Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Batalhas | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fado | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Erótica | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre

Módulo background
Seleccione o mês a visualizar:

Livros do mês: Maio 2017

Foram localizados 191 resultados para: Maio 2017

 

Referência:13788
Autor:OLIVEIRA, Manuel Caetano de
Título:DURANTE A MONARQUIA DOS TRAULITEIROS De 19 de janeiro a 13 de feveirero de 1919: Depoimento duma vitima
Descrição:

Edição do Autor, Porto, 1919. In-8º de 18-(12)págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto com imagens bastante gráficas.
 

MUITO RARO.

Observações:

Opúsculo sobre os Trauliteiros, milicia armada e violenta da chamada "Monarquia do Norte", ilustrado não só com fotografias muito gráficas de algumas vítimas e do grupo de agressores como também com algumas cartas e contratos relacionados com os trauliteiros.

Preço:45,00€

Referência:13787
Autor:sem autor definido
Título:TRATADO DA EDUCAÇÃO FYSICA DOS MENINOS para uso da nação portugueza publicado por ordem da Academia Real das Sciencias.
Descrição:na Officina da Academia Real das Sciencias, Lisboa, 1790. In-8º de VIII-119 p.págs. Encaderação coeva em pele com pastas decoradas com papel pintado da época. Leves manchas ao longo do miolo, sem comprometer a estrutura sólida do papel. Apesar de alguns defeitos, muito bom exemplar desta já OBRA MUITO RARA.
Observações:Primeiro livro de pediatria em língua portuguesa. Segundo Almeida Garrett, na sua obra, publicada em 1829, "Da Educação" “Os dois breves, simples e excelentes tratados dos D.D. Mello-Franco e F.J. d’Almeida devem andar nas mãos de todos os pais e educadores”
Preço:265,00€

Referência:13786
Autor:MARTINS,João Vicente
Título:A CHOLERA-MORBUS tratada HOMOEPATHICAMENTE
Descrição:

Typ. Universal de Laemmert, Rio de janeiro, 1849. In-8º de 328 págs. Encadernação coeva em em pele, um pouco cansada, com dizeres e florões a ouro na lombada que ostenta um pequeno defeito.

Observações:

Obra sobre a Cholera-Morbus e o seu tratamento através da homeopatia escrita pelo Dr. João Vicente Martins, médico português, primeiro discípulo de Benoit Mure no Brasil.

Preço:50,00€

Referência:13785
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:QUANDO OS LOBOS UIVAM
Descrição:

Editora Anhambi, São Paulo, 1959.In-8º de 262-(2)págs.Br. Capa de Fernando Lemos.

PRIMEIRA EDIÇAO brasileira.

INVULGAR.

Observações:

Primeira edição brasileira deste romance proibido e retirado de circulação pelo regime de Salazar.
Foi o primeiro romance de Aquilino Ribeiro a ser  publicado no Brasil. Como assinala o próprio Casais Monteiro, no seu  prefácio:

"Facto já de si muito significativo,maior valor ganha por constituir como que uma desafronta ao grande escritor, impedido por uma censura inepta de ver a sua obra reeditada em Portugal. Assim, o Brasil, ao mesmo tempo que desagrava moralmente o escritor, assume a posição de legítimo juiz na causa da cultura portuguesa, repudiando a prepotência ditatorial, repondo no seu devido lugar o direito de escritor, a legítima e essencial liberdade de criação."

Como curiosidade, é de notar que na badana , entre várias outras citações, há uma de  António de Oliveira Salazar que diz : "Comece o seu inquérito por Aquilino. É um inimigo do regime. Dir-lhe-á mal de mim, mas não importa: é um grande escritor."

Preço:25,00€

Referência:13784
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:QUANDO OS LOBOS JULGAM A JUSTIÇA UIVA. Texto integral da Acusação e Defesa no Processo Aquilino Ribeiro.
Descrição:

Editora Liberdade e Cultura, São Paulo, s.d. In-8º de  112 págs. Br. Miolo impecável.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra publicada no Brasil e que encerra a defesa de Aquilino Ribeiro no processo que decorreu durante quase dois anos por causa da apreensão de "Quando os Lobos Uivam" (1958). Este livro foi apreendido em Portugal. Prefácio de Adolfo Casais Monteiro.

Do prefácio:

“O nosso conhecido mêdo de enfrentar a verdade (o mêdo de um povo que para tal foi educado, desde séculos antes de ter sido salazariado), o falso optismo do ‘talvez não seja tanto assim’, que é a reacção dos que ainda querem salvar uma mísera comodidadezinha, pouco acima do nível da fome e paga à fôrça de abdicações morais e espirituais — eis o terreno no qual a ditadura não teve dificuldade em firmar os alicerces do seu monstruoso culto de coisa-nenhuma, o auto-endeusamento da violência que só ama a si mesma. Porque um povo que fecha os olhos de dentro ao que os olhos virados para fora lhe estão mostrando a cada instante, é um povo pronto a abdicar da sua vontade nos altares da tirania (...) Aqui está Aquilino Ribeiro, na idade em que se convencionou que as pessoas só estão boas para a reforma, pondo a heróicamente a nú, nas páginas de Quando os Lobos Uivam, a verdadeira face do Estado Novo, revelando como êle ‘resolve’ os problemas nacionais, como o povo é para a sua máquina implacável um pormenor sem importância — e mostrando como se faz a sua ‘justiça’. E agora, arrastado para o banco dos réus, não cedendo um palmo perante o cêrco dos cães de fila da ditadura, não se deixando abater, e, pelo contrário, forjando novas armas do auto-retrato da sua infâmia que o regime lhe ofereceu para acusá-lo, eis o grande escritor em tôda a juventude do seu espírito e da sua dignidade de homem e de escritor, recusando-se a dormir à sombra dos louros, num exemplo admirável de inabalável firmeza. O contraste entre os ‘raciocínios’ tortuosos de juízes indignos e a nobre clareza da defesa, entre a hipocrisia, o ódio vesgo, a má-fé das ‘razões’ alegadas contra Aquilino Ribeiro, e a sua desassombrada resposta, é um vivo retrato datriste figura do mesquinho mundo, da mentalidade celular do regime perante a figura do Portugal verdadeiro (...)”

Preço:29,00€

Referência:13783
Autor:Oliveira, Ernesto Veiga de
Título:TECNOLOGIA TRADICIONAL AGRÍCOLA DOS AÇORES
Descrição:

Instituto Nacional de Investigação Científica (INIC), Lisboa, 1987. In-8º de 96-(80) págs. Brr. Profusamente ilustrado com 80 páginas com fotografias em extra-texto e com desenhos de  Fernando Galhano ao longo do texto. Integrado na colecção "Colecção Etnologia".

Observações:

Monografia muito exaustiva sobre os aspectos fundamentais da tecnologia agrícola tradicional açoriana, as alfaias e os processos de conservação e armazenagem do milho usados no arquipélago.

Preço:35,00€

Referência:13782
Autor:BARROS, M. Marques de
Título:LITTERATURA DOS NEGROS contos,cantigaseparábolas
Descrição:

Typographia do Commercio, Lisboa, 1900. In-8º de 119-(3) pags. Br.  Ilustrado com vinhetas decorativas e pautas musicais.

PRIMEIRA EDIÇÃO

RARO.

Observações:

Importante recolha  de  contos,  cantigas  e  parábolas da Guiné.  Encerra transcrições de textos como  "a   noiva   da  serpente"   (conto   mandinga)   à  "história   de   Sanhá" (conto   mandinga),  à  cantiga  "Sum"»  (canto  marítimo),  ao  "malan»  (canto  de  uma  escrava),  etc.  Todas estas recolhas são  acompanhadas  de  notas muito interessantes quer para a história  quer para a etnologia.  

 

Preço:35,00€

Referência:13779
Autor:PIRES, José Cardoso
Título:O RENDER DOS HERÓIS
Descrição:

Editora Arcádia,Lisboa, 1965. In-8º de 256 págs. Encadernação editorial com sobrecapa de Sebastião Rodrigues.
Ilustrado em extra-texto com fotografias  de cena  da encenação de Fernando Gusmão para o Teatro Moderno de Lisboa em Janeiro de 1965. Valorizado pela expressiva dedicatória autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO ilustrada

INVULGAR.

 

Observações:

Peça de teatro sobre o  levantamento popular da Maria da Fonte contra o governo cartista de Costa Cabral.

Da Badana:

"Teatro ou anti-Teatro, o certo é que, na dramaturgia nacional, este fresco dramático revelou-se, logo à primeira edição, como um brado insólito contra o palco convencional em que se tem feito, entre nós, a mitificação do Herói. E isso com o prazer aliciante de um texto em que os leitores de Cardoso Pires encontrarão, uma vez mais, as audácias e a linguagem incisiva que o elegeram entre os grandes criadores da Literatura portuguesa de hoje."

Preço:39,00€

Referência:13778
Autor:MELLO, Pedro Homem de
Título:BODAS VERMELHAS
Descrição:

Editorial Domingos Barreira, Porto, S/d. In- 8º de 171 págs. Br. Capas de brochura empoeiradas e miolo com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Livro de poesia com um prefácio de Júlio Dantas, onde ele afirma que o autor é um “poeta de alta estirpe,
justamente considerado um dos mais representativos cultores do moderno lirismo português”
.
Pedro Homem de Mello foi um dos colaboradores do movimento da revista Presença sendo a sua vastíssima obra poética, eivada de um lirismo puro e pagão.


Escárnio

O meu amor anda em fama.
Mesmo assim lhe quero bem.
Cegueira? Seja o que for!
Os olhos do meu amor
Não os vejo em mais ninguém.

Tentaram deitá-lo à rua,
Mas abri-lhe a minha porta,
E a minha mão, toda nua,
Varreu toda a noite morta.
Porém, mil vozes, medonhas
Como pedaços de lama,
Segredaram-me vergonhas
Do meu amor que anda em fama.

Ai! a dor! - casa florida...
Ai! o amor! - casa cercada.

Há-de-se acabar a vida
Com a última pedrada!..

Preço:22,00€

Referência:13777
Autor:CORTESÃO, Jaime
Título:DIVINA VOLUPTUOSIDADE Poemas em redondilhas
Descrição:

Livrarias Aillaud e Bertrand, Paris- Lisboa, 1923. In-8º de 141-(5) págs.Br. Capas de brochura com leves picos de acidez. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

 

Observações:

Livro de poesia de Jaime Cortesão, figura de grande importância da cultura portuguesa do século XX.

Preço:20,00€

Referência:13776
Autor:MORAES, Wenceslau de
Título:Ó-YONÉ E KO-HARU
Descrição:

A «Renascença Portuguesa», Porto, 1923. In-8º de 288 págs. Br. Capas de brochura empoeiradas. Ilustrado em extra-texto com dois retratos.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra que muitos consideram a mais importante de Wenceslau de Moraes que é ao mesmo tempo exemplo de  confissões transpostas e de memórias dolorosas da sua própria vida sentimental.


"Era uma rapariga de Tokushima, de certo modo um vulto popular no bairro Tomidá, onde nasceu, onde cresceu, onde brincou, onde garotou, onde por ultimo certamente namorou; isto, durante vinte e trez anos a seguir – pois não foi mais além a sua existência de  garota – salvo um periodo de trez annos, durante os quaes esteve em Kobe, servindo como creada em minha casa. Vinte e trez annos apenas! Bem posto o nome de Ko-Haru, que nos traz logo á lembrança uma ephemera pseudo-primavera, que surge e passa breve..."

Preço:60,00€

Referência:13775
Autor:COSTA, Augusto da
Título:PORTUGAL VASTO IMPÉRIO
Descrição:

Imprensa Nacional, Lisboa, 1934. In-4º de 166-(2) págs. Br. Capas de brochura empoeiradas. Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Inquerito preparado e escrito por Augusto da Costa, escritor e jornalista falecido na década de 50 e que é uma das mais interessantes obras para a compreensão do pensamento nacionalista português
Feito não só para mostrar Portugal como “um grande império colonial, e o mais antigo de todos êles”, como também  para o afirmar capaz “de manter no mundo a situação de terceira potência colonial” e incentivar na propaganda da sua defesa os intelectuais portugueses,que tinham “o dever sagrado de levantar as fôrças morais do País, acordando a consciência nacional”, o inquérito encerra colaborações de entre outros, integralistas como Afonso Lopes Vieira,Hipólito Raposo, Alberto de Monsaraz, João Ameal, os ultramarinos, como Azevedo Coutinho, João de Almeida, Paiva Couceiro, Chaves de Almeida, José Francisco da Silva, ou intelectuais como Fernando Pessoa, Fidelino de Figueiredo, Bento Carqueja e  Fernando Garcia.

Preço:50,00€

Referência:13774
Autor:CASTRO, Ferreira de
Título:TERRA FRIA
Descrição:

Guimarães Editores, Lisboa, 1966. In-4º de 258-(4) págs. Br. Conserva capas de brochura. Ilustrações de Bernardo Marques e vinhetas de Infante do Carmo. Edição comemorativa dos 50 anos de vida literária de Ferreira de Castro 1916-1966. Com um posfácio especial para esta edição.

Observações:

Do "Pórtico":

A nostalgia deve ter nascido numa ilha e só numa pequena ilha se compreende, integralmente, o subtil significado da distância. Essa sufocação que dá a terra sem continuidade, como se o aro líquido que a estrangula se viesse fechar também em volta da nossa garganta, desperta constantes rebeldias e constantes impotências, acorda mil sentimentos ignorados, remexe, tortura, cava fundo na alma até o momento de esta se submeter por falta de mais energias.
Atrai-nos, porém, o confronto entre aqueles a quem as ilhas tornam inquietos até a neurastenia, aos grandes desesperos íntimos, e os que vivem apáticos, há muitos séculos, nos fundões dos continentes, que herdam a resignação, como se fora uma tara, e parecem não atentar, sequer, no limite do seu mundo terreno. [...]
É especialmente, nas gentes que vivem entre cadeias de montanhas que vamos encontrar, de novo, o homem metido em si próprio, o homem que reduziu a vida à árdua conquista do pão quotidiano e o enigma do infinito a uma simples crença, que colocou ao canto da alma como um bordão, para dele se servir nos momentos de vicissitude ou quando a morte lhe bate à porta. Tradicionalista, página viva da antropologia, a sua atitude ante o mundo de hoje dir-se-á igual à dos seus maiores perante o mundo de ontem e de todos os dias que já se perderam no cinerário do tempo. Mas não é assim. Agora e logo, neste raciocínio, naquela fala, no desenrolar das ambições e dos intentos, descobre-se a força da evolução que o vai penetrando, hoje um pouco, amanhã mais, num trabalho lento de pua furando granito.

 

Preço:25,00€

Referência:13773
Autor:AZEVEDO, Miguel de
Título:REGRA DA ORDEM TERCEIRA DA MÃI SANTISSIMA E SOBERANA SENHORA DO MONTE DO CARMO
Descrição:

Na Nova Impressão da Viuva Neves e Filhos, Lisboa, 1817. In-8º de 246 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas e com um rasgão marginal. Não aparado.

Observações:

Manual seguido durante quase todo o século XIX pelos Carmelitas e escrito por Frei Miguel de Azevedo, Carmelita calçado, Mestre e Chronista.

Preço:35,00€

Referência:13772
Autor:REMEDIOS, Mendes dos
Título:MOEDAS ROMANAS da Bibliotheca de Coimbra
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1905. In-8º de 74 págs. Br.  Capas de brochura amarelecidas pelo tempo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Catálogo da importante colecção de moedas romanas existentes na secção de Numismática da Biblioteca da Universidade de Coimbra, escrita por Mendes dos Remédios  a quem se deve a organização dessa mesma colecção. De salientar a exaustiva introdução escrita pelo autor.

Preço:32,00€

Referência:13771
Autor:JUNQUEIRA, Guerra
Título:FINIS PATRIAE
Descrição:

Empreza Litteraria e Typographica Editora, Porto, 1891. In-8º de 62-(1) págs. Encadernação meia inglesa em tela. Sem capas de brochura. Ostenta assinatura de posse.

Segunda edição.

Observações:

Obra poética de Guerra Junqueiro publicada no ano do Ultimato da Inglaterra a Portugal e  dedicada "à mocidade das escolas". Pelo livro desfilam várias personagens, tipos sociais e onde se aborda esta crise. Assim lemos poemas como "choupanas de camponeses", "pocilgas de operários", "casebres de pescadores", "hospitais", "escolas em ruínas", "cadeias", "condenados", "fortalezas desmanteladas", "monumentos arrasados" e "estátuas de heróis".

O livro inclui ainda os poemas "O caçador Simão" e "À Inglaterra": onde no primeiro censura de forma alegórica o alheamento do monarca português perante a ofensa inglesa, o segundo insulta abertamente a nação inglesa.

Preço:15,00€

Referência:13770
Autor:REDOL, Alves
Título:HISTÓRIAS AFLUENTES
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa, 1963. In-8º de 325-(2) págs. Encadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Não conserva capas de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:


Volume que reune um conjunto de catorze contos agrupados nos seguintes temas: duas histórias
com rapazes
O Castigo e O Mar entre as Mãos; três histórias com raparigasPorque não Hei-de Acreditar na Felicidade?, O Cheiro do Branco e o Pai dos Mortos; quatro histórias curtasEmigram as Andorinhas, A Vendedeira de Figos, Páginas de Testamento e O Rapaz não Gostava das Mãos; cinco histórias de NatalA Viagem à Suiça, Noite Esquecida, Algumas Maneiras de um Homem sem Família Passar a Noite de Natal, A Festa de Natal e A Noite Tranquila.

 

Preço:15,00€

Referência:13769
Autor:autoria indefinida
Título:Collecção da Legislação Antiga e Moderna do Reino de Portugal.ORDENAÇOENS DO SENHOR REY D.AFFONSO V. 5 Tomos
Descrição:

Na Real Imprensa da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1792. Cinco tomos de in-8º de 530, 572 , 564 , 409 e 420 págs. Encadernação coeva em pele com nervuras e dizeres a ouro em casas fechadas na lombada. Algumas páginas apresentam falhas marginais que não prejudicam a leitura do corpo do texto.

PRIMEIRA EDIÇÃO

RARO.

Observações:

Obra que  ocupa uma posição destacada na história do direito português,  as Ordenações Afonsinas constituiam uma espécie de colectânea ou código de leis e outras fontes jurídicas e que reunia toda a legislação em vigor na altura. Com a sua publicação as leis tornaram-se uniformes para todo o país impedindo, desta forma, os abusos praticados pela nobreza no que respeita à sua interpretação, permitindo ao rei amplificar a sua política centralizadora.
Encontram-se divididas em cinco livros todos eles   precedidos de preâmbulo, que no primeiro é mais extenso pois  narra a história da compilação.

    O Livro I trata dos cargos da administração e da justiça.
    O Livro II ocupa-se da relação entre Estado e Igreja, dos bens e privilégios da igreja, dos direitos régios e sua cobrança, da jurisdição dos donatários, das prerrogativas da nobreza e legislação "especial" para judeus e mouros.
    O Livro III cuida basicamente do processo civil.
    O Livro IV trata do direito civil: regras para contratos, testamentos, tutelas, formas de distribuição e aforamento de terras, etc.
    O Livro V trata do direito penal: os crimes e as suas respectivas penas.

As Ordenações recolhem abundantes leis regias, geralmente reproduzidas na íntegra, mencionando o monarca que as promulgou, a data e o local da sua publicação. São, também, numerosas as respostas regias a
artigos ou capítulos das Cortes.

Preço:375,00€

Referência:13768
Autor:DULAC, Antonio Maximino
Título:GENUINA EXPOSIÇÃO DO TREMENDO MARASMO POLITICO EM QUE CAHIO PORTUGAL, COM DESENGANADA INDICAÇÃO DOS UNICOS REMEDIOS APROPRIADOS Á SUA CURA RADICAL. Dedicada aos verdadeiros amigos do bem publico. Tomo I e Tomo II
Descrição:

Imprensa Nacional, Lisboa, 1834. Dois tomos num volume só de in-8º de 219-(4) e 206-(6) págs. Encadernação meia inglesa em pele já cansada com dizeres a ouro na lombada. Sem capas de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO

RARO

Observações:

 Obra onde António Maximino Dulac, Oficial da Secretaria de Estado dos Negócios do Reino, e natural de França, analisa o declínio da situação política e económica de Portugal, usando para tal a comparação de Portugal com outros países europeus e tentando encontrar uma "cura" para o estado da nação. O autor faz um estudo exaustivo  da economia, história, agricultura e da politica portuguesa. No segundo volume aborda os árabes na Península Ibérica, dando ênfase ao reino de Abdullah (855-912) e Abd-ar-Rahman III (889-961). 

Preço:90,00€

Referência:13767
Autor:RODRIGUES, José Maria
Título:A DUPLA ROTA EM «OS LUSÍADAS»,V,4-13,E AS OBJECÇÕES DO Sr. ALMIRANTE GAGO COUTINHO
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1929-1930.7 volumes de in-8º de 73-(7); 80-(2); 26; 50-(3); 16; 16 e 31 págs. Br. Cadernos por abrir. Capas de brochura ligeiramente envelhecidas. Separatas da revista Biblos. Às separatas de José maria Rodrigues junta-se "Alguns erros em que se apoiou o desdobramento da rota de Vasco da Gama em os Lusíadas" por Gago Coutinho

INVULGAR.

