraram Sidónio Pais e o seu autoritário. Uma cronologia sumária auxiliará o leitor a situar os factos descritos ao longo dos treze capítulos. Inserem-se, em apêndice documental, extractos do discurso político de Sidónio e da lei eleitoral corporativa, bem como uma entrevista com Martinho Nobre de Melo, um ministro do governo presidencialista. O fantasmo do homem providencial desponta nas encruzilhadas do Portugal contemporâneo. Mas não é demais lembrar que os chefes políticos, mesmo os providenciais, não caem do céu. A falência dos instalados e a angústia popular os engendram e lhes dão o palco da história..."

Preço:23,00€