Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Março 2024
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

PORTUGAL, D. Joseph Miguel Joam de - CONDE DE VIMIOSO

Foram localizados1 resultados para: PORTUGAL, D. Joseph Miguel Joam de - CONDE DE VIMIOSO

 

Referência:14955
Autor:PORTUGAL, D. Joseph Miguel Joam de - CONDE DE VIMIOSO
Título:INSTRUCÇAM QUE O CONDE VIMIOSO DOM JOSEPH MIGUEL JOAM DE PORTUGAL do conselho de Sua MAgestade, e Deputado da Junta dos tres Estados, dá a seu filho segundo D. Manoel Joseph de Portugal, fundada nas acçoens christans, moares, e politicas (...)
Descrição:

Na officina de Miguel Rodrigues Lisboa, 1744. In-8º de 11 ff. inumeradas + 54 págs. Encadernação modesta, séc. XIX. Pertence manuscrito e ex-libris no verso da pasta anterior. Impressão sobre papel de magnífica qualidade, de elevada gramagem. Aparo marginal, apresentando ainda assim, margens largas. Insignificante trabalho de traça pontual e exclusivo junto da charneira.

Observações:

O 1º Conde de Vimioso (criado por Carta Régia de 1515), filho ilegítmo de D. Afonso, Bispo de Évora, participou na conquista do  Norte de África. O Segundo Conde de Vimioso e seu filho ( futuro terceiro conde) esteve com D. Sebastião em Alcácer-Quibir. O 5º Conde esteve envolvido na recaptura da Bahia aos holandeses em 1625, assim como na Restauração. O autor deste título (1706-1775) foi membro do Conselho de D. Joao V e da Academia Real de Historia.

Segundo a investigadora Ana Luísa de Castro Pereira, o autor deste livro “buscou seu lugar no palco da diplomacia moderna” no período imediato à Restauração, visto a necessidade de legitimação de D. João IV como soberano e de normalização de relações com as cortes europeias. Para buscar tal efeito, foram enviados embaixadores para França, Inglaterra, Holanda, Suécia, Dinamarca, Catalunha e Santa Sé, onde Portugal enfrentou grandes dificuldades, pois a embaixada espanhola atuou “no sentido de Roma não reconhecer a Casa de Bragança, como casa soberana”.

A primeira edição é de 1741, muito rara, foi impressa para oferecer a parentes e amigos. Trata-se da 2ª edição, tendo sido ainda impressa outra no ano seguinte. Obra muito importante para o estudo das classes dirigentes do Antigo Regime de Portugal entre o século XV e o século XVIII, em especial para o estudo das formas de educação e transmissão de conhecimentos entre as sucessivas gerações numa época em que as pessoas eram classificadas pela nobreza da sua ascendência. Esta obra insere-se na tradição da nobreza da Península Ibérica de ensinar e transmitir aos seus descendentes a mentalidade e visão do mundo do seu grupo social, para que o prestígio dos seus título ficasse assegurado para a posteridade.

Inocêncio V, 74; Barbosa Machado II, p.878-79; Pinto de Mattos p. 513; Ameal, 1829.

Preço:145,00€