Observações:

Conjunto de  7 separatas que fazem parte da polémica em que José Maria Rodrigues se envolveu com o almirante Gago Coutinho,nas páginas da revista Biblos (durante quase meia década), a propósito da rota de Vasco da Gama em Os Lusíadas.  José Maria Rodrigues afirmava, mediante a análise de várias estrofes do Canto V d’Os Lusíadas, que Camões descrevia duas rotas distintas da armada de Vasco da Gama, no Atlântico. Gago Coutinho, para além de não vislumbrar qualquer “rota dupla” na obra, ripostava com todo o peso dos seus conhecimentos de Náutica e de História para o contradizer, partindo de um problema ético aparentemente menor: repugnava-lhe que Luís de Camões tivesse induzido propositadamente o leitor da epopeia em erro e confusão, por mero artifício literário, sendo conhecedor da verdadeira rota que utilizara Vasco da Gama.

Preço:50,00€

Referência:13766
Autor:MOTA, Francisco Teixeira da
Título:ALVES REIS - UMA HISTÓRIA PORTUGUESA
Descrição:

Contexto Editora Lda, Lisboa, 1996. In-8.º de quatro volumes com 103, 94, 79 e 99 páginas respectivamente. Br.
Profusamente ilustrados.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Biografia exaustiva de Alves Reis que com apenas 22 anos conseguiu o lugar de director na Companhia dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes. e quando regressa a Lisboa compra uma empresa ferroviária em Angola com um cheque sem cobertura. Preso por dois meses, engendra a maior burla que Portugal conheceu: a falsificação de dois milhões de notas de 500$00 que serão injectadas em Angola!  É  constituída por quatro volumes com os seguintes títulos: A Paixão por Angola; E as notas que fizeram-se dinheiro; O sonho desfeito e O julgamento final.

Preço:30,00€

Referência:13765
Autor:LISBOA, Irene
Título:ESTA CIDADE!
Descrição:

Edição de Autor, Lisboa, 1942. In-8º de 427-(4) págs. Br. Capas de brochura levemente empoeiradas e com alguns picos de acidez. Ilustração da capa de Ilda Moreira. Com alguns carimbos de posse.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Livro de crónicas escrito por Irene Lisboa, que com esta obra abandonou o pseudonimo de João Falco. São crónicas que retratam o quotidiano lisboeta, de várias classes sociais, vistas e narradas com a peculiar sensibilidade que caracteriza esta  escritora.

Da introdução

 “Recolho neste volume umas tantas observações sobre casos que conheci, que me pus a desfiar e a reconsiderar tranquilamente. Tirei deles novelas? Creio que não. Fiz deles histórias pitorescas ou até morais? Também não o creio. Pu-los simplesmente em letra redonda, contei-os.”

Índice:
 A Adelina, etc…. (1). – Helma. – O velatório. – No cabeleireiro. – O Lavra. – Modista de chapéus. – A Adelina, etc…. (2). – Épocas. – Rapariguinha da rua. – O amante. – O barracão. – Um dito. – A Adelina, etc… (3).

 

Preço:25,00€

Referência:13764
Autor:COELHO, F. Adolfo
Título:CONTOS NACIONAIS
Descrição:

Editora Educação Nacional, Porto, s/d. In-8º de 168-(6) págs. Br. Capa de brochura empoeirada.  Integrado na colecção "Bibliotecas das Crianças". Ilustrado ao longo do texto.

 

Observações:

Obra que recolhe  diversos  contos populares portugueses:

I. Filho és, pai serás; assim como fizeres, assim acharás; II. História da Carochinha; III. A sentença justa; IV. A formiga e a neve; V. O coelhinho branco; VI. A romãzeira do macaco; VII. A cacheirinha; VIII. O pote de azeite; IX. O rabo do macaco; X. Os três conselheiros do rei; XI. O pinto borrachudo; XII. Quem não trabuca Não manduca; Quem não manduca Não trabuca; XIII. Príncipe com orelhas de burro; XIV. Conto do Bacorinho; XV. Grisme e Guiomar; XVI. O Joãozinho Pequeno; XVII. O Doutor Grilo; XVIII. O depositário infiel; XIX. O estudante sábio; XX. Os sapatinhos de cetim; XXI. As senhoras do manto negro; XXII. As três cidras do amor; XXIII. A machadinha; XXIV. A vaquinha; XXV. O velho, o rapaz e o burro; XXVI. A mão do almofariz.

 

Preço:22,00€

Referência:13762
Autor:RÉGIO, José
Título:HISTÓRIAS DE MULHERES
Descrição:

Livraria Portugália, Porto, s/d. In-8º de 342-(6) págs. Br. Capas de brochura ligeiramente empoeirada. Ilustração da capa de Júlio Resende.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Histórias de Mulheres é uma colectânea de contos da autoria de José Régio, que conforme o próprio título o sugere, aborda um universo dominado pela personagem feminina: as mulheres portuguesa dos anos 30/40 do século XX, época em que a mulher estava relegada acima de tudo ao papel de mãe destinada à educação dos filhos, exímia dona de casa e esposa recatada.
O livro encerra os seguintes contos : "Sorriso Triste","Menina Olímpia e a sua Criada Belarmina", "História de Rosa Brava", "Maria do Ahú", "O Vestido Cor de Fogo" e "Pequena Comédia".

Preço:30,00€

Referência:13761
Autor:MACEDO, António
Título:A EVOLUÇÃO ESTÉTICA DO CINEMA
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1959-1960.Dois volumes de in-4º de paginação com numeração corrida XV-742-(4) págs. Encadernação editorial com gravações policromadas nas pastas. Ilustrado profusamente extra-texto com fotografias a preto e branco e ao longo do texto com vinhetas de João Abel Manta.

INVULGAR.

 

Observações:

Antologia de textos sobre cinema orientada e comentada por António de Macedo,escritor, cineasta e professor  universitário, foi uma das primeiras obras teóricas e didácticas sobre cinema editadas em Portugal.

Do índice:
I Volume: Prefácio; 1 - Introdução à estética cinematográfica: cinematurgia e dramaturgia; poesia, humanização e verdade. 2 - Morfologia estética: composição; plasticidade e dramaticidade; movimento; som e cor; orquestração audio-visual; polivisão.
II Volume: 3 - Estilística cinematográfica: géneros e estilos; figuras de expressão; a semântica cromofónica. 4 - Tematologia estética: tendências gerais; a visão e o sentido. 5 - O formalismo espacial: em busca do panorâmico; estereoscopia e estereofonia; apêndice.

 

 

Preço:150,00€

Referência:13759
Autor:SADE, Marquês de
Título:A FILOSOFIA NA ALCOVAEdição integral
Descrição:

 Edições Afrodite, Lisboa, 1966. In-8º  quadrado de 215-(1) págs. Br. Ilustrada em extra-texto com 10 desenhos de João Rodrigues. Tradução de Helder Henriques e Prefácio de David Mourão-e Luiz Pacheco. Obra apreendida pela censura. Capa de brochura com algum desgaste de cor.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Primeira tradução desta obra de Sade publicada em Portugal com prefácios de David-Mourão Ferreira (Contra Sade) e Luis Pacheco (O Sade Aqui Entre Nós, dedicado a Natália Correia).
 Esta primeira edição foi apreendida e o editor Fernando Ribeiro de Mello, António Manuel Calado Trindade, Herberto Helder, Luiz Pacheco e João Martins Rodrigues foram arquidos num processo julgado no Tribunal Criminal de Lisboa. O livro considerado "pornográfico" teve uma edição de tiragem restrita.


Da presente edição consta um

"Aviso aos Exmos Livreiros - Tratando-se de uma obra cujo significado cultural só pode ser devidamente apreendido por pessoas de sólida e amadurecida formação, roga-se aos Exmos livreiros o maior cuidado na venda deste livro, de modo que ela seja rigorosamente interdita a menores. E mais se pede: que igualmente transmitam estta recomendação a todas as pessoas que adquiram a obra. O Editor"

Preço:45,00€

Referência:13758
Autor:NEMÉSIO, Vitorino
Título:EU, COMOVIDO A OESTE
Descrição:

Revista de Portugal, Lisboa, 1940. In-8º de 36-(2)págs.Br. Capas de brochura amarelecidas.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Um dos primeiros e mais raros livros de poesia do autor. Sobre ele, Vitorino Nemésio afirmou em 1971 "'Eu Comovido a Oeste está liricamente e como que fenomenologicamente essa minha experiência do mar, a que tudo o que fiz responde. Vejo-o grosso e amargo, ou então muito azul, a perder de vista, barrado de paquetes na horizonte nos verões da guerra de 14, e agora gosto de o reverificar nos vapores caboteiros da Empresa Insulana ‑ Cedros, etc. ‑ passando entre o ilhéu da Graciosa e, perigosamente. a terra, ou levado em lancha baleeira de José Cristiano do cais das Lajes do Pico às Velas de São Jorge, com dois ou três pescadores e uns bigodes de espuma à proa."

Poema 30

Na ave que passou
Recolhi o quê?
Deus a levou.
Minha saudade, não:
Essa
Traz de longe e de anos
Uma palha,
Sinal de triste e de sujo
Que ainda uma lágrima valha,
Lá onde a alma começa.
Assim os cães que muito amam
Voltam a casa do dono.
Que perdidos!
O seu amor vagabundo
Os enrosca naquele sono
Cheio do cabo do mundo.
Triste, me sinto ir
Entre a ave e a saudade,
Sem saber preferir.
Tudo largo de mão!
Creio até que perdi a minha idade
E o instinto e silêncio do meu cão.

Preço:100,00€

Referência:13757
Autor:NEMÉSIO, Vitorino
Título:MAU TEMPO NO CANAL
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1944. In-8º de 473-(6) págs. Br. Desenho da capa é de Bernardo Marques. Capas de brochura amarelecida pelo tempo e com alguns picos de acidez. Valorizado pela dedicatória autógrafa muito expressiva.
 

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Romance que segundo David Mourão-Ferreira é "A obra romanesca mais complexa, mais variada, mais densa e mais subtil em toda a nossa história literária". Foi publicado em 1944  e retrata a sociedade açoriana, mais concretamente, a sociedade da cidade da Horta. Acima de tudo, é um romance que aborda o isolamento.
Esta obra ganhou o Prémio Ricardo Malheiros da Academia de Ciências de Lisboa.

" O mundo, aliás, nunca lhe aparecera tão vivo, representado na sua solidão de solteiro pela própria força do silêncio da noite e do esgotamento de um dia gasto à espera daquela mensagem de Margarida que dois meses enchiam de uma necessidade dolente e tornavam cada vez mais longínqua. Mas a própria intensidade e uso desse desejo criava em João Garcia um começo de palpitação daquilo por que esperava, como se a carta fosse o seu próprio cérebro excitado, e as sombra do fundo do quarto, o guarda-fato de espelho, o cubículo que lhe servia de escritório abafado em veludos puídos e me laçarotes encarnados derivassem da projecção do papel em que Margarida lhe escrevesse."

 

Preço:250,00€

Referência:13756
Autor:GERSÃO, Teolinda
Título:LILIANA contos
Descrição:

Edição de autor, Coimbra, 1954. In-8º de 169-(6) págs. Br. Capas de brochura com picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Este volume de contos é a primeiro obra publicada por Teolinda Gersão aos 14 anos.

Do Prefácio:

"De resto que interessa que as pessoas crescidas não compreendam? Não foi para eles que eu escrevi estas páginas, mas sim para os novos, para os que como eu, estão no limiar da vida, dessa vida que nos deslumbra, e amedronta e que, apesar disso, ou talvez por isso, nós amamos acima de tudo."

Preço:40,00€

Referência:13755
Autor:GOES, Eduardo
Título:OS EUCALIPTOS EM PORTUGAL I volume - identificação e monografia de 90 espécies por… (Engenheiro Silvicultor)
Descrição:

Direcção Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas. Ministério da Economia, Lisboa, 1960. In-4º de 298 págs. Br. Capas de brochura empoeiradas. Profusamente ilustrado ao longo do texto com fotografias e em extra-texto com esboços das plantas em herbários e um mapa desdobrável da Austrália com a indicação das regiões de origem das espécies conhecidas. Ostenta uma assinatura de posse.

INVULGAR.

 

Observações:

Monografia muito interessante, escrita por um dos que primeiros cultivadores de Eucalypthus globulus em Portugal. O livro identifica e descreve detalhadamente 90 tipos de eucaliptos existentes em Portugal.

Preço:17,00€

Referência:13754
Autor:RODRIGUES, Bernardo
Título:ANAIS DE ARZILA. Crónica inédita do século XVI. Por… Publicada por ordem da Academia das Sciencias de Lisboa e sob a direcção de David Lopes sócio efectivo da mesma academia. Tomo I (1508-1525), Tomo II (1525-1535) e Suplemento (1536-1550)
Descrição:

Academia das Sciencias de Lisboa, Lisboa, 1915 e 1919. Dois volumes de in-8º com XLVIII-498 e XIX-562 pags. Br. Conserva capas de brochura. Capas de brochura com alguns picos de acidez . Cadernos por abrir.  Profusamente ilustrados em extra-texto com mapas desdobráveis e fotogravuras  impressas sobre papel couché.  Integrado na Comemoração do Quinto centenario da tomada de Ceuta. 1.a série, Textos históricos publicados pela Comissão dos centenario de Ceuta e Albuquerque. Única edição publicada.

 

INVULGAR.

Observações:

Obra em dois tomos escritos em 1561 por Bernardo Rodrigues,  militar e cronista português que, nasceu e
viveu em Arzila até esta ser tomada pelos Mouros em 1549.Foi publicada pela Academia das Ciências de Lisboa sob a direcção de David Lopes.
Estes Anais são uma descrição dos feitos de guerra das tropas portuguesas e narra largamente os movimentos das almogaverias contra os mouros, as cavalgadas e as entradas dos capitães portugueses da vila de Arzila contra os alcaides locais.
Sendo uma narrativa de teor militar, que tinha como finalidade enaltecer os actos de bravura dos nobres cavaleiros que partiram para a conquista do Norte de África, é  um relato crú e realistico das duras batalhas que se travaram pela conquista de Arzila.

Preço:40,00€

Referência:13753
Autor:SILBERT, Albert
Título:DO PORTUGAL DE ANTIGO REGIME AO PORTUGAL OITOCENTISTA
Descrição:

Livros Horizonte, Lisboa, 1972. In-8º  297 págs. Br. Integrado na colecção "Os Nossos Problemas Para a História de Portugal e Brasil" dirigida por Vitorino Magalhães Godinho. Alguns sublinhados a lápis.

Observações:

Colectânea de artigos que aborda aprofundadamente a problemática das estruturas económicas e sociais  portuguesas  das  primeiras  décadas  do  século  XIX.   

Preço:25,00€

Referência:13751
Autor:LAMAS, José da Cunha
Título:BILHETES-POSTAIS DE PORTUGAL E ILHAS ADJACENTES
Descrição:

Serviços Culturais dos C.T.T., S/L, 1952. In-8º de 266-(8) págs. Br. Capas de brochura empoeiradas. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Anexa-se um interessante artigo do Diário Popular de 1-3-74 sobre bilhetes-postais. Ostenta carambos de biblioteca particular.

INVULGAR

Observações:

Obra pioneira sobre esta classe filatélica escrita por um dos maiores filatelistas  portugueses.

Do Prefácio

“Portugal comemora em 1953 o primeiro centenário do selo postal e, por notável coincidência, no mesmo ano, completam-se 75 anos desde que apareceram em circulação os seus primeiros bilhetes-postais. Pareceu-me, por isso, interessante dar o devido relevo a este facto, fazendo a história dos bilhetes-postais portugueses e chamando assim a atenção para um ramo da filatelia quase inteiramente desprezado entre nós. Por dificuldade de conseguir os elementos indispensáveis para a história dos bilhetes-postais das nossas Províncias Ultramarinas, nas quais esta fórmula de franquia só apareceu em 1882, na Índia, limitei o meu estudo aos bilhetes-postais emitidos para o Continente e para as Ilhas Adjacentes, abrangendo o período decorrido desde o seu aparecimento em 1 de janeiro de 1878 até 31 de dezembro de 1952, isto é, durante 75 anos completos. A título de introdução, julguei interessante apresentar um resumo da história geral do bilhete-postal, bem como as resoluções dos diversos Congressos Postais e Convenções, referentes ao mesmo assunto. Por comodidade da descrição, os bilhetes-postais de Portugal e Ilhas Adjacentes vão divididos nos seguintes capítulos:
I – Bilhetes-postais de relevo; II - D. Luís I, tipo ‘Mouchon’; III - D. Carlos I, 1.ª emissão; IV - ‘Válido 1893’; V – D.Carlos tipo ‘Mouchon’; VI - D. Manuel II; VII – Sobrecarga ‘República’; VIII – Bilhetes-postais do tipo ‘Ceres’; IX – Desvalorização da moeda portuguesa; X – Tipo Júlio Alves; XI – Tipo ‘Lusíadas’; XII – Tipo Tudo pela Nação’; XIII – Tipo ‘Caravela’; XIV – Bilhetes-postais comemorativos; XV – Bilhetes-postais ilustrados; XVI – Bilhetes-postais de propaganda (SPP) XVII – Bilhetes-postais de ‘Boas Festas’; XVIII – Conheça a sua Poesia’ ‘Con heça os seus Prosadores’; XIX – Ilhas Adjacente s (Açores – Madeira); XX – Bilhetes-postais isentos de franquia; X XI – Bilhetes-postais de uso particular; X XII – Reimpressões de bilhetes-postais; X XIII – Bilhete-postal da Monarquia do Norte (não emitido)”

Preço:24,00€

Referência:13750
Autor:QUADROS, António
Título:O PRIMEIRO MODERNISMO PORTUGUÊS
Descrição:

Publicações Europa-América, Mem Martins, 1989. In-8º de 341-(7)págs.Br. Páginas amarelecidas pelo tempo.

Observações:

Estudo muito completo sobre o primeiro modernismo português, abordando não só a Geracão do Orpheu como os poetas que os influenciaram como Cesário Verde e Camilo Pessanha.

"O primeiro modernismo português resume-se afinal ao grupo do Orpheu, isto é, ao grupo que em Portugal antes de todos aceitou e assumiu certas caracteristicas de afrontamento da herança cultural do realismo, do naturalismo, do neo-romantismo ou do Lusitanismo saudosista. (...)
Que poetas e artistas o constituem? Se folhearmos os dois números publicados do Orpheu, bem como o terceiro número, que estava em provas, só recentemente reeditado; se percorrermos as páginas das revistas posteriores suas herdeiras, como o Exílio (1916), o Centauro (1916), o Portugal Futurista (1917), a Contemporânea (iniciada em 1922) ou a Revista Portuguesa (1923); ou se estudarmos a obra de outros intelectuais das mesmas esferas de influência - deparam-se-nos efectivamente dois grupos de escritores e artistas.
De um lado os que, muito ligados ainda ao neo-romantismo, ao saudosismo ou ao simbolismo, surgem no movimento por companheirismo geracional e pela solidariedade dos cafés lisboetas. Do outro, os verdadeiramente inovadores, no conteúdo e na forma.
Já tem sido notado por críticos e historiadores da literatura o hibridismo do movimento órfico: o simbolismo e o decadentismo constituem importantes linhas de força e delas não são completamente independentes os mais modernistas, como Sá-Carneiro ou Pessoa; ao seu lado, porém, irrompem poesias, desenhos, colagens e um grafismo que podem ser considerados francamente como inovadores, dentro do eixo crónico 1910-1920. Ora, àquela sensibilidade e àquela estética, muito mais do que à modernista, pertencem poetas como Luis de Montalvor, (...) Camilo Pessanha, Alberto Osório de Castro, o próprio Ângelo de Lima, etc., etc.
Daqui se depreende ter sido no fim de contas restrito o subgrupo efectivamente modernista ou vanguardista que animou o movimento do Orpheu, entendendo-c no amplo sentido e incluindo pois a já citada sucessão dos seus órgãos, culminando com a Contemporânea, dirigida por José Pacheco ou José Pacheko (como então gostava de
assinar), que fora o orientador gráfico da revista-matriz, de 19155; resume-se ele, quanto a nós, a sete personalidades: as de Mário de Sá-Carneiro, Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Santa-Rita Pintor, Amadeo de Souza-Cardoso, José Pacheco e António Ferro."

Preço:21,00€

Referência:13749
Autor:LEPECKI, Maria Lúcia; PIRES, Lucília Gonçalves; MENDES, Margarida Vieira
Título:PARA UMA HISTÓRIA DAS IDEIAS LITERÁRIAS EM PORTUGAL
Descrição:

Instituto Nacional de Investigação Científica, Lisboa, 1980 In-8º de 94 págs.Br. Integrado na colecção "Textos de literatura".

Observações:

Interessante reunião de ensaios  que abordam os textos anexos a obras literárias, textos como prefácios e posfácios, em obras que vão do século XVI aos século XIX.
do Índice:
Sobre algumas formas da modernidade em textos prefaciais portugueses de 1550 a 1650  
Prólogo y antiprólogo na época barroca
O conceito de poesia na segunda metade do século XIX

 

 

Preço:15,00€

Referência:13748
Autor:PEREIRA, Benjamim
Título:MÁSCARAS PORTUGUESAS
Descrição:

Museu de Etnologia do Ultramar, Lisboa, 1973. In-8º de  156-(2) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

 

Observações:

Obra de referência para o estudo das máscaras em Portugal, abordando a presença dos personagens mascarados nas festividades de Trás-os-Montes, tanto numa perspectiva da sua matriz social, cerimonial, simbólica e lúdica comum, como na perspectiva das especificidades formais de cada tipo de manifestação, decorrentes do local onde
ocorrem e da maior ou menor articulação com o calendário religioso.


