Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Bacalhau | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Canada | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Cuba | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estoril | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Industria | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Patuleia | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Publicidade | Queirosiana | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Viana do Castelo | Vila Nova de Gaia | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background
Seleccione o mês a visualizar:

Livros do mês: Novembro 2017

Foram localizados 126 resultados para: Novembro 2017

 

Referência:14043
Autor:GOMES, João Pereira
Título:OS PROFESSORES DE FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA
Descrição:

Câmara Municipal (aliás, Gráfica de Coimbra), Évora, 1960. In-8º de 622-(1) págs. Encadernação meia francesa em pele. Frontspício com antigo carimbo de posse de biblioteca privada coberta de tinta da china em formato rectangular. Conserva capas de brochura. Miolo impecável. Reproduções das assinaturas das figuras referidas, facsimiles de manuscritos, etc.

Observações:

Refere os professores que passaram pela Universidade de Évora e que são: Inácio Martins, Brás Gomes, MAnuel de Sequeira, Jerónimo Fernandes, Pedro Martins, Belchior Afonso, Pedro Luis, João Brandão, Francisco Cardoso, João Correia, Fernão Rebelo, Pedro Simões, Sebastião Antunes, Jerónimo Dias, Martim de Melo, Marçal Beliarte, João de Lucena, Francisco Fernandes, Lourtenço Fernandes, Jorge Pereira, Álvaro Lobo, Pedro Novais, Domingos de Araoz, Sebastião Abreu, Manuel de Seixas, Manuel Mendes, João Cortês, João Leitão, Manuel Pinheiro, Leonardo de Mira, Manuel Furtado e Jernónimo Mendes.

Preço:50,00€

reservado Sugerir

Referência:14041
Autor:COURTOIS, Victor Jose.
Título:DICCIONÁRIO CAFRE-TETENSE-PORTUGUEZ Idioma Fallado no Districto de Tete e na vasta Regiao do Zambeze Inferior
Descrição:

Imprensa da Universidade,Coimbra, 1899-1900. Dois tomos num volume só de in-4º de XVII-81-(3) e 483 págs. Encadernação meia inglesa em pele com florões e dizeres a ouro em casas abertas na lombada.Restauros marginais das páginnas devido à qualidade delicada do papel.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Dicionário compilado por um Jesuita Francês que em 1883 foi para Moçambique e trabalhou na zona de Tete, e estudou as lìnguas indígenas. Este dicionário, cujo segundo tomo é uma adenda ao tomo principal aborda as línguas da zona de Tete e Zambezia.

Preço:75,00€

Referência:14040
Autor:RÉGIO, José
Título:PÁGINAS DE DOUTRINA E CRÍTICA DA "PRESENÇA"
Descrição:

Brasília Editora, Porto, 1977. In-8º de 361-(11) págs. Brochado

Observações:

Inserido na colecção das Obras Completas. Prefácio e notas de João Gaspar Simões.

Preço:18,00€

Referência:14039
Autor:LACERDA, F. Gavicho de
Título:COSTUMES E LENDAS DA ZAMBÉZIA.
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1925. In-8º de 336-(4)págs. Br. Ilustrado ao longo do texto.
RARO:

Observações:

Obra sobre os costume e lendas da Zambézia, onde o autor escreve " o que durante 32 anos de permanência na Zambézia por lá vi e aprendi, de maneira que o nosso colono, que amanhã para aquela tão rica região queira emigrar, algumas luzes leve ou pequeno conhecimento dela"

Preço:43,00€

Referência:14038
Autor:MELLO, António Homem de (TOY)
Título:HISTÓRIA DE MARIA FLOR - Romance
Descrição:

Edição do autor, nas oficinas do jornal Soberania, Águeda, 1943. In-8º de 325-(3) págs. Brochado. Ostenta uma dedicatória autógrafa.

 

Observações:

António Homem de Melo de Macedo (Toy) foi advogado, poeta, escritor e empresário jornalista natural de Águeda e pai do poeta Pedro Homem de Mello.

 

"Contemporâneo em Coimbra de António Nobre, Agostinho Campos e Alberto de Oliveira, foi colaborador da revista Boémia Nova (1889). Na Correspondência de António Nobre há amiudadas alusões a Toy, pseudónimo que usou.

António Homem de Melo passou muito tempo da sua vida na Quinta das Cabanas (Afife, Minho), onde produziu considerável parte de sua obra que legou, de sabor lírico-popular. Era pai do poeta Pedro Homem de Melo. Em Coimbra, Toy "valente e corajoso" sempre pronto a acudir com o argumento dos seus punhos de atleta a qualquer situação embaraçosa para os amigos, segundo Guilherme de Castilho. Nos últimos anos, dirigia, com o Conde de Águeda, seu irmão, o semanário de Águeda Soberania do Povo, fundado por seu pai, conselheiro Albano de Melo." (Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, vol. III, p. 73)

Preço:25,00€

Referência:14037
Autor:LUÍS, Augustina Bessa
Título:A BRUSCA
Descrição:

Editorial Verbo, (Lisboa, 1971). In-8º de 149-(5) págs. Br. Inserido na colecçao LIVROS RTP da Biblioteca Básica Verbo. Exemplar como novo.

Observações:

PRIMEIRA EDIÇÃO do conto A BRUSCA. Esta recolha de contos foram dados à estampa entre 1958 e 1967 em publicações diversas e aqui publicadas pela primeira vez reunidas em livro.

Preço:19,00€

Referência:14036
Autor:ALEGRE, Manuel
Título:O CANTO E AS ARMAS
Descrição:

Edição do autor, Porto, 1967. In-8.º de 150-(1) págs. Br. Inserido na colecção "Nova Realidade". Capa de brochura realizada a partir de foto de Eduardo Gageiro. Sobrecapa impecável não fosse uma pequeno corte na capa e não ultrapassa 1/2 cm.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

PRIMEIRA EDIÇÃO da segunda obra de MANUEL ALEGRE, onde se acentua a propensão ideológica e de poesia de combate, acrescentando-se a temática do exílio que será constante ao longo de toda a sua obra.

 

Letra para um hino

É possível falar sem um nó na garganta
É possível amar sem que venham proibir
É possível correr sem que seja fugir.
Se tens vontade de cantar não tenhas medo: canta.


É possível andar sem olhar para o chão
É possível viver sem que seja de rastos.
Os teus olhos nasceram para olhar os astros
Se te apetece dizer não grita comigo: não.

o canto e as armas É possível viver de outro modo.
É possível transformares em arma a tua mão.
É possível o amor. É possível o pão.
É possível viver de pé.

Não te deixes murchar. Não deixes que te domem.
É possível viver sem fingir que se vive.
É possível ser homem.
É possível ser livre livre livre

Preço:45,00€

Referência:14035
Autor:NEMÉSIO, Vitorino
Título:MAU TEMPO NO CANAL
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1944. In-8º de 473-(6) págs. Br. Desenho da capa é de Bernardo Marques. Capas de brochura ligeiramente amarelecida pelo tempo e com alguns picos de acidez. Valorizado pela dedicatória autógrafa muito expressiva.
 

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Romance que segundo David Mourão-Ferreira é "A obra romanesca mais complexa, mais variada, mais densa e mais subtil em toda a nossa história literária". Foi publicado em 1944  e retrata a sociedade açoriana, mais concretamente, a sociedade da cidade da Horta. Acima de tudo, é um romance que aborda o isolamento.
Esta obra ganhou o Prémio Ricardo Malheiros da Academia de Ciências de Lisboa.

" O mundo, aliás, nunca lhe aparecera tão vivo, representado na sua solidão de solteiro pela própria força do silêncio da noite e do esgotamento de um dia gasto à espera daquela mensagem de Margarida que dois meses enchiam de uma necessidade dolente e tornavam cada vez mais longínqua. Mas a própria intensidade e uso desse desejo criava em João Garcia um começo de palpitação daquilo por que esperava, como se a carta fosse o seu próprio cérebro excitado, e as sombra do fundo do quarto, o guarda-fato de espelho, o cubículo que lhe servia de escritório abafado em veludos puídos e me laçarotes encarnados derivassem da projecção do papel em que Margarida lhe escrevesse."

 

Preço:200,00€

Referência:14034
Autor:CASTRO, Francisco Cyrne de
Título:A PATULEIA NO ALTO MINHO (alguns pormenores da sua história).
Descrição:

Tipografia da Casa dos Rapazes, Viana do Castelo, 1964. In-4º de 277 págs. Brochado. Impressão sobre papel de boa qualidade, profusamente ilustrado ao longo do texto. Rubrica de posse no frontispício.

Observações:

Esta obra cosntitui uma das bibliografias de referência, a par de outras fontes de informação conhecidas, sobre a questão da "Maria da Fonte" e outros episódios ocorridos em 1846 relacionados com a revolta popular.

Preço:30,00€

Referência:14032
Autor:ANDRADE, José Ignácio de
Título:CARTAS ESCRIPTAS DA ÍNDIA E DA CHINA nos anos de 1815 a 1835 por ... a sua mulher D. Maria Gertrudes de Andrade. Segunda edição.
Descrição:

Tomo I (e II). Na Imprensa Nacional. Lisboa. 1847. In 8º de 2 volumes com (22) - 245 - (3) e (10) - 235 - (8) págs. respectivamente. Encadernação coeva meia inglesa com elaborados ferros gravados a ouro na lombada de pele, esta com ligeiros e insignificantes defeitos acentuados no primeiro volume. Cantos do primeiro volume com ligeiro sinais de manuseamento descuidado. Miolo impecável, muito limpo com rarísimos picos de acidez.

Observações:

2ª EDIÇÂO. Frei Francisco de S. Luis (Cardeal Saraiva) refere que o autor nos deu a conhecer “... os costumes, as leis, o génio e o singular caracter do grande Império da China, fazendo justiça ao espirito, e ao valor dos antigos portuguezes ...”. É de facto notável o desenvolvimento dado pelo o autor aos curiosos costumes orientais, bem como á história da presença dos portugueses por aquelas paragens. Ilustrado com doze belos retratos litográficos, de sua mulher, de Domingos António de Sequeira, de Rodrigo Ferreira da Costa e de importantes personagens chineses.

As cartas apresentam os seguintes títulos: Sahida de Lisboa; Ensaio da navegação em mar largo; Entrada em Calcuttá; Carta-Bade-Chasta-Brima; Das leis e sua applicação; Sacrificio das viuvas; Ordens religiosas; Decadencia do Indostão; Os lusitanos, e os inglezes na Africa, e na India; Caracter do governo inglez; Costumes dos naires; Palacio Mogol; Jardins de Calcuttá; Estado acual de Maco; Entrada, e sahida dos Jesuitas na China; Principios politicos, e moraes de Confucio, e de Meng-Tscu; Caracter, costumes, e retrato dos chinezes; População, e rendimento público; Amostra das leis chinezas; Da astronomia, e da geographia; Juizo sobre Fernão Mendes Pinto, e sobre algumas cousas vistas por elle na China; Da Medicina; Do espaço e do tempo; Da materia, e suas propriedades; Do movimento; Systema planetario; Effeitos da lua; Liberdade civil dos chineses; Costumes na mesa; Festividade chineza; Agricultura; Cultura, fabrico, e virtudes do chá; Juizo sobre a poesia, extrahido do Cou-King; Canção do Philosopho Lean; Da pintura; Do suicidio; Ilha de Santa Helena; Estado de Portugal;  entre muitos outros.

Segundo Manuela Delgado Leão ramos, esta obra de Ignácio de Andrade, que, como convidado ilustrado, percorre a China dos anos 1815-1830 onde ouviu palestras sobre a cultura chinesa em casa dos seus amigos Chá-Amui e Saoqua (onde, aliás, também explica a “filosofia experimental” europeia), num período em que a imagem da China sofre em Portugal o mesmo processo que no resto da Europa: a passagem de uma sinofilia a uma sinofobia. Esta mudança reflecte, nas suas particularidades, os moinhos de vento com que se debatia o pensamento europeu, e os ventos dominantes que, mais ou menos intensamente, chegavam cá também para moer a ‘farinha’ nacional .

José Inácio de Andrade nasceu nos Açores em 1780 e morreu em Lisboa, em 1863. Como oficial da Armada empreendeu várias viagens à Índia e à China. Foi vereador e presidente da Câmara Municipal de Lisboa e figura destacada das letras portuguesas da época, deixando vasta obra.

Preço:175,00€

Referência:14031
Autor:NOBRE, António
Título:
Descrição:

Lisboa, Guillard, Aillaud & Cia., 1898. In-8º esguio de 172- (4) págs. Encadernação inteira de chagrin fino azul com deourados em casas fechadas na lombada e filetes duplos nas pastas. Corte superior das folhas douradas, coifas e seixas com decoração floreada. Conservas capas de brochura esta com ligeiro defeito. Rubrica coeva de posse no ante-rosto.

PEÇA DE COLECÇÃO.

Observações:

É a muito invulgar segunda edição de um dos maiores e mais  queridos livros de Poesia Portuguesa, numa esmeradíssima edição impressa em Paris sobre papel couché ricamente decorada com vinhetas tipográficas e impressões a cores de aguarelas representando costumes e vistas portuguesas .

É este escritor que um poeta nosso contemporâneo recente – João Miguel Fernandes Jorge – louvava no semanário Expresso (11 de Abril, 1987) nos seguintes termos: «[...] O Só é uma lição de portugalidade, aprendi nele Portugal e foi ele que me conduziu à monarquia, por exemplo [...]. Penso que toda a poesia arrasta consigo um sentido de mensagem, por isso o Nobre me seduziu. O Nobre é um dos mentores do Estado Novo. [...]»

Preço:280,00€

Referência:14030
Autor:autoria indefinida
Título:REGULAMENTO GERAL PARA O SERVIÇO DOS CORPOS DO EXERCITO approvado por decreto de 21 de Novembro de 1866
Descrição:

Ministério da Guerra. - Imprensa Nacional, Lisboa, 1877. In-8º de 194-(41) págs. Encadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Miolo com alguns raros picos de acidez. Ilustrado com pautas musicais.

Observações:

Nova edição do Regulamento Geral para o Serviço dos Corpos do Exército aprovado por Pereira de Melo em 1866, de salientar que a "nova edição se juntasse, em appendice, tudo o que até hoje tem sido publicado, derrogando ou ampliando algumas das disposições contidas no mencionado regulamento". Apresenta no final um capítulo com partituras musicais com toques para trombones, chama de furrieis, toques para formar companhias e esquadroes, etc...

Preço:45,00€

Referência:14028
Autor:CASTRO, Ferreira de
Título:O ÊXITO FÁCIL - E OUTRAS NOVELAS
Descrição:

Edição da Sociedade Contemporânea de Autores, Lisboa, 1925. In. 8.º de 252 págs. Encadernação moderna em pele com cantos e dizeres a ouro na lombada. Conserva a bonita capa de brochura.

Observações:

Segunda edição.

Preço:20,00€

Referência:14026
Autor:autoria indefinida
Título:REFORMA DO MINISTÉRIO DAS COLÓNIAS
Descrição:

Imprensa Nacional, Macau, 1936. In-8º de 73 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas e com alguns picos de acidez. Alguns sublinhados a tinta permanente.

Observações:

Texto da reforma do Ministério das Colónias,através do decreto ecreto 26:180, de 7 de Janeiro de 1936. Encerra a Legislação correspondente à reforma do Ministério das colónias portuguesas, entre as quais Angola, Moçambique, S. Tomé, Goa, Damão, Diu, Timor, etc.

Preço:20,00€

Referência:14024
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:LUIS DE CAMÕES Fabuloso e Verdadeiro. Vol. I (e II)
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, s/d. 2 vols de in-8º de 317-(3) + 340-(4) págs. Br. Cadernos por abrir. Exemplares de uma tiragem especial de 60 exemplares, em papel avergoado, numerados e assinados pelo autor.

