Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Março 2020
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

GALVÃO, Henrique

Foram localizados15 resultados para: GALVÃO, Henrique

 

Referência:14344
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:HISTÓRIA DO NOSSO TEMPO (acção e obra de João de Almeida 1904-1910)
Descrição:

Lisboa, 1931. In-8º de 414 págs. Br. Capas de brochura com ocasionais picos de acidez. Cadernos por abrir. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

 

INVULGAR.

Observações:

João de Almeida foi uma figura magnífica de português e de colonial do mais alto relevo.  Prestigiado pelas campanhas ultramarinas no começo do século, assume-se como monárquico, participando nas incursões couceiristas, sendo, por isso, demitido. Regressa com o sidonismo. Um dos candidatos à chefia do regime saído da Ditadura Nacional de 1926, chegando como tal a ser proposto pela Liga Nacional 28 de Maio, como alternativa a Salazar. Ligado a várias conspirações golpistas na fase de consolidação do novo regime.

Preço:28,00€

Referência:12398
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:HUÍLA (relatório do governo)
Descrição:

Ed. do Autor, V.N.Famalicão, 1929. In-8º de 309-(2) págs. Br.

Observações:

Relatório onde para além de descrever os aspectos da administração colonial Henrique Galvão aproveita para denunciar as corrupções políticas e crimes contra os povos africanos das colônias portuguesas.

Preço:40,00€

Referência:9229
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:IRREVERÊNCIA (Notas à margem da política e dos costumes)
Descrição:Livraria Popular de Francisco Franco, Lisboa, 1946. In-8.º de 245-(1) págs. Brochado.
Observações:Estruturado ao longo de 2 capítulos principais D'AQUEM ... & ...E ALÉM-MAR aborda inúmeros temas "quentes" na política de então.
Preço:24,00€

Referência:9081
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:O VÉLO D'OIRO. Romance Colonial.
Descrição:Livraria Popular, Lisboa, 1936 . In-8º de 272 págs. Br. Ilustrado por Eduardo Malta.
Observações:Trata-se da 4º edição deste belo romance que mereceu o 1º Prémio de Literatura Colonial em 1933.
Preço:19,00€

Referência:9065
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:PELE
Descrição:Gráfica Nacional, Lisboa, 1956/57. In-8º de 369-(6) págs; br
Observações:Exemplar da 1ª edição. Invulgar. Henrique Galvão (1895-1970) foi militar, escritor e político. Teve uma destacada acção colonial, quer como explorador, quer nos cargos que ocupou na admnistração, quer pelos diversos actos de propaganda. Como escritor deambolou pelos diversos géneros literários tendo sido galardoado com diversos prémios. No entanto a narrativa de viagem é o género que é mais apreciado em Henrique Galvão.
Preço:19,00€

Referência:9000
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:O SOL DOS TRÓPICOS
Descrição:Tip. da Empresa do Anuário Comercial,Lisboa, 1936. in-8º de 322-(1) págs. br
Observações:Romance que deu origem a vários estudos recentes.
exemplo, Jeane de Cassia Nascimento Santos (UFS) na sua tese "ESPAÇO PORTUGUÊS, DESLOCAMENTOS " a dado momento escreve:

Assim, observamos, nos romances coloniaisO sol dos trópicos e O velo d’oiro ,de Henrique Galvão, a partida das personagens imbuídas da mística imperialista rumo a Angola, carregando em sua bagagem um sonho de riqueza impossível de ser realizado emPortugal, devido à crise econômica vivenciada peloslusitanos desde a Independência do Brasil.
Observamos em O sol dos trópicos que o espaço, antes amedrontador, inóspito também passa por mudanças provocadas pela personagem, ciente, com o passar do tempo, das possibilidades de interferir, com seus conhecimentos de europeu, naquela terra, mais tarde transformada em sua fazenda. Conseqüentemente teremos a valorização da selva,agora como o espaço grandioso e heróico do homem português, que sem nenhuma ferramenta ou qualquer outro tipo de ajuda tecnológica, consegue vencer as dificuldades deadaptação, habitando, construindo, vivendo.
Preço:35,00€

Referência:8318
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:O ASSALTO AO SANTA MARIA
Descrição:Edições Delfos, Lisboa, 1974. In-8º de 315-8 págs. Brochado.
Observações:"... No início da década de 50, Henrique Galvão desiludiu-se com o regime de Salazar e começou a conspirar com outros militares, mas acabou por ser descoberto, preso e expulso do exército. Em 1959, aproveitando uma ida ao Hospital de Santa Maria, fugiu e refugiou-se na embaixada da Argentina, tendo conseguido exílio político na Venezuela. Henrique Galvão era, com Humberto Delgado, uma figura extremamente popular nos meios oposicionistas não afectos ao PCP. Para o Partido Comunista, Portugal ainda não estava pronto para a revolução, enquanto Galvão achava que não havia tempo a perder. Foi durante o exílio que começou a preparar aquela que seria a sua acção mais espectacular: o desvio de um paquete cheio de passageiros, a que deu o nome de "Operação Dulcineia". Coordenou esta acção com Humberto Delgado, que estava exilado no Brasil.
"...O navio escolhido foi o paquete "Santa Maria", que tinha largado em 9 de Janeiro de 1961 para uma viagem regular até Miami. Galvão embarcou clandestinamente no navio, em Curaçao, Antilhas Holandesas. A bordo já se encontravam os 20 elementos da Direcção Revolucionária Ibérica de Libertação, grupo que assumiria a responsabilidade pelo assalto. O navio levava cerca de 612 passageiros, muitos norte-americanos, e 350 tripulantes. A operação começou na madrugada de 22 de Janeiro, com a ocupação da ponte de comando. Um dos oficiais de bordo ofereceu resistência e foi morto a tiro; os restantes renderam-se. O paquete mudou de rumo e partiu em direcção a África. Henrique Galvão queria dirigir-se à ilha espanhola de Fernando Pó, no golfo da Guiné, e a partir daí atacar Luanda, que seria o ponto de partida para o derrube dos governos de Lisboa e Madrid. Um plano megalómano e quixotesco, condenado ao fracasso, mas que chamaria as atenções internacionais para a ditadura salazarista.
As coisas começaram a complicar-se quando o navio foi avistado por um cargueiro dinamarquês, que avisou a guarda costeira americana. Daí até à chegada dos navios de guerra foi um ápice. Vendo que tudo estava perdido, Henrique Galvão decidiu rumar ao Recife e render-se às autoridades brasileiras, pedindo asilo político, que foi aceite...
Preço:23,00€