"Mas o que nós admitimos dificilmente é que as nossas máscaras, essas personagens bizarras, hoje essencialmente cómicas, que apenas fazem medo às crianças, tenham encerrado um conteúdo religioso tão sério. Nos nossos dias, nós não vemos mais do que restos, sobrevivências de costumes muito antigos; de todos os tempos, as tentativas de dar uma forma ao que se ressente perante o misterium tremendum fascinorum levaram a manifestações curiosas, grotescas aos nossos olhos, mas, para aqueles que as veneram, elas exprimem o numinosum duma maneira convincente; enfim, a passagem do sublime ao cómico, do terror ao riso, é curta, mínima, mesmo quando se trata da máscara e da sua aparência grotesca, do seu movimento artificial (...) O pensamento dos antepassados mortos desapareceu, no conjunto, das nossas festas de máscaras; estas tornaram-se, em geral, manifestações puramente profanas. Mas, se se constata que o uso de máscaras, a dança, as comezainas, as censuras, o peditório e as bendições se mantiveram através dos séculos até uma época totalmente racionalizada, completamente desligada do culto dos antepassados, necessário se torna reconhecer que tal é um fenómeno espantoso”

Preço:32,00€

Referência:13747
Autor:VALENTE, Vasco Pulido
Título:O PODER E O POVO a revolução de 1910
Descrição:

Publicações D. Quixote, Lisboa, 1976. In-8º de 320-(4) págs. Br. Ostenta uma pequena assinatura de posse.

Observações:

Obra fundamental para a compreensão deste período, e que  apresenta a República de 1910 como um  regime revolucionário e violento, baseado na força do Partido Republicano Português.
A sua leitura é também interessante  pois Pulido Valente recria a história narrativa, escrevendo "sobre pessoas, famosas e humildes, ganhadores e perdedores, actores do processo de mudança histórica".

Preço:15,00€

Referência:13746
Autor:LEITÃO, Ruben Andresen
Título:CARTAS DE D. PEDRO V AOS SEUS CONTEMPORÂNEOS
Descrição:

Livraria Portugal, Lisboa, 1961. In-8º de  367 págs. Br. Capas de Brochura empoeiradas e com alguns picos de acidez. Cadernos por abrir. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Obra que reúne a correspondência de D. Pedro V com figuras ilustres  coligidas  Por Ruben Andresen Leitão ( Ruben A.)  que também escreveu a apresentação, estudo e notas.

"o que importa fixar é que não se pode mais estudar o século XIX em Portugal sem recorrer ao que D. Pedro V escreveu — e isto julga ser o melhor tributo que lhe presta quem há mais de uma quinzena de anos dedica os seus estudos a este homem singular, que deu a Portugal o melhor do seu trabalho e da sua vida. A história de Portugal no século XIX, cuja documentação é tão escassa, passa deste modo a contar com mais uma peça fundamental no corpo dos volumes já dados à estampa. o romantismo e o saudosismo históricos, tão em moda em décadas atrás, têm assim os dias contados. É pela obra que os homens se avaliam, e não pelo que po-
diam ter sido, ou pelas interpretações apaixonadas de quaisquer correntes políticas ou históricas. os grandes nomes vivem alheios a elogios fáceis"

Preço:28,00€

Referência:13744
Autor:RIBEIRO, M. Felix
Título:OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA DE 1896-1939
Descrição:

Instituto Português de Cinema/Cinemateca Nacional, Lisboa, 1978. In-8º de 264 págs. Br. capa algumas marcas de uso. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Obra muito interessante do fundador e primeiro presidente da Cinemateca Portuguesa onde ele faz  um estudo exaustivo  sobre as salas de cinema em Lisboa, desde que o animatógrafo foi introduzido na cidade. O autor para  além de recorrer à documentação da época, recorre à sua  memória pessoal.

A obra contém ainda um apêndice que complementa os temas estudados pelo autor ao longo do livro, abordando temáticas como a música nos filmes, legendagem, a segurança nos cinemas  entre outros temas.

 

 

Preço:30,00€

Referência:13743
Autor:CUNHA, Alfredo da
Título:ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA DA IMPRENSA PERIÓDICA PORTUGUESA (1641-1821)
Descrição:

Academia das Ciências de Lisboa, Lisboa, 1941. In-4º de XXV- 298-(8) págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez. Cadernos por abrir. Ilustrado em extra-texto com gravuras de vários periódicos.

INVULGAR.
 

Observações:

Obra que pretende dar a conhecer um pouco do que foi a imprensa periódica portuguesa nos séculos XVII, XVIII e XIX (essencialmente até à Revolução Liberal e período subsequente). Trata-se de um livro e minucioso sobre a história do jornalismo em Portugal.
 

Índice: Preâmbulo, Introdução, Capítulo I – Século XVII, Capítulo II – Século XVIII, Capítulo III – Século XIX (1801 a 1821), Resenha bibliográfica, Aditamento – Gazeta de Lisboa, Gravuras de vários periódicos, Índice Onomástico.

Preço:45,00€

Referência:13742
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:CEREJAS Poemas de Amor de Autores Portugueses Contemporâneos
Descrição:

Editorial Tágide / Câmara Municipal do Fundão, Fundão, 2004. In-8º de 271 págs. Encadernação editorial. Profusamente ilustrado com desenhos de autores como João Cutileiro, Luís Darocha, José de Guimarães, Leonel Moura e Siza Vieira, Ana Hatherly, entre outros.

Observações:

Antologia de poemas de amor organizada por Gonçalo Salvado em parceria com a crítica de arte Maria João Fernandes com com com um prefácio de Eduardo Lourenço e um posfácio de Ramos Rosa. Encerra poemas de autores como Teixeira de Pascoaes, António Ramos Rosa, Sophia de Mello Breyner Andreson, António Salvado, Natália Correia, Eugénio de Andrade, Miguel Torga, António Gedeão, Lídia Jorge, Teresa Balté, Ana Hatherly, entre muitos outros.

Preço:15,00€

Referência:13740
Autor:LOBO, António Costa
Título:HISTÓRIA DA SOCIEDADE EM PORTUGAL NO SÉCULO XV
Descrição:

Edições Rolim, Lisboa, S/d. In-8º de XXIX-602 págs.Br. Facsímile. da edição da Imprensa Nacional, 1903.

Observações:

Facsímile da obra de Costa Lobo com um prefácio de José Mattoso.

ADVERTÊNCIA

O presente volume contém a primeira secção de uma  Historia Social de Forfiajal no século xv, em que trabalhamos.

No organismo da sociedade, como elle se achava  constituído durante este século, o ultimo da idade média, operaram-se, logo nos princípios do subsequente, radicaes alterações, as quaes se não podem entender sem o conhecimento do estado anterior: o exame d'este é, portanto, uma introducçào indispensável á historia da idade moderna. Era sobre o século xvi que tencionávamos escrever: a necessidade obrigou-nos a remontar ao precedente.

Na sequencia da narrativa occorrerá menção de um ou outro facto, que não se documenta por ter de ser desenvolvido em outra secção, onde será devidamente  auctorizado. Nenhum, porém, asseveramos, sem haver
previamente colligido as provas da sua exactidão. Após esta. que é destinada a apresentar um conspecto
genérico da sociedade, e, juntamente, certos factos fundamentaes da sua vida económica, o objecto de cada secção será uma condição social distincta: mas, naturalmente, são todas mais ou menos interdependentes.

Preço:19,00€

Referência:13736
Autor:GOMES, Pinharanda
Título:FENOMENOLOGIA DA CULTURA PORTUGUESA
Descrição:

Agência-Geral do Ultramar, Lisboa, 1970. In-8º de 167-(4) págs. Br.

 

Observações:

Obra deste filósofo português, discípulo de Álvaro Ribeiro, onde ele aborda a portugalidade, conceito político e sociológico previamente  proposto por Alfredo Pimenta.

“Escrever é uma guerra, mas pensar é um sacrifício. Nos caminhos que entroncam nas superiores vias da Filologia e da Filosofia, o pensador português acaba, mais cedo ou mais tarde, por ceder ao irresistível apelo de compromisso que a Pátria lhe exige (...)”.

Do índice:

Nota Preliminar; I - Introdução à Definição de Cultura; II - Fenomenologia da Cultura Portuguesa; III - “Portugal Histórico-Cultural”; IV - José Osório de Oliveira e a Cultura Portuguesa do Ultramar; V - Mitificação e Desmitificação da Índia; VI - Álvaro Ribeiro e a Redenção de Portugal; VII - A Integração Cultural pelo Turismo.

Preço:21,00€

Referência:13735
Autor:GOMES, Álvaro
Título:TRACTADO DA PERFEIÇAOM DA ALMA. Introdução e notas de A. Moreira de Sá
Descrição:

Acta Universitatis Conimbrigensis, Coimbra, 1947. In-4º de 190 págs. Br.Capas de brochura com alguns picos de acidez.Ilustrado em extra-texto.

 

 

Observações:

Obra de grande interesse para o estudo da repercussão do platonismo no renascimento português.

Da Nota Prévia:
"Depois que em 1868 Lopes Praça publicou a sua «Historia da Filosofia em Portugal nas suas relações com o movimento geral da Filosofia», ninguem mais se lançou a uma empreza de tal amplitude.
Embora esta primeira tentativa para escrever a história da nossa filosofia já representasse um grande e valioso esforço, hoje está desactualizada e incompeta, por virtude de estudos e trabalhos posteriormente publicados, que vieram mostrar muito do que estava por conhecer nessa altura, não só quanto a autores, mas também quanto a obras.
Recentemente, surgiu uma tentativa para se historiar a nossa filosofia, mas tem tais deficências que pouco mais valor tem além do de um catálogo, e mesmo assim, incompleto.
É preciso que muitas pessoas se lancem na árdua tarefa de fazer o que ainda não está feito: inventariar tudo que se ralacione com tal assunto, - e muito é o que existe por conhecer nas nossas Bibliotecas públicas e particulares, - publicar as obras inéditas ou há muito esgotadas, e verter para português as obras escritas em latim. Só depois disto é que se poderá escrever a nossa História da Filosofia, pois, ainda há poucos anos escreveu o Prof. Joaquim de Carvalho, tal empresa «pelo menos na hora actual, não pode tentar-se sem o prévio inventário dos factos bio-bibliográficos, ponto de partida, sem dúvida obscuro e fatigante, mas absolutamente necessário".

Do índice:

Prohemyo; I Parte - Natureza e origem da alma; II Parte - Da imortalidade da alma; III Parte - Do premio das almas apartadas do corpo hão daver; Capítulo final e Extravagante — Da vaydade deste mundo e dos malles e emganos que nelle ha sempre pera que delles nos goardando, possa nossa alma viver limpamente..
 

Preço:17,00€

Referência:13734
Autor:PEREIRA, Miguel Baptista
Título:PEDRO DA FONSECA ser e pessoa I - o método da filosofia
Descrição:

Universidade de Coimbra, 1967, Coimbra. In-4º de 414 págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Tese de doutoramento em letras (filosofia) apresentada a Faculdade  de Letras da Unniversidade de Coimbra sobre a vida e obra de Pedro da Fonseca que  foi o expoente de um dos raros momentos cm que o pensamento português se encontrou em real sintonia com o ambiente cultural europeu. As suas obras principais foram nas áreas da lógica e metafísica.

 

Preço:28,00€

Referência:13733
Autor:VIANA, Mário Gonçalves
Título:A ARTE DE PENSAR
Descrição:

Editora Educação Nacional, Porto, 1954. In-8º de 272 págs. Br. Capa de brochura empoeirada e com alguns picos de acidez.

Observações:

Interessante obra de um estudioso da filosofia da educação integrada na colecção Didáctica.

Da Contracapa:

Qualquer das obras desta interessantíssima e útil colecção fornece a todos os estudantes, principalmente aos estudantes e aos autodidactas, os conhecimentos teóricos e práticos indispensáveis para uma orientação segura, progressiva e metódica em qualquer sector da cultura. Os livros da Colecção Didáctica constituem verdadeiros tratados práticos, sendo os respectivos temas versados com proficiência e clareza.

Preço:10,00€

Referência:13732
Autor:MAGALHÃES E MENEZES, Francisco Perfeito de
Título:UM SONETO Respeitosa Homenagem a Um Só Neto
Descrição:

Edição de autor, Porto, 1944. In-8º de 207 págs. Br. Capas de brochura empoeiradas. Ilustrado em extra-texto com quadros e fotografias, da família real portuguesa e imperial do Brasil, centrando-se em Dom Miguel (II) e no seu filho Dom Duarte, Duque de Bragança.  Ilustrado em extra-texto com cartões postais e em papel couché. Em conjunto com um postal de Natal de 1960 da Junta Directiva da Causa Monárquica, o rascunho de uma carta para D. Duarte com o respectivo cartão de resposta e recortes de jornais de 1976 alusivos à morte de D. Duarte Nuno.

INVULGAR.

Observações:

Livro bastante curioso, publicado pelo Conde de Alvellos e que é uma homenagem a D.Duarte Nuno de Bragança, pai do actual Duque de Bragança, e à dinastia de Bragança.

 

O Senhor Dom Duarte

Os mortos mandam…

Esperaram Vosso Avô nossos avós;

Esperaram Vosso Pai os nossos pais…
E são eles que mandam, dos covais,
Que a Vossa Majestade esperemos nós!

A cem anos de exílio, - século atroz,
Estas três gerações foram leais;
Outras mais gerações, se mais tardais,
Esperarão Vossos Filhos ainda após…

Mas tudo tem seu fim! Já por instantes
O Depois, volve a ser como era Antes…
(Não torna ao mar salgado a doce fonte?)

Já da Coroa d’espinhos, Deus que é recto,
Fez a Coroa real para Vós, - o Neto
Do Rei crucificado em Évora-Monte -

 

Preço:40,00€

Referência:13731
Autor:GARCIA, Emygdio
Título:O INFANTE D. AFONSO DE BRAGANÇA o Popular “Arreda”
Descrição:

Parceria António Maria Pereira, Lisboa, 1939. In-4º de 200-(2) págs. Encadernação cartonada usando as capas de brochura. Profusamente ilustrado em extra-texto.

INVULGAR.

 

Observações:

Biografia do infante D.  Afonso, o famoso “arreda”, irmão  de  D.  Carlos, também  conhecido  por  Afonsinho,  alcunha  atribuída  por  Fialho  de  Almeida no seu livro Barbear e Pentear, descrevendo não só a sua vida em Portugal como no exílio.

Preço:29,00€

Referência:13728
Autor:FIDALGO, António
Título:O REALISMO DA FENOMENOLOGIA DE MUNIQUE
Descrição:

Faculdade de Filosofia, Braga, 1991. In-8º de 374 págs. Br.

 

Observações:

Obra que aborda as teorias das correntes fenomenologicas dos círculos de Göttingen e Munique e o grupo de Friburgo.

Da Introdução:
A crescente investigação científica de que a fenomenologia de Munique tem sido objecto nas duas últimas décadas, e que se tem manifestado num considerável aumento da sua bibliografia secundária, tem vindo a desfazer a imagem de fenomenologia menor que desde muito cedo se fez desta corrente fenomenológica.

Preço:18,00€

Referência:13727
Autor:RÓNAI, Paulo
Título:ENCONTROS COM O BRASIL
Descrição:

Ministério da Educação e da Cultura & Instituto Nacional do Livro, Rio de Janeiro, 1958. In-8.º de 249-(3) págs. Br.

Observações:

Reúnião de artigos de um dos maiores especialistas em literatura brasileira, originalmente publicados em jornais como  Revista do Brasil, O Jornal, Correio da Manhã, diário de Notícias, O Estado de São Paulo e Tribuna da Imprensa.
“as páginas de que se compõe este livro não pretendem constituir um panorama, e ainda menos exemplificar uma teoria da literatura; são apenas depoimentos de um leitor acerca de leituras que lhe deram prazer – de um leitor que escreve para comunicar a terceiros o próprio entusiasmo e talvez, mais ainda, para melhor compreender o que leu”
Encerra artigos sobre: Guimarães Rosa, Lima Barreto, Graciliano Ramos, Carlos Drummond de Andrade, Lorge de Lima, entre outros.

 

Preço:12,00€

Referência:13726
Autor:PORTELA, Severo
Título:PENSAMENTOS, PALAVRAS E OBRAS
Descrição:

Edição da Renascença Editora, Porto, s/d. In-8.º de 121-(2) págs. Br. Cadernos por abrir. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Interessante colectânea de artigos de Severo Portela, escritor que colaborou na feitura do Dicionário Cronológico de Autores Portugueses.

Preço:18,00€

Referência:13725
Autor:CIDADE, Hernani
Título:LIÇÕES DE CULTURA LUSO-BRASILEIRA - ÉPOCAS E ESTILOS - NA LITERATURA E NAS ARTES PLÁSTICAS
Descrição:

Livros de Portugal, Rio de Janeiro, 1960. In-4.º de XV-349 págs. Br. Rubrica de posse. Ilustrado.

Observações:

"O que vamos tentar neste livro é, em cada época, surpreender esse estilo em seus rasgos essenciais e nalgumas obras literárias que, por seu mais fundo acolhimento e larga repercussão, considerarmos como as que melhor o exprimem. Não será, pois, uma história literária, senão uma síntese da sucessão dos estilos por que se vão revelando as fases da experiência colectiva, do que pode considerar-se o crescimento espiritual do homem, relacionando todos os rasgos que em tais estilos se integram, mas atentando, sobretudo, nos literários."

Preço:27,00€

Referência:13724
Autor:PEREIRA, Maria Helena Rocha Pereira
Título:OBRAS MÉDICAS DE PEDRO HISPANO
Descrição:

Universidade de Coimbra, Coimbra, 1973. In 8º VIII-507-(1), Br. Por abrir. capas ligeiramente empoeiradas

Observações:

Livro essencial para o estudo da obra duma figura ímpar do século XII, onde se faz uma análise aprofundada dos seus textos sobre medicina.
Pedro Hispano, natural de Lisboa, onde nasceu em 1205 ou 1210, vindo a morrer em Roma em 1277, foi o único Papa português.

Preço:48,00€

Referência:13723
Autor:VASCONCELLOS, Carolina Michaelis de
Título:I - O CANCIONEIRO FERNANDES TOMÁS
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1922. In. 8.º de IX-171-(1) págs. Br. Edição especial de 100 exemplares, numerados e rubricados, sendo este o exemplar n.º 59. Exemplar com ocasionias picos de acidez. Ex-libris de Lopes Dias.

Observações:

Importante estudo sobre o "Cancioneiro Fernandes Tomás" onde a autora discurre sobre a veracidade de o mesmo encerrar poemas inéditos de Luís de Camões.

 
Preço:45,00€

Referência:13722
Autor:PONTES, Maria de Lourdes Belchior
Título:ITINERARIO POÉTICO DE RODRIGUES LOBO.
Descrição:

Lisboa, 1959. In-8º de X-355-(3) págs. Br.

Observações:

Importante monografia ensaística apresentada como dissertação do Concurso para Professor Extraordinario em Filologia Românica da Faculdade de Letras de Lisboa. Esta obra é  não só é um estudo pioneiro em português ao aplicar a estilística à construção do perfil literário de um escritor através dos artifícios da sua escrita, como também é um notável contributo para a interpretação das mentalidades dos séculos XVI e XVII.

Preço:19,00€

Referência:13721
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:LA GÉNÉRATION DE 70 ÉPOQUE - CHEFS DE FILE - RELATIONS AVE LA FRANCE
Descrição:

Fondation Calouste Gulbenkian Centre Culturel Portugais, Paris, 1971. In. 8.º de 154 págs. Br. Ilustrada em extra-texto com os retratos de alguns dos escritores tratados na obra.

Observações:

Catálogo da exposição sobre a geração de 70 realizada em Paris de 18 de Janeiro a 20 de Março de 1971 . Prefácio do Prof. Joaquim Veríssimo Serrão.

Preço:15,00€

Referência:13720
Autor:OLIVEIRA, Manuel Alves de
Título:NAS ASAS DO "URUBU" Á DESCOBERTA DO NOVO BRASIL
Descrição:

Guimarães, 1973. In-8º de 92-(3) págs. Br. inserido na colecção dos Cadernos GIL VICENTE. Apresenta uma dedicatória autógrafa. Ricamente ilustrado com fotogravuras e desenhos da autoria de Jorge Maltieira.
Anexa-se um cartão de visita e uma pequena carta da direcção da revista GIL VICENTE, ambos manuscritas e autografadas pelo autor.

Observações:

 Livro de viagens muito curioso onde o autor fala da sua ida ao Brasil e das suas impressões sobre Ouro Preto, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Petrópolis, Dedo de Deus, São PAulo, etc... É de particular interesse o registo da vida quotidiana brasileira observadas e descritas por um europeu.

Preço:20,00€

Referência:13719
Autor:VASCONCELOS, Carolina Michaeles de
Título:NÓTULAS RELATIVAS À "MENINA E MOÇA" na edição de Colónia (1559)
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1924. In-8.º de 28 págs. Br.  Ilustrado em extra-texto. Edição de 400 exemplares numerados e rubricados por Joaquim de Carvalho.

PRIMEIRA EDIÇÃO

RARO.

Observações:

Opúsculo que aborda vários aspectos  do exemplar do Menina e Moça que foi publicado em 1559 em Colónia.

Preço:19,00€

Referência:13718
Autor:NAMORADO, Egídio
Título:PONTOS DE VISTA
Descrição:

Vértice, Coimbra,1958. In-8.º de 163 págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Reunião de alguns ensaios publicados pelo autor ao longo do período que se estende de 1945 a 1956 em diversos jornais e revistas. Versando temas tão aparentemente distintos como a Lógica, a Teoria do Conhecimento, a Cultura Portuguesa ou até as perspectivas da Energia Atómica.