Observações:

Importante e estimado ensaio que é uma espécie de romance histórico sobre a vida de Luís de Camões.

Preço:75,00€

Referência:14023
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:GEOGRAFIA SENTIMENTAL (História, paisagem, folclore)
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, s.d.. In-8.º de 362-(2) págs. Br. Cadernos por abrir. De uma tiragem especial, em papel avergoado, de 60 exemplares assinados e numerados pelo autor. POR ABRIR.

Observações:

Obra de Aquilino onde ele traça a sua geografia sentimental pelas terras da Beira Alta. Encerra um capítulo camiliano: "Uma passagem do “Amor de Perdição”.
"O autor desdobra diante dos seus leitores um pedaço do mapa de um dos mais curiosos recantos de Portugal (...) Aquilino conduz, dominando pela sua palavra, todo aquele que o leia (...) um largo friso de apontamentos que ajudam a dar mais relevo a essa região que fica, assiim, na memória do leitor, conhecendo-a, mesmo que nunca a tivesse visitado"
in República, 08/06/1951

Preço:50,00€

Referência:14022
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:PORTUGUESES DAS SETE PARTIDAS (Viagens, aventureiros, troca-tintas)
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, s.d. In-8º de 362-(2) págs.Br. Cadernos por abrir. Exemplar da tiragem especial de 60 exemplares, impressa em papel avergoado, numerados e assinados pelo autor.

 

Observações:

Obra que aborda a vida de  viajantes, aventureiros e troca-tintas portugueses e como o autor refere "tem a pretensão de ser história, história mais ou menos colorida, mais ou menos romanceada, tamisada de datas, de referências, de citações, porque o Mundo não vai para grandes estopadas"

Preço:50,00€

Referência:14021
Autor:LIMA, Augusto C. Pires de
Título:A MORTE NAS TRADIÇÕES DO NOSSO PAÍS
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1930. In-8º de 14 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas e com picos de acidez. Integra a  Miscelânea de estudos em honra de d. Carolina Michäelis de Vasconcellos, professora de Faculdade de letras da Universidade de Coimbra.

Observações:

Curiosa separata que aborda a Morte como uma das fontes da literatura popular.

Preço:15,00€

Referência:14020
Autor:MONCADA, L. Cabral de
Título:"O SÉCULO XVIII NA LEGISLAÇÃO DE POMBAL"
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1926. In-8º de 40 págs. Br. Capas de brochura com picos de acidez marginais. Frontspício com carimbo de posse de biblioteca privada preenchio a tinta negra. Alguns sublinhados a lápis no corpo do texto. Separata do Boletim da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Observações:

Separata bastante importante para a história do Direito português que aborda as mudanças ocorridas na legislação portuguesa  durante a época pombalina.

Preço:19,00€

Referência:14019
Autor:CALDAS, Pereira
Título:ALVARO DE BRAGA E NÃO ALVARO VELHO como auctor plausivel do Roteiro da viagem que em descobrimento da India, pelo Cabo da Boa-Esperança fizera Vasco da Gama em 1497, segundo um manuscripto coetaneo existente na Bibliotheca Publica do Porto ...
Descrição:

Typographia e Papelaria Costa Braga & C.a,Braga, 1898. In-8º de 45 págs.Br. Capas de brochura empoeiradas e miolo com picos de acidez. Valorizado pela dedicatória e carimbo pessoal do autor. Marcas de carimbo a óleo. "Tiragem limitada em papel escolhido".

INVULGAR.

Observações:

Opúsculo sobre a autoria do roteiro da Viagem de vasco da Gama à Índia, argumentando que seria Álvaro de Braga e não Álvaro Velho o seu autor.

Preço:24,00€

Referência:14018
Autor:PROENÇA, Raul
Título:CATÁLOGO IDEOGRÁFICO sub-rubricas gerais
Descrição:

Oficinas Gráficas da Biblioteca Nacional, Lisboa, 1921. In-8º de 36-(4) págs. Br.  Capas de brochura amarelecidas e com picos de acidez.

Observações:

Folheto que inicia a  "Biblioteca do Bibliotecário e do Arquivista" onde Raúl Proença estabeleceu "todas as regras, instruçõese regulamentos relativos à organização da Biblioteca Nacional".

Preço:8,00€

Referência:14017
Autor:CHAGAS, Manuel Pinheiro
Título:HISTORIA DE PORTUGAL ( Edição Popular e Illustrada )
Descrição:

Lisboa, Escriptorio da Empreza, s.d. (ca. 1890) In-8º de 12 volumes com encadernação coeva em pele verde com dourados ao gosto da época nas lombadas. Acidez leve e generalizada, dada a qualidade do papel. Profusamente ilustrados com centenas de xilogravuras.

Completo.

Observações:

Segunda edição deste importante trabalho histórico que pretende divulgar os factos da História portuguesa junto do grande público.

Preço:225,00€

reservado Sugerir

Referência:14016
Autor:ALMEIDA, Maria Emília de Castro; CASTRO, Maria Cecília
Título:DA BIBLIOGRAFIA ANTROPOLOGICA DO CENTRO DE ESTUDOS DE ETNOLOGIA DO ULTRAMAR
Descrição:

Centro de Estudos de Etnologia do Ultramar, Lisboa, 1962.In-4.º de 165-(3) págs. Br. Bapa de brochura com alguns picos de acidez. Ostenta uma autógrafo de  Maria Emília de Castro e Almeida. Cadernos por abrir. Separata factícia.

Observações:

Publicação bastante invulgar e bastante importante para o estudo da antropologia dos povos e culturas do Ultramar. Os títulos estão classificados pelo sistema C.D.U e acompanhados de referências bibliográficas e de um resumo.

Preço:10,00€

Referência:14015
Autor:GIRÃO, Júlio Ferreira
Título:PORTUGAL - ( 1578- 1668)
Descrição:

Typ. de A. J. da Silva Teixeira, Porto, 1897. In-4º de 143 págs. Br. Capa de brochura e miolo  com picos de acidez. Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO. RARO.

Observações:

Obra bastante interessante que aborda a história de Portugal no período entre 1578 e 1668. Encerra os seguintes capitulos: "Gama e Colombo";  "O dualismo" e " A Restauração".

Preço:45,00€

Referência:14014
Autor:autoria indefinida
Título:O INSTITUTO número comemorativo do 4º centenário de Fernão de Magalhães
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1921. In-8º de 68 págs. Br. Cadernos por abrir. Separata da Revista O Instituto. Carimbo antigo de posse de biblioteca privada preenchido a tinta negra.

Observações:

Separata muito interessante, comemorativa do 4º centenário de Fernão de Magalhães e que encerra participações de José Manoel de Noronha, Alves dos Santos, Oliveira Guimarães; Costa Lobo, entre outros.

Preço:10,00€

Referência:14013
Autor:autoria indefinida
Título:ANUÁRIO DA PROVÍNCIA DE MOÇAMBIQUE Informações Oficiais, Comerciais, Geograficas e Históricas
Descrição:

Editores: A. W. BayLy & Ca., LDA, Lourenço Marques, 1961. In-8º de LXXXII-1268-(84) págs. Encadernação editorial em tecido gravado a pigmento negro. Profusamente ilustrado ao longo do texto com publicidade, mapas e plantas desdobráveis.

 

Observações:

Encerra história e informações comerciais sobre todas as provincias de Moçambique.

Preço:60,00€

Referência:14012
Autor:OLIVEIRA, Paulino
Título:POEMAS de ...
Descrição:

Edições Descobrimento, Lisboa, 1932. In-4º de 379 págs. Br. Cadernos por abrir. Ilustrado com um retrato a lápis do autor. Valorizado pela emotiva dedicatória  de João de Castro Osório de Oliveira (filho do autor e de Anna Castro Osório).

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Livro publicado postumamente com a reunião da poesia de Paulino de Oliveira e com prefácio do poeta João de Castro Osório de Oliveira, seu filho.


Num extenso artigo publicado no Diario De Noticias em 10-6-64 aquando do centenário da morte de Paulino de Oliveira, David Mourão-Ferreira relembra o que Fernando Pessoa tinha escrito sobre o autor  "Tão intenso, porém., era o sentimento pagão que nele animava que em alguns poemas conseguiu fugir do cárcere. Esses poemas, creio, ficarão. Não deixarão, quase o afirmo, de ser incluídos na Antologia Portuguesa definitiva que alguém futuro formará", concordando com essa afirmação mas acrescentando que "Impossível... reduzir reduzir essa obra à exclusiva dimensão do paganismo. Se Paulino de Oliveira, sob muitos aspectos, se aparenta a um Teixeira-Gomes - pertence, por outros, não menos importantes, á familia espiritual de um Teixeira de Pascoais. Estará mesmo, talvez -como, poe exemplo, mais tarde acontecerá com António Patricio- a igual distância de um e de outro."

Rastros

De chofre, como rápido meteoro
Que risca as minhas noites mal veladas
Surgem faiscando e fogem apressadas
Coisas que mal compreendo e mal decoro

Lembranças vagas a que em vão imploro
E estendo os braços... coisas apagadas,
Rastros de antigos prantos e risadas
Que debandaram em sombrio coro

É como o lastro dessas caravelas,
Dantes povoadas, de enfunadas velas,
Em que embarquei à busca dos desejos...

Passa um perfume conhecido, vago -
Aura de rotos panos, velho afago,
Rastro de aroma, a ideia dos teus beijos!

 

Preço:30,00€

Referência:14011
Autor:BELLO, António Pedro de Bellegarde
Título:JOÃO BELLO E A NAÇÃO
Descrição:

Agência Geral do Ultramar, Lisboa, s/d. In-8º de 651 págs.Br. Ilustrado em extra-texto. Carimbo antigo de biblioteca privada preenchido a tinta no frotnspício. De resto, magnífico exemplar, quase novo.

 

Observações:

Biografia de João Bello, natural de Leiria (1876), militar da Armada Portuguesa e político que se notabilizou como militar e administrador colonial de Moçambique.

Preço:38,00€

Referência:14010
Autor:LUÍS, Agustina Bessa
Título:A MURALHA
Descrição:

Guimarães Editores, Lisboa, 1957. In-8º de 429-(3) págs; Br.  Capas de brochura e miolo envelhecidos.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR

Observações:

Uma das primeiras obras da escritora.

"Só é estável o que nos parece perecível. Busco, volto, abandono e chamo de novo. É isto amor. Trago no meu seio irmãos e horas, luzes, palavras, mitos; o caldeiro cheio de corações humanos onde cozem as suas ervas as feiticeiras do tempo; a roça e a espada, a flor e a poeira. Isto é amor. Quem pode obstar a esta torrente, quem vem, com pé leviano e peca sombra, interceptar o sentido dalguma coisa que nasce no seio do seu próprio sentido? Vou, volto, danço de roda das trípodes e das fogueiras, devasso os corações lívidos dos vivos e o seu frágil comércio sentimental. E percebo que tudo o que foi criado muda, que a alma corre como o vento em busca da sua guarida que é por momentos alguém, depois um projecto, uma dor do lado esquerdo ou o jornal da manhã, o dinheiro, a fama ou o desdentado riso dum mendigo. Que são romances? Histórias fingidas, presenças estudadas, um coro de actividades morais, a burocracia da personalidade. Não é tempo talvez de tais jogos mais ou menos argutos e meditabundos. Cada voz reclama a sua parte de luz, não há heróis, já que tão bem sabemos que o convívio com eles se torna funesto e nos absorve. Cada voz está só e é única, e é contra o coração dos outros, vertiginosamente, que ela ressoa."

Preço:45,00€

Referência:14009
Autor:CASTRO, Augusto de
Título:CAMPO DE RUÍNASimpressões da guerra
Descrição:

Editôres – Santos & Vieira / Empresa Literária Fluminense, Lisboa, 1918. In-8º de 209-(3) págs. Br. Ostenta uma assinatura de posse. Lombada com algumas falhas.

PRIMEIRO MILHAR.

Observações:

Conjunto de crónicas sobre a  Grande Guerra escritas  pelo autor  a partir de França.

Índice:
Dedicatória. Campo de ruínas. I - Soldados portugueses: - O sol de Portugal! - Uma parada militar na Flandres. - Nas trincheiras. - Nas ambulâncias e nas baterias. - O general Tamagnini. II - Ruínas e heróis: - Como se vive na guerra. - O Milagre. - A Catedral. - Nas linhas inglêsas. - A morte da águia. - A cidade morta. III - O eco das batalhas: As deusas brancas. - A ofensiva da paz. - Como a Alemanha será vencida. - Paisagens da guerra. - Venizellos e Lloyd George. - Uma falsa «alerte». - O que é preciso dizer a Portugal.

Do preâmbulo, Campo de ruínas:

"Campo de ruínas, campo da morte - horizonte das grandes batalhas, donde a vida se sumiu, sôbre êle passa, por vezes, afugentada pela tempestade da artilharia, uma revoada de aves que corta o espaço e foge, desaparece no céu crispado e trágico. [...] Os homens, nas grandes covas do lôdo e da traição, espiam-se da sombra. Só os aviões, pássaros sinistros do Ódio, se elevam no ar que o eco dos canhões agita com o marulhar do vento. A voz das coisas calou-se. Os próprios corvos debandaram. Nessa sepultura gigantesca, povoadas de vivos, a voz de Deus emmudeceu.
É neste lívido scenário, em que o sol nasce tinto de sangue, que se desenrola o grande Drama Humano."

Preço:23,00€

Referência:14008
Autor:CORREIA, Natália
Título:O ANJO DO OCIDENTE À ENTRADA DO FERRO
Descrição:

Edições Ágora, Lisboa, 1973. In-8º de 138-(6) págs. Encadernação editorial em tela com sobrecapa em papel com a reprodução de um desenho de Lino. Ilustrado com seis desenhos originais de Lino.

Observações:

AEROPORTO

De franqueforte franquefurta-me a placa giratória
No centro o minotauro do livro e do dinheiro
Bolsa do desespero! o aeroporto cunha
a moeda do trânsito, da urgência joalheiro

Os diapositivos da espera me dissecam
nesta de mármore mesa da minha anatomia
e gelam as pestanas que velam o cadáver
da pressa escarnecida pela meteorologia

Os pés involuntários por tapetes rolantes
vão sendo massajados para as finais do juízo
Para a leda flor de pinho dos nervos lusitanos
franqueforte é farmácia que não está de serviço

Ε de erres arrastados o ofício das ground-hostesses
que escrevem sim e não com a ponta do nariz
Emudecem as águas do batismo de Goethe
nos químicos arredores deste alemão a giz

De franqueforte franquefarta-me o ninguém coletivo
este frio da morgue que abandona o cenário
às unhas dos relâmpagos e às pombas pluviosas
que pausas desdenhosas dejetam no horário

Aeroporto humano apenas na retrete
Na mansa paranoia da pista de absinto
pousa ariadna fio 727
gargalhando a saída do lerdo labirinto

 

Preço:40,00€

Referência:14004
Autor:OLIVEIRA, (Francisco Xavier de Oliveira) - Cavaleiro de
Título:CARTAS INÉDITAS ( 1739 – 1741 )
Descrição:

Publicadas por A. Gonçalves Rodrigues, Coimbra, 1942. In 8º de  VIII-326-{2} págs. Encadernação meia inglesa com cantos e lombada em pele. Conserva capas de brochura. Exemplar em excelente estado de conservação.

Observações:

O autor nasceu em 21 de Maio de 1702, na cidade de Lisboa e veio a morrer em Hackney a 18 de Outubro de 1783. Fidalgo da Casa Real exerceu o lugar de Oficial do Tribunal de Contas e nomeado, por morte de seu pai, secretário do Conde de Tarouca, nosso embaixador em Áustria.

Esta obra, contem um conjunto de cartas dirigidas a várias personalidades, nacionais e estrangeiras, da vida política, religiosa e literária da sua época.

