Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

DIONÍSIO, Sant'Anna

Foram localizados3 resultados para: DIONÍSIO, Sant'Anna

 

Referência:11954
Autor:DIONÍSIO, Sant'Anna
Título:DA URBE E DO BURGO
Descrição:Lello & Irmão Editores, s/l, 1971. In-8º XV-232-(4) págs. Br. Capas com alguns picos de acidez.
Observações:Colectânea de crónicas de Sant'Anna Dionísio, publicadas inicialmente entre 1960 e 1970, no jornal O Primeiro de Janeiro, que a Lello & Irmão editou em 1971.
Alguns capítulos: Do Bonfim a Serralves. O Burgo Medievo. Os dois Almadas. O Porto de 1809. Professores desaparecidos. O coração de D. Pedro.
Preço:25,00€

Referência:10914
Autor:DIONÍSIO, Sant'Anna
Título:MUSEU-BIBLIOTECA DE VILA VIÇOSA
Descrição:Fundação da Casa de Bragança, Lisboa, 1947. In-4º de 199-IX págs. Br.Profusamente ilustrado com ilustrações de António-Lino no corpo do textoe comestampas emextra-texto.
Observações:Detalhada monografia da casa ducal e de toda a região envolvente e monumentos de Vila Viçosa, que o próprio autor considera "como uma espécie de post-scriptum do 2.º volume do Guia de Portugal", que Raul Proença havia publicado em1927.
Preço:20,00€

reservado Sugerir

Referência:10054
Autor:DIONÍSIO, Sant'Anna
Título:RIO DE HERACLITO (solilóquios)
Descrição:Seara Nova, 1956. In-8.º de 158(2) págs. Br. Alguns cadernos apresentam-se por abrir.Rubrica de posse no rosto.
Observações:José Augusto Santana Dionísio (Porto, 1902 – 1991) foi um escritor e pensador português.Licenciou-se em Filologia Germânica pela Universidade do Porto em 1924, formando-se em Filosofia dois anos mais tarde. Republicano, iniciou cedo a intervenção política. Autor de estudos sobre Amorim Viana, Antero de Quental, Leonardo Coimbra (de quem foi aluno), Raul Brandão e Raul Proença, dedicou-se à docência (no ensino secundário e, a partir de 1963, superior) e à actividade literária. Foi director e colaborador do Guia de Portugal (fundado por Raul Proença) e um dos fundadores da revista Nova Renascença, em 1980.

"Para se sentir a altura indefinida do céu, não devemos olhá-lo de pé, mas contemplá-lo deitados, num sítio ermo e num dia límpido, tendo apenas por vizinhança algumas árvores. Só desse modo se experimenta a intuição metafísica do abismo sideral que deslumbra e abre a alma para o sentimento eufórico e trágico do Infinito."
Preço:15,00€