Preço:14,00€

Referência:13715
Autor:DIOS, Angel Marcos de (ant.)
Título:EPISTOLARIO PORTUGUÊS DE UNAMUNO
Descrição:

Fundação Calouste Gulbenkian, Paris, 1978. In-8º de 415-(2)págs. Encadernação editorial. Fac-símiles das cartas em extra-texto. Série Cultura Medieval e Moderna

Observações:

Miguel de Unamuno foi um dos mais insignes lusófilos, como tal trocou correspondência com variadas personalidades portuguesas da sua época. Deste volume constam, entre outras, cartas de António Botto, Eugénio de Castro, António Ferro, Victorino Nemésio, Ramalho Ortigão, Fernando Pessoa, e António Sardinha.

Preço:30,00€

Referência:13714
Autor:LIMA, Jaime de Magalhães
Título:A LINGUA PORTUGUESA E OS SEUS MISTÉRIOS
Descrição:

Livrarias Aillaud e Bertrand, Paris-Lisboa, 1923. In-8.º de 154-(1) págs. Br.

Observações:

Nesta obra, uma das últimas que publicou, Magalhães Lima fala não só da língua portuguesa e da sua evolução como também de  amigos e escritores, de Agostinho de Campos, Gonçalves Fernandes Trancoso, José Pereira Tavares, Manuel José Mendes Leite, José Crispiniano da Fonseca, João de Barros, Rodrigues Lobo, Duarte Nunes de Leão, Jacinto Freire de Andrade, Dom Francisco Manuel de Melo e António Corrêa d’Oliveira.
Encerra os seguintes capítulos:
Ressurreição de um milagre; O canto e a letra na linguagem; Um homem de letras - O sr. Agostinho de Campos; A Bíblia da Pátria.

Preço:19,00€

Referência:13713
Autor:OLAVO, Carlos
Título:JOÃO DAS REGRAS - JURISCONSULTO E HOMEM DE ESTADO
Descrição:

Livraria Editora Guimarães & C.ª, Lisboa, (1941). In-8.º de 278(7) págs. Br. Cadernos p

or abrir.

Observações:

Obra sobre a crise de 1383-1385 e o papel determinante de João das Regras na aclamação do Mestre de Avis como novo rei, D. João I, figura que começa uma nova dinastia. Numa época de crise nacional e internacional, Carlos Olavo procurava na História o exemplo capaz de iluminar o presente e contribuir com a adequada solução para essa crise.

"Este livro não é um livro de história, embora os factos que refere sejam rigorosamente históricos. A minha preocupação foi reconstituir, com tôda a possível verdade, a figura de João das Regras que se encontra dispersa, em bocados incaracterísticos, nos compêndios e nas crónicas e a quem se deve, mais do que uma obra política ou legislativa, uma obra de salvação nacional."

Preço:19,00€

Referência:13712
Autor:GONÇALVES, Maria da Conceição Osório Dias
Título:O ÍNDIO DO BRASIL NA LITERATURA PORTUGUESA DOS SÉCULOS XVI, XVII E XVIII
Descrição:

Coimbra, 1961. In-8.º de 122-(1) págs. Br. Apresenta uma rubrica de posse no ante-rosto.

Observações:

Tese de licenciatura em Filologia Românica, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, em 1961.

 

 


"Sem o homem do Renascimento, o Índio da América apenas teria existido na literatura como simples curiosidade ou diversão do espírito. E, ao mesmo tempo que aquele o enriqueceu com novas perspectivas, este forneceu-lhe matéria e temas preciosos e inesgotáveis.

Assim se compreende a avidez com que toda e qualquer informação sobre esses novos povos era acolhida. As cartas, as longas narrativas ou as simples notações de viagens, eram recebidas com entusiasmo, lidas, traduzidas, comentadas.

Desde que Colombo tornou conhecida a sua descoberta, não se descansou mais na Velha Europa. As cartas tornaram-se objecto de todas as atenções e constituíram o germe que iria dar origem a algumas das mais completas e das mais belas narrativas de viagem.

Olhando o conjunto dos textos que, no decurso dos séculos XVI, XVII e XVIII, se ocuparam do Índio do Brasil, vemos que este, longe de ser tratado de uma maneira uniforme, vai sendo integrado dentro do sistema ideológico de cada época e gradativamente enriquecido com novas facetas."

Preço:20,00€

Referência:13711
Autor:BOLÉO, Manuel de Paiva
Título:DEFESA E ILUSTRAÇÃO DA LÍNGUA (A PROPÓSITO DO INSTITUTO DA LÍNGUA PORTUGUESA)
Descrição:

Edição da Casa do Castelo Editora, Coimbra, 1944. In-8.º de 87 págs. Br. Valorizado pela expressiva dedicatória do autor. Separata da revista "BIBLOS". Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Livro muito interessante em que o autor um dos mais importantes, eminentes e destacados linguistas portugueses do século XX, aborda questões de linguística da lingua portuguesa.

"Quando reflectimos um pouco sôbre o que seja «correcto» e «incorrecto» numa língua, chegamos à conclusão de que estamos em face de um conceito mais social do que lingüístico"

Preço:19,00€

Referência:13710
Autor:VASCONCELOS, António de
Título:A VOCAÇÃO MISSIONÁRIA DE SANTO ANTÓNIO DE LISBOA
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1933. In-8.º de 128(4) págs. Br. Ilustrado em extra-texto .Dedicatória autógrafa no ante-rosto.

Observações:

Livro sobre a vida de Santo António de Lisboa. Encerrra, entre outros, os seguintes capítulos: Da infância ao sacerdócio; Do sacerdócio ao burel franciscano; Do eremitério dos Olivais ao de Montepaolo

 

Preço:35,00€

Referência:13708
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:NOTAS PARA UM IDEARIUM PORTUGUÊS - POLÍTICA E LITTERATURA
Descrição:

Livraria Sá da Costa, Lisboa, 1929. In. 8.º de 221-(1) págs. Br.Rubrica de posse. exemplar autenticado com rubrica de autor e editor.

Observações:

Conjunto de artigos  de um autor injustamente esquecido, Fidelino Figueiredo, que abordam temas de política e literatura.

Preço:23,00€

Referência:13706
Autor:COUTO, Aires Pereira do
Título:INÁCIO DE MORAIS - PERCURSO BIOGRÁFICO E LITERÁRIO DE UM HUMANISTA DE QUINHENTOS
Descrição:

Edição da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Coimbra, 2004. In-8.º de 680 págs. Br. Integrado na colecção "Textos Universitários de Ciências Sociais e Humanas".

Observações:

Monografia muito completa sobre  a vida e obra de Inácio de Morais  humanista cuja obra mais conhecida é o Encomium Conimbricæ  uma homenagem a Coimbra. Contém traduções das suas principais obras.

Preço:15,00€

Referência:13705
Autor:DIAS, Aida Fernanda
Título:MOTOS, VILANCETES, CANTIGAS E ROMANCES GLOSADOS (séc. XV e XVI)
Descrição:

Coimbra, 1974. In-8º de 67 págs. Br. Apresenta uma dedicatória autógrafa. Separata da Revista de História Literária de Portugal, vol III.

Observações:

Análise muito interessante de poemas do século XV e XVI nomeadamente dos textos de Álvaro de Brito Pestana, "Alta reina soberana" e "Cuidados deixai-me agora | cuidar" ;  Airas Nunes, "Oí hoje eu uma pastor cantar "; o de autor desconhecido, "Con qualquier pena que yo siento" e de Simão de Miranda, "Seja a cantiga adorada".

 

Preço:14,00€

Referência:13704
Autor:ARRAIS, Frei Amador
Título:DIALOGOS
Descrição:

Livraria Figueirinhas, Porto, 1944. In-8º de 268-(1) págs. Brochado, Rubrica de posse na folha de rosto. Leves sublinhados a lápis em algumas páginas. Inserida na colecção "Clássicos Antigos e Modernos".

Observações:

Obra de Fr. Amador Arrais, Doutor em Teologia, Pregador régio de D. Sebastião e Bispo de Portalegre que faleceu em Coimbra no colégio dos Carmelitas em 1600,  estes Diálogos começaram a ser escritos  pelo seu irmão, o doutor Jerónimo Arrais, que morreu sem os concluir. Consistem em simples conversas ao pé de um doente, que é sucessivamente visitado por dez amigos (um médico, um pregador, um fidalgo, legistas, etc.). As personagens  vão discursando sobre assuntos históricos e preocupações políticas, ao longo dos quais, por vezes, os interlocutores se limitam a reforçar entre si as opiniões comuns. O autor preferiu escrever estes Diálogos em português para que pudessem ser bem divulgados entre os naturais, como refere no  diálogo Da Gente Judaica: "E tenho por melhor linguagem a nossa portuguesa que a de Itália, porque em menos palavras contém mais conceitos e com menos rodeios e mais graves termos descobre o que se pretende, além de conservar manifestos vestígios da antiga língua latina, que foi uma das três do mundo mais esclarecidas".

Ensaio preambular, selecção, notas e índices remissivos por Mário Gonçalves Viana.

Preço:16,00€

Referência:13703
Autor:VIANA, Mário Gonçalves
Título:ARTE DE ORGANIZAR BIBLIOTECAS PÚBLICAS E PARTICULARES: sua organização funcional
Descrição:

Editorial Domingos Barreira, Lisboa, 1958. In-8º de 460 págs. Br. Com Sobrecapa editorial um pouco gasta. Ostenta carimbos de biblioteca particular.

Observações:

Obra muito exaustiva sobre biblioteconomia, escrita por Mário Gonçalves Viana, sociólogo, pedagogo e professor.

Do prefácio:

"A concepção de biblioteca, apresentada pelo autor, não represemta uma concepção fria e puramente técnica: é a expressão de uma experiência vivida (...) Os problemas essenciais são, aqui, apresentados com clareza e método, visando a servir nao só o bibliotecário profissional, mas também o intelectual, o investigador, o dirigente de qualquer catgoria, o burocrata, o professor, o estudioso, o estudante, em suma, todos qantos precisam de recorrer ao livro, ao documento, ao manuscrito, à revista, ao jornal, ao filme, ao microfilme, à música, etc. "

Preço:17,00€

Referência:13702
Autor:autoria indefinida
Título:COMEMORAÇÃO DO PRIMEIRO CENTENÁRIO DO VISCONDE DE ALMEIDA GARRETT
Descrição:

Comissão Nacional do Centenário de Almeida Garrett. Ministério da Educação Nacional, Lisboa, 1959. In-4º de 542 pags. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Obra comemorativa do primeiro centenário de Almeida Garrett que encerra colaborações  de, entre outros, escritores, ensaistas e políticos como Julio Dantas, Marcelo Caetano, Augusto de Castro, Jacinto do Prado Coelho, Magalhães Basto, Acúrcio Pereira.

Preço:35,00€

Referência:13701
Autor:VICENTE, Gil
Título:OBRAS DE GIL VICENTE
Descrição:

Escriptorio da Bibliotheca Portugueza, Lisboa, 1852. Cinco Livros em três volumes de  in-8º de LX-386-(2) + 527-(3) + 392-(2) págs. Encadernação meia francesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Integrados na colecção  "Bibliotheca Portugueza ou Reprodução dos Livros Nacionaes, escriptos até ao fim do século XVIII".

INVULGAR.

Observações:

Edição das obras de Gil Vicente, integrada na "Bibliotheca Portugueza ou Reprodução dos Livros Nacionaes, escriptos até ao fim do século XVIII".e que se divide em "Livro I – Obras de devassão; II – Comedias; III – Tragicomedias; IV – Farças; V – Obras varias."

Preço:55,00€

Referência:13700
Autor:FIGUEIREDO, Francisco Coelho de
Título:AGRADECIMENTO DE HUM HOMEM A MEMORIA DE OUTRO HOMEM VIRTUOSO, SÁBIO E FILÓSOFO
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1816. In-8º de 44 págs. Não conserva capas de brochura. Encadernação antiga em papel marmoreado. Exemplar que pertenceu a Eugénio de Castro ostentando a sua assinatura. Segundo Inocêncio este panfleto teve uma tiragem restrita de 150 exemplares.

RARO.

Observações:

Folheto com a biografia de  Pedro José da Fonseca, professor na corte de D. José e membro fundador da Academia Real das Ciências de Lisboa. Segundo Inocêncio "Os unicos esclarecimentos biographicos, que até agora existem impressos ácerca d'este laborioso professor e distinctissimo philologo, constam de um folheto que pouco tempo depois da sua morte se publicou com o titulo: Agradecimento de um homem à memoria de outro homem virtuoso, sabio e philosopho'.

Preço:45,00€

Referência:13699
Autor:VAZ, Francisco d'Assis de Sousa
Título:MEMORIA SOBRE A INCONVENIÊNCIA DOS ENTERROS NAS IGREJAS, E UTILIDADE DA CONSTRUCÇÃO DE CEMITÉRIOS
Descrição:

Imprensa de Gandra e Filhos, Porto, 1835, in-8º de 51 págs. Encadernação em papel marmoreado. Não conserva capas de brochura. Miolo com alguns picos de acidez.

INVULGAR.

Observações:

Uma das primeiras obras publicadas em Portugal que aborda os graves inconvenientes do  costume de se enterrarem os mortos nas Igrejas. Sousa Vaz não só refere as questões higiéniccas como apresenta o conceito de cemitério como "Atheneu Histórico" e "Museu da Morte". Para o autor, o cemitério oferecia às famílias “principais e abastadas” um “vasto campo da natureza” privilegiado para a construção dos seus túmulos “debaixo da direcção das Belas-Artes”, tornando-os assim monumentos aos falecidos promovendo assim , a “abertura de um novo campo das artes, estimulariam a produção dos artistas, que certamente quereriam rivalizar entre si com suas obras, e concorreriam para fazer imprimir nas artes progressos espantosos”.

Preço:85,00€

Referência:13696
Autor:autoria indefinida
Título:DOCUMENTAÇÃO ULTRAMARINA PORTUGUESA I, II, III, IV, V
Descrição:

Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, Lisboa, 1960-1967. Cinco volumes de In-4º de  683, 586, 391, 625 e 580 pags. Br. Capas de brochura e miolo com alguns picos de acidez.

Observações:

Obra denominada Gulbenkiana II e que reproduz a documentação ultramarina portuguesa existente nos arquivos estrangeiros, publicando-se aqui importantes códices, entre os quais: Mus. Brit. Add. 28461; Eg. 1646; B. N. Madrid Ms. 3015; Mus. Brit. 1131; Mus. Brit. Add. 9854; A. G. Simancas Secret. Prov. 1571; B. N. Madrid Cod. 3014; e Documentação sobre a Índia Portuguesa no século XVIII.

Da Introdução:

"Como se escreveu na Introdução de As Gavetas da Torre do Tombo (Vol. I - Gulbenkiana I), inicia-se agora a publicação, na íntegra, de vária, documentação ultramarina portuguesa, existente sobretudo em arquivos estrangeiros e, por conseguinte, de mais difícil acesso. Os que lidam com a história da presença de Portugal no mundo conhecem a enorme riqueza documental que jaz sepultada em bibliotecas e arquivos. O fim desta colecção - Documentação Ultramarina Portuguesa - é, justamente trazer às mesas de estudo e ao convívio dos historiadores parte dessa mesma riqueza.
O Centro de Estudos Históricos Ultramarinos vai cumprindo assim a missão que lhe foi confiada."

Vol.I - (Mus. Brit.Add. 28.461 ; Eg 1646).
Vol. II - (Bibl. Nac. Madrid : Ms. 3015) - (Mus. Brit. :- Col. Egerton Ms. 1131).
Vol. III - Mus. Brit. : - Add. 9851) - (Arch. Gen. Simancas : - Secret. Prov. 1571).
Vol. IV - (Arquivo Geral da Alfândega de Lisboa : Livro das Cartas Gerais que vão para a india e vem de lá em 1668) - (Biblioteca Nacional de Madrid : Códice 3014 cartas tocantes a la India Oriental, 1609-1641).
Vol. V - Documentação sobre a Índia Portuguesa no século XVIII.
 

Preço:60,00€

Referência:13695
Autor:GOMES, Joaquim Ferreira
Título:AUTOS E DILIGÊNCIAS DE INQUIRIÇÕES contribuição para a história da Universidade de Coimbra no séc. XVII
Descrição:

Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1989. In-8º de 532 págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

Observações:

Obra, com prefácio, introdução e transcrição de Joaquim Ferreira Gomes, que reproduz o Códice 8846 dos Reservados da Biblioteca Nacional. Esse códice é de "valor inestimável para o estudo de costumes, das mentalidades e das ideias no Portugal do primeiro quartel do século XVII. O facto de ele descrever e descobrir «os muitos e prejudiciais vícios», de que então  enfermaria a  Universidade, de modo algum podia ser motivo ou prtexto para deicar que ele acabasse por ser devorado pelos vermes na Biblioteca Nacional "

Preço:20,00€

Referência:13694
Autor:PESSOA, Fernando ; SOARES, Bernardo
Título:O LIVRO DO DESASSOSSEGO I e II
Descrição:

Ática, Lisboa, 1982.In-8º de 321 e 287 págs. Br. Algumas anotações a caneta.Ilustrado com um fac-simíle desdobrável de uma página escrita por Fernando Pessoa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Edição “princeps” do Livro do Desassossego com recolha e transcrição dos textos de Maria Aliete Galhoz e Teresa Sobral Cunha e  prefácio e organização de Jacinto do Prado Coelho. O livro encerra no total 520 fragmentos, a que juntam seis poemas de Bernardo Soares, e a ordenação dos textos obedece a “manchas temáticas, sem vedações a separá-las”.

 Como afirma Jacinto do Prado Coelho no Prefácio:
"Trata-se, claro, duma proposta de leitura apresentada a título pessoal, que de nenhum modo ambiciona ser exclusiva ou se pretende ‘a melhor’. (...) Prevejo que novas edições, diferentemente planeadas, tragam outras propostas não menos aceitáveis”

Preço:45,00€

Referência:13693
Autor:autoria indefinida
Título:O IMPÉRIO DO BRAZIL NA EXPOSIÇÃO UNIVERSAL DE 1873 EM VIENNA D'AUSTRIA
Descrição:

Typographia Nacional, Rio de Janeiro, 1873. In-4º de 383-(5) págs. Encadernação meia inglesa modesta em tela. Ilustrado em extra-texto com um mapa desdobrável.

INVULGAR.

Observações:

Obra muito curiosa e informativa,  publicada aquando da Exposição de Viena em 1873 e que aborda  inúmeros tópicos sobre o Império Brasileiro, desde a  organização institucional do regime monárquico ao  relevo do Império, aos rios, às instituições de ensino e ao clima.
Logo na “Advertencia” o livro informa que um dos seus objetivos consistia em atrair imigrantes para o Brasil.

Índice:

Situação e extensão do Brasil; Clima e temperatura; reino animal; Reino vegetal; Reino mineral; Aguas mineraes;População ; Constituição do Brazil ; Divisão do Império ; Força pública ; Arsenaes de guerra e intendencia ; Presidios e colonias militares ; Marinha brazileira ; Pharoes ;Pharoletes ; Fazenda nacional ;Divida publica ; Sistema monetareo do Brazil ; Casa da Moeda ; Commercio ;Vias de communicação ; Imigração e colonisação ; Catechese ; Estrangeiros ; Naturalização ; Academia de Bellas artes ; Bibliothecas ; Theatros.
Cobertura geográfica : Brasil, descrição, Século XIX.

 

Advertencia
“Conhecer exactamente as regiões da America é hoje necessidade dos Estados da Europa, onde superabunda a população.
A uberdade do solo do Brazil e seus variados thesouros de riquezas naturaes offerecem vasto campo a todo o gênero de actividade industrial.
No intuito de demonstral-o e promover a immigração para este Imperio aproveitou-se o feliz ensejo que offerece a Exposição Universal de Vienna d’Austria, tratando-se de rever e melhorar a Breve Noticia impressa em 1867 para a Exposição Universal de Paris.
Trabalhos d’esta ordem não se podem realizar com perfeição, logo nas primeiras tentativas. Acoroçoado o zelo dos auxiliares officiaes, e crescendo a collaboração dos informantes particulares, que já d’esta vez foram elementos de grande proveito, é de esperar obra mais completa nas futuras exposições universaes.
Tendo-se por alvo principal tornar bem conhecido o Imperio do Brazil e esclarecer os immigrantes, procurou-se com todo cuidado dizer somente a verdade."

O mapa de enroems dimensões está dobrado no interior do livro. Tem a seguinte legenda: “ Carta do Império do Braszil reduzida no Archivo Militar em conformidade da publicada pelo Coronel Conrado Jacob de Niemeyer em 1846 e das especiais nas fronteiras com os Estado Limitrophes organizados ultimamente pelo Conselheiro Duarte da Ponte Ribeiro, Rio de Janeiro, 1873 “.

Preço:375,00€

Referência:13692
Autor:LOBO, António Costa; SILVEIRA, Francisco Rodrigues
Título:MEMÓRIAS DE UM SOLDADO DA ÍNDIAcompiladasde um manuscripto portuguêz do Museu Britânico por
Descrição:

Imprensa Nacional Casa da Moeda, Lisboa, 1877. In-8º de 342-(2)págs. Br. Fac-simíle.

Observações:

Fac-simíle do manuscrito, encontrado na biblioteca do British Museum por Costa Lobo, e que divide-se em duas partes com assuntos totalmente diferente embora o tema da justiça seja comum.
A primeira parte – Reforma das milícias e do governo do estado da Índia Oriental– fala da experiência pessoal de R. da Silveira como ‘soldado prático’ do exército português no Oriente, entre 1585 e 1597, e a segunda – Discurso sobre a reforma da justiça na comarca da Beira e Entre-Douro-e-Minho – narra um problema judicial após o seu regresso à metrópole.
ESte livro ao contrário do costume naquela época não se interessa pela vida aventurosa dos soldados mas sim pelos costumes da sua época, sendo uma violenta crítica à acção dos portugueses na Índia, ao estado das armadas, à incúria dos governos e à desmoralização geral dos conquistadores. Inclui,no entanto, um relato  das acções militares em que Silveira participou.