Preço:40,00€

Referência:14003
Autor:SEQUEIRA, Gustavo de Matos
Título:A ABELHEIRA E O FABRICO DE PAPEL EM PORTUGAL (História de uma propriedade e de uma fábrica)
Descrição:

Casa Guilherme Graham Junior, Lisboa, 1935. De 96 págs. Encadernação inteira em carneira com dizeres e florões nas pastas e lombada. Ilustrado em extra-texto com fotografias. Bilingue (Followed by a résumé in English, with the addition of some interesting doumentary evidence. By Mrs. R. Garland Jayne). Dedicatória autógrafa do então proprietário da Fábrica.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Monografia dedicada à fabrica  de papel da Abelheira, uma das mais antigas e importantes fábricas de papel situada na Quinta da Abelheira e fundada, provavelmente, depois do terramoto de 1 de Novembro de 1755 pelos monges do Mosteiro de S. Vicente de Fora.

 

Preço:95,00€

Referência:14002
Autor:CHAVES, Pedro
Título:RIFONEIRO PORTUGUÊS
Descrição:

Imprensa Moderna, Porto, 1928. In-8º de 282-(2) págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Com uma dedicatória não autógrafa. CONSERVA CAPAS DE BROCHURA

Observações:

Colectânea de adágios, anexins, provérbios ou máximas da “voz popular”, que o autor foi juntando ao longo da vida.
“ Desde muito novo me senti atraído para a colecção e estudo dos ditados populares. Seduziam-me a sua concisão, a profundeza do conceito, a forma sentenciosa e por vezes picaresca e a observação e filosofia que revelavam. O meu contacto quase permanente com a gente do campo que aplica ao seu mister, aos seus negócios, às suas desditas, os ditados que tantas vezes a guiam e tantas outras a confortam e com a gente do mar tão segura nas previsões do tempo quase definidas em rifões, facilitaram a colecção e despertavam-me o interesse. ”.

 

Preço:30,00€

Referência:14000
Autor:autoria indefinida
Título:EXPOSIÇÃO EVOCATIVA DE EL-REI DOM MIGUEL I
Descrição:

Oficinas Gráficas Rádio-Renascença, Lisboa, 1952. In-8º de 59 págs. Br. Exemplar com mancha de carimbo e tinta. Capa de brochura com alguns picos de acidez. Ilustrado com um retrato de D. Miguel I.

Observações:

Roteiro da exposição realizada na Casa do Infante e promovida pela Câmara Municipal do Porto, por intermédio do gabinete de história da cidade. Encerra fichas descritivas dos objectos expostos.
   

Preço:8,00€

Referência:13999
Autor:TAUNAY, Affonso de E.
Título:HISTÓRIA DA CIDADE DE SÃO PAULO
Descrição:

Edições Melhoramentos, São Paulo, 1953. In-8º de  272 págs. Encadernação editorial em tela com dizeres a ouro na pasta e na lombada. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Relata a história de São Paulo desde sua fundação (1554) até a época em que o livro foi escrito, fazendo uma rigorosa análise histórica e um estudo da formação do antigo burgo, vila e depois cidade de São Paulo. Encerra capítulos sobre os aspectos sociais, económicos, culturais, geográficos, o comércio, as drogas da terra, a indústria algodoeira, a agricultura, a fauna e a flora, as bandeiras, as mudanças demográficas, os vários governos coloniais, etc.

"AO APROXIMAR-SE a efeméride, quadricentenária, de 25 de janeiro de 1954, observaram-me diversos amigos que me caberia apresentar ao público uma súmula da história da Cidade de São Paulo, já que, desde largo lapso, vinha examinando detidamente os seculares anais do burgo de Manuel da Nóbrega evoluído em vila e cidade, para atingir o extraordinário vulto, que o consenso universal lhe reconhece, como dimensões e importância, civilização e progresso acelerado. E realmente trinta e cinco anos decorreram desde que encetei uma série de trabalhos dos quais resultou a publicação de extensa seqüência de volumes baseados no exame pormenorizado dos fastos paulistanos, a partir da era quinhentista e dos próprios dias da fundação."

Preço:35,00€

Referência:13998
Autor:VITORINO, Pedro
Título:INVASÕES FRANCESAS
Descrição:

Livraria Figueirinhas, Porto, 1945. In-8.º de 199-(3) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com gravuras a preto e branco coladas sobre cartolina encarcelada. Nítida impressão sobre papel de gramagem e qualidade superior. Capas de brochura quase impecável não fosse uma pequena manchinha no canto inferior direito.

 

 

Observações:

Trabalho muito exaustivo sobre as invasões francesas a Portugal com um prefácio de J. A. Pires de Lima.


(...) Tornadas as montanhas de Tôrres, baluarte inexpugnável, a vitória estava assegurada!
Pela terceira vez no nosso território, Wellington media-se com os invasores. O vigor indómito do chefe anglo-luso lançá-los-ía definitivamente para longe das fronteiras. (...)

Preço:28,00€

Referência:13997
Autor:CORDEIRO, Luciano
Título:DIOGO D'AZAMBUJA
Descrição:

Imprensa Nacional, Lisboa, 1892. In-8º de  85 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas e com manchas de acidez marginal assim como o miolo, também com manchas de acidez marginais.

INVULGAR.

 

Observações:

Memoria apresentada á 10.ª sessão do Congresso Internacional dos Orientalistas.

"Diogo d'Azambuja não foi propriamente um descobridor, mas o seu nome anda vinculado, com boa rasão e justiça, á história das nossas descobertas «nas partes de Guiné», como no tempo d'elle se dizia. (...) A sua longa e opulenta existencia coopera no trabalho de expansão ultramarina dos tres reinados em que esta definitivamente se organisa."

Preço:30,00€

Referência:13996
Autor:AZEVEDO, Rogério
Título:DESPROPÓSITO A PROPÓSITO DO PAÇO DOS DUQUES DE GUIMARÃES Epístola ao Sr. Dr. Alfredo Pimenta
Descrição:

Livraria Fernando Machado, Porto, 1942. In-8º de 43-(1) págs. Br.

INVULGAR

Observações:

Opúsculo que faz parte da acesa polémica mantida entre o autor e  Alfredo Pimenta provocada pela restauração feita pelo autor do paço dos Duques de Guimarães e que Alfredo Pimenta condenava.

Preço:15,00€

Referência:13995
Autor:BEIRÃO, Caetano
Título:D. MARIA I 1777-1792: Subsídios para a Revisão da História do seu Reinado
Descrição:

Empresa Nacional de Publicidade, Lisboa, 1934.In-8º de 474 pags. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Conserva capas de brochura. Ilustrado em extratexto com quatro heliogravuras e fac-similes de várias cartas.

PRIMEIRA EDIÇÃO

 

Observações:

Estudo exaustivo e documentado sobre a primeira rainha de Portugal que recebeu o prémio Alexandre Herculano do Secretariado de Propaganda Nacional.

“Era excepcionalmente favorável, se não brilhante, a situação de Portugal, ao atingir seu termo [em 1792] o reinado efectivo de D. Maria I. Enquanto convulsões internas, ameaças de guerra, dificuldades económicas e políticas flagelavam outros países, aqui, na pequena casa lusitana, a vida decorria suavemente, alegremente, como numa grande família, em que todos, desde o chefe ao último dos filhos, trabalhassem para o bem comum.

País nenhum precisava menos do que o nosso dos solavancos perigosos duma revolução. Progredia-se em todos os ramos da actividade colectiva.

Lançavam-se os fundamentos das grandes escolas modernas, empreendiam-se múltiplas viagens de exploração e de estudo aos nossos domínios ultramarinos e ao estrangeiro, procurava-se disseminar o ensino e levá-lo às classes humildes da sociedade, abriam-se estradas, melhorava-se o serviço dos correios, protegiam-se as indústrias nacionais, inauguravam-se fábricas, aperfeiçoavam-se os serviços hospitalares e, justamente no ano em que a Rainha deixou de governar dava-se começo às obras do teatro de S. Carlos, belo monumento a atestar o grau de cultura de uma época...

A par destes progressos de vária ordem, procurava o governo de D. Maria I facilitar o viver das camadas populares, não se limitando a ir ao encontro das suas necessidades materiais, mas elevando-as e dignificando-as no campo propriamente social”.

Preço:30,00€

Referência:13994
Autor:COELHO, Jacinto do Prado
Título:O RIO DE JANEIRO NA LITERATURA PORTUGUESA
Descrição:

Comissão Nacional das Comemorações do IV Centenário do Rio de Janeiro, Lisboa, 1965. In-4º com 354-(8) págs.Br. Carimbo de biblioteca privada preenchida com tinta, no frontspício. Nítida impressão sobre papel de qualidade superior. Ilustrado em separado, a cores e a negro e branco.

 

Observações:

Colectânea de textos, em prosa ou verso, referentes à cidade do Rio de Janeiro de escritores nascidos entre o séc. XVI e 1923..

"A presente colectânea é constituída por textos de carácter literário (prosa ou verso) referentes ao Rio de Janeiro e escritos por autores portugueses (compreendendo, no que respeita o período colonial, autores nascidos tanto na metrópole como no Brasil) ou que utilizaram a nossa língua (o caso de Anchieta)."

 

Preço:27,00€

Referência:13992
Autor:CORTESÃO, Jaime
Título:TEORIA GERAL DOS DESCOBRIMENTOS PORTUGUESES. A geografia e a economia da Restauração. (Comunicações apresentadas ao Congresso do Mundo Português — 1940)
Descrição:

Seara Nova, Lisboa, 1940. In-8º de 81-(1) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez. Integrado na colecção "Cadernos da Seara Nova".

Primeira Edição.

 

Observações:

“Ao confiar-nos a publicação imediata destas duas valiosas comunicações ao Congresso do Mundo Português, de 1940, o autor permite-nos torná-las conhecidas dum público vasto. Os grossos volumes em que se compilam as teses dos congressos destinam-se sobretudo aos estudiosos e eruditos. Um caderno de menos de cem páginas vai às mãos de tôda a gente. Jaime Cortesão condensou, nestes estudos, as ideias de essenciais de muitos anos de investigação (...)”.

Preço:19,00€

Referência:13991
Autor:LIMA, Henrique de Campos Ferreira
Título:INVENTÁRIO DO ESPÓLIO LITERÁRIO DE GARRETT
Descrição:

Publicaçoes da Biblioteca Geral da Universidade, Coimbra, 1948. In-8º de XIII-107 págs. Br. Capas de brochura amarelecidas.

Observações:

Inventário exaustivo feito por Ferreira Lima, publicado pela Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e que continua a ser o instrumento indispensável para o conhecimento e a consulta do Espólio de Garrett.

Encerra as seguintes categorias

A) Obras manuscritas de Garrett

B) Obras de Garrett impressas

C) Ciências e negócios públicos

D) Correspondência particular, política, oficial, literária, familiar, etc.

E) Certidão de baptismo e outros documentos relativos à vida política e particular de Garrett

F) Diplomas civis, decretos de nomeações, etc.

G) Diplomas literários e outros

H) Autógrafos coligidos por Almeida Garrett

I) Papéis não relacionados

J) Documentos acrescentados posteriormente à constituição do espólio (docs. 211 a 213), p. 104

K) Recordações pessoais

Preço:14,00€

Referência:13990
Autor:DANTAS, Júlio
Título:GUERRA JUNQUEIRO
Descrição:

Lello & Irmão, Porto, 1950. In-4º de 24 págs. Br. leve assinatura de posse.

Observações:

Discurso inaugural das comemorações centenárias do Poeta, pronunciado na sessão solene realizada em 2 de Dezembro de 1950, na Câmara Municipal de Lisboa.

"... e os poetas, como os santos, não pertencem apenas à terra em que nascem, mas também àquela em que morrem."

Preço:15,00€

Referência:13988
Autor:MACEDO JUNIOR, Diogo José de
Título:O MORAES DA MAGDALENA. (Recordações)
Descrição:

Tip. Rocha & Irmão, Gaia; 1924. In-8.º de 44-(4)págs. Br. Ilustrado em extra-texto com A. Gomes de Moraes, J. Gonçalves da Silva Mattos, um desenho de Camões de A. Teixeira Lopes e uma caricatura de Manuel Monterroso alusiva ao Canto II dos Lusíadas. Edição dedicada ao "Club de Villa Nova de Gaya, instituidor do Prémio "Luis de Camões" no 3.º centenário do Grande Épico".

INVULGAR.

Observações:

Opúsculo muito curioso sobre uma personagem de Gaia que era um grande camoniano. Encerra no final da monografia umas notas muito interessantes sobre tradições das gentes de Gaia.

Preço:23,00€

Referência:13987
Autor:VAZ, J. Ferraro
Título:GUIA PARA OBSERVADORES DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS
Descrição:

Agência Geral das Colónias, Lisboa, 1945. In-8º de XVI-218-(2)págs. Br. Capas amarelecidas pelo tempo. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto. Carimbo a tinta manchado no frontispício.

Observações:

Obra muito curiosa  dividida em três partes. A primeira versando sobre instrumentos de medição e observação, a segunda sobre a elaboração e leitura de meteogramas e a terceira encerra tabelas.

Preço:28,00€

Referência:13986
Autor:ORTIGÃO, Ramalho
Título:REI D. CARLOS, O Martyrisado
Descrição:

Typographia "A Editora", Lisboa, 1908. In-8º  de  20 págs. Br. Capa de brochura envelhecida e com alguns picos de acidez. Ilustrado com um retrato de D. Carlos.

INVULGAR.

Observações:

Opúsculo que Ramalho Ortigão dedicou a El-Rei Dom Carlos, logo após o seu assassinato em 1 de Fevereiro de 1908.

"O estudo do sr. Ramalho Ortigão, aqui transcripto, foi publicado na Gazeta de Noticias do Rio de Janeiro, a 11 de Março do corrente anno, em grande edição especial, que se esgotou rapidamente. A extraordinaria repercussão d’este escripto, não só na Capital da Republica mas em todos os Estados da União, bem como  a consideração que lhe testemunharam os brazileiros e os portuguezes do Brazil, parece haverem consagrado, da maneira mais significativa e mais unanime, as nobres palavras do portuguez illustre, que tão honradamente sabe servir e amar a sua patria."

Preço:25,00€

Referência:13985
Autor:LEMOS, Maximiano de
Título:MEMORIA DESCRIPTIVA DA SOLEMNISAÇÃO DO IV CENTENÁRIO DA MISERICÓRDIA DO PORTO 1499-1899
Descrição:

Officina Typographica do Hospital de Alienados do Conde de Ferreira, Porto, 1900.  In-4º de 107 págs. Br.  Capas de brochura com picos de acidez e algumas falhas marginais. Ilustrado ao longo e em extra-texto com uma estampa a preto e branco com a reprodução da “Fons Vitae”.

Observações:

Obra sobre a Misericordia do Porto encerrando actas, descrições e discursos dos seus membros. A Misericórdia do Porto é a primeira instituição de beneficência portuguesa, criada por Dona Leonor, durante o reinado de D. Manuel que através de carta régia em 14 de Março 1499 terá dado inicio á Irmandade de Nossa Senhora da Misericordia do Porto. Esta publicação foi rodeada de alguma polémica devido à reprodução  da magnífica pintura existente na Misericórdia e que supostamente representa a sua fundação. Quadro esse que desde o final do século XIX  deu origem a uma polémica  referida por Sampaio Bruno no  no tomo III do seu livro Portuenses Ilustres  

"E em 1900 sahia a publico, dos prelos da Officina Typographica do Hospital de Alienados do Conde de Ferreira, premiada na Exposição Industrial Portugueza do mesmo 1897, a Memoria descriptiva da Solemnisação do IV centenário da Misericórdia do Porto, 1499-1899, livro cuja impressão se concluiu em 31 de Julho d'aquelle 1900.
Este livro está illustrado com uma estampa em excellente cartão e cuja legenda e esta: "FONS VITAE. Quadro allusivo á fundação da Misericórdia do Porto. Existente na Sala das Sessões da Mesa da mesma Instituição.” Quadro allusivo á fundação da Misericordia doPorto! Será ?

