Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

FERREIRA, Vergílio

Foram localizados11 resultados para: FERREIRA, Vergílio

 

Referência:14145
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:APARIÇÃO
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa, 1959. In-8º de 254-(1) págs. Brochado e com uma pequena rubrica de posse no canto superior esquerdo da folha de rosto. Muito bom exemplar com as capas de brochura perfeitas

Observações:

PRIMEIRA EDIÇÃO da obra-prima de Virgílio Ferreira, que descende directo de uma linhagem literária existencialista que vai de Albert Camus, André Malraux, Lúcio Cardoso até Sartre, que através de seus escritos literários: romances, peças, novelas e contos; relataram o espanto de existir e viver, o absurdo da condição humana diante da vida e principalmente da morte e a falta de sentido na existência.

"Sento-me aqui nesta sala vazia e relembro. Uma lua quente de verão entra pela varanda, ilumina uma jarra de flores sobre a mesa. Olho essa jarra, essas flores, e escuto o indício de um rumor de vida, o sinal obscuro de uma memória de origens. No chão da velha casa a água da lua fascina-me. Tento, há quantos anos, vencer a dureza dos dias, das ideias solidificadas, a espessura dos hábitos, que me constrange e tranquiliza..."

Preço:80,00€

Referência:14144
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:CÂNTICO FINAL
Descrição:

Editora Ulisseia, Lisboa, s.d.. In-8º de 220-(4) págs. Br. Com sobrecapa editorial manifestando nas dobras sinais de uso. Miolo com alguns picos de acidez acentuadas nas primeiras páginas dos primeiros cadernos. Integrado na Colecção Atlantida. Sobrecapa ilustrada por Vespeira

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Romance onde o seu protagonista, Mário, um professor de desenho, doente terminal,  regressa à sua aldeia natal, e se divide entre o restauro de uma capela e a procura de um sentido de vida, e as memórias do tempo de descoberta artística.
 “Mário regressava à sua obsessão, à solidão do homem, à procura alucinada de um valor que a povoasse”,


“Mas o que mais me comoveu até a um arrepio na carne foi aquela primeira frase musical com que abre o 2.º ato do Lago dos Cisnes. Ao seu eco, ao seu aceno longínquo, escrevi todo o Cântico Final. Voz intensa, longa, apelo que vem do lado de lá da vida, memória obscura de um tempo perdido, ela levanta-se como a imagem da nossa beleza já morta, reinventa-me uma saudade do que nunca existiu.”
(Vergílio Ferreira, in Conta-Corrente 2)

 

Preço:30,00€

Referência:14143
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:VAGÃO J
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1946. In-8º de 232 págs. Brochado. Exemplar em excelente estado de conservação, estando apenas a capa muito ligeiramente amarelada, devido à acção do temnpo sobre a qualdiade própria do papel. Nestas condições, RARO.

PRIMEIRA EDIÇÃO, apreendido pela PIDE sendo considerada como uma das mais IMPORTANTES OBRAS DO NEO-REALISMO PORTUGUÊS. A lindíssima capa de brochura é desenhada por Victor Palla. Inserido na prestigiada colecção de literatura neo-realista portuguesa Novos Prosadores da Coimbra Editora

Observações:

Um dos livros de Vergílio Ferreira censurados durante o Estado Novo, sobretudo pela exposição da miséria social e da categorização da sociedade.

Assim, e resumindo, Vagão J gera-se entre dois espaços de ficção: a estrutura social, claustrante, e a estrutura de espanto, que preenche o espaço de alargamento, desclaustrante. O homem e a vida possíveis no primeiro espaço são caraterizados pela linearidade provocada pelo dinheiro, significante aniquilador que abafa todas as outras dimensões possíveis no ímpeto de esmagar. Gera-se assim a claustração para os ricos e para os pobres. Estes últimos, como não têm acesso à parte agradável desse espaço, veem-se privados de uma linguagem ordenada, que hierarquize, compartimentando, a vida. E a partir dessa linguagem cuja sintaxe põe lado a lado vários planos, hierarquizados valorativa e topograficamente no discurso dos ricos, se gera o alargamento em que os contrários se harmonizam e em que a linearidade monótona se quebra em favor da recuperação circular de novas dimensões a partir dos momentos de espanto, que vão enriquecer de novos tons a Harmonia (tal como o canto de Maria do Termo), encontrada numa organização possível dos momentos de espanto – aquilo a que chamei estrutura de espanto.” (Helder Godinho)

Preço:150,00€

Referência:14141
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:MANHÃ SUBMERSA
Descrição:

Sociedade de Expansão Cultural, Lisboa, 1954. In-8º de 234-(1) págs. Brochado. Exemplar em "mint-condition", ainda com os cadernos por abrir. As ilustrações são de António Charrua, em linólelo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

“... Considerei o terror a nota dominante desta narrativa, terror religioso que se esgota na liturgia dos mortos e se esvanece com a ‘morte’ do Deus do terror. É todo um mundo (o das crenças da infância, de uma fé, aliás bem distorcida, alimentada naqueles terrores da morte e do inferno) que se desmorona, para dar lugar a um mundo marcado de uma visão adulta, mas vazia de Deus...”  (Maria Joaquina Nobre Júlio)

"... Às noções-chave de espanto, angústia, alarme e solidão, que marcam uma direção existencial, há que acrescentar agora, quando o existencial transcende para o metafísico, a noção de silêncio. Esta palavra marca em Manhã Submersa o início de um processo que se acentuará consideravelmente nos romances vergilianos posteriores, protagonizados pelo intimismo metafísico de um sujeito em absoluta solidão existencial, uma vez que lhe falhou a sua comunicação com o mundo...” (José Gavilanes Laso)

Preço:180,00€

Referência:14139
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:ATÉ AO FIM
Descrição:

Bertrando Editora, Lisboa, 1987. In-8º de 273 págs. Brochado e em impecável estadp de conservação.

2ª EDIÇÃO

Observações:

" ... Neste livro Vergilio Ferreira apresenta-nos através de um monólogo interior a história de Cláudio. No tempo em que vela o filho, o protagonista leva-nos a submergir num mundo de relações intensas: desde a paixão com Flora, ao desprezo de um casamento gasto, até à saudade do que ficou e/ou do que poderia ter acontecido. Sem dúvida uma evocação da vida de um ponto de vista sóbrio e cru...". (Sinopse editorial)

Preço:10,00€

Referência:11022
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:ARTE TEMPO
Descrição:

Edições Rolim, Lisboa, 1988. In-8º de 45-(3) págs. Br. Cadernos por abrir. Primeiro livro da «Colecção Ensaio», dirigida por Eduardo Prado Coelho.

Observações:

Ensaio muito interessante onde o autor se debruça sobre o problema do "belo" e do "actual" na arte do nosso tempo e por ele se definem lucidamente algumas das clivagens das várias formas de expressão estética.

Preço:30,00€

Referência:3153
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:ESTRELA POLAR - Romance
Descrição:Portugália Editora, Lisboa, 1967. In. 8.º de 277(2) págs. Br.
Observações:Capa de João da Cãmara Leme.Segunda edição.Rubrica de posse.
Preço:10,00€