Preço:13,00€

Referência:13691
Autor:SILVA, António Marques da
Título:A MEMÓRIA DOS BACALHOEIROS uma contribuição para a sua história
Descrição:

Editorial Presença, Lisboa, 1999. In-4º de 159 págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto com fotografias e ilustrações do autor e do arquitecto Friedrich W. Baier. Ostenta uma pequena dedicatória não autógrafa a lápis.

Observações:

" E era naquele pequeno mundo de madeira, mastros e velas, um espaço exíguo para o conforto, mas vasto para a amizade e a sabedoria, que tudo se passava"

Obra muito interessante para quem estiver interessado em ter uma noção do que era a pesca do bacalhau feita pelos portugueses nos bancos da Terra Nova pois  relata  os momentos vividos pela tripulação do veleiro de madeira Gazela Primeiro que integrava a Frota Pesqueira Portuguesa  de 1958 a 1964 fazia a pesca do bacalhau da Terra Nova.

Preço:15,00€

Referência:13690
Autor:Oliveira, Ernesto Veiga de
Título:FESTIVIDADES CÍCLICAS EM PORTUGAL
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1984. In-8º de 357 págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Integrado na colecção Portugal de Perto. Biblioteca de Etnografia e Antropologia.

Observações:

Obra que encerra capítulos monográficos sobre as festividades cíclicas em Portugal, abordando o tema quer na sua componente geográfica quer as suas ligações com a história, mitologia e folclore.

Do indice destacamos: O Entrudo; O Domingo de Ramos em Portugal:  A Queima do Judas; O Primeiro de Maio; As Maias; O S. João em Portugal; O S. Martinho em Portugal; Manjares e refeições cerimoniais; O Culto dos mortos no Natal; Romarias; Touradas em Forcalhos, Figuras gigantescas processionais em Portugal; Alguns jogos populares Poveiros; O Jogo do Pau em Portugal; entre muitos outros.

Preço:25,00€

Referência:13689
Autor:RIBEIRO, Carlos
Título:NOS MARES DO NORTE Crónicas de uma viagem de assistência á frota bacalhoeira portuguesa na campanha de 1945.
Descrição:

Edições Astra, Porto, 1947. In-8º de 200 págs. Br. Capa de brochura ilustrada pelo artista plástico Tomaz de Mello (Tom). Cadernos por abrir.

RARO.

 

 

Observações:

Obra com prefácio do comandante Tenreiro.

"Em boa verdade, é uma vida dura a do pescador da pesca longíqua, mais áspera, talvez, do que a de qualquer outro trabalhador do mar. Mas, enquanto a humanidade habitar a terra há-de haver sempre, decerto, pescadores de bacalhau, como nunca deixarão de existir fogueiros, mineiros, mergulhadores e demais operários de profissões especialmente árduas."

Preço:35,00€

Referência:13688
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:MARIA BENIGNA
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1933. In-8º de 285-(2) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Romance de Aquilino Ribeiro que se distingue dos restantes romances pois é uma narrativa inteiramente composta por cartas e diários. A trama é simples: Maria Benigna, uma senhora lisboeta de vinte e sete anos, burguesa, sofre de tédio e solidão e apaixona-se por Adriano Valadares, um escritor de renome, um pouco mais velho e com fama de conquistador.

Preço:30,00€

Referência:13687
Autor:NEMÉSIO, Vitorino
Título:EXILADOS 1828-1832 História Sentimental e Política do Liberalismo na Emigração.
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, S/d. In-8º de VIII-322 págs. Br. Capa de brochura ilustrada por reprodução de gravura do desembarque das tropas liberais no Mindelo. Capas levemente amarelecidas.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Da Advertência:
"Este livro foi a “segunda parte” de um trabalho universitário – A Mocidade de Herculano até à Volta do Exílio – onde tinha por título A Experiência do Exílio, reconstituída, para se atingir a de Herculano, através de memórias, autobiografias, cartas, poemas, ordens do dia, papeis vários, que depunham sobre as esperanças e os desenganos de um bando de proscritos. (...)
Relendo-o agora, ajeitando-o, reduzindo o retrato de Herculano na composição de conjunto, vejo que lhe não pude tirar o aspecto (digamos) micro-histórico com que nasceu da minha lupa. Modo de investigar e estilo de escrever, tudo era então, no autor, minudente, prolixo, laborioso. A matéria dos últimos capítulos, incidindo no terreno obscuro e confinado mas querido e familiar das minhas ilhas, só agravou o defeito. Não posso fazer melhor, e custa-me... Mas mais me custaria, como pai deste filho de papel, deixá-lo enterrado numa dissertação universitária onde só o Mocho o lê, e fora da qual, crismado e emancipado, pode servir de remember (demasiado anedótico!) dos anos de aventura e risco de um punhado de portugueses atrevidos e generosos. Pelo menos a parte frágil – e por isso bem humana – de uma grande empresa histórica fica esboçada aqui."

Preço:30,00€

Referência:13686
Autor:SILVA, Agostinhoda
Título:STENDHAL MÉRIMÉE. Dois ensaios de Interpretação
Descrição:

Edição de autor, Vila Nova de Famalicão, 1947. In-8º de 179-(5) págs. Br. Capa de brochura amareleciida pelo tempo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Conjunto de dois ensaios onde o autor analisa a obra de Stendhal e Mérimée.

Preço:14,00€

Referência:13685
Autor:SILVA, Agostinhoda
Título:MOISÉS E OUTRAS PÁGINAS BÍBLICAS
Descrição:

Edição de Autor, Vila Nova de Famalicão, 1945. In-8º de 163-(1) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez e algumas falhas marginais de papel.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra onde Agostinho analisa as passagens bíblicas referentes a Moisés.

Do Índice:

Moisés; Cinco falas de gente pastoril; Fala do Pastor; Fala de Labão; Fala de Lia; Fala de Raquel; Fala do Velho.

Preço:14,00€

Referência:13684
Autor:SILVA, Agostinhoda
Título:PARÁBOLA DA MULHER DE LOT seguida de Policlés e de um Apólogo de Pródico de Céos
Descrição:

Edição de  Autor, Vila Nova de Famalicão, 1944. In-8º de  89-(4) págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra onde Agostinho da Silva aborda a temática biblica.

"Porque o Paraíso, Loth... Olha, eu sei que todo o mundo um dia se há-de transformar em liberdade e ser mais sereno, mais transparante e mais puro do que este céu de crepúsculo que nos envolve; cada um de nós, quando nasce, recebe uma parte da injustiça do mundo, e a alma dos que morrem depois de se terem despojado do que lhes coube de tirania, de egoísmo e de brutalidade, vai contribuir para formar esse céu, como cada gota contribui para a extensão e a profundidade dos mares; essa é a vida eterna, essa é a delícia dos que se elegeram; para os outros tudo será como se não tivessem vivido e uma vez mais passarão sobre a terra, numa experiência da sua vontade e da sua coragem. Eis o que será o teu destino. Porque o meu será o outro. Duvidada às vezes de ter feito tudo o que devia fazer pela liberdade; sei que muito me deixei arrastar pelo que nos prende ao tempo, que o meu Amor não foi sempre bem amplo, aberto a todos, que a minha alma não foi sempre bem forte, inflexível ao vento do desânimo; ainda bem que hoje posso adquirir a certeza de que não foi inútil a minha passagem pelo mundo; não estarei ao lado deles, não me queimará o mesmo fogo: mas o teu Senhor, como todos os tiranos, teme quem o olha de frente, não gosta de que contemplem a sua obra... É o bem que começa a triunfar; esse avança às claras, não se esconde, não se refugia no segredo e na ignorância. Vou unir-me a todos os que já se bateram por ele; tantos, tão grandes e tão belos! Como poderia hesitar? Chegou o momento, Loth. Não, nem mais uma palavra. Continua. Eu volto."

Preço:15,00€

Referência:13683
Autor:SILVA, Agostinhoda
Título:HERTA TERESINHA JOAN três novelas ou memórias de Mateus Maria Guadalupe
Descrição:

Portugália, Lisboa, S/d. In-8º de 148 págs. Br. Cadernos por abrir.Capa com alguns picos de acidez e amarelecida pelo tempo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Primeira obra de ficção de Agostinho da Silva.

 da Nota Prévia:

"Resolvi aproveitar estas curtas férias de Portugal para pôr em ordem alguns dos papéis que fui acumulando e entre os quais se contam estes três capítulos do que deveria, para ser verdadeiro, denominar 'Memórias' não o faço, porém, por dois motivos: em primeiro lugar porque isso exigiria sequência cronológica, o que me parece ir contra a unidade de cada um dos episódios: em segundo lugar, porque de 'Memórias' o que me interessa mesmo é apenas a lembrança de pessoas que de qualquer modo me passaram na vida, ou, para ser mais exacto, em cuja vida eu, de qualquer modo, passei. Porque, no fim de contas, foi a deles que realmente valeu."

 

Preço:15,00€

Referência:13682
Autor:SILVA, Agostinhoda
Título:PLATÃO DEFESA DE SÓCRATES E CRÍTONE Dois ensaios de tradução
Descrição:

Edição do Autor, VIla Nova de Famalicão, 1946. In-8º de 126 págs. Br.  Capas com alguns picos de acidez. alguns apontamentos a lápis no miolo.

 

Observações:

Obra onde o autor revela a sua faceta de tradutor, ao traduzir dois clássicos gregos.

Preço:14,00€

Referência:13681
Autor:CASTRO, Damião António de Lemos Faria e
Título:HISTORIA GERAL DE PORTUGAL E SUAS CONQUISTAS. Offerecida à Rainha Nossa Senhora D. Maria I
Descrição:

Na Typografia Rollandiana, Lisboa, 1786-1804. vinte volumes de in-8º . Encadernação inteira em pele com dizeres a ouro na lombada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

.

Observações:

Obra monumental sobre a História de Potugal, escrita no século XVIII por Damião António de Lemos Faria e Castro, onde o autor critica ferozmente a parte mitológica da História nacional, recorrendo-se habitualmente às opiniões  de historiadores franceses e espanhois, mas não deixa de mencionar detalhadamente essa mitologia.

 

Preço:395,00€

Referência:13680
Autor:MACHADO, José Pedro
Título:DICIONÁRIO ETIMOLÓGICO DA LÍNGUA PORTUGUESA: Com a mais antiga documentação escrita e conhecida de muitos dos vocábulos estudados
Descrição:

Editorial Confluência, Lisboa, 1956. Dois volumes de in-4º com numeração corrida de 2379 págs. Encadernação editorial meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada e florão a ferros nas pastas.

 

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Dicionário monumental onde o autor, um dos nossos maiores dicionarista e lexicógrafo, aborda exaustivamente a formação e à datação das palavras em português sem esquecer  influências de outras línguas para a formação de algumas palavras.

Preço:125,00€

Referência:13679
Autor:BRAGA, Theophilo
Título:CURSO DE HISTORIA DA LITTERATURA PORTUGUEZA, adaptado ás aulas de instruccão secundaria por...
Descrição:

Nova Livraria Internacional, Lisboa, 1885. In-4º de 411 págs. Encadernação meia inglesa em sintético com dizeres a ouro na lombada. Sem capas de brochura. Miolo com alguns picos de acidez.

 

Observações:

Obra de intuito pedagógico, onde Teófilo Braga procurou adaptar as suas teorias acerca da História da Literatura Portuguesa às "aulas de instrução secundária", remodelando, desta maneira, o Manual da História da Literatura Portuguesa publicado 10 anos antes.


Advertência

Quando em 1875 publicámos a tentativa de um Manual da Historia da Litteratura portugueza, obedecemos ao seguinte ponto de vista : " A reforma do ensino da litteratura deve partir da conclusão a que chegou a sciencia moderna — que o estudo das creações intellectuaes não se pôde fazer em abstracto. É necessário nunca abandonar a communicação directa com os movimentos, explicando-os e apreciando-os pelas suas relações históricas com o meio e circumstancias em que foram produzidos. O estudo da litteratura feito nas vagas generalidades, conduz a essas receitas de tropos, que tiram a seriedade ás mais altas concepções do espirito humano. Na instrucção de um paiz deve entrar com toda a sua importância um elemento nacional; no ensino fundado nas ocas abstracções nunca esse sentimento se desperta. Pelo desenvolvimento histórico, mostrando como se chegou á unidade systematica de qualquer sciencia, é que se pode imprimir uma direcção justa e um vivo interesse nos espíritos que desabrocham.

A nossa tentativa falhou. Apesar de vir recommendado pela approvação da Junta consultiva de Instrucção Publica o Manual da Historia da Litteratura portugueza, a maioria dos professores recusou-se a acceita-lo para texto das suas lições ; porque, como nos escreveu o editor : " acharam-o sempre grande, e que por este motivo deixavam de o adoptar."

Isto explica-se ; a instriicção publica em Portugal faz-se á custa do emprego exclusivo da memoria segundo a "tradição pedagógica dos jesuítas, e por isso o professor quer um texto dogmático, paragraphado, em forma de definições e de enumerações cathegoricas, de modo que em interrogações peremptórias avalie do estudo do alu- mno. Combatendo este vicio, elaborámos um texto para o professor em primeiro logar, e depois para ser lido e extrahir-se d'elle a doutrina, segundo o critério de quem ensina, acostumando aquelle que aprende a applicar o processo analylico. Diz admiravelmente Augusto Comte:
"Os tratados didácticos devem unicamente dirigir-se aos mestres, através dos quaes «deve sempre passar a instrucção destinada aos discípulos. Até então, as leituras theoricas não convêm senão áquelles cuja educação está terminada, resultando o desenvolvimento scientifico de uma elaboração pessoal subordinada espontaneamente ás lições oraes... y> {Synthèse subjective, p. viii.)

O automatismo da memoria prevaleceu, e sobre o nosso Manual formaram-se alguns apanhados ; ser-nos-hia fácil explorar esta errada tendência compondo una resumo para se decorar, mas a nossa disciplina de espirito está em nós de accordo com o senso moral. O que não fizeram os professores praticámol-o nós, estudando o nosso livro emquanto aos seus defeitos de methodo e
deficiências de investigação. Podemos repetir as bellas palavras de Montaigne : « Je n'ay pas plus faict mon livre,
que mon livre m'a faict. » (Essais, II, 18.)

Compensa-nos o prazer de havermos progredido, e comnosco este novo livro em que reincidimos no mesmo intuito pedagógico.

Preço:17,00€

Referência:13678
Autor:NORONHA, Eduardo
Título:PINA MANIQUE O Intendente de antes quebrar... (Costumes banditismo e policia no fim do século XVIII, princípios do século XIX.)
Descrição:

Livraria Civilização, Porto, 1923. In-8º de 320 págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto.  Ostenta uma dedicatória não autógrafa. Capas e miolo com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Biografia de  uma personagem central do absolutismo português do século XVIII, que se tornou o homem de mão do Marquês de Pombal e que no reinado de D. Maria ascendeu  ao cargo de Intendente Geral da Polícia.

 

Preço:17,00€

Referência:13677
Autor:VENTURA, António
Título:TEÓFILO JÚNIOR
Descrição:

Câmara Municipal de Arronches, Arronches, 1991.  In-8º de 217 págs. Br.

Observações:

Obra sobre Teófilo Júnior,  Républicano, Natural de Arronches, e que escreveu bastantes textos sobre os ideais Republicanos.

"Na manhã do dia 5 começou a afluir ao Centro Republicano grande quantidade de povo que aclamava febrilmente a República e os seus maiores vultos. Pouco depois saía do centro a filarmónica acompanhada de povo que já era em número considerável, à frente do qual marchavam os membros da comissão municipal repúblicana empunhando bandeiras.
Dirigiu-se o cortejo aos paços do concelho, onde foi içada, numa das janelas a primeira bandeira da República.
(...)De uma das janelas da câmara falaram entusiasticamente os académicos Barradas Tenório e Teófilo Júnior e o operário José Lopes, os quais receberam do povo grandes manifestações de simpatia."

 

Encerra os seguinte capítulos:

Introdução; Textos autobiográficos; Textos literários filosóficos, Polémica com António Sardinha, Textos políticos.

 

Preço:14,00€

Referência:13676
Autor:PIMPÃO, Álvaro Júlio da Costa
Título:FIALHOI introdução ao estudo da sua estética
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1945. In-4º de 241 págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Tese de doutoramento em Filologia Românica apresentada à Fac. de Letras da Univ. de Coimbra e que ainda hoje é a mais exaustiva  obra sobre a vida e obra de Fialho, ficando no entanto por escrever o segundo tomo. O autor é ainda  responsável por alguns dos prefácios de livros de Fialho de Almeida.

Preço:17,00€

Referência:13675
Autor:SCHEIDL, Ludwig
Título:O PRÉ-EXPRESSIONISMO NA LITEERATURA ALEMÃ Georg Heym, Georg Traakl, Ernst Stadler
Descrição:

Biblioteca Geral da Universidade, Coimbra, 1985. In-4º de 576 págs. Cadernos por abrir.

Observações:

Tese de Doutoramento do Autor que aborda exaustivamente a obra de três autores pré-expressionistas: Georg Heym, Georg Traakl, Ernst Stadler.

Encerra os seguintes capítulos:

Capítulo I
Introdução à história de um movimento literário
Capítulo II
Relações do poeta com o mundo
Capítulo III
Relações do poeta com os homens
Capítulo IV
Poesia expressão do «eu»

Preço:14,00€

Referência:13674
Autor:SARAIVA, José Hermano
Título:VIDA IGNORADA DE CAMÕES
Descrição:

Publicações Europa-América, Lisboa, 1978. In-8º de 398-(4) págs. Br. Capas de brochura com um vinco marginal.

Observações:

Biografia de Luís de Camões escrita por José Hermano Saraiva importante para os estudos camonianos.

"Não há certamente nome mais conhecido falado e admirado nas letras portuguesas do que o de Luís de Camões (...) No entanto, dele e da sua vida muito pouco se sabe. E, pior do que isso, o que se julga saber está envolto na sombra de muitas dúvidas que têm alimentado as polémicas entre os especialistas. O livro de José H. Saraiva não será, porventura, a obra definitiva sobre a vida de Camões. Mas, pelos elementos desconhecidos que traz a lume, pela novidade da perspectiva em que se coloca, pelas pistas fecundas que abre para a interpretação da obra do Poeta, ficará sem dúvida como marco da investigação camoniana que nenhum estudioso poderá ignorar.”

Preço:12,00€

Referência:13673
Autor:FREITAS, Amadeu José de
Título:ANGOLA - O LONGO CAMINHO DA LIBERDADE
Descrição:

Moraes Editores, Lisboa, 1975. In-8º de 458-(5) págs.Br. Com alguns sublinhados. ostenta assinatura de posse.

 

Observações:

Obra onde o autor transcreve os acontecimentos diários que ocorreram em angola nos anos de 1974 e 1975, com recurso à fontes da imprensa portuguesa, angolana e internacional. São transcritos os comunicados, notas de imprensa e conferências de imprensa dos diversos movimentos de libertação angolanos (FLEC, FNLA, MPLA e UNITA), além dos partidos que se constituíram em Angola logo após a queda da ditadura em Lisboa e da abertura democrática. São revelados alguns dos principais documentos da descolonização e as posições então tomadas pelos diversos intervenientes no processo de descolonização.

Da contracapa :
"ANGOLA - um documento de impressionante actualidade sobre um novo país africano.
Um cordão umbilical mantém-se entre Angola e portugal. Toda uma estratégia do imperialismo foi montada no sentido de provocar a união das forças reacionárias que actuam em Angola.
Essas forças uniram-se para através do processo angolano liquidarem também o processo português.
Um quadro complicado mas que nos oferece uma única realidade: a escolha está feita - o Povo quer ser livre, quer decidir o seu destino, conhece os seus representantes legítimos, quer arrancar para o futuro, sem tibiezas, sem domínios, sem medos, sem exploração.
Angola vai ser ainda, decerto, um campo de luta sangrenta.
Mas este será agora, definitivamente, o sangue que conduz à Liberdade!
Disto nos fala este documento impressionante.
Um processo de luta que, sendo de Angola, não o é menos de todo o Povo Português."

Preço:17,00€

Referência:13672
Autor:SOARES, Mário
Título:PORTUGAL AMORDAÇADO Depoimento sobre os anos do fascismo.
Descrição:

Editora Arcádia, Lisboa, 1974. In-8º 728-(7) págs. Br. Capas de brochura de Manuel Dias.

 

PRIMEIRA EDIÇÃO

Observações:

Primeira edição portuguesa de um  dos testemunhos mais importantes  sobre o regime de Salazar, que foi previamente publicado em 1972, em Paris, sob o título de Portugal Bailloné — Un Témoignage.
O livro foi escrito durante a deportação para a Ilha de são Tomé  a que o Governo de Salazar o tinha condenado.

“ Testemunho lúcido e corajoso duma experiência de luta constante e intransigente contra o regime fascista, o livro de Mário Soares actuou como poderoso revelador junto de largos sectores da opinião pública estrangeira, profundamente alheada do drama português.”

Preço:30,00€

Referência:13671
Autor:OLIVEIRA, Celina Veiga de
Título:CAMILO PESSANHA o Jurista e o Homem
Descrição:

Instituto Cultural de Macau, Instituto Português do Oriente, Macau, 1993. In-8º de 568págs. BR. Ilustrado em extra-texto com 63 fac-símiles de processos.