À roda d'este quadro, seu auctor, quem sejam as pessoas n'elle figuradas, polemica viva se produziu nos nossos recentes dias.
Em 1896, «edição da Misericórdia do Porto», impresso na typographia do «Commercio do Porto», se estampou um opúsculo intitulado: Discussão
acerca do presumido author e epocha provável da pintura do quadro «Fons Vita:», possuido pela Misericórdia do Porto, travada, por meio de correspondência publicada nos jornaes o “Commercio do Porto” e a “Voz Publica” , entre os ex,mos snrs. J. Moreira Freire de Lisboa (o snr. Moreira Freire reside em Lisboa, mas é do Porto, como o diz elle-mesmo), e Emil Pacully, de Baumgarten (Allemanha). E em 1898, comprehendendo todo o debate, em que tomaram parte, além d'aquelles dois cavalheiros e do redactor do Repórter, os snrs. Duarte Leite, visconde de Soveral e dr. Maximiano de Aragão, appareceu, na livraria de José A. Rodrigues, em Lisboa, um volume em francez: Un problème d'Art, l’ Ecole  Portugaise créatrice des grandes écoles, par J. Moreira Freire; ahi o auctor se occupa ainda dos trabalhos afferentes de Manuel Maria Rodrigues e do snr. Cherubino Lagoa. E' um volume este interessantíssimo; saber, perspicácia e engenho alli demonstra o snr. Moreira Freire, e sua intenção patriótica é, então, respeitável e resultaria soberba. Infelizmente, cuido que labora em engano, como, de resto, analogamente seus competidores, que todos testemunham de relanços de agudeza. Mas, a meu parecer, todos erraram e o problema ficou sem solução."

Preço:40,00€

Referência:13984
Autor:COUTO, Diogo do;VIDAL, Frederico Gavazzo Perry
Título:FALA QUE FEZ DIOGO DO COUTO, Guarda Mor da Torre do Tombo da Índia, em nome da Câmara de Goa, a André Furtado de Mendonça, entrando por Governador da Índia. Com um prefácio e a reprodução diplomática da espécie por Frederico Gavazzo Perry Vidal.
Descrição:

Separata da Revista “o Mundo Português”, Lisboa, 1941. In-8º de 11 págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez. Ilustrado com fac-simile em extra-texto. Carimbo a tinta manchado no frontispício. Tiragem reduzida de 150 exemplares numerados e assinados pelos autor, sendo este o n~105. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

INVULGAR.

Observações:

Fac-simile de um "um rarissimo folheto cimélio da Biblioteca da Ajuda" que é uma das oratórias que Diogo do Couto escreveu, acompanhado de um prefácio de Frederico Gavazzo Perry Vidal
 

Preço:15,00€

Referência:13983
Autor:LAPA, Albino
Título:HISTÓRIA DOS PAINEIS DE NUNO GONÇALVES
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1935. In-8º de 120-(8) págs. Br. Capas de brochura empoeirada com alguns picos de acidez. Ilustrada em extra-texto. Obra impressa a duas colunas. Exemplar nº 151 numerado e assinado pelo autor. Cadernos por abrir.

Observações:

Livro muito curioso sobre a  Questão dos painéis de Nuno Gonçalves, uma das maiores polémicas culturais portuguesas do século passado que teve a particularidade de atrair personalidades destacadas da cultura e académicos da especialidade.

"...querendo ser util à questão que mais tinta ainda gastou em Portugal e para facilitarmos os estudiosos, resolvemos publicar a HISTÓRIA DOS PAINEIS DE NUNO GONÇALVES - em bases diferentes da QUESTÃO DOS PAINEIS."
 

Preço:38,00€

Referência:13982
Autor:PASSOS, Carlos de
Título:A IGREJA ROMÂNICA DE CASTRO DE AVELÂS
Descrição:

Separata de Biblos, Coimbra, 1941. In-8º de 26-(4) págs. Br. capas  com alguns picos de acidez. Ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Separata muito interessante sobre a Igreja de castro de Avelâs e a importância que este mosteiro beneditino teve na região. Este monumento, muito invulgar, do Nordeste transmontano  tem características do chamado "Românico Mudejar", pelas reminiscências islâmicas ao nível da decoração geométrica e do emprego do tijolo como matéria-prima.

Preço:18,00€

Referência:13981
Autor:DACOSTA, Luísa
Título:DE MÃOS DADAS, ESTRADA FORA...
Descrição:

Livraria Figueirinhas, Porto, 1970. In-8.º de 103-(3) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com ilustrações de Jorge Pinheiro.

Observações:

Antologia de prosa e poesia que encerra textos de vários autores como Irene Lisboa, Sá de Miranda, Cecília Meireles, Trindade Coelho, Eça de Queirós, Raul Brandão, Vitorino Nemésio, entre outros.

Preço:15,00€

Referência:13980
Autor:PACHECO, Maria José
Título:DAS MARGENS DO VIZELA memórias
Descrição:

Editorial Magnólia,Famalicão, 2007. In-8º de 689-(7) págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Profusamente ilustrado ao longo do texto sendo de destacar a reprodução de postais antigos. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

Observações:

Livro essencial para o conhecimento da história de Vizela, do seu património e dos seus naturais que mais se destacaram.

Do prefácio:

“Vizela fica a dever à Drª Maria José Pacheco, o aprofundamento possível da sua realidade, das suas lendas, da sua história. Poucas terras, com efeito, mesmo entre as mais notáveis, terão podido dispor de um retrato escrito tão exaustivo, e de um acervo histórico tão rico. Tudo isto reconduzido a Vizela, mesmo que só a ela ligado por inconsutil fio de circunstância ou mesmo acaso.”

 

Do índice:

1. O Medievo Concelho das Caldas de Riba de Vizela; 2. Luta pelo Concelho e pela sua Construção; 3. Notas e Reflexões de História Local; 4. Lembrar Vultos de Vizela; 5. Personalidades nas Caldas de Vizela; &. S. Bento e o seu Monte; 7. Postais Antigos com Contexto.

Preço:33,00€

Referência:13978
Autor:MATTOSO, José
Título:IDENTIFICAÇÃO DE UM PAÍS Ensaio Sobre as Origens de Portugal 1096-1325
Descrição:

Editorial Estampa, Lisboa, 1985. Dois volumes de in-8º de 459 e 330 págs. Br. Miolo com amarelecimento marginal próprio da qualidade do papel.

Observações:

Do Prefácio

"Este livro nasce de uma insatisfação: a de não encontrar na historiografia portuguesa respostas para muitas interrogações que a moderna ciência histórica não pode deixar de colocar. Tentei dar as minhas e coordená-las num conjunto que constituísse uma visão global da História de Portugal durante os seus dois primeiros séculos. A minha curiosidade orientou-se especialmente para os homens concretos, a sua maneira de viver e de pensar. As instituições, as estruturas, as formações sociais e económicas interessaram-me sobretudo na medida em que os podem revelar. Mas o que mais me atrai no passado medieval é a mentalidade: como é que os homens viam o mundo e se organizavam para tentarem dominar a realidade, nessa época tão diferente da nossa? A mentalidade parece-me, por sua vez, uma das chaves mais decisivas para a compreensão das estruturas. [...] Mais do que exaltar a Pátria, interessa-me o relacionamento dos Portugueses uns com os outros. Acabado o trabalho, pergunto a mim próprio se o tema escolhido e a maneira como o tratei não são fruto das minhas interrogações acerca das divergências políticas e de todo o género que atualmente dividem o povo português, e que parece estarem longe de se resolverem. A resposta do passado medieval, pelo menos a que ouvi, foi esta: Portugal é irredutível e simultaneamente uno e múltiplo. A História convida-nos a viver com as incomodidades daí decorrentes e a tentar tirar delas algum partido."

Preço:28,00€

Referência:13977
Autor:PESSOA, Joaquim
Título:FLY
Descrição:

Litexa Editora, s/l, 1983. In-8º de 113-(3) págs. Br.  Capa e ilustrações em extra-texto de Graça Castro.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

"Era preciso encontrar-te, saber-te, Fly: correr pela tua presença na direcção do vento. O coração tem duas faces, bem o sabias, disseste-o, a tua voz dançando-me nas entranhas, tuas asas sufocando-me a solidão, esse medo que vagueia em busca de um corpo, antigo ofício de fidelidade indispensável.
Era preciso tocar-te com o mesmo orgulho que fez morrer árvores em mim, para que a prata dos minutos te conservasse nua, Fly: objecto longo da memória, plenitude da beleza que se há-de dissolver à superfície da alma, onde adoptarás os desejos que contigo adormeceram.
E em todos os medos e em todos os tempos, Fly, atingiremos a luz, o orgasmo dos sinos."

Preço:10,00€

Referência:13975
Autor:SAMPAIO, Armando
Título:COIMBRA ONDE UMA VEZ ... recordações de um antigo estudante
Descrição:

Edição do autor, Portalegre, 1974. In-8º de 169-(3) págs. Br. Exemplar em excelente estado de conservação, quase novo.

Observações:

Livro de memórias sobre a vida de estudante de Coimbra.

Preço:14,00€

Referência:13974
Autor:PIEDADE, Voltaire Jorge Baptista da
Título:HISTÓRIA DA CIDADE DE COIMBRA
Descrição:

Edição do autor, Porto, s/d. In-8º de 129-(3) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Capas de brochura ligeiramente empoeiradas.

Observações:

Livro sobre Coimbra que aborda a história da cidade e da Universidade , o Brasão e a ligação da cidade com a poesia, entre outros assuntos.

Preço:18,00€

Referência:13972
Autor:SOARES, Mário
Título:ESCRITOS POLITICOS
Descrição:

Editorial Inquérito, Lisboa,1969. In-8º de 242-(6) págs. Br.

Observações:

Colectânea de textos de Mário Soares a que ele próprio chamou de textos de circunstância escritos ao sabor das actividades oposicionistas do autor e publicado em 1969. Há textos biográficos e políticos juntamente com  teses enviadas às reuniões republicanas e oposicionistas, entrevistas e intervenções em colóquios, entre outros textos.
o livro foi proíbido pela censura mas apesar disso teve quatro edições sucessivas.

Da contra-capa:
"Personalidade de destaque na vida pública portuguesa, o dr. Mário Soares nasceu em Lisboa em 7 de Dezembro de 1924; a sua fibra de lutador, apurou-se-lhe na infância, quando seu pai, o Prof. João Soares, deputado, governador civil e ministro da República, conhecia a prisão, o exílio, a clandestinidade e a deportação.
Licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas, na Faculdade de Letras de Lisboa; e depois na Faculdade de Direito, abrindo escritório de advogado. Os grandes julgamentos políticos dos últimos anos, no Tribunal Plenário ou nos Tribunais Militares, têm contado sempre com ele: 11 de Março, caso dos militares da Guiné, crise académica de 1962, caso de Beja, FAP, aderentes do MPLA, e de muitos militantes do Partido Comunista, entre eles Octávio Pato. Como advogado ainda tomou a peito conseguir justiça no caso do assassinato do General Humberto Delgado, representando a família do antigo candidato à Presidência, tendo-se deslocado à Espanha e a Itália, para o efeito. É também advogado no caso do assalto ao Banco de Portugal na Figueira da Foz, defendendo, entre outros, Hermínio da Palma Inácio;
Como advogado, interveio ainda em muitos processos civis e comerciais; e é membro da Comissão de Relações Internacionais da Ordem dos Advogados, tendo participado em congressos da União Internacional dos Advogados.
A vida política de Mário Soares tem sido intensa. Ainda estudante de Letras, foi um dos fundadores do MUD Juvenil, em 1946. E como representante da juventude do MUD pertenceu à Comissão Central, de 1946 a 1948.
(...)
Raul Rego"


Do ÍNDICE:
- Prefácio;
- Tributo de homenagem:
Em exemplo;
Um mestre de civismo;
- No centenário de Fernão Boto Machado;
- Nos quarenta anos do regime;
- Oposição e governo em Portugal;
- Depoimento indirecto;
- Uma entrevista que não foi publicada;
- O 31 de Janeiro;
- Notas esparsas sobre a actualidade política nacional;
- Breve comentário a uma 'Conversa em família';
- A Constituição de 1933 e a evolução democrática do País;
- APÊNDICE:
A NAÇÃO (Dezembro de 1968);
AOS PAIS (Maio de 1969);

Preço:10,00€

Referência:13971
Autor:VASCO, Nuno
Título:VENCER A CRISE Preparar o Futuro Um ano de Governo Constitucional
Descrição:

Secretaria de Estado da Comunicação Social, Lisboa, 1977. In-8º de 583 págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Publicação elaborada pelo gabinete do Secretário de Estado Adjunto do PM para os Assuntos Políticos comc oordenação do jornalista Nuno Vasco.

"Este livro é o resultado de uma obra colectiva – a que, durante o primeiro ano de actividade do Governo Constitucional, foi realizada por todos os seus membros – ministros, secretários e sub-secretários de Estado. (…)
Seja permitido, contudo, salientar que não se fez uma política demagógica, nem houve a preocupação de ganhar votos ou conquistar louvores. Fez-se sim, a política necessária, nas condições presentes para salvar Portugal, consolidar a democracia e garantir um futuro melhor para todos os portugueses. Dessa política, que é uma política global e coerente, vos fala este livro. Ele aí fica, como testemunho de uma acção que o Povo, em última instância, julgará."

Preço:19,00€

Referência:13970
Autor:SAUERWEIN, Julio
Título:EXILADOS RÉGIOS NO ESTORIL - Quem são; Como vivem e pensam; O que esperam
Descrição:

Parceria A. M. Pereira, Lisboa, 1955. In-8.º de 379 págs. Ilustrado, nomeadamente apresenta em apêndice a reportagem fotográfica do casamento, em Cascais, da Princesa Maria Pia de Sabóia com o principe Alexandre da Yugoslávia, no dia 12 de Fevereiro de 1955.

INVULGAR

Observações:

Obra dedicada ao rei Humberto de Itália, a D. João de Espanha e ao Conde de Paris e que descreve a «Riviera portuguesa» e o quotidiano destes monarcas sem trono de uma maneira  glamorosa  visando alimentar o fascínio dos leitores pelas intimidades das realezas.
Encerra os seguintes capítulos: Os Tronos na Tormenta; Os Princípes e a Europa; Rei Humberto da Itália; Dom João de Espanha; Conde de Paris.

Do Prólogo:

"O Estoril é o verdadeiro centro de toda esta região paradisíaca. Recordo-me de aqui ter vindo em 1910, no momento em que os republicanos conspiravam contra a Monarquia e em que se previa a próxima partida do rei D. Manuel, cujo pai e irmão tinham sido assassinados, dois anos antes, em plena Lisboa, por um bando de fanáticos. Era uma época agitada. Nem nesse momento, nem durante os dezasseis anos de motins e desordem que se seguiram, nenhum príncipe, nenhum monarca de ontem ou de amanhã, teria tido a tentação de vir aqui instalar-se, num país de moeda desvalorizada onde as revoluções populares e os golpes de Estado militares alternavam lamentavelmente.
(...)
Não vejo lugar algum, nem na Europa nem na América, onde conseguissem viver melhor do que aqui, a menos que estivessem sentados nos tronos de seus pais, o que por vezes, para alguns deles, representaria – então sim – uma espécie de purgatório. Se um dia voltarem a encontrar na sua Pátria, com o esplendor duma vida própria, o paraíso das suas nostalgias, talvez que lhes suceda ter saudades do «purgatório» do Estoril.
Passam a vida entre os desportos preferidos. Uns têm o «golf», outros o ténis. Um picadeiro com belos cavalos oferece-se aos apaixonados da equitação. O rei Humberto pode dedicar-se à natação na água gelada das proximidades, em pequenas praias solitárias. Dom João vê, da sua janela, baloiçar-se na baía o Saltillo, que o conduzirá ao largo da costa, por vezes até à Madeira ou à Cornualha. Para os descendentes do conde de Paris fazerem as suas excursões e piqueniques, a única dificuldade é a escolha dum sítio aprazível entre tantos e tão belos que os rodeiam. Mais longe, para os lados do Ribatejo, estendem-se bons terrenos de caça para os atiradores exercitados no Tiro aos Pombos do Estoril, e há até matilhas para os apreciadores da caça a cavalo. Se tiverdes sorte, podereis ver a condessa de Paris sair, um pouco ofegante, duma corrida de esqui náutico ou o pretendente espanhol, estendido numa cadeira de bordo, repousando duma fatigante partida de ténis."