 

Observações:

Obra onde se estuda o papel de Camilo Pessanha não como poeta mas como jurista, e que mostra  uma  faceta quase desconhecida da sua personalidade : a sua  enorme capacidade de argumentação e um aceso sentido crítico que punha a nú os males de que minavam a comarca de Macau.

Das Badanas:

"Dos poeirentos processos dos arquivos do Tribunal, lutando contra o rebarbativo da escrita e a letra esmaecida no papel amarelecido pelo tempo e a humidade, a autora arrancou a outra face de Camilo Pessanha.
Não o poeta que extravasa o tempo, mas o homem, o jurista perante a sociedade e a circunstância.
Trabalho precioso e que confirma que Pessanha nunca foi banal."

João Fernandes


"As intervenções processuais que agora vêm a público revelam-nos Camilo Pessanha como um jurista de formação que ultrapassava os cânones da sua época, reivindicando práticas e princípios que só em tempos mais recentes ganharam consagração plena."
Júlio Pereira

 

Preço:19,00€

Referência:13670
Autor:SOUSA,José de Campos
Título:PROCESSO GENEALÓGICO DE CAMILLO CASTELLO BRANCO
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1946. In-4º de XV-232 págs. Br. Ilustrado com 12 gravuras extra-texto + 9 árvores de costado extra-texto. Capas e miolo com alguns picos de acidez e manchas de humidade. Exemplar manuseado.

INVULGAR.

Observações:

Valioso estudo genealógico, muito exaustivo, sobre Camilo Castelo Branco .Com um prefácio de D. Pedro da Câmara Leme.

 "Na verdade, se a genealogia pretende ser uma ciência auxiliar da História e não apenas um passatempo de ociosos ou um modo de explorar o snobismo alheio - náo deverão os seus cultores limitar-se a compilar nomes, datas e honrarias. É necessário que analisem sob vários aspectos, como o histórico, o económico, o social, o psicológico e o patológico, as famílias que Ibes sirvam de tema. Só assim poderão contribuir para o estudo da vida portuguesa através dos tempos."

Preço:27,00€

Referência:13668
Autor:ESTEVES, Raul
Título:ALGUMAS OBSERVAÇÕES SOBRE A GUERRA DE ESPANHA
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1939. In-8º de 106 págs. Encadernação meia francesa em chagrin com dizeres e florões em pele. Conserva capas de brochura.

INVULGAR.

Observações:

Estudo militar de um general que comandou a Missão Militar Portuguesa de Observação em Espanha na Guerra Civil de Espanha.
Obra divide-se em três partes:
Ensinamentos de ordem estratégica; Ensinamentos tácticos; Observações relativas ao factor moral da luta.

Preço:21,00€

Referência:13667
Autor:AMORIM, Francisco Gomes de
Título:GARRETT : memorias biographicas. Por... Conservador da Bibliotheca e Museu de Antiguidades Navaes, Socio da Academia Real das Sciencias de Lisboa, do Instituto de Coimbra, da Real Academia Hespanhola de Historia, Tomo I , Tomo II e Tomo III
Descrição:

Imprensa Nacional, Lisboa, 1881-1884. Três volumes de 598, 723 e 717 pags. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. Ilustrada com um retrato de Almeida Garret no início do 1.º volume, e com 5 fac-símiles no final do 3º volume, 3 das quais em folhas desdobráveis: do Plano da biografia de Garrett, como ele queria que a fizesse o autor das Memórias; a última carta quedirigiu a Gomes de Amorim; as primeiras quatro estrofes de O Anjo Caído; a última página literária que escreveu - da primeira cena da comédia O Conde de Novion. Miolo com leves picos de acidez e com páginas amarelecidas pelo tempo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Primeira e mais completa biografia de Almeida Garrett escrita por Francisco Gomes de Amorim.

Excerto da Introdução - O genio dos grandes poetas


"É como a luz do sol o genio dos grandes poetas. O seu clarão brilhante, espalhando-se na terra, aquece e alumia as almas de todos os que encontra. Manifestando-se no livro, astro da intelligencia, afugenta as trevas dos cerebros mais obscuros; esclarece e persuade, até os proprios que não querem convencer-se nem illustrar-se. Na poesia, enternece os insensiveis, arranca lagrimas dos corações mais seccos, risos dos labios mais cerrados, gritos da admiração dos peitos mais frios e indifferentes. É uma força invencivel, que transforma os individuos, subjugando a vontade dos mais rebeldes e o espirito dos mais pertinazes. Denuncia, enfim, a centelha divina, que o Creador poz na mente do homem. Quando o escriptor se chama Homero, Virgilio, Dante, Milton, Camões ou Garrett, os seus poemas atravessarão os tempos e o espaço, cada vez mais admirados e queridos. As suas idéas, similhantes aos raios fulgurosos do rei dos astros, brilharão com o mesmo esplendor com que foram ennunciadas milhares de annos antes! Depois de terem commovido e enthusiasmado as gerações extinctas, demonstrarão ás presentes que nem os seculos depravados, nem as epochas de obscurantismo lhes alteraram a primitiva grandeza e a graça nativa! Filhas do genio, só deixarão de existir quando Deus, destruindo o mundo e chamando a si o ultimo homem, volver tudo ao nada, de onde nos tirou a sua omnipotencia."

 

Preço:90,00€

Referência:13665
Autor:autoria indefinida
Título:FAIANÇASPORTUGUESAS Colecção AntónioEspíritoSanto
Descrição:

Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, Lisboa, 1998,  In-4º de 159 págs. Encadernação editorial. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Catálogo da colecção de faianças de António Espírito Santo, cujas peças aparecem reproduzidas a cores e acompanhadas de textos, em português e inglês, de Maria João Espírito Santo Bustorff Silva, António Luís Roquette Ricciardi, Eduardo Rangel Pamplona Silvano e João Pedro de Oliveira Monteiro.
O livro percorre três séculos da história da arte decorativa do nosso país pois a colecção incorpora exemplares significativos da cerâmica nacional de diferentes épocas e fabrico.

Preço:29,00€

Referência:13664
Autor:DIAS, Augusto Epifânio da Silva
Título:SINTAXE HISTÓRICA PORTUGUESA
Descrição:

Livraria Clássica Editora, Lisboa, 1970. In-98º de 442 págs. Br, Capas de brochura com alguns picos de acidez. Ostenta vários carimbos de biblioteca particular.

Observações:

Obra que faz uma análise histórica da sintaxe portuguesa muito apreciável pela clareza e precisao do método e do plano. è aida hoje citada em trabalhos académicos graças à utilidade para trabalhos de sintaxe comparada.

 

Preço:15,00€

Referência:13663
Autor:GUIMARÃES, Sérgio
Título:DA RESISTÊNCIA À LIBERTAÇÃO
Descrição:

Mil Dias Editora, Lisboa, 1977, In-fólio de 170 págs.Profusamente ilustrado ao longo do texto com fotografias de Abel Fonseca, Alberto Gouveia, Alfredo Cunha, Cidac, Eduardo Gageiro, Fernando Baião, Francisco ferreira, Hernando Domingues, João Paiva, José Tavares. Ostenta uma dedicatória não autógrafa.

RARO

Observações:

Primeira e única edição deste livro  que é uma retrospectiva fotográfica excepcional  da revolução de 25 de Abril de 1974, quando os militares libertaram o país da ditadura.
 

"Na concepção e realização deste álbum, bem como da exposição fotográfica que lhe está na origem e que esteve patente no mercado do povo aquando das comemorações do 3.º aniversário do 25 de Abril de 1974, muitos colaboraram para que um a outra fossem realidade."

Preço:45,00€

Referência:13661
Autor:BERNARDES, José Augusto Cardoso
Título:SÁTIRA E LIRISMO Modelos de síntese no Teatro de Gil Vicente
Descrição:

Universidade de Coimbra, Coimbra, 1996, In-4º de 602 págs. Br.

Observações:

Obra que estuda as duas bases do teatro Vicentino: a Sátira e o Lirismo. O autor analisa a génese da obra de Gil Vicente concluindo que ela se revela influenciada pela grande tradição do teatro europeu do final da Idade Média (pelo francês, sobretudo).  Na Segunda Parte aborda a Sátira, tal como ela aparece configurada nos autos vicentinos, tanto em termos de conteúdo como no que respeita a aspectos técnico-formais.  Na Terceira Parte, aborda os principais modelos do lirismo vicentino. Na Quarta Parte o autor faz a um exame dos principais modelos que subordinam a articulação entre Sátira e Lirismo.

Preço:21,00€

Referência:13660
Autor:ENTWISTLE, William J.
Título:A LENDA ARTURIANA NAS LITERATURAS DA PENÍNSULA IBÉRICATradução do inglês de António Alvaro Dória. Revista e acrescentada pelo Autor
Descrição:

Imprensa Nacional de Lisboa, Lisboa, 1942. In-4º de 248 págs. Br. Capa e miolo com leves picos de acidez. Ostenta carimbo de biblioteca particular.

Observações:

Obra muito exaustiva que estuda a difusão da matéria arturiana na peninsula Ibérica, através dos Livros de cavalaria em especial no Amadis de Gaula.

Do Prefácio do Tradutor:

"A literatura cavalheiresca tem dado motivo para muitos estudos mais ou menos volumosos, entre os quais o presente é dos de mais valor. Foi por o reconhecer que o Sr. Dr. Joaquim de Carvalho, antigo e muito ilustre Director da Imprensa da Universidade de Coimbra, entendeu publicar a sua tradução, que só tem de lamentável o ter-me sido confiada. Embora os pontos de vista do Sr. Entwistle se limitem a um aspecto da vasta literatura cavalheiresca — o das novelas artimañas—, e mesmo esse restringido à Península Ibérica, ële é exaustivo, como facilmente pode verificarse. A literatura cavalheiresca tem sido incompletamente estudada entre nós, e o que de valioso existe sobre o assunto, mesmo no que respeita às novelas portuguesas, deve-se à pena de alguns dos mais ilustres especialistas estrangeiros. ¡E no entanto que magnífico campo a lavrar! Estou crente de que a presente obra vai contribuir para os estudiosos e eruditos portugueses fazerem incidir a sua atenção, pelo menos, sobre o contributo de Portugal para o vasto mar da novelística cavalheiresca."

Preço:18,00€

Referência:13659
Autor:FREIRE, João Paulo
Título:CURIOSIDADES BIBLIOGRAFICAS
Descrição:

Livraria Editora Guimarães, Lisboa,1925 In-8º de 157-(1) págs. Br. Capas de brochura amarelecidas pelo tempo e com falhas de papel na lombada.

 

 

Observações:

Obra que reúne  artigos publicados pelo autor no jornal «A Pátria», a que juntou alguns inéditos. Encerra, entre outros os seguintes capítulos: Manual dos deputados; Manual das revoluções; O que deu a lira nacional na morte do principe D. José; Choradeira de Lisboa; Na lamentavel morte dos Cinco Infelizes Padecentes; Pela feliz união do Supremo Governo do Reino com o governo interino de Lisboa; De l'Amadis de Gaule; Onde pàra a curiosidade bibliografica Camiliana apontada por Camilo no numeroo antecedente?; O retrato de Ricardina; Terra Prohibida; Regresso ao Paraiso; A queda d'um anjo; Amor de Perdição, Guerra Junqueiro; As melhores poesias; Folhetos camilianos; Portugal de perto.

“O anno passado iniciei no jornal A Patria uma serie de chronicas sujeitas ao titulo geral Curiosidades Bibliographicas. Era uma secção muito a meu contento e que eu levaria longe se m’o tivessem deixado. (...) Muitas foram então as cartas que recebi pedindo me que continuasse ou que reunisse em volume os artigos já publicados”, por exemplo: «O retrato de Ricardina», «Terra Prohibida e Regresso ao Paraiso», «A queda d’um anjo», «Amor de Perdição», «Guerra Junqueiro», «Folhetos camilianos», etc."

Preço:15,00€

Referência:13658
Autor:MENDES, José Azevedo
Título:O SÍTIO ONDE SE ESTÁ Fotografias médicas nas sanzalas da Gabela (1963).
Descrição:

Edições Tenacitas, Coimbra, 2012. In-4º de XV-221 págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Obra de aspecto gráfico muito cuidado. Profusamente ilustrada ao longo do texto.

Observações:


Livro com fotografias tiradas por José Azevedo Mendes, médico miliciano em África durante a guerra colonial em  Luanda, Gabela, Tari. Reúne centenas de imagens redescobertas nos anos 80 sendo extraordinárias de um ponto de vista documental. O autor, enquanto médico militar em Angola no princípio da guerra colonial, dirigiu um trabalho pioneiro de assistência sanitária à população africana da região da Gabela, Quanza-Sul, e fez uma extensa reportagem fotográfica dessa experiência. Com este livro temos assim uma visão impressionante e diferente sobre a guerra colonial. Encerra também o relato da sua experiência enquanto médico mobilizado em Angola e também outro capítulo sobre as suas raízes familiares.

Preço:35,00€

Referência:13657
Autor:VALDEMAR, António [coord.]
Título:SER OU NÃO SER PELO PARTIDO ÚNICO
Descrição:

Editora Arcádia, s/l, 1973. In-8º de 271 págs. Br.
 

Observações:

Obra sobre  “Ser ou Não Ser Pelo Partido Único” onde se reúnem os depoimentos de seis personalidades políticas portuguesas:  Magalhães Godinho, Nogueira Pinto, Barrilaro Ruas, Coelho da Silva, Victor Wengorovius e Pinto Balsemão.

 

 

Preço:16,00€

Referência:13656
Autor:NETTO, Álvaro F. do Amaral
Título:BRASAS DA MINHA LAREIRA Poemas Ribatejanos
Descrição:

Livraria Portugal, Lisboa, 1956. In-8º de 161-(6) págs. Br. Capa de Augusto Bértholo. Ilustrado com um retrato do autor por Albino Armando. Valorizado pela expressiva dedicatória autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Livro de poesia que é uma homenagem à Chamusca mas também à grande maioria das terras ribatejanas desde Vila Franca de Xira ao Cartaxo. O livro está cheio de poemas com dedicatória a nomes conhecidos da região como o do escultor Francisco Franco, Carlos Amaro, Virgílio Arruda, Francisco Câncio, Augusto Bertolo, Vieira Guimarães, Manuel Bernardo Gonçalves e Fausto Nunes Dias, entre muitos outros.

Preço:12,00€

Referência:13655
Autor:ALMEIDA, António José de
Título:DISCURSOS DE...
Descrição:

Jacintho Ribeiro dos Santos, Rio de Janeiro, 1922. In-8º de 42-(1)-VI-(1) págs. Encadernação moderna meia inglesa em pele com dizeres a ouro em rótulo de pele na pasta. Conserva as capas de brochura. Bom exemplar, bem estimado e estado atendendo à qualidade do papel brasileiro do período em questão.
Folheto bastante raro entre nós.

Observações:

Discursos proferidos durante a estadia de António José de Almeida no Rio de Janeiro de 17 a 27 de Setembro de 1922, por ocasião das festas commemorativas do 1º centenária da Independencia do Brasil.

Preço:19,00€

Referência:13653
Autor:ALMEIDA, António José de
Título:A MONARCHIA
Descrição:

Typ. Eduardo Roza, Lisboa, s.d. [1908 ?]. In-8º de 30 págs. Encadernação de execução moderna, meia francesa em pele com cantos e rótulo na pasta anterior. Folheto com picos acentuados, dada a qualidade própria do papel, de baixa gramagem. Restauro marginal com reforço tosco de charneira.

 

RARO.

Observações:

 "Discurso pronunciado na camara dos deputados, em sessão de 3 de Junho de 1908, e mandado publicar e distribuir por um grupo de republicanos", relacionado com os seguimento da conspiração contra a ditadura de João Franco sendo enclausurado quando dos acontecimentos de Janeiro de 1908. Posto em liberdade, continuou a sua propaganda nas páginas dum panfleto, Alma Nacional, e no livro A Monarquia Nova.

Preço:25,00€

Referência:13652
Autor:BRUNO, Sampaio
Título:A DICTADURA. Subsidios moraes para seu critico.
Descrição:

Livraria Chardron, Porto, 1909. In-8º de 293.(1) págs. Encadernação editorial em percalina verde, com ferros dourados nas pastas.

Observações:

Bruno ou Sampaio Bruno (1857-1915) foi escritor, ensaísta e filósofo portuense; figura cimeira do pensamento português do seu tempo Sampaio Bruno integrou o directório do Partido Republicano Português e fundou vários semanários portuenses. Com Antero de Quental e Basílio Teles elaborou os estatutos da Liga Patriótica do Norte no seguimento do Ultimato Britânico de 1890; participou na malograda revolta republicana de 31 de Janeiro de 1891, de cujo manifesto foi redactor e exilando-se depois em Paris com João Chagas. A depressão que o afectou no exílio contribuiu para encaminhar a sua pesquisa no sentido do misticismo e do esoterismo, mergulhando na literatura gnóstica de inspiração judaica, na cabala e na ideologia maçónica. No regresso a Portugal em 1893 publicou então as Notas do Exílio. Em 1898 publicou o Brasil Mental, em que desenvolveu a sua crítica ao positivismo comteano iniciada vinte anos antes. Em 1909 foi nomeado director da Biblioteca Pública Municipal do Porto mantendo o cargo após a proclamação da República até à sua morte em 1915. O seu pensamento filosófico de crescentes contornos místicos e esotéricos influênciou Fernando Pessoa.

Paulo Costa Domingos, no seu blog de informação bibliográfica, diz-nos o seguinte: "... Em pleno conflito ideológico com Afonso Costa, que chegou a agredir Sampaio Bruno fisicamente, o que levou este último a afastar-se do Partido Republicano, será ainda «[...] na qualidade de jornalista republicano independente que ele vai travar o veemente combate, que foi o seu, contra a ditadura de João Franco. Volta-lhe o ardor combativo de outrora. Escreve quase diàriamente um artigo. Insurge-se contra a supressão dos direitos cívicos e, quando, em 1908, João Franco caiu, logo após o assassinato do rei e do príncipe herdeiro, exclama: “o regicídio é, seguramente, um acto condenável, mas o despotismo não o é menos. O tiranicídio é, na verdade, um crime; mas a tirania é também um crime”. [...]»
. O vertente livro serve História na exactidão dos factos e na conotação posta nos mesmos.

Preço:24,00€

Referência:13648
Autor:TRACEY, Hugh
Título:A MÚSICA CHOPE Gentes Afortunadas
Descrição:

Imprensa Nacional de Moçambique, Lourenço Marques, 1949. In-4º com  X-273-(30) págs. Br. Capas de brochuras com alguns picos de acidez. Edição de apurado cuidado gráfico profusamente ilustrada ao longo do texto com vinhetas decorativas e com fotografias em extra-texto. Separata do Documentário Trimestral Moçambique. Tradução de Maria Helena Barradas.

Observações:

Uma das obras mais importantes até hoje sobre canto e dança em Moçambique, onde o autor analisa "com minúcia a inventiva dos compositores, a sequência das danças, a acção das orquestras, a batuta dos maestros, a tonalidade dos instrumentos e até o seu fabrico. Há verdadeiros Guarniérios e Stradivários pretos, fabricantes de timbilas cuja fama se estende por dez léguas em derredor..."; "por este estudo etnológico, tão excelentemente levado a cabo, muito gratos lhe devemos ficar, nós, os portugueses, a quem cumpre completar o estudo da razão lógica do indígena da nossa África, através da sua linguagem; da sua vida afectiva, através do folclore; e da sua vida de acção, através da sua história".

Encerra os seguintes capítulos:
Cap. 1: Compositores
Cap. 2: Lírica – Justiça Poética
Cap. 3: Os dançarinos e as danças
Cap. 4: Músicos e maestros
Cap. 5: Músicos Chopes no Rand
Cap. 6: As timbilas, xilofones dos Chopes
Cap. 7: Fabrico de timbilas

 

Preço:50,00€

Referência:13647
Autor:JUNIOR, Martins
Título:OPRESIDENTELANDRÚNAREPUBLICADACALABRIA
Descrição:

J.Rodrigues & Cª,Lisboa, 1927. In-8.º de XVI-660 págs. Br. Ilustrado com um retrato do autor. Capas e brochura empoeiradas.

Segunda Edição.

INVULGAR.

Observações:

Obra polémica escrita por um radical onde ele  critíca os políticos da Primeira República  e especialmente António Maria da Silva. É de notar também que  o autor, nascido em Abrantes, não deixa de referir a sua terra e o respectivo ambiente na época.

"Declaramos  que  este  livro  foi  escrito  pelo  seu  autor durante a "dinastia" do sr. Antonio Maria da Silva e que, de então para cá, ele não foi alterado, uma virgula sequer, no que estava produzido. Fazemos  esta  declaração  para  que  os  mal  intencionados  não  digam  que  a  violencia  da  linguagem contra os "do Landrú", fôra feita depois dele haver cahido. Este  livro  estava  concluido  no dia 31 de Maio de 1926".

Preço:25,00€

Referência:13646
Autor:FERREIRA, Vergílio
Título:CÂNTICO FINAL
Descrição:

Editora Ulisseia, Lisboa, s.d.. In-8º de 220-(4) págs. Br. Com sobrecapa editorial. Miolo com alguns picos de acidez. Integrado na colecção Atlantida.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Romance onde o seu protagonista, Mário, um professor de desenho, doente terminal,  regressa à sua aldeia natal, e se divide entre o restauro de uma capela e a procura de um sentido de vida, e as memórias do tempo de descoberta artística.
 “Mário regressava à sua obsessão, à solidão do homem, à procura alucinada de um valor que a povoasse”,


“Mas o que mais me comoveu até a um arrepio na carne foi aquela primeira frase musical com que abre o 2.º ato do Lago dos Cisnes. Ao seu eco, ao seu aceno longínquo, escrevi todo o Cântico Final. Voz intensa, longa, apelo que vem do lado de lá da vida, memória obscura de um tempo perdido, ela levanta-se como a imagem da nossa beleza já morta, reinventa-me uma saudade do que nunca existiu.”
Vergílio Ferreira in Conta-Corrente 2

 

Preço:28,00€

Referência:13645
Autor:BOTTO, António
Título:BAIONETAS DA MORTE
Descrição:

Oficinas Gráficas do Empresa do Anuario Comercial. 1936. In-4º de 64 págs. inumeradas. Br. Capas de brochura e miolo com alguns picos de acidez. Ostenta uma dedicatória não autógrafa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Livro de poemas dedicado aos Combatentes Portugueses que é considerado um dos melhores livros do autor. " Organizem os povos, estabeleçam a concórdia, acabem com a miséria e veremos, depois, se a vida não é um cântico divino, enternecedor e eterno ao amor, à natureza e a Deus "

 

Preço:100,00€

Referência:13644
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:OITO SÉCULOS DE ARTE PORTUGUESA. História e Espírito.
Descrição:

Empresa Nacional de Publicidade, Lisboa, s.d. Três volumes de 381, 310 e 480 págs. Encadernação em sintético com dizeres a ouro na lombada. Edição de grande apuro gráfico, executada sobre bom papel e profusamente ilustrada com estampas preto e branco e a cores com reprodução das princípais obras de arte de todos os ramos da arte portuguesa de todos os tempos.

Observações:

 Obra exaustiva e fundamental da bibliografia artística portuguesa.

“Esta publicação procura pois realizar a primeira grande síntese da história e do espírito da arte portuguesa, concebida com unidade de pensamento e baseada nos próprios estudos e memórias analíticas, que de 1921 a 1961, em quarenta anos de meditação e trabalho, ocuparam o autor. (...) Outro objectivo que presidiu à elaboração da presente obra, dentro da qual a rasgada compreensão da empresa editora logo se integrou, foi dar toda a importância a uma larga documentação gráfica, em especial às ilustrações a cores, elementos capitais da sugestão artística. Não se compreende hoje uma história, não apenas da pintura, mas das faianças, tecidos, tapetes, bordados, azulejos, iluminuras, etc., ocultando a sua expressão cromática, essência da sua beleza artística ”

 

Preço:150,00€

Referência:13643
Autor:CASTELAR, Emilio
Título:A VIDA DE LORD BYRON
Descrição:

Typographia do Jornal do Porto, Porto, 1876. In-8º de 185 págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. um bocado cansada.. Paginas com alguns picos de acidez. Ostenta uma assinatura de posse. Traduzido da 2ª edição por M. Fernandes Reis.

Observações:

Biografia romanceada da vida de Lord Byron, onde o autor tenta fazer justiça  a um autor denegrido pelos seus contemporâneos.

Preço:28,00€

Referência:13642
Autor:SOROMENHO, Castro
Título:MARAVILHOSA VIAGEM DOS EXPLORADORES PORTUGUESES
Descrição:

Editorial Sol, Lisboa, 1956. In-4º de 364-(6) págs. Encadernação inteira em sintético com dizeres a ouuro na lombada. Prrofusamente ilustrado com fotografias em extra-texto e impressão a várias cores com vinhetas e gravuras de inspiração aficana.

Observações:

Obra que faz não só a evocação dos exploradores portugueses do império colonial como também  é uma tentativa de exposição etnográfica das terras africanas e das suas gentes.

Preço:65,00€

Referência:13641
Autor:FELGAS, Hélio
Título:GUERRA EM ANGOLA
Descrição:

Gráfica Santelmo, Lisboa, 1968. In-8º de 239-(4) págs. Encadernação meia francesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Conserva capa de brochura. Profusamente ilustrado em extra-texto com fotografias (algumas bastante chocantes) e dois mapas desdobráveis sobre o Norte de Angola.

Observações:

Livro da autoria do Brigadeiro Hélio Felgas, oficial do exército português  sobre os acontecimentos ocorridos a partir de 15 de Março de 1961, quando as hordas de guerrilheiros e membros da UPA levaram a efeito um massacre de civis em todo o norte angolano.

Da contracapa:
"GUERRA EM ANGOLA é o primeiro relato completo dos acontecimentos que ensanguentaram no Norte da província portuguesa de Angola.
O autor, que viveu mais de quatro anos na região assolada pelo terrorismo - pois foi Governador do Distrito do Congo até Abril de 1960 - , começa por enquadrar Angola de 1960 - pacífica, progressiva e isenta de segregação racial - na conturbada África de hoje. Faz depois uma descrição dos massacres perpetrados no tristemente famoso 15 de Março de 1961.
Os antecedentes de acontecimentos tão graves são em seguida apontados, com a autoridade de quem conhece bem Angola e de quem tem gasto boa parte da sua vida estudando a evolução política da África actual. Aí se foca a clara e nítida intervenção estrangeira.
O alastramento do terrorismo e as facetas que ele tomou são assuntos tratados com um pormenor quase diário. O mesmo se dirá das operações militares - que conduziram à reocupação de todos os postos e povoações abandonadas - e da actividade dos Voluntários Civis, a cargo de quem ficou a recuperação das fazendas agrícolas em grande parte depredadas e destruídas pelo inimigo.
Realce especial é dado também aos reflexos internacionais do terrorismo em Angola.
A apresentação de um balanço realístico dos acontecimentos preenche a última parte deste livro onde, a cada passo, se incluem considerações e esclarecimentos que reflectem a idoneidade do Autor na matéria e realçam, por um lado, a crueldade e o primitivismo bárbaro dos terroristas e, por outro lado, a firmeza heróica dos civis, a eficiência das Forças Armadas e a lealdade e o patriotismo da quase totalidade das povoações nativas"

Preço:28,00€

Referência:13640
Autor:MARTINS, Rocha
Título:A PAIXÃO DE CAMILO (Ana Plácido)
Descrição:

Edição do auctor. (Composto e impresso nas Oficinas Gráficas do "ABC"). Lisboa. s/d. In-4º de 357-(3) págs. Br.  Capa de Stuart Carvalhais. Profusamente ilustrado com 20 gravuras em extra-texto sendo uma delas um retrato de Ana Plácido por António Carneiro. Cadernos por abrir. Lombada com um pequena falha.

3º Milhar

Observações:

Importante estudo biográfico sobre a vida de Camilo Castelo Branco onde não se pretendem apresentar factos novos,mas antes contar a história da vida de Camilo a partir do momento  em que, segundo  o  autor, ele conheceu Ana Plácido.

Preço:29,00€

Referência:13637
Autor:RIBEIRO, José Vitorino
Título:A IMPRENSA NACIONAL DE LISBOAsubsídios para a sua história 1768-1912. Memória premiada em primeiro lugar no concurso aberto em 27 de Junho de 1912.
Descrição:

Imprensa Nacional de Lisboa, Lisboa, 1912. In-4º com X-176-(1)págs. Encadernação meia francesa em chagrin com dizeres e florões na lombada. Livro impresso em papel de qualidade superior.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Invulgar.

Observações:

História muito exaustiva da Imprensa Nacional de Lisboa que hoje é a  Imprensa-Nacional Casa da Moeda.

Da introdução:

"Como é mais ou menos do conhecimento de todos, deve-se à fecundíssima iniciativa do grande estadista Marquês de Pombal - como tantas outras medidas de elevado alcance social, económico, artístico, industrial ou scientífico, que antes e depois promulgara e fizera executar - a criação da Imprensa Nacional de Lisboa, que primitivamente se denominou Impressão Régia ou Régia Oficina Tipográfica."

Preço:75,00€

Referência:13636
Autor:GUIMARÃES, Jorge [edit.]
Título:LUSÍADA. Revista ilustrada de Cultura. Arte - Literatura - História - Crítica
Descrição:

Porto. 1952-1960. três volumes encerrando 13 números com 340 págs (1 a 4)-364 págs (5 a 8)- 444-62 págs. (9 a 13) + 20 págs. Encadernação meia francesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Profusamente ilustradas e com  impressão de luxo a cores sobre papéis couchés e texturados ou avergoados, brancos e a cores, brilhantes e mates. Folhas aparadas. No sétimo número as primeiras 24 páginas têm erro de numeração.

COLECÇÃO COMPLETA

INVULGAR.

Observações:

"Anelos vivos da Lusiada são os de valer como órgão da cultura portuguesa, em prol do avigoramento e realce intelectivos da pátria, como factor representativo da consciência mental do povo luso, não alheio às inquietações morais e artísticas da actualidade."


Revista artística publicada no Porto que aborda eclecticamente os mais variados assuntos, entre o erudito e o popular e encerrando lado a lado participação de autores ligados a doutrinas políticas bastante diferentes. Encerra participações de , entre muitos outros, autores como João Araújo Correia, Fernando Pamplona, Roberto Nobre, Eduardo Malta, António Quadros (o pintor), José-Augusto França, Júlio Resende, Artur Nobre de Gusmão, António Pedro, Diogo de Macedo, Eugénio de Andrade, Amândio César, Matilde Rosa Araújo, conde de Aurora, Fernando Namora, Henrique Medina, Cecília Meireles, Leão Penedo, Armando Côrtes-Rodrigues, Rui Luís Gomes, Hipólito Raposo, Cruz Malpique, Jacinto do Prado Coelho, Fidelino de Figueiredo, Julieta Ferrão, Agustina Bessa-Luís, Américo Cortez Pinto, Cabral do Nascimento, António Sérgio, Damião Peres,

Preço:180,00€

Referência:13635
Autor:DEROUET, Luís
Título:ÁLBUM REPUBLICANO
Descrição:

Typographia Adolpho de Mendonça, Lisboa, 1908. In-4º de 161 folhas. Encadernação editorial em tela, um bocado cansada, com ilustração de teor republicano nas pastas. Profusamente ilustrado.

PRIMEIRA EDIÇÃO.
INVULGAR

Observações:

Álbum de retratos e biografias dos principais activistas e também de alguns jornais republicanos que foi publicado em fascículos trimensais a partir de 1907, encerra retratos e biografias de  personalidades como Joaquim Teófilo Braga, Manuel José Arriaga Brum da Silveira, Bernardino Machado, Afonso Costa, António José de Almeida e Abílio Manuel Guerra Junqueiro.

Preço:65,00€

Referência:13634
Autor:BALDAQUE DA SILVA, A. A.
Título:ESTADO ACTUAL DAS PESCAS EM PORTUGAL Comprehendendo a pesca marítima, fluvial e lacustre em todo o continente do reino, referido ao anno de 1886 por… Capitão tenente da armada, engenheiro hydrographo e membro da commissão permanente de pescarias.
Descrição:

Imprensa Nacional. Lisboa. 1891. In-4º de XXXIV-519 págs. Encardernação meia inglesa em pele com dizeres dourados em casas abertas na lombada. Profusamente ilustrado em extra-texto com gravuras representando cenas e técnicas de pesca, apetrechos e modos de utilização para a pratica da pesca e também com  mapas alguns deles desdobráveis, As cromolitografias coloridas representam as  principais taxonomias piscícolas das águas portuguesas. Mapa desdobrável da Carta de Pesca de Portugal realizada pelo autor com uma legenda com a distribuição das principais artes de pesca. Ostenta uma edicatória autógrafa e também assinaturas de posse.

 

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra muito exaustiva que traça o quadro da época relativamente ao sector piscatório nacional e que segundo diz o autor no prólogo, é “o produto da observação e estudo directo” efectuado durante dez anos em todas as águas do reino. O livro aborda em catorze capítulos os aspectos considerados essenciais para a compreensão das pescas contemporâneas, seguindo uma metodologia idêntica aos grandes inquéritos que se realizam em toda a Europa marítima neste mesmo período. Baseando as suas investigações acima de tudo na recolha de conhecimentos locais tendo estabelecido um forte grau de proximidade com comunidades piscatórias.

Preço:350,00€

Referência:13633
Autor:SOUSA, Fr. Luís
Título:ANNAES DE ELREI DOM JOÃO TERCEIROPublicados por Alexandre Herculano
Descrição:

Typographia da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Uteis, Lisboa, 1844. In-8º de XXIII-469-(8) págs. Encadernação inteira em pele com florões e dizeres  a ouro em casas fechadas na lombada, pastas com cercadiras gravadas a sêco. Ilustrado com um fac-simile desdobrável do manuscrito autógrafo de Frei Luís de Sousa.

Muito rara PRIMEIRA EDIÇÃO quando completo com o facsimile, como o nosso.

Observações:

Primeira edição desta obra indispensável  para o estudo do reinado de D. João III. Alexandre Herculano no prefácio afirma “O aparecimento de uma obra de Frei Luís de Sousa cuja perda se acreditava irreparável é [foi] um sucesso importante nos anais da literatura portuguesa. Embora não seja preciso ler muitas páginas para afirmar que se trata da mesma pena que escreveu a «Vida do Arcebispo de Braga» e a «História de S. Domingos»… e mais que tudo o autógrafo do próprio manuscrito não tirasse qualquer sombra de dúvida que pudesse recrescer sobre o verdadeiro autor dele”.
Segundo Inocêncio V, 327: "... 'Frei Luís de Sousa  (1.º), chamado no seculo Manuel de Sousa Coutinho, quarto filho de Lopo de Sousa Coutinho, de quem já se fez memoria a pag. 192 do presente volume. N. em Santarem, no anno de 1555, segundo a opinião de alguns dos seus biographos. Consta que depois de concluidos os primeiros estudos, determinára seguir a profissão das armas, ou se alistára, como alguns dizem, na ordem militar de Malta, e a bordo de uma galera da mesma ordem foi captivo pelos mouros, e conduzido para Argel, pelos annos de 1575--1576. N'esta cidade adquiriu conhecimento e tracto de amisade com Miguel de Cervantes, que para ahi fôra levado na mesma condição pouco tempo antes. Resgatado, ao que parece no anno de 1577 (o mesmo em que faleceu seu pae), regressou a Portugal por via de Hespanha, na opinião mais provavel pelos annos de 1579. Casou entre os de 1584 e 1586 com D. Magdalena de Vilhena, tida por viuva de D. João de Portugal, que passava por morto na jornada de Africa; e continuou residindo, ora em Lisboa, ora na villa de Almada. Sabe-se que estava em Madrid no anno de 1600, e crê-se que então emprehendêra uma viagem ás Indias Occidentaes, d'onde voltára á patria em 1604, ou no anno seguinte. Viveu ainda alguns annos com sua familia, até que em 1613 elle e sua mulher tomaram o acordo de separarem-se, recolhendo-se uma ao convento do Sacramento de Lisboa, e entrando o outro no de S. Domingos de Bemfica. Ahi passado o anno do noviciado professou a 8 de Septembro de 1614, mudando então o nome no de Fr. Luis de Sousa. O motivo d'esta separação é ainda duvidoso para muitos, que tomam á conta de romance o que relata Fr. Antonio da Encarnação no prologo da segunda parte da Historia de S. Domingos; outros porém o admittem como veridico e plausivel. Seja como for, viveu Fr. Luis de Sousa no convento de Bemfica dezenove annos, durante os quaes não quiz acceitar na ordem cargo algum se não o de Chronista, a que o obrigou a obediencia. M. no mez de Maio de 1632. Quanto ao dia, é ponto controverso entre os biographos, como o são tantas outras circumstancias da sua vida: pretendendo uns que elle falecesse a 5, outros que a 11. O sr. A. Herculano, por inducções que parecem bem fundadas, julga que elle contava a data do falccimento de 73 a 75 annos; porém n'esse caso deveria ser nascido entre 1557 e 1559. - Para mais exacto e minucioso conhecimento do que lhe diz respeito, consulte-se a Memoria historica e critica ácerca de Fr. Luis de Sousa etc. pelo bispo de Viseu D. F. A. Lobo, que anda no tomo II das Obras d'este prelado, de pag. 61 a 171, e fôra anteriormente inserta nas Memorias da Academia Real das Sciencias. Vej. tambem os auctores ahi apontados; e além d'estes José Caetano de Mesquita na noticia que poz á frente da sua edição da Vida do Suso; e o sr. Herculano, em outra noticia, anteposta aos Annaes de D. João III por elle publicados em 1844, onde se rectificam algumas especies em que claudicára o bispo de Viseu na sua Memoria, aliás interessantissima a todos os respeitos, e cuja lição se recommenda aos estudiosos como de instructiva utilidade'.“Annaes d'el rei D. João terceiro. Lisboa, na Typ. da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos uteis 1844. 4.o de XXIII 469 pag., com um facsimile do manuscripto original e autographo, existente na Bibl. Real d'Ajuda. Deve-se ao sr. A. Herculano a vulgarização deste valioso inédito, quase desconhecido, e que fôra completamente ignorado de Barbosa; como bem mostram as flagrantes inexactidões por este comettidas no pouco que da obra diz, guiando-se pelas informações superficiais que dela tinha ...".

Obra contendo importantes informações sobre a partilha dos mares do Moluco, ou ilhas Molucas e ilhas Filipinas, entre Portugal e a Espanha. O autor é considerado o maior cronista português do seu tempo, foi amigo de Miguel de Cervantes com quem partilhou o cativeiro em África.
 

Preço:295,00€

Referência:13627
Autor:LISBOA, Irene
Título:UMA MÃO CHEIA DE NADA, OUTRA DE COISA NENHUMA
Descrição:

Livraria Figueirinhas, Porto, 1973. In-8º de de 155-(3) págs. Br.  Arranjo gráfico de Armando Alves e Ilustrações ao longo do texto de Pitum Keil do Amaral.

Observações:

Livro de contos para a infância de Irene Lisboa sobre o qual José Régio afirmou “é verdadeira alegria reconhecer a gente um estilo, uma arte (que só à primeira vista parece não ter arte) de escrever, nas suas frases ora ondulosas ora, as mais das vezes, antes singelas, claras, de uma brevidade ou concisão quase telegráfica, — nesta época triste em que uns enaltecem a banalidade da escrita, outros debalde a pretendem ultrapassar, e ainda outros imbecilmente a confundem com a luminosa simplicidade dos Mestres.”

Preço:19,00€

Referência:13626
Autor:MATOS, A. Campos
Título:CARTAS DE AMOR DE ANNA CONOVER E MOLIE BIDWELL PARA JOSÉ MARIA EÇA DE QUEIROZ cônsul de Portugal em Havana (1873-1874) original letters in english
Descrição:

Assírio & Alvim, Lisboa, 1998. In-4º de 191 págs. Encadernação editorial em tela com dizeres a ouro na lombada e nas pastas. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Reunião das cartas enviadas a Eça de Queiroz por duas americanas que ele conheceu enquanto consul em Havana. São ao todos 33 cartas: sete de Mollie Bidwell, cinco dos seus pais e vinte e uma de Anna Conover. Estas cartas vieram abrir novas perspectivas quanto à vida do escritor, desvendando facetas de Eça que as biografias tradicionais  ainda não tinham mostrado.

Preço:24,00€

Referência:13625
Autor:FETIS, Mr.
Título:A MUSICA AO ALCANCE DE TODOS. Noticia succinta de tudo o que é necessario para ajuizar e fallar d"esta Arte sem a ter estudado. Por ...
Descrição:

Typographia Commercial, Porto, 1845. In-8º de 290 págs. Encadernação meia inglesa em pele verde com dizeres a ouro na lombada. Ilustrado ao longo do texto com notação musical. Alguns apontamentos a lápis nas margens. Trabalho de traça insignificante marginal no limite inferior junto à coifa.

INVULGAR.

Observações:

Curioso livro sobre música escrito por Mr. Fetis e traduzido por José Ernesto d'Almeida. O autor deste “A música ao alcance de todos” é um célebre professor, editor, compositor, crítico e historiador belga  que foi possivelmente o teórico musical mais influente da primeira metade do século XIX e certamente um dos mais importantes estudiosos musicais de todos os tempos.

Inocêncio IV, 311. "JOSÉ ERNESTO DE ALMEIDA, Egresso da Congregação dos Conegos Seculares de S. João Evangelista, cujo instituto professára aos dezoito annos d’edade no de 1825, e n’elle permaneceu até á extincção das Ordens regulares em 1834. Applicou-se ás sciencias proprias do seu estado, e mais particularmente á arte da musica, que fôra desde a infancia a da sua maior predilecção. Tendo exercido no convento as funcções de Organista, deu-se depois ao ensino particular da mesma arte, e á composição de varias peças, em que ha feito prova dos conhecimentos adquiridos no estudo do contraponto.— N. na cidade do Porto a 27 de Septembro de 1807. De seu pae Henrique Ernesto de Almeida Coutinho fica já feita a devida commemoração no volume III d’este Diccionario.— E. 3119) A Musica ao alcance de todos, por F. J. Fetis, traduzida em portuguez. Porto, na Typ. Commercial 1845. 4.º de 290 pag.— Segunda edição, accrescentada com o Diccionario de Musica. Ibi, Typ. de Sebastião José Pereira 1859. 8.º gr. de 275-128 pag. (1) As suas obras musicaes, de que hei noticia por uma nota autographa que tenho presente, e que parece se conservam até agora ineditas, são: 1.º Quatro Sonatas para piano com acompanhamento de violino e violoncello ad libitum. 2.º Symphonia a grande orchestra, dedicada á Sociedade Philarmonica Portuense, de que é membro. 3.º Abertura para orchestra. 4.º A Opera Norma de Bellini, arranjada para quinteto de flauta, dous violinos, viola e violoncello. 5.° Varios trechos da mesma opera, só para piano. 6.º Duas quadrilhas para piano. 7.º Variações para rebeca sobre a canção italiana Già la notte s’avvicina, etc. NOTAS (1) Consta que ha tambem exemplares em separado do Diccionario das palavras que habitualmente se adoptam em musica, traduzido e accrescentado de F. J. Fétis, 8.º gr. de 128 pag. E com esta mesma numeração se acha depois das VIII 2753 paginas da obra principal, descripta sob n.° 3119, na edição de 1859."