Preço:38,00€

Referência:13969
Autor:CRISTINO, Augusto Lopes
Título:EXCÊNTRICOS PANORAMAS VISTOS DE COIMBRA
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1953. In-8º; de 194-(1) págs. Br. Cadernos por abrir.  Capas de brochura ligeiramente amarelecidas e pequeno rasgão na capa anterior, no topo.

Observações:

Livro de memórias sobre os tempos de estudante de Coimbra do autor.

Preço:18,00€

Referência:13968
Autor:SAMPAIO, Armando
Título:ENCONTRO COM A SAUDADE Recordações de um antigo estudante de Coimbra.
Descrição:

Edição do autor, Coimbra, 1965. In-8º de 237-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias. Capa de brochura ilustrada por J. Sampaio.

Observações:

Obra muito curiosa sobre a vida universitária em Coimbra na década de 40.

"Ao iniciar os estudos na Universidade sofri os efeitos naturais da liberdade a que não estava habituado. Era isso, justamente, que meu Pai temia..."

Preço:18,00€

Referência:13967
Autor:ALMEIDA SANTOS, António de
Título:COIMBRA EM ÁFRICA
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, s.d. In-8º de 308-(4) págs. Br. Livro inteiramente apresentando os cadernos por abrir. Ilustrado ao longo do texto com fotografias a preto e branco. CApa de brochura ilustrada por P.(edro) Homero.
 

Observações:

Obra sobre a digressão do Orfeão Académico de Coimbra a África, nomeadamente a Angola e Moçambique, efectuada no verão de 1949,  em que Almeida Santos foi na qualidade de Orfeonista. Cada capítulo relata os pormenores da digressão do Orfeão. Encerra também a relação dos orfeanistas estudantes que participaram nesta viagem cultural.  Prefácio do Prof. Dr. Afonso Queiró.

Preço:20,00€

Referência:13965
Autor:SÁ, Octaviano
Título:A TRICANA NO FOLCLORE COIMBRÃO
Descrição:

Comissão Municipal de Turismo, Coimbra, 1942. In-8º de 72 págs. Br. Separata de 'O Instituto'. Desenho da capa de Fausto Gonçalves. Profusamente ilustrado ao longo do texto com desenhos, gravuras e fotografias a preto e branco representando as tricanas através dos tempos. Capa com sinais de manuesamento e com alguns picos de acidez.

MUITO INVULGAR.

Observações:

Obra muito curiosa que encerra a versão ampliada de uma conferência inicialmente proferida pelo autor na sede do grupo folclórico Rancho de Coimbra.
Aborda a figura da Tricana de Coimbra no folclore e nas artes. Encerra também um poema de Alberto Osório de Castro.

Preço:25,00€

Referência:13964
Autor:SOARES, Mário
Título:INCURSÕES LITERÁRIAS
Descrição:

Círculo de Leitores, Lisboa, 2003. In-8º de 296 págs. Encadernação editorial. Ilustrado ao longo do texto.

 

Observações:

Obra que  reúne textos de Mário Soares sobre a vida e obra de algumas das mais marcantes figuras da literatura portuguesa: Eça de Queiroz, Almeida Garrett, Aquilino Ribeiro, Miguel Torga, José Rodrigues Miguéis, Natália Correia, Fernando Namora e José Cardoso Pires, entre outros.

Preço:10,00€

Referência:13963
Autor:SOARES, Mário
Título:DEMOCRATIZAÇÃO E DESCOLONIZAÇÃO Dez meses no Governo Provisório
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1975. In-8º de 290 págs. Br. Algum desgaste na capa. Algumas anotações e sublinhados (inocentes) a caneta no miolo.

Observações:

Obra muito interessante do ponto de vista histórico.
 

Do Prefácio:

A recolha de alguns textos - entrevistas, tomadas de posição, discursos - que a seguir se lerão marca a reacção pessoal do autor e a sua natural evolução face aos acontecimentos complexos do País dos últimos dez meses, a partir de 25 de Abril de 1974. Trata-se, pois, de uma compilação de textos políticos conjunturais, que pareceram por uma ou outra razão significativos, escritos ou ditos (porque muitos deles resultam de gravações) a quente, no meio de uma batalha política permanente, em que se tentaram conjugar, nem sempre com felicidade, as actividades de secretário-geral do Partido Socialista e do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal.
A maior parte desses textos, como é natural, refere-se especialmente aos problemas da descolonização e da política externa portuguesa - evidenciando as gradações e as sucessivas precisões de uma mesma linha de pensamento, elaborada em resposta à evolução acelerada do processo político dos últimos dez meses.

Preço:15,00€

Referência:13962
Autor:autoria indefinida
Título:GOVERNO SOARESO Exame de S. Bento
Descrição:

Agência Portuguesa de Revistas, Lisboa, 1976. In-8º de 416 págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do  texto com fotografias de Rui Ochoa.

Observações:

Livro que analisa o Governo de Mário Soares em 1976. Coordenação de Miguel Reis.

"Convidado por Ramalho Eanes a constituir governo Mário Soares apresentou o respectivo programa à assembleia da  república (...) desta "concertação" terá nascido o documento que a seguir se transcreve e que, na altura foi classificado de "moderado" pelos observadores políticos"

Preço:10,00€

Referência:13961
Autor:AGUIAR, Luiz
Título:LIVRO NEGRO DA DESCOLONIZAÇÃO
Descrição:

Editorial Intervenção, Lisboa/Braga, 1977. In-8º de 748 págs. Br.

INVULGAR

Observações:

Livro bastante polémico escrito por Luiz Aguiar onde ele analisa e documenta o processo  da descolonização portuguesa.

Da Introdução:
“ E na certeza de que constitui obrigação nacional mostrar, aos nossos irmãos do Ultramar, que o povo da antiga “Metrópole” não deve ser confundido com a minoria que deve ser responsabilizada pelo “incontestável sucesso”, como chamava ainda em 1976, à “Descolonização”, o Dr. Mário Soares, dedicamos este livro:

AOS VIVOS E MORTOS, NEGROS E BRANCOS,
VÍTIMAS DA “DESCOLONIZAÇÃO EXEMPLAR”.

Preço:30,00€

Referência:13960
Autor:SANTOS ROCHA, António dos
Título:MEMÓRIAS E EXPLORAÇÕES ARQUEOLÓGICAS, Vol I, II e III
Descrição:

Acta Universitatis Conimbrigensis, Coimbra, 1949, 1971, 1975. Três volumes de  In-4º  de 428-(29), 185-(61), 230-(4) págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto com ilustrações de achados arqueológicos. O primeiro volume apresenta capas  com picos de acidez.

Observações:

Obra pioneira, escrita pelo arqueologo Santos Rocha sobre  achados arqueológicos no concelho da Figueira da Foz. os três volumes dividem-se em :

Vol I - Antiguidades Pré-Históricas do Concelho da Figueira da Foz; Vol II - Estações Pré-Romanas da Idade do Ferro nas Vizinhanças da Figueira e Vol III - Memórias sobre a Antiguidade.

Preço:65,00€

Referência:13958
Autor:AVEIRO, Valdemar
Título:HISTÓRIAS DESCONHECIDAS DOS GRANDES TRABALHADORES DO MAR recordações da pesca do bacalhau
Descrição:

Editorial Futura, Lisboa, 2009. In-8º de 226 págs. Br. Ilusstrado em extra-texto com fotografias a preto e branco.

Observações:

Obra que aborda a faina do bacalhau em navios da pesca de arrasto.

Da Badana


"A mestria aqui é tanto mais sedutora e cativante quanto não pertence ao reino do fingimento e, muito menos da ficção ou da invenção, fazendo-se acompanhar de notáveis qualidades, amáveis e aprazíveis no trato com o leitor, à imagem do seu autor: a sageza, a lhaneza, a coloquialidade, a simplicidade, a simpatia e a bonomia. Diria mesmo que Valdemar Aveiro escreve musicalmente tocando as cordas da sua lira em pizzicato, numa técnica sem parangonas nem espaventos, num tom sem alardes nem tremendismos, consoante ensinava o famoso e clássico Mestre em pizzicatos que foi Monteverdi; qui si lascia l’arco, e si strappano le corde com duoi diti.

Tão simples, tão fácil, tão difícil, tão subtil como isso. E, sobretudo, arriscado na corda tensa do escrever, no tremer da escrita. Já lá escrevia o nosso Padre António Vieira que não há cousa mais escrupulosa no mundo que papel e pena: dois dedos com uma pena na mão é o ofício mais arriscado que tem o género humano."

Preço:15,00€

Referência:13957
Autor:AVEIRO, Valdemar
Título:80 GRAUS NORTE Recordações da Pesca do Bacalhau
Descrição:

Editorial Futura, Lisboa, 2009. In-8º de 214 págs. Br.  Ilustrado em extra-texto com fotografias a preto e branco.

Observações:

Obra bastante interessante sobre a faina do bacalhau.

Do Prefácio

"Nítidos e cheios de expressivas imagens são os relatos que faz da sua vida na faina da pesca. Sem nos apercebermos, somos convidados a entrar a bordo do seu navio e fazermos companhia ao nosso comandante nas amarguradas horas de forçada prisão em mares gelados, verificando in loco como a força do homem e até os seus mais modernos conhecimentos ali parecem tão pequenos e sem valor, comparados com a brutal força dos elementos da natureza."

Preço:15,00€

Referência:13956
Autor:VILLIERS, Alan
Título:A CAMPANHA DO ARGUS uma viagem aos bancos da Terra Nova e Gronelândia
Descrição:

Livraria Clássica Editora, Lisboa, s/d. In-8º de 366-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias do autor. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Obra escrita, a convite de Pedro Teotónio Pereira, embaixador português em Washington,pelo marinheiro Australiano Alan Villiers sobre  a epopeia dos pescadores portugueses, num dos mais belos veleiros da frota bacalhoeira portuguesa, o Argus.
Villiers embarcou com os pescadores portugueses e durante cinco meses, viu e registou a dureza da “faina maior” para a documentar. Naquele tempo, a pesca do bacalhau por “homens de ferro em navios de madeira”, a mítica “frota branca”, era a última grande actividade económica que fazia uso da navegação à vela para viagens transoceânicas.
Através desta obra de Alan Villiers no “Argus”, ficamos com uma imagem da pesca portuguesa que até 1974 utilizava ainda  o método tradicional de pesca, apanhavam o bacalhau com isco e à linha a partir de pequenos botes, denominados “dóris”, que saiam do navio-mãe para a água.

Preço:40,00€

Referência:13955
Autor:MATOS, GastãO de Mello de; BANDEIRA, Luís Stubbs Saldanha Monteiro
Título:HERÁLDICA
Descrição:

Verbo, Lisboa, 1969. iN-4º de 219 págs. Encadernação editorial em tela com sobrecapa. Profusamente ilustrado com várias divisas, escudos e brasões. Carimbos de biblioetca provada no ante-rosto e frotnspício.

Observações:

Obra de introdução ao estudo da Heráldica explicando toda a teoria da Heráldica, nomenclatura, origens, heraldica familiar, eclesiastica, feminina, de dominio, de corporações, brasão, peças. Figuras, diferenças, elmo, paquite, mantel, coroa, tiara e coronéis, etc.

Preço:20,00€

Referência:13954
Autor:MATTOS, Armando de
Título:MANUAL DE HERÁLDICA PORTUGUESA
Descrição:

Livraria Fernando Machado & Cia. Porto. Sem data. In-4.º de 258-(3)págs. Br. Profusamente ilustrado. Nova Edição.

Observações:

Trabalho  pioneiro  de  Armando  de  Mattos sobre genealogia.

"O QUE É HERÁLDICA - Heráldica, é a ciência que estuda e interpreta as origens, evolução, significado social e simbólico, filosofia própria, valor documental e a finalidade da representação icónica da nobreza, isto é, dos escudos de armas. ORIGEM - As figuras e emblemas que os cavaleiros usavam pôr nos escudos e nos elmos, e ainda nas gualdrapas das montadas, a fim de serem reconhecidos nas justas, duelos e torneios, tão em voga na Idade Média, é que deram lugar ao aparecimento da heráldica, que, nas cruzadas encontrou a sua sistematização e ordenação inicial. As armas mais antigas de que há memória na Europa são as de Rui de Beaumont, de 1087–1110. Data, pois, a heráldica, documentadamente, do final do século XI, princípios do século XII. DIFUSÃO - As armas, inicialmente símbolos pessoais, breve passaram a ser transmissíveis e transformadas em marcas de famílias. O factor hereditário e o desenvolvimento das famílias nobres, além do ambiente que lhe formava o espírito da cavalaria, no qual comungava toda a nobreza, é que operaram a sua completa difusão. INICIO EM PORTUGAL - Como não podia deixar de ser, atentas as relações que Portugal tinha com a França, também entre nós surgiu a heráldica, e no próprio século XII. O primeiro documento heráldico português de que tenho conhecimento, isto é, usado já bem dentro desse sentido, é, inquestionavelmente, o selo de D. Sancho I, de 1189, no mesmo ano em que sua irmã, a condessa de Flandres, também teria organizado o seu, com similar arranjo simbólico."

Preço:30,00€

Referência:13953
Autor:PEGADO, César
Título:AFONSO DE ALBUQUERQUE - Esboço Biográfico
Descrição:

Coimbra Editora Lda, Coimbra, 1956. In-8.º de 41 págs. Br. Cadernos por abrir. Dedicatória autografa. Separata de 150 exemplares de Temas Ultramarinos.

Observações:

Separata bastante interessante onde se traça a biografia de Afonso de Albuquerque.

Preço:18,00€

Referência:13952
Autor:BROCHADO, Costa
Título:O PILOTO ÁRABE DE VASCO DA GAMA
Descrição:

Comissão Executiva das Comemorações dos Quinto Centenário da Morte do Infante D. Henrique, Lisboa, 1959. In. 8.º de 130 págs. Br. Ocasionais picos de acidez nas capas de brochura. Miolo muito limpo.

Observações:

Obra bastante interessante sobre Ibn Madjid "para sempre ligado à História de Portugal, através do descobrimento do caminho marítimo para a Índia".

Preço:18,00€

Referência:13950
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:ORIGEM E EVOLUÇÃO DO FÔRO ACADÉMICO PRIVATIVO DA ANTIGA UNIVERSIDADE PORTUGUESA
Descrição:

Imprensa da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1917. In. 8.º de 30 págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Breves apontamentos históricos colhidos no arquivo da Universidade de Coimbra, pelo director do mesmo arquivo o Prof. Dr. António de Vasconcelos.