Preço:75,00€

Referência:13624
Autor:autoria indefinida
Título:CORTES DE LISBOA DOS ANOS DE 1697 E 1698. Congresso da Nobreza
Descrição:

Na Typografia da Academia R. das Sciencias, Lisboa, 1824. In-4º  de V-124 págs. Encadernação coeva em carneira com dizeres e florões a ouro na lombada.

INVULGAR.

Observações:

Registo das Cortes onde  foi jurado herdeiro do trono o Príncipe D. João.
"Tendo sido encarregada a Academia Real das Sciencias de Lisboa de publicar huma Collecção completa das Cortes de Portugal nos diversos Reinados até as ultimas de 1697. (…) Obra de longo hálito, e vindo a formar huma série dilatada de volumes (…) entre todas se lançou das de 1697, por serem as ultimas que se celebrarão, e mostrão o novíssimo formulário, assaz differente do que teve uso nos primeiros Reinados. (...) breves memorias que restão das Côrtes de Lisboa de 1697, e as actas que se seguem do Congreço da Nobreza em 30 sessões"

Preço:95,00€

Referência:13618
Autor:DELICADO, António
Título:ADÁGIOS PORTUGUESESreduzidos a lugares communs
Descrição:

Livraria Universal, Lisboa, 1924. In-8º de 272 págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

Nova edição revista e prefaciada por Luís Chaves.

Observações:

Segunda edição da primeira recolha de provérbios portugueses feita em Portugal, da autoria do Padre António Delicado  publicado, em 1651. A obra recolhe cerca de 4000 provérbios , (a grande maioria, populares), "reduzidos a lugares communs", isto é, agrupados em capítulos. Esta edição é antecedida por um exaustivo prefácio de Luís Chaves que também foi editor desta nova edição.
Segundo António Delicado, no texto "AO LEITOR" "os adagios são as mais approvadas sentenças que a experiência achou nas acçoens humanas, ditas em breves e elegantes palavras"

Este  livro é também um documento que nos dá preciosas informações sobre Portugal  da época: o homem em sua existência quotidiana, as condições de vida, o sensato e o ridículo, as alegrias e as tristezas, as grandezas e as misérias, a realidade e os sonhos, a objetividade e os preconceitos.

Preço:35,00€

Referência:13615
Autor:TELO, António José
Título:PROPAGANDA E GUERRA SECRETA EM PORTUGAL 1939 - 1945.
Descrição:

Edição: P&R, Lisboa, 1990. In-8º de 181-(3) págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto.

Observações:

Obra muito interessante  para o estudo da intensa actividade de propaganda e guerra secreta mantida em Portugal pelos países envolvidos na Segunda Guerra Mundial.
Descreve não só as principais organizações, a sua estrutura em Portugal, os recursos empenhados e as políticas seguidas,  como também faz uma referência ao tipo de propaganda que entrava em Portugal nessa época e a forma como era tratada e apresenta as várias formas de propaganda utilizadas pelos beligerantes.

 

Preço:24,00€

Referência:13613
Autor:SOUSA, Fr. Luís
Título:A VIDA DE D. FR. BERTOLAMEU DOS MARTYRES por...excerptos para themas nas aulas de latim e leitura classica nas escolas
Descrição:

Typographia na Rua da Condessa nº 3, Lisboa, 1854. In-8º de 80 págs. Br.

INVULGAR.

Observações:

Livro com excertos do texto de Frei Luís de Sousa sobre a vida de Frei Bartolomeu dos Martires,que marcou a sua época, quer como membro da Ordem dos Pregadores, quer como Primaz das Espanhas, quer como interveniente no concílio de Trento,  para ser ensinado nas escolas.

Preço:20,00€

Referência:13611
Autor:MARTINS, António Alves
Título:O NOVE DE OUTUBROou breves considerações sobre a ultima guerra civil. Por um liberal.
Descrição:

Typographia da Revista, Porto, 1849. In-8º de 196 págs. BR. Capas de brochura com algumas manchas de água. Cadernos descojuntados a precisar de  encadernação. Dedicatória autógrafa na capa de brochura.

INVULGAR.

Observações:

Livro escrito anonimamente por D. António Alves Martins que o assinou como "por um liberal". O livro surgiu após a guerra entre liberais e absolutistas na qual ele alinhou, naturalmente, pelo lado da Patuleia.

Preço:50,00€

Referência:13607
Autor:NIETZSCHE, Friedrich
Título:EL OCASO DE LOS ÍDOLOS. EL ANTICRISTO.- DITIRAMBOS DIONISÍACOS.- LA VOLUNTAD DE DOMINIO (continuacion)
Descrição:

M. Aguilar Editor, Madrid. 1932.In-8º de 412 págs. Encadernação meia francesa em chagrn com decorção barroca e dizeres dourados na lombada. Conserva capas de brochura. É o tomo IX das Obras completas de Federico Nietzsche.

Observações:

Volume que encerra quatro das obras mais importantes que Nietzsche escreveu e onde através dos aforismos, do sarcasmo vai desafiando os valores da cultura Ocidental.

Preço:17,00€

Referência:13605
Autor:LIMA, Augusto J. Gonçalves
Título:MURMURIOS
Descrição:

Typographia da Revista Popular, Lisboa, 1851. In-8º de XXIV-262-(2) págs. Encadernação meia inglesa em pano com dizeres a ouro em rótulo de pele. Sem capas de brochura e ligeiramente aparado. Pequenoa carimbo de posse.


PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

 

Observações:

Livro de poemas de Augusto Gonçalves Lima, um dos nove poetas que integraram a revista "Trovador" editada por Feliciano de Castilho que acreditava ter descoberto uma nova linhagem de poetas coimbrães, "os poetas do Trovador". Em jeito de prólogo o livro encerra cartas trocadas entre o autor e o critico literário dessa geração, António Pedro Lopes de Mendonça.

Preço:25,00€

Referência:13604
Autor:VIEIRA, Padre António
Título:SERMOENS DO P. ANTONIO VIEYRA da Companhia de Jesu, Prègador de Sua Magestade, SEPTIMA PARTE
Descrição:

Na Officina de Miguel Deslandes, Lisboa, 1692. In-8º de VIII-558 págs. Encadernação coeva em pele com dizeres e florões a  ouro na lombada. . Alguns picos de acidez ao longo do texto. manchas marginais em algumas páginas. Ilustrado com vinhetas decorativas no início de cada sermão.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Sétima parte ou tomo da colecção completa em 15 volumes da primeira edição dos Sermões do Padre António Vieira (publicados separadamente) e que reunem as versões escritas de prédicas lançadas ao longo da vida do jesuíta, totalizando mais de 200 sermões no total, proferidos em Salvador, Lisboa, São Luís, Cabo Verde, Roma, entre outros lugares, e que cobrem as décadas de 1630 a 1690.

Este volume inclui, entre outros, o "Sermão do Santíssimo Sacramento"; "Sermão na madrugada da Ressurreição"; "Sermão do Mandato". Sobre os Sermões do Pe. António Vieira, Jacinto do Prado Coelho escreveu , no Dicionáro de Literatura, :"Os meados e segunda metade do séc. XVII são dominados pela figura do Pe. António Vieira, astro de tanto fulgor na oratória sacra portuguesa que levou a esquecer injustamente aqueles que o precederam ou se lhe seguiram (...). Vieira empolga pela veemência, pela força inezaurível duma imaginação no entanto subordinada aos esquemas mentais e retóricos, pelo maravilhoso sentido musical que faz do discurso uma sinfonia, e ainda pela riqueza lexical, mestre que foi da língua."

 Inocêncio I, 287. “P. ANTONIO VIEIRA, homem innegavelmente grande, e um dos maiores ingenhos que Portugal ha produzido, nasceu em Lisboa a 6 de Fevereiro de 1608, e foi baptisado na freguezia da Sé a 15 do dito mez. M. na cidade da Bahia de Todos os Sanctos, então capital dos estados da America portugueza, a 18 de Julho de 1697. O espirito de nacionalidade, que poderá ser diversamente qualificado, parecendo a uns caprichoso, e a outros plausivel, suscitou ha pouco uma notavel questão por parte de alguns brasileiros, que pretendiam desapossar Portugal da gloria de ter visto nascer este varão insigne, contestando a opinião commum e geralmente assentada dos biographos, que lhe deram Lisboa por seu primeiro berço. Descubriram se fundamentos mais ou menos procedentes, e buscaram se rasões especiosas, que podiam até certo ponto justificar a duvida, e cohonestar a pretenção. A collecção commummente havida por complete das obras de Vieira, consistindo em quatorze volumes de Sermões, dous das Vozes Saudosas, tres das Cartas, a Historia do Futuro, e Arte de Furtar custava pelo maximo de 12:000 a 14:400 réis; porém obtinha se as vezes por preços muito mais modicos, já pela coexistencia de volumes com algum defeito, ou encadernados desigualmente, já pela possibilidade de ir adquirindo os tomos pouco a pouco, até os reunir todos. É certo que este ultimo expediente era moroso em demasia, pois de mim posso dizer que empregando o, houve mister bons dez annos para completar a collecção citada, com os seus accessorios.”

Preço:200,00€

Referência:13602
Autor:TEIXEIRA, Marianno Vicente de Bastos
Título:BREVE TRACTADO DO BORDADO A MATIZ, E PETIT POINT ornado de um mappa das côres, com os nomes mais conhecidos pelo vulgo, para milhor intelligencia, acompanhado do curioso, symbolo, e significação das côres. O.D.C. ao bello sexo
Descrição:

Typographia da Gazeta dos Tribunaes, Lisboa, 1846. In-8º de 56 págs. Encadernação meia inglesa  com dizeres e florões a ouro na lombada. Ilustrado em extra-texto e com um desdobravél a cores com um curioso Mappa de cores.

INVULGAR.

Observações:

Livro muito curioso, dedicado ao bello sexo, sobre o método de bordar a matiz e a petit-point, que encerra também um capítulo sobre as cores os seus simbolos e o seu significado.

Preço:65,00€

Referência:13600
Autor:autoria indefinida
Título:DESCRIPÇÃO DA MAGNIFICA ASSEMBLEA DADA NA NOITE DE 8 DE SETEMBRO PELO ZIMBORIO E TORRE DA SERRA DO PILAR por occasião do Anniversario do primeiro glorioso assalto com que as Forças do Usurpador forão alli repellidas em 1832
Descrição:

Na Imprensa de Gandra e Filhos, Porto, 1833. In-8º de 22 págs. Br. Não aparado mantendo intactas as margens desencontradas.

RARO.

Observações:

Curioso opúsculo liberal de crítica política, com grande interesse para a história do Porto.

 

MUITO RARO.

Preço:50,00€

Referência:13599
Autor:SOUZA-BRANDÃO, António de
Título:MOUTINHOS DE S. JOÃO DA MADEIRA E PINHOS DE ARRIFANA DE SANTA MARIA.
Descrição:

Edição do Autor, Oliveira de Azeméis, 1995. In-4º de 66 págs. Br. Ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Estudo da genealogia e heraldica sobre as famílias Moutinho e Pinho da região de Aveiro.

Preço:20,00€

Referência:13598
Autor:COSTA, Alfredo Duarte
Título:O FIDALGO DE CASTRO D'AIRE
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1969. In-8º de 192-(8) págs. Br.  Capas de brochura amarelecidas pelo tempo. Ilustrado com fotografias de Castro D'Aire.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Romance de indole regional abordado a vida em Castro d' Aire.

"Ironia do destino! O que tem de ser tem muita força, tudo neste mundo se paga, ou mais cedo ou mais tarde.
Mas como há males que vêm por bem, a triste situação a que chegaram os velhos fidalgos serviu, à mil maravilhas, para poder ainda comentar-se, com palavras de azedume e até de chacota, essa coisa de nascer-se fidalgo e rico para morrer pobre e plebeu, como se o capitalismo, hoje em dia, valesse alguma coisa, sem andar de braço dado com o trabalho, a razão e a justiça!"

 

Preço:20,00€

Referência:13597
Autor:MARTINS, Francisco Ernesto de Oliveira
Título:ANTÓNIO JOSÉ LEITE artista fotógrafo
Descrição:

Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Lisboa, 1984. In-4º de 434 págs. Br. Profusamente ilustrado com reprodução de fotografias.

Observações:

Obra muito interessante sobre o fotógrafo terceirense, António José Leite, com prefácio de José Guilherme Reis Leite e crónicas de Vitorino Nemésio publicadas no Jornal "Estrela d’Alva". Muito interessante para uma visão da sociedade terceirense da primeira metade do século XX.

Do prefácio:

"... António José Leite, que não é açoriano, insere-se na sociedade angrense da primeira metade do século XX... Nascera no Porto, na freguesia de Cedofeita e ainda adolescente emigrou para a ilha Terceira... (mais tarde) a sua loja, «a loja do buraco», nome que lhe vinha duma abertura no interior... tornou-se uma das tertúlias artísticas da cidade..."

 

Preço:30,00€

Referência:13595
Autor:DUBRAZ, J.
Título:RECORDAÇÕES DOS ULTIMOS QUARENTA ANNOS junto com O AVENTUREIRO FRANCÊZ
Descrição:

Imprensa de Joaquim Germano de Sousa Neves, Lisboa, 1869. Três volumes de In-8º de 10-226-42 págs.  Emcadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada.  Este tomo encerra as primeiras 10 páginas da obra Cinco Finados Illustres, Recordações dos ultimos quarenta annos (Se segunda edição revista, correcta e augmentada) e o Aventureiro Francez.

 

 

 

Observações:

Segunda edição revista, correcta e augmentada desta obra fundamental para o estudo da história de Campo Maior no século XVII e XIX, e em particular sobre as Invasões francesas e as guerras peninsulares. Como o autor refere sem bons testemunhos “nunca haverá quem faça História” e porque a História “deve ocupar-se tanto dos grandes centros a que chamamos estados, como das pequenas circunscrições”.  Encerra também biografias de personalidades importantes de Campo Maior.

Junto com as primeiras 10 páginas do escrito panfletário "Cinco finados illustres", muito importante para entender as ideias dos homens do século XIX, onde o autor toma posição, enquanto “republicano, laico e socialista” e com a novela histórica "o Aventureiro francez" passada na época de D. João III.

Preço:40,00€

Referência:13594
Autor:DUBRAZ, J.
Título:RECORDAÇÕES DOS ULTIMOS QUARENTA ANNOS
Descrição:

Imprensa de Joaquim Germano de Sousa Neves, Lisboa, 1868. In-8º de 357 págs. Br. Capa de brochura com picos de acidez e empoeirada. A necessitar encadernação.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra fundamental para o estudo da história de Campo Maior no século XVII e XIX, e em particular sobre as Invasões francesas e as guerras peninsulares. Como o autor refere sem bons testemunhos “nunca haverá quem faça História” e porque a História “deve ocupar-se tanto dos grandes centros a que chamamos estados, como das pequenas circunscrições”.  Encerra também biografias de personalidades importantes de Campo Maior.

Preço:35,00€

Referência:13591
Autor:ALLARD, Carel; VAN EYK, Cornelis; WITSEN, Nicolaas
Título:L'ART DE BATIR DES VAISSEAUX et d'en perfectionner la construction : de les garnir de leurs apparaux, les mettre en funin, les manoeuvrer, &c avec la coupe d'un vaisseau du premier rang, les devis de plusieurs fortes de vaisseaux, les out
Descrição:

Edindustria" Editoriale, Roma, 1959 [David Mortier, Amsterdão, 1719]. In-4º de 103-(3) págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro em rótulo vermelho. Profusamente ilustrado com  229 gravuras ao longo do texto e de 20 em extra-texto  sendo 4 em páginas desdobráveis. Fac-simile.

Observações:

Fac-simile deste livro extremamente raro, conhecido como o "L'Allard francês" e que  encerra documentação prática sobre a  construção náutica a partir da época de Luís XIV. O texto é ricamente ilustrado com placas e figuras, incluindo ilustrações sobre as ferramentas e os instrumentos, conjuntos, membros estruturais, várias artes ligadas à construção de barcos.

Preço:85,00€

Referência:13588
Autor:CRUZ, Fr. Bernardo da
Título:CHRONICA DE ELREI D. SEBASTIÃO, publicada por A. Herculano e o Dr. A. C. Paiva
Descrição:

Na Impressão de Galhardo e Irmãos, Lisboa: 1837. In-8º de XVI-466-(35) págs. Encadernação não contemporânea meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada sobre rótulo de pele vermelha. Exemplar muito limpo e muito fresco, levemente aparado à cabeça.

PRIMEIRA EDIÇÃO do primeiro livro publicado por Alexandre Herculano (Inocêncio I, 377 - RARO).

Observações:

Primeira edição desta apreciada Crónica publicada por Alexandre Herculano, o manuscrito original conserva-se na Biblioteca Pública Municipal do Porto.

“Entre os manuscriptos da Bibliotheca Publica de Lisboa encontrámos tambem uma copia moderna da obra de Fr. Bernardo da Cruz, (...) comtudo bastante differente da que principalmente nos serviu de texto. Esta existe na Bibliotheca do Porto; e na Noticia que vai juncta a este prologo, (publicada já por nós nos nº 18 e 19 do Repositorio da Sociedade Litteraria daquella Cidade) démos cabal informaçaõ della”

 

"Fr. Bernardo da Cruz, frade da Terceira Ordem, viveu na segunda metade do século deseseis : parece ter sido conspicuo pelo seu saber, e que por esse motivo occupou vários empregos monásticos. Antes d'elle não se encontra o cargo de Capellão niór da armada; e assim é tido pelo primeiro, a quem se conferiu este titulo. Como tal embarcou-se na frota que transportou á Africa El-Rei D. Sebastião e o seu exercito, para a fatal jornada de Alcacer-quibir. De lá, ou porque escapasse da batalha, ou porque tivesse ficado a bordo da armada, voltou a Portugal, onde escreveu a Historia do reinado de D. Sebastião e de parte do governo do Cardeal D. Henrique. O logar e o anno do seu nascimento, e a epocha da sua morte, não o podemos saber: mas é certo que elle ainda vivia no tempo da usurpação de Philippe II."

 

 

 

 

 

Preço:150,00€

Referência:13587
Autor:GARÇÃO, P. A. Correa
Título:OBRASPOETICAS E ORATORIAS DE ...com uma introdução e notas por J. A. de Azevedo
Descrição:

Typographia dos Irmãos Centenari, Roma, 1888. In-8º de 622 págs. Encadernação inteira em pele um pouco suja com dizeres a ouro na lombada. Conserva capas de brochura. Corpo do texto todo decorado com bonitas vinhetas coloridas.Aparado só à cabeça.

INVULGAR

 

Observações:

Reunião da obra literária de Correia Garção com uma introducção e notas por J.A. de Azevedo Castro e dedicada ao Imperador D. Pedro II.

Divide-se em três partes I - Poesia;II - Theatro ; III - Prosa

Preço:65,00€

Referência:13586
Autor:LE CHEVALIER D'OLIVEYRA
Título:DISCOURS PATHÉTIQUE AU SUJET DES CALÁMITES PRÉSENTS, ARRIVÉES EN PORTUGAL
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1922. IN. 8.º de 118 págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada artisticamente decorada. Conserva capas de  brochura. Exemplar duma tiragem especial de 150 exemplares, numerados e rubricados por Joaquim de Carvalho. Papel mais encorpado do que a tiragem normal e por aparar.

Observações:

Obra que aborda o Terramoto de Lisboa de 1-1-1755 e onde o autor aproveita para atacar a Religião Católica, ao mesmo tempo que dizia que fora um castigo divino. Esta  edição encerra também uma notíca de bibliográfica pelo Dr. Joaquim de Carvalho.

"A presente edição é cópia da edição dita fac-simile que o bibliógrafo e estudioso da obra do Cavaleiro de Oliveira, Joaquim de Araújo, fez imprimir no Porto, em 1893"

Do prefácio:

 

Tanto do opúsculo, que não sabemos onde se guarde um exemplar, como do Discours são bem ténues os sinais da sua repercussão no campo mais sereno das ideias. Não seria acaso uma réplica a impressão da tradução da obra do capuchinho Fr. Norberto, feita pelo culto estrangeirado, o físico João Jacinto de Magalhães: A fé dos catholicos: obra dirigida a instruir e confirmar na sua crença os catholicos, e mostrar aos que o não são que não têem razão alguma para os accusar de que vivem errados, ... Escripta pelo abbade Platel e traduzida do francez. Lisboa, 1763?

Que o Discours era absolutamente contrário à mediana mentalidade e cultura do séc. XVIII em Portugal, não é para surpreender. Desde o sentimento religioso, exacerbado com o terramoto, às ideias políticas que orientavam o Estado; desde a estrutura mental e moral da época, cimentada numa tradição de intolerância e purificação, ao tom, por vezes jocoso ou irreverente, e quase sempre panfletário do Discours —, tudo concorria para a repulsa com que foi recebido e para a conspiração de silêncio, verdadeiramente tumular, que em seu torno se fez.

Obra de sinceridade, o leitor atento nela pode encontrar aspetos interessantes do espírito de seu autor, definido no geral pelas Cartas, e, de par com algumas notícias autobiográficas, um ou outro facto não desprovido de valor para a história das ideias em Portugal.

Abril de 1922.

Preço:40,00