"Dentre estes privilégios um se destaca: o foro académico, cível e criminal. O que até então havia sido costume tacitamente aceite e porventura impreciso, tornou-se lei categórica pela carta régia de 4 de Maio de 1408, na qual D. João I, fixando o poder jurisdicional do conservador da Universidade, ordenava «a todallas Justiças, quaeesquer q sejam destes Regnos, que daqui emdiante nom conheçades de feito nenhilu crime nem çiuell de nenliú scollar q seja do corpo da dita universidade, mais que como forê achados em alg-üu malleficio, ou delles for dada querela ou denunciaçom, e forem presos per noso mandado em nossas prissões, ou vos forem demandados per o dito conservador, que logo os entreguedes ou mãdedes entregar ao dito sseu conservador, q hora he, ou pellos tempos adiante forem, que ouçã e desembargê, assi os ditos ffectos crimes como çivees, de quaees quer scollares, e os livre como achar q he dereito, dando nos fectos crimes appellaçam pera nos, e nos fectos çivees agravo; e se por vemtura algútis scollares teemdes presos, mandamos vos q emtreguedes ou mandedes emtregar logo pera o dicto conservador veer sseus ffectos, e os livrar com sseu dereyto, como dito he"

Preço:12,00€

Referência:13949
Autor:autoria indefinida
Título:DEFESA DE ÉVORA
Descrição:

Imprensa Libanio da Silva, Lisboa, 1916. In-4.º de 11 págs. Br. Ilustrado ao longo do texto. Cadernos por abrir.

Observações:

Proposta da Associação dos Arqueólogos Portugueses para a constituição de uma Comissão de defesa da cidade de Évora e seus objectivos.

“Tenho a hora de propôr que esta collectividade tome a iniciativa da constituição de um grupo, composto por socios e de pessoas extranhas, mas residentes em Évora ou desta cidade naturaes, o qual, de acôrdo com esta Associação, procurará, por todos os meios, contribuir para a historica cidade do Sul, tão rica, ainda, de tradições e de Arte, seja respeitada, não só nos seus grandes monumentos, como nas sua pequenas construções civis, artisticas e pittorescas”.

Preço:14,00€

reservado Sugerir

Referência:13948
Autor:GÓIS, Correia
Título:O REAL COLÉGIO DAS URSULINAS DA VILA DE PEREIRA 1748-1848
Descrição:

Edição do autor, Coimbra, 2005. In-8.º de 334-(1) págs. Cartonagem editorial. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Tiragem reduzida de 500 exemplares.

Observações:

Do Prefácio:
“Correia Góis, no seu meritório trabalho de revolver arquivos e de os trazer a público, vai ajudar-nos a percorrer os trilhos de um século de história nas terras de Pereira. As Ursulinas são as protagonistas dessa aventura original de transmitir educação e os valores. Diante de nós está a documentação desse notável trabalho de dar à mulher um lugar novo na estrutura social.”

Preço:19,00€

Referência:13947
Autor:GONÇALVES, A. Nogueira
Título:DATAS GRAVADAS EM ESCULTURAS COIMBRÃS DO SÉCULO XV
Descrição:

Academia Nacional de Belas Artes, Lisboa, 1957. In-4.º de 13 págs. Br. Separata de Belas Artes n.º 10. Dedicatória autografa. Ilustrado em extra-texto. Verificam-se algumas anotações de leitura, a caneta, na página 10.

Observações:

Separata muito interessante sobre a datação das esculturas do século XV feitas em Coimbra.

Preço:20,00€

Referência:13946
Autor:autoria indefinida
Título:COIMBRA E ANTÓNIO NOBRE - HOMENAGEM AO POETA
Descrição:

Edição da Biblioteca Municipal, Coimbra, 1940. In 8º de XVIII-93-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Livro de homenagem ao poeta António Nobre que encerra colaborações de Eugénio  de  Castro,  Afonso  Lopes  Vieira, Osório  de  Castro,  António  Corrêa d’Oliveira, Pedro Homem de Melo, Júlio Brandão, entre outros.

Preço:15,00€

Referência:13944
Autor:ALMEIDA, João de
Título:O ESPÍRITO DA RAÇA PORTUGUESA NA SUA EXPANSÃO ALÉM-MAR
Descrição:

Parceria António Maria Pereira, Lisboa, 1933. In-8.º de 111 págs. Br. Ilustrado com mapas desdobráveis. Dedicatória autografa no ante-rosto.

Observações:

"Conferência realizada na Sociedade de Geografia de Paris, em 25 de Novembro de 1931, sob a presidência do Marechal Lyautey e do Ministro das Colónias de Portugal."

Preço:38,00€

Referência:13943
Autor:MARTINS, Alfredo Fernandes
Título:TRIPTICO GALEGO
Descrição:

Edição do autor, Coimbra, 1953. In-8.º de 27-(1) págs. Br. Apresenta três ilustrações em separado. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

INVULGAR.

 

Observações:

Conjunto de três crónicas de viagem, publicadas no Diário de Coimbra em 1953, escritas após uma ida deste geógrafo  à Galiza:  Vesperal nas rias, Nocturno compostelano e Pormenor de retábulo


 “A tarde vai morrendo. Os raios do sol-poente franjam as nuvens de púrpura e ouro, arrancam das águas cambiantes de esmeralda, azul e prata, tornam mais profundos os reflexos sombrios das massas de arvoredos. E sob a carícia da luz maravilhosa do entardecer, a beleza dos panoramas ganha maior prestígio; desabrocha tão espontânea da natureza e das obras dos homens, é tanta e tamanha que chega a parecer de magia e sonho, quase irreal por tão prodigiosamente bela.”

Preço:18,00€

reservado Sugerir

Referência:13940
Autor:NUNES, Natália
Título:UMA PORTUGUESA EM PARIS
Descrição:

Edição da Autora, Coimbra, 1956. In-8º de 81 págs. Br. Capas de brochura com picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Livro de viagens muito curioso de Natália Nunes onde a autora narra a sua estadia de um mês em Paris.

Preço:18,00€

Referência:13939
Autor:SÉRGIO, António
Título:BOSQUEJO DA HISTÓRIA DE PORTUGAL
Descrição:

Oficinas Gráficas da biblioteca Nacional, Lisboa, 1923. In-8.º de 60 págs. Br. Capas de brochura com ocasionais picos de acidez. Rubrica de posse no ante-rosto.

Observações:

Opúsculo muito interessante sobre a História de Portugal apresentando pontos de vista em partes controversos sobre certos acontecimentos da nossa história.

"Pediu-me Raul Proença, um dia, uma pequena introdução histórica para o seu Guia de Portugal [...] Apresentei nesse trabalhito (Bosquejo da História de Portugal) hipóteses sobre todos os pontos importantes da história do país"

 

Preço:16,00€

Referência:13938
Autor:PIMENTA, Alfredo
Título:A CONQUISTA DE LISBOA EM 1147 - Nota à margem da História de Portugal de Alexandre Herculano
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1937. In-8º de 23-(1) págs. Br. Capas de brochura com ocasionais picos de acidez.

Observações:

Opúsculo muito interessante de Alfredo Pimenta onde ele tece alguns comentários sobre a conquista de Lisboa baseando-se na História de Portugal de Alexandre Herculano.
 

Preço:19,00€

Referência:13937
Autor:BRITO, Francisco Nogueira de
Título:ARQUEOLOGIA SCALABITANA
Descrição:

Tip. Casa Portugueza, Lisboa, 1916. In-8.º de 27 págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias de  Carlos Gomes e Domingos Igrejas,  ilustrações de Alberto de Sousa.

 

Observações:

Relatório da excursão que a Associação dos Arqueólogos Portuguezes fez a Santarém no dia 9 de Julho de 1916. Separata do "Boletim da Associação dos Arqueologos Portuguezes", feita a expensas do 3.º Visconde de Santarém.

Preço:15,00€

Referência:13936
Autor:SANTOS, Eurico
Título:DA EMA AO BEIJA-FLOR (Vida e Costumes das Aves no Brasil)
Descrição:

 F. Briguiet, Rio de Janeiro, 1938. in-8º de 334-(2) págs. Rncadernação meia inglesa em tela com dizeres a ouro na lombada. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com desenhos de Marian Colonna.

INVULGAR.

Observações:

Do Prefácio:

Na distribuição geral das aves pela face da terra, ficou o Brasil com a parte do leão. Das 7.220 espécies de Aves que Sclater diz existirem no  Globo, possue o nosso país 1.600 espécies, em números redondos. Se quisesse esclarecer mais êsse aspecto, diria que, por exemplo, Portugal possue 310 espécies, a Alemanha 420, os Estados Unidos 760 e a nossa vizinha Argentina, 877.
(...)
Pudesse eu contagiar aos meus leitores a admiração pelas aves, o interesse pelos seus costumes e o respeito pelas suas vidas, tão sagrAdas quanto as nossas, e teria conseguido o principal desejo que me guiou, ao escrever êsse livro.

Preço:30,00€

Referência:13935
Autor:SANTOS, Eurico
Título:PÁSSAROS DO BRASIL (vida e costumes)
Descrição:

F.Briguiet & Co Editores, Rio de Janeiro, 1948. In-8º de 277-(3) págs. Encadernação meia inglesa em tela com dizeres a ouro na lombada. Conserva capas de brochura. Aparado. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto por Marian Colonna.

INVULGAR

Observações:

Obra sobre a diversidade de espécies de pássaros brasileiras. O autor divide as espécies em dois grandes grupos: os pássaros que gritam e os pássaros que cantam. Aborda cada família e apresenta suas principais características.

Do Prefácio:

"As obras de Eurico Santos põem o leitor em contacto com a natureza: ensinam, educam e aperfeiçoam o sentimento. Quando escreve sobre aves, vive para o seu mundo e com elas talvez se entenda, a exemplo de S. Francisco de Assis.

Está executando um programa de brasilidade. Conhece o vulgar de todos os sêres emplumados e as denominações que tem em vários pontos do país; batiza-os cientificamente com todo o rigor . Sua leitura encanta, pois abre vasto e esplêndido campo para os jovens que travam relações com os seus trabalhos, os quais se ocupam com uma das coisas mais formosas que o Brasil possue: suas belas aves e também com as “aves que aqui gorgeiam”."

 

Preço:30,00€

Referência:13934
Autor:GONÇALVES, António Nogueira
Título:ESTUDOS DE OURIVESARIA
Descrição:

Paisagem Editora, Porto, 1984. In-4.º de 392 págs. Br. Com sobrecapa editorial. Muito ilustrado ao longo do texto e com estampas a cores em extra-texto. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Livro de referência sobre a ourivesaria portuguesa, que reune os trabalhos escritos por António Nogueira Gonçalves. A primeira parte ocupa-se da época românica. A segunda é sobre o tesouro da Rainha D. Isabel de Aragão e ao conjunto da abadessa do mosteiro Laurbanense D. Catarina de Eça. A terceira parte é uma selecção de artigos vários, escritos especialmente para a  revista Ourivesaria Portuense. A quarta parte encerra o estudo As Pratas da Sé de Coimbra no Séc. XVII.

Preço:45,00€

Referência:13933
Autor:SANTOS, Reinaldo dos
Título:CONFERÊNCIAS DE ARTE Forma, cor e luz na arte, Lisboa na arte, el subjetivismo del arte de Velazquez
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1949. In-4º de 57-(6) págs. Br. Ilustrado com  estampas em extra-texto. Valorizado pela dedicatória autógrafa a Paulo Quintela.

INVULGAR.

Observações:

Obra que encerra o texto de  três conferências:  Forma, côr e luz na arte:  Lisboa na arte:  El subjetivismo del arte de Velazquez.

Preço:25,00€

Referência:13932
Autor:SANTOS, Reinaldo dos
Título:CONFERÊNCIAS DE ARTEO Espírito e a Essência da Arte em Portugal, A Pintura Portuguesa no século XVII, Sequeira e Goya.
Descrição:

Livraria Sá da Costa, Lisboa, 1943. In-4.º de 77-(3)págs. Br. Edição  cuidada,  documentada  com  diversas  estampas em extra-texto.

Observações:

Obra que encerra o texto de  três conferências: O Espírito e a Essência da Arte em Portugal; A Pintura Portuguesa no Século XVII; Sequeira e Goya.

“Desta segunda série de ‘Conferências de Arte’, a que a inicia, O Espírito e a Essência da Arte em Portugal, foi dita pela primeira vez no Rio de Janeiro, a 6 de Agosto de 1941, por ocasião da ‘Visita da Embaixada Especial de Portugal ao Brasil’, da qual tive a honra de fazer parte. O inédito desta larga síntese de filosofia da arte portuguesa reservara-a o autor ”.

Preço:23,00€

Referência:13931
Autor:MONIZ, Egas
Título:AO MESTRE JOSÉ MALHÔA
Descrição:

Imprensa Libanio da Silva, Lisboa, 1929. In-8.º de 34 págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Edição da Comissão de Homenagem ao Mestre José Malhôa.

INVULGAR.

Observações:

Brochura com o cerimónia de homenagem ao  pintor José Malhoa, apresentando ainda uma Carta dirigida ao Mestre José Malhoa, a propósito dos quadros A Caminho da Romaria e A Vindima por Egas Moniz.

 

 

Preço:28,00€

Referência:13930
Autor:MENDES, Manuel
Título:CONSIDERAÇÕES SÔBRE AS ARTES PLÁSTICAS
Descrição:

Seara Nova, Lisboa, 1944. In-8.º de 163-(1) págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Valorizado pela dedicatória autógrafa no ante-rosto.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

 

Observações:

Livro que encerra vários textos dispersos de Manuel Mendes sobre crítica de arte.

 

Do índice: Breves palavras sôbre o valor das artes plásticas e a razão dos seus estilos; Sôbre o desenho e alguns desenhadores; Desenhos de alguns artistas portugueses; Crónicas; Os arquitectos no 1º Salão dos Independentes; O pintor Dórdio Gomes; À margem do Salão dos Modernistas; A-propósito da exposição de Carlos Botelho; A exposição de Maria Keil; Crónica de Natal; A exposição de Simões de Almeida Veloso Salgado; Columbano; Um artista; Sôbre a natureza das artes; A crítica de arte.

 

“As páginas dêste volume, escritas em épocas diferentes, no decorrer dos úlltimos quinze anos, juntei-os agora num molho, a que não fiz mais do que dar um arranjo leve, como quem ageita e compõe sem pretensões de maior. Foram escritos para um público que não se interessa pelos estudos especializados dêstes problemas, nem pela inviabilidade de certas explicações fantasistas ou literárias. (...) Êste livro não constitui mais do que um éco apagado do interêsse que estas questões merecem, mesmo no nosso país, terreno tão pouco propício se tem mostrado para as artes plásticas ”

 

Preço:25,00€

Referência:13929
Autor:SANTOS, Luís Reis
Título:VASCO FERNANDES E OS PINTORES DE VISEU DO SÉCULO XVI
Descrição:

Edição do Autor, Lisboa, 84-(78) págs.Encadernação editorial. Profusamente ilustrado  gravura policromática de S. Pedro, de Grão Vasco e em extra-texto  78 páginas, com estampas das obra atribuída ao pintor Grão Vasco. Valorizado por encerrar um cartão do autor com uma dedicatória.

INVULGAR.

Observações:

Primeira monografia artística e biográfica de Vasco Fernandes, o "Grão Vasco", é também uma obra de referência sobre a famosa Escola de Viseu e os  seus pintores mais famosos: Vasco Fernandes (Grão Vasco), Gaspar Vaz, António Vaz entre outros.

"A glória de Vasco Fernandes, o Grão-Vasco portentoso que a tradição converteu em lendária figura nacional, em génio criador de todos os painéis existentes no País e pintados sobre tábuas, nos séculos XV e XVI, à maneira gótica e renascentista, há já muito reclama a sua monografia histórica."

Preço:60,00€

Referência:13928
Autor:ALBUQUERQUE, Máriode ; FERREIRA, João Jardim
Título:RUMORevistadeCulturaPortuguesa
Descrição:

Editorial Rumo, Lisboa, 1946. Seis  números em cinco volumes de in-4º de 151-149-184-148-136 págs.Br. Capas de brochuras  e miolo com alguns picos de acidez. Capa do primeio volume com defeitos marginais perdendo por vezes alguns fragmentos da mesma.

COLECÇÃO COMPLETA

INVULGAR.

Observações:

Revista literária publicada no ano de 1946 e cuja linha programática era a defesa da cultura portuguesa. Encerra colaborações de nomes como  António  José  Brandão,  Artur  Moreira  de  Sá,  Carlos  Lobo  de  Oliveira, Costa Brochado, Durval Pires de Lima, Fernando de Pamplona, Ferreira de Almeida, J. S. da Silva Dias, João Ameal, João de Castro Osório, Luís Chaves, Luis Vieira de Castro, Raul Lino ou Tomás de Figueiredo.  Destacamos pelos seu interesse os seguintes artigos: de Delfim Santos - Meditação sobre a Cultura; de Jacinto do Prado Coelho - Realistas e Parnasianos; de Mário de Albuquerque - O Humano na Obra de Eça de Queirós.

Preço:50,00€

Referência:13927
Autor:LACERDA, Aarão de ; LIMA, João de Lebre
Título:DIONYSOS. Revista mensal de Philosophia, Sciencia e Arte
Descrição:

Casa Minerva, Coimbra, 1912. 5 números de in-8º num volume só de 292-16 págs. Encadernação inteira em pele chagrin cor de vinho com dizeres a ouro na lombada e cervaduras douradas nas pastas. Conserva todas capas de brochura. Por aparar. Ilustrado em extra-texto.

PRIMEIRA SÉRIE COMPLETA.

INVULGAR.

Observações:

Primeira série completa desta revista muito interessante dirigida por Araão de Lacerda e por João Lebre de Lima e que teve como colaboradores nomes como Afonso Duarte, Silva Gaio, Fidelino de Figueiredo, Hyppolito Raposo, Bento Carqueja entre muitos outros.

Preço:100,00€

Referência:13926
Autor:ESPARTEIRO, Joaquim Marques
Título:ARTE DE MARINHEIRO
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa,1943. In-8º de 102-(3) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com as técnicas de execução dos nós, pontos e costuras dos cabos dos navios.

INVULGAR.

Observações:

Livro muito interessante sobre as várias formas de utilização do cordame (arte de marinheiro): encerra capítulos com as técnicas de execução de nós, voltas, falcaças, mãos, costuras, botões, pontos, pinhas, gachetas e coxins.

Preço:35,00€

Referência:13925
Autor:GUIMARÃES, Alfredo
Título:O CARDEAL CEREJEIRA NO BRASIL
Descrição:

Editorial Alba Lda, Rio de Janeiro, 1935. In-8.º de 244-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Obra muito interessante para a biografia do Cardeal Cerejeira. Descreve pormenorizadamente a visita oficial do Cardeal Cerejeira ao Brasil.

"Neste livro se acha consubstanciado tudo quanto se disse entre nós, em louvor desse ilustre e venerável Príncipe da Igreja; mas nêle está, sobretudo, concretizada a gratidão imorredoura dos portugueses pela solicitude com que sua Eminência o Sr. Cardial D. Sebastião Leme presidiu e tomou parte em todas as festas aqui realziadas durante a visita do eminentissimo antistite lusitano".

Preço:30,00€

Referência:13924
Autor:ARRIAGA, José d'
Título:BREVE NOTÍCIA DAS NOVIDADES HISTÓRICAS, SCIENTÍFICAS, LITERÁRIAS E ARTÍSTICAS Contidas nas Obras de Propaganda, impressas e manuscritas doadas à Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1921. In-8.º de 366 págs. Br. Cadernos por abrir. Exemplar com ocasionais picos de acidez no miolo.

Observações:

José de Arriaga foi um historiador e escritor, que trabalhou da Biblioteca Nacional de Lisboa e se notabilizou pelos valiosos estudos de historiografia. Nesta obra apresentam-se o resumo das obras que o autor  doou em vida à Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Preço:50,00€

Referência:13923
Autor:ASSUMPÇÃO, TH. Lino D'
Título:MARTYRES Paraphrase d'uma Lenda Christã
Descrição:

França Amado - Editor, Coimbra, 1902. In-8.º de 153 págs. Br. Cadernos por abrir.

 

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Romance histórico passado  no século IV.


EXCERTO

"A luz duvidosa do crepusculo da manhã mal começava a fundir-se na claridade suavissima do plenilunio, e já os passos rijos de gente armada ressoavam nos lagedos das ruas d'Antiochia, de ordinario ainda desertas áquella hora.
Eram os soldados da antiga decima legião fretense, tisnados, robustos, espadaudos, coiraça articulada resguardando o peito, lança ao hombro, escudo no braço, saidos da caserna do palacio imperial, na ilha do bairro de Callinico, ao commando de Asclepiades, prefeito do Pretorio.
Abria a vanguarda uma columna armada de alavancas, escadas, machados, picaretas e outras ferramentas de destruição, como se se tratasse d'um trabalho de sapa, ou do ataque a uma fortaleza altamente murada. Nada faltava para que aquella marcha parecesse uma expedição de guerra, senão a turba dos escravos conduzindo bestas de carga com as bagagens, e a multidão tumultuaria  dos traficantes de toda especie de mistura com o mulherio falador; mas em seu logar seguia no coice um grupo variadamente togado."

Preço:29,00€

Referência:13922
Autor:COSTA FONTES, Manuel da
Título:ROMANCEIRO PORTUGUÊS DO CANADÁ.
Descrição:

Por ordem da Universidade, Coimbra, 1979.In-4º de  LIII-521 págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Valiosa recolha do romanceiro português entre os emigrantes portugueses no Canadá.

Preço:20,00€

Referência:13921
Autor:JUNIOR, António Salgado
Título:HISTÓRIA DAS CONFERÊNCIAS DO CASINO
Descrição:

Tipografia da Cooperativa Militar, Lisboa, 1930. In-8.º de 167(2) págs. Br.

RARO

Observações:

Dissertação de doutoramento apresentada à Faculdade de Letras de Lisboa que  aborda as Conferências do Casino  realizadas na primavera de 1871 em Lisboa. Foram impulsionadas pelo poeta Antero de Quental, que insuflou no chamado Grupo do Cenáculo o entusiasmo para as realizar. Este poeta estava sob a influência das ideias revolucionárias de Proudhon. Este grupo também passou a ser conhecido como Geração de 70. Tratava-se de um grupo de escritores e intelectuais jovens e de vanguarda. As Conferências do Casino, ou Conferências Democráticas do Casino, são uma réplica da anterior Questão Coimbrã. e tentam "... estudar as condições da transformação política, económica e religiosa da sociedade portuguesa..."

 

Preço:45,00€

Referência:13920
Autor:PORTUGAL,D. Francisco de
Título:SENTENÇAS DE D. FRANCISCO DE PORTUGAL 1º conde do Vimioso seguidas das suas poesias publicadas no cancioneiro de Garcia de Resenderevistas e prefaciaras por Mendes dos Remédios
Descrição:

França Amado Editor, Coimbra, 1905. In-8º de 123-(1) págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. Conserva capas de brochura.  Integrado na colecção "Subsidios para o estudo da historia da litteratura portuguesa".

PRIMEIRA EDIÇÃO

INVULGAR

 

Observações:

 

PREFACIO

 

Na presente obrinha da nossa collecção — "Subsídios para o estudo da Historia de Litteratura Portuguesa" encontram os raros leitores que vam animando o nosso exforço sincero e desinteressado tudo quanto nos ficou da nobre e cavalheirosa figura de velho português, que foi o primeiro Conde do Vimioso — D. Francisco de Portugal.

Somente cincoenta e seis annos depois do seu fallecimento é que o seu neto D. Henrique de Portugal se resolvia a dar á luz as Sentenças "em beneficio do bom sangue, & ânimos nobres, & entendidos deste Reyno". E para
tanto ainda foram necessárias as instigações de parentes e amigos, senão as amistosas queixas mal contidas, como as que afloram nas brevíssimas linhas da carta de D. António de Attaide, dirigida ao neto de D. Francisco e seu editor, e nesta nossa edição fielmente, como tudo o mais, reproduzida.

Completam-se agora neste anno de 1905 precisamente três séculos depois que appareceu a edição das Sentenças.

Tornou-se o livrinho tam raro, que a poucas pessoas terá sido dada a fortuna de o folhearem. Para a grande maioria caiu no fatal esquecimento, cabendo-lhe sorte egual á de tantos mais, como elle injustamente esquecidos. Essa raridade além d'outros motivos nos moveu sobretudo a publicá-lo.
(...)
E assim damos, como o leitor pode verificar folheiando o volume :

a) Uma Primeira Parte comprehendendo as Sentenças em prosa — pg. 21-40;
b) Uma Segunda Parte comprehendendo as Sentenças em verso — pg. 43-66
c) Uma Terceira Parle com as poesias recolhidas por Garcia de Resende no seu Cancioneiro Geral — pg. 63- 119.

Preço:39,00€

Referência:13919
Autor:FRANCO, Augusto Soares
Título:QUEM TORTO NASCE TARDE OU NUNCA S'ENDIREITA em 1 acto & QUEM FEIO AMA, BONITO LHE PARECE em 2 actos. Comédias originais por ...
Descrição:

Imprensa Conimbricense, Coimbra, 1856. In-8º de 65-65 págs. Encadernação moderna, meia inglesa com cantos em pele castanha. Papel de fina gramagem mas sustentando resistência e a sonoridade original do papel.

Observações:

Conjunto de duas peças de teatro muito curiosas escritas por Augusto Soares Franco.

Preço:40,00€

Referência:13918
Autor:INEZ, Artur
Título:OIÇA, ANTÓNIO FERRO!
Descrição:

Imprensa Beleza, Lisboa, 1933. In-8.º de 43 págs. Encadernação meia inglesa com cantos e lombada em pele, conserva as capas.

RARO.

Observações:


Violento artigo publicado previamente no jornal «A República», de Artur Inez, contra António Ferro, como réplica ao seu artigo, "A Morte do Sebastianismo”.
Carta-prefácio de Ribeiro de Carvalho.

 

"Nós não pertencemos ao número, elevado por sinal, dos que o consideram simplesmente um imbecil que passa horas trágicas e aflitivas curvado sôbre a sua secretária do Notícias, de mãos fincadas nos parietais, suando, bufando em busca dum adjectivo salvador e bonito.
Não pertencemos a êsse número, porque o sabemos razoavelmente inteligente, embora de raciocínio lento e de precária realização verbalista, ainda que os seus panegiristas imaginem ou digam o contrário.
O senhor, Ferro, é um torturado da forma, que leva duas horas para escrever um período de quatro linhas que levou quatro horas a raciocinar...
E nem sequer é original!

(...)

O leitor que me perdoe. Fui mais longe do que queria. Com esta facilidade de escrever com que o destino me dotou, fui por aqui fora e não consegui responder ao Ferro.
Deixá-lo. Já agora não respondo.
É que entrou, neste instante, no meu gabinete, um camarada a dizer-me que o 1936, da 8.ª esquadra, sem que o chefe lhe encomendasse o sermão, estava ontem, na Baixa, de chanfalho na dextra a arrancar das paredes alguns exemplares do jornal onde lhe ferrei aquela trepa que o deixou a pão e laranjas.
Ora como posso eu responder ao amigo e correligionário do 1936 da 8.ª esquadra?
Nessa não caio eu..."

 

Preço:24,00€

Referência:13917
Autor:ALCOBAÇA, Frei Gil d'
Título:AS GATAS
Descrição:

Livraria Central de Gomes de Carvalho, Lisboa, 1945/46. In-8-º de 8 números com 30-(2) páginas cada um. Encadernação meia francesa com cantos e lombada em pele, apresentando a lombada decorada a dourados. Conserva capas de brochura. Os 8 números estão encadernados num único volume.

INVULGAR

COLECÇÃO COMPLETA

Observações:

Publicação que segue a veia satírica de Os Gatos, e que traça um retrato da sua época, foi fundada em Agosto de 1945 por  Frei Gil d’Alcobaça,  pseudónimo de João Paulo Veneno Freire e teve uma periocidade mensal apenas publicados ao longo de oito números, sendo o último de Março de 1946 "... curiosa e interessante publicação, da excelente autoria do ilustre escritor Frei Gil d'Alcobaça que em uma crítica sã, desempoeirada, e denodamente escrita é posta em público...rescaldo aos factos mais notáveis que se passam durante o mez..."

Preço:45,00€

Referência:13916
Autor:RAPOSO, Hipólito
Título:LIVRO DE HORAS Escrito por ... sendo escolar de Leis na Universidade
Descrição:

Em casa de F. França Amado, Coimbra, 1913. In-8º de  XII-262 págs. Br. Capa de brochura empoeirada, com manchas e picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra bastante interessante para a bibliografia coimbrã, para o autor Coimbra era  um símbolo e um ideal. "uma Bruges  de  Azul  e  Esmeralda,  eternamente  moça,  sempre  virgem,  com  a  sua  paisagem lírica onde ainda canta o rouxinol de Bernardim, com toda a graça de Princesa gótica, as suas murças doutorais, o seu medievismo"
Encerra capítulos como : "O Mosteiro de Lorvão", "Lenda de Santa Comba", "Penedo da Saudade","Doutor Calisto", "As Engomadeiras", "Carta a Alexandre Herculano", "Sôbre o namoro coimbrão".

 

Preço:18,00€

Referência:13915
Autor:SIMÕES, Veiga
Título:ELEGIA DA LENDA Livro das Saudades
Descrição:

Editora Magalhães & Moniz, Porto, 1912. In-8º de 370 págs. Br. cadernos por abrir. Por aparar.

PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

Observações:

Curioso livro de memórias escritas sob a foma de contos escrito por Veiga Simões, estudante que foi na cidade de Coimbra. bastante Importante  para  a  história  estudantil  de Coimbra do começo do século XX.

Preço:28,00€

Referência:13914
Autor:BRUNO, José
Título:UMA VÉSPERA DE FERIADO peça de costumes de coimbra
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1929.In 8º de XVIII-234-(1) págs. Br. Profusamente ilustrado com vários retratos em extra-texto: Francisco Xavier Pais de Sande e Castro, António Correia da Fonseca, Alberto Costa ( Pad- Zé ), Fernando de Figueiredo, Miguel Trancoso, Alberto de Campos Melo, A. Vitor dos Santos, Rui Ulrich, E. de Sande Marinha, Carlos Roberto Pinto, Luis de Albuquerque, Pedro de Miranda, José Bruno, João Castelo Branco, Alberto Moura Pinto e Álvaro Sereno. A partir da pág. 215- 225  encerra um " In Memoriam " a José Aires de Magalhães.

Observações:

Peça expressamente escrita para ser representada por um grupo de quintanistas de Direito, Medicina e Filosofia, na sua récita de despedida, a 9 de Março de 1904, no Teatro Príncipe Real de Coimbra, repetindo-se no mesmo teatro a 12 de Março e em Lisboa, no real Teatro de S. Carlos, a 24 , em benefício da assistência nacional aos tuberculosos.
Esta obra obteve um êxito extraordinário, pelo que foi editada várias vezes e representada outras tantas por sucessivas gerações.

Preço:16,00€

Referência:13913
Autor:BRITO, Raquel Soeiro de
Título:GOA E AS PRAÇAS DO NORTE
Descrição:

Junta de Investigações do Ultramar, Lisboa,  1966. DIn-8º de  197-(128) pags. Encadernação editorial cartonada preservando sobrecapa de protecção. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com fotografias a preto e branco e a  cores e com mapas desdobráveis (geográficos, políticos, demográficos) com a ocupação do solo, nos territórios em geral.

Observações:

Obra bastante detalhada sobre o trabalho de campo realizado, entre 1955 e 1956, sob a direcção de Orlando Ribeiro, ao serviço da Missão de Geografia da Índia.
Goa e as Praças do Norte é uma narrativa científica da geografia colonial portuguesa que recorre à análise dos  contextos institucionais, intelectuais e sociais não só do povo em questão mas também dos seus colonizadores.
A autora faz uma descrição pormenorizada dos modos de vida da Índia Portuguesa estruturando a sua obra na história e na descrição dos aspectos físicos e humanos.

 

Preço:38,00€

Referência:13912
Autor:BARATA, Óscar Soares
Título:A QUESTÃO RACIAL introdução
Descrição:

Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina, Lisboa, 1964. In-8º de 325 págs. Br. Capas e brochura empoeiradas com alguns picos de acidez.

Observações:

Dissertação de doutoramento apresentada ao Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina onde o autor aborda as questões raciais na Africa, Estados Unidos e Brasil.

Preço:15,00€

Referência:13909
Autor:PINA, Ruy de
Título:CRONIQUA DELREY DOM JOHAM II
Descrição:

Livraria Atlântida, Coimbra, 1950. In-8º de 319 págs. Br.Capas de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Prefácio e notas de Alberto Martins de Carvalho .


excerto do prefácio:
"Vai correr agora em segunda edição a narrativa que Ruy de Pina dos deixou sobre o reinado do Príncipe Perfeito. Publicada pela imprensa apenas em 1792, a morosidade da sua divulgação persistiu até hoje. Estamos perante uma reedição que tem a finalidade modesta de fornecer aos necessitados a versão impressa da crónica, à qual se juntou um curto apenso de documentos que ilustram alguns momentos decisivos da vida do rei, - forma de poupar trabalho às pessoas curiosas e com gosto pela leitura das fontes oficiais."

Preço:45,00€

Referência:13908
Autor:TEIXEIRA BOTELHO, José Justino
Título:HISTÓRIA POPULAR DA GUERRA DA PENÍNSULA
Descrição:

Livraria Chardron, de Lélo & Irmão, Editores. Porto, 1915. In-8º de 645 págs. Br. Ilustrado com gravuras e mapas no texto, e ainda 2 mapas desdobráveis em extra-texto com o teatro da guerra em Portugal e parte da Espanha. Miolo limpo e lombada com pequenas falhas.

Observações:

Obra que ganhou o primeiro Prémio no Concurso Histórico-literário comemorativo do Centenário das Campanhas Peninsulares.


Do Prefácio:

“O programa da comissão do primeiro centenário da Guerra da Península, entre outros números inspirados por um altíssimo sentimento patriótico, incluia um, — o nº 10, — que visava o benemerente objectivo de estimular a publicação de documentos ou estudos relativos a uma das épocas mais extraordinárias da nossa pátria, como é o da Guerra da Península, abrindo para êsse fim concurso público. (...) Ao delinear esta História tivemos em vista compendiar os extraordinários acontecimentos politicos e militares de que a Península foi teatro, numa obra de vulgarização, de que, segundo cremos, a bibliografia nacional carece (...)”.

Preço:50,00€

Referência:13907
Autor:SOROMENHO, Castro
Título:HOMENS SEM CAMINHO
Descrição:

Livraria Portugália, Lisboa, s/d. In-8º de 240 págs. Br. Sem a sobrecapa editorial. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

Observações:

Romance que tem como pano de fundo o conflito entre Lundas e Quiocos e que obteve o primeiro prémio no concurso promovido em 1942 pela Agência Geral do Ultramar. Tem também interesse pelo forte pendor etnográfico através de inúmeras descrições culturais, e de narradores que demonstram empatia pelas personagens africanas.

“Estava um homem, que fora um dos grandes da tribo, dado à morte para melhor viver na história do seu povo, pendurado numa árvore sagrada, a afrontar e a encher de pavor a sua gente, lá do outro lado da montanha, aos pés da aldeia onde se acoita, perdido num sono de ópio e de alcóol, o soba"

Preço:21,00€

Referência:13906
Autor:SEABRA, Manuel de [ant.]
Título:POESIA CUBANA DA REVOLUÇÃO
Descrição:

Editorial Futura, Lisboa, 1975. In-8º de 334-(2) págs. Br.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Antologia de poetas cubanos compilada e traduzida por Manuel de Seabra, encerra poemas de 55 poetas.

 

Aqueles deuses
Eram estátuas douradas,
esplêndidos deuses tombados ao sol
bebendo escuro vinho.

Contaram belas histórias,
Discursaram às principais estações,
Fizeram inscrições na rocha mais dura.

Mas aquelas palavras e gestos na areia,
repetidos como as canções
que não se cansavam de escutar,
não encontraram eco.

Por isso, sucumbiram orgulhosos,
como deuses desterrados, que envelhecem.


Armando Álvarez Bravo

Preço:15,00€

Referência:13905
Autor:CARVALHO, Mendes de
Título:POEMASDEPONTA&MOLA
Descrição:

Editorial Futura, Lisboa, 1975. In-8º de 95-(2) págs.Br.

PRIMEIRA EDIÇÃO

Observações:

poesia & poesia

poesia pró coração
poesia procuração
poesia rissóis pra fora
poesia para a velhice
para atrasados mentais
e também prá parvoíce

poesia libidinosa
para acordar os chéchés
e pra outras coisas mais

a poesia cor-de-rosa
para corações doentes
de donzelas suspirosas
rosas rosas amarelas

poesia clorofilada
para lavagem de dentes

poesia para o natal
expressamente encomendada
e poesia natalícia
pró menino dos papás
a poesia necrológica

dum velhinho trucla zás

a poesia só formal
porque o poeta coitado
tem o vício de escrever

a poesia cautelosa
porqu’isto nunca se sabe

a poesia fadunchada
e uma fadista aluada

a poesia da borbulha
que passa depois daquilo

poesia obrigada a mote
a cavalo num poeta
sentado num burro a trote

a poesia pra que conste
dum poeta muito muito
muito muito muito bicha

poesia quinquagenária
duma jovem rapariga

poesia bordada à mão
dum ancião já sem pé

a poesia ao pé da mão
a poesia ao pé do pé

poesia encapada capada

poesia para tudo
poesia para nada

Preço:10,00€

Referência:13904
Autor:TOMÉ, Luis Figueiredo; CÉSAR, Paulo; AL BERTO
Título:MEIO DIA - INTIMIDADES -APRESENTAÇÃO DA NOITE
Descrição:

Sociedade Portuguesa de Autores, Lisboa, 1985. In-8º de 96 págs. Br. Capas de brochura ligeiramente empoeiradas.

 

Observações:

PRIMEIRA EDIÇÃO do texto APRESENTAÇÃO DA NOITE de AL BERTO
Livro editado no âmbito do 60º aniversário da Sociedade Portuguesa de Autores,e que encerra os textos de espectáculos  de Luis Figueiredo Tomé - Meio-Dia, Paulo César- Intimidades, e Al Berto - Apresentação da Noite (publicada aqui pela primeira vez).

 

Preço:25,00€

Referência:13903
Autor:MORAES E CASTRO, Armando A. G. de; CARDOSO, A. Pereira
Título:UMA VIAGEM ATRAVÉS DAS COLÓNIAS PORTUGUESAS
Descrição:

Companhia Portuguesa Editora, Porto, 1926. In-8º de 240-(2) págs. Br. Capas de brochura empoeiradas. miolo amarelecido. Com uma pequena assinatura de posse.

INVULGAR

Observações:

Livro com prefácio do Almirante Ernesto de Vasconcelos que  é o relato de forma epistolar da viagem efectuada por Armando Moraes e António Cardoso pelas colónias portuguesas, no ano de 1926. Analisa as  colónias sob o ponto de vista físico, económico e político usando uma escrita tipica  de propaganda colonial.

Preço:19,00€

Referência:13902
Autor:ARNOSO, Conde de
Título:JUSTIÇA
Descrição:

 França Amado-Editor, Coimbra, 1908. In-8º de 64-(1) págs. Br. Capa de brochura com sinais de manuseamento e lombada com falta de estrtura de suporte.

PRIMEIRA EDIÇÃO.
INVULGAR.

 

Observações:

Um dos  dos três opúsculos publicados com este título "Justiça!", pelo autor e onde ele exige a punição dos implicados no regícidio.
O conde de Arnoso era contemporâneo e amigo de alguns dos principais vultos da Geração de 70, integrou o grupo dos Vencidos da Vida.

Preço:10,00€

Referência:13901
Autor:SANTARENO, Bernardo
Título:OS ANJOS E O SANGUE
Descrição:

Ática, Lisboa, 1961. In-8º de 133-(2)págs. Br. Ostenta uma rubrica de posse.

PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

Observações:

Peça escrita para radiotelevisão por Bernardo Santareno (nunca tendo sido transmitida) e que encerra o primeiro ciclo do teatro de Bernardo Santareno, caracterizado não só pela fusão de temas populares com preocupações existenciais, como pela extrema agressividade dos conflitos examinados. Através de seis  cenas muito breves , representam-se acções que o ser humano várias vezes provoca e que são significado de oportunismo, egoísmo, invasão de privacidade, discriminação e insatisfação pessoal.

Preço:30,00€

Referência:13900
Autor:autoria indefinida
Título:O GRANDE LIVRO DE S. CYPRIANO ou O Thesouro do Feiticeiroa edição mais completa que se tem publicado até hoje
Descrição:

Livraria Económica, Lisboa, S/D. Três volumes num só de 120-(2)-111-120 . Encadernação coeva em pele com sianis de manuseamento . Sem capas de brochuras.

INVULGAR.

Observações:

Advertência:

São muitas as edições que hão publicado do Livro de São Cypriano, e todas ellas, ao que parece, têem sido bem acolhidas pelo público.
Todas essas edições, porém, são divididas em dois volumes, ou duas partes, e não está, por conseguinte nenhuma d'ellas completa.
A obra que agora trazemos a publico, sob o título de O Grande Livro de São Cypriano ou O Thesouro do Feiticeiro, consta de três volumes ou três partes distinctas, a saber:

Primeiro:
Vida de São Cipriano; Orações para o meio-dia, Trindades e meia-noite; Maneira de desencantar thesouros e os lugares onde se encontram os mesmos; Explicação dos phantasmas e sombras; Arte de deitar as cartas; Maneira de ler as sinas, etc.

Segundo:
A cruz de São Bartholomeu e São Cypriano; Verdadeiro thesouro da mágica preta e branca; Segredos da feitiçaria, para o bem e para o mal; Receitas para apressar casamentos, etc.

Terceiro:
Enguerimanços de São Cypriano, ou prodígios do Diabo, história verdadeira acontecida no reino da Galliza; Os thesouros da Galliza; Espíritos diabólicos que infestam as casas com estrondos, e remédios para os evitar; Alchimia ou arte de fazer ouro; Poderes occultos do ódio e do amor; História da Sempre Noiva; Buena-dicha, etc.

Preço:75,00€

Referência:13899
Autor:SILVA, Manuel Emygdio da
Título:A BOTICA DO AZEVEDO (1775-1948)
Descrição:

Sociedade Industrial Farmacêutica, Lisboa, 1948. In-8º de 134-(2) págs. Br. Capa de brochura da autoria de Raul Lino ligeiramente empoeirada. Profusamente ilustrado em extra-texto com gravuras e retratos executados por Júlio Neuparth e um fac-simile de uma carta António Feliciano Alves de Azevedo.

Invulgar.

Observações:

Obra bastante interessante para  o estudo da evolução da farmácia em Portugal.  Encerra a história das farmácias do Rossio e de São Roque, e da Sociedade Industrial Farmacêutica. Interessa também como crónica dos elguns espaços chaves na história de Lisboa.

Contém excerto de ”Os Maias” no capítulo X onde fala na dita Botica.
Divide-se nos seguintes capítulos: I – A Farmácia do Rossio, i) A Origem, ii) António Feliciano Alves d’Azevedo, iii) Os filhos; II – A Farmácia de S. Roque; e, por fim, III – A Sociedade Industrial Farmacêutica.

Preço:27,00€

Referência:13898
Autor:DANTAS, Júlio
Título:PÁTRIA PORTUGUESA
Descrição:

Parceria António Maria Pereira, Lisboa1914. In-4º de 294-(2) págs. Encadernação já gasta meia inglesa com dizeres e florões a ouro na lombada. Conserva capas de brochura. Profusamente ilustrado ao longo do texto com desenhos de Alberto Sousa e um retrato fotográfico do autor.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra publicada em folhetins no Jornal de Lisboa 'A Capital' e louvada em Portaria do Govêrno da República Portuguesa, de 20 de Dezembro de 1913 (Diário do Govêrno, nº301 de 26 do mesmo mês e ano)."

 

Edição cuidada de um dos mais belos livros de Júlio Dantas onde através de episódios da história nacional o autor faz uma exaltação do povo e uma condenação da nobreza.

 

Preço:20,00€

Referência:13897
Autor:VALENTE, Álvaro
Título:PEDAÇOS DESTE RIBATEJO
Descrição:

Edição do Autor, Montijo, 1948. In-8º de 282 pags. Br. Ilustrado. Ilustrado ao longo do texto. capas de brochura com picos de acidez e envelhecida. Miolo amarelecido

PRIMEIRA EDIÇÃO.
INVULGAR.

Observações:

 Desenvolvida monografia sobre a região do Ribatejo, abordando as memórias do autor sobre as toiradas, as paisagens, a caça e outros assuntos ligados à região.

Preço:28,00€

Referência:13896
Autor:OLIVEIRA, Cândido
Título:TARRAFAL o pântano da morte
Descrição:

Editorial República, S/L, 1974. In-8º de 152-(4) págs. Br. Capa com ilustração de Stuart Carvalhais. Livro com alguns sinais de uso.

Observações:

Livro publicado postumamente e bastante expressivo sobre  a Colónia Penal do Tarrafal, na Ilha de Santiago e que estava estava destinada a receber os presos condenados a pena de desterro pela prática de crimes políticos.


"... à memória dos 30 mortos que repousam no cemitério do Tarrafal; aos mártires do campo de concentração do Tarrafal de Santiago de Cabo verde; aos heróis e mártires da luta antifascista..."


Com uma nota prévia de  José Magalhães Godinho, "... Curvo-me, respeitoso, comovido, e com a maior saudade perante a memória do meu querido amigo e companheiro Cândido de Oliveira, homem íntegro, lutador intemerato, um dos sacrificados e uma das grande vítimas, pelo muito que sofreu, pelas brutalidades inumanas de que foi objecto, nesse negregado período do salazarismo que só por ironia, maldade e má fé, ainda há quem teime em considerar um regime meramente paternalista!"


Excerto:
"Para além da espessa e alta muralha de terra, do profundo e largo fosso, da intrincada e agressiva teia de arame farpado está o Campo.Colónia e Campo não têm ali a mesma compreensão. Justificadamente. A Colónia significa toda a área da Achada Grande, de um quilómetro quadrado, adquirida pelo Estado, e desgarrada da jurisdição do governador de Cabo Verde para ficar directamente dependente do capitão Agostinho Lourenço da PVDE.A área da Colónia não pertence nem depende do Ministério das Colónias. É zona autónoma. As autoridades locais não têm a menor jurisdição sobre aqueles terrenos nem sobre os indivíduos que neles vivem. Nem ali podem entrar sem prévia autorização do director do Campo de Concentração, que depende sob todos os aspectos do Ministério do Interior.É uma dependência da PVDE! Como o Forte de Caxias ou o Forte de Peniche ou a cadeia do Aljube. Enquadra-se na série de depósitos de presos à disposição da polícia política, e sujeitos à autoridade discricionária do capitão Agostinho Lourenço- o Krammer português- o que lhe permite transferir livremente o preso político de um depósito para outro... A passagem do Aljube para Caxias ou de Peniche para o Tarrafal é da competência do director da PVDE!Deste modo, a Colónia, é terreno feudal. Nem o Ministério da Justiça, nem o Ministério das Colónias, nem qualquer outra autoridade pode intervir ou conhecer o que se passa no Tarrafal".

Preço:18,00€
página 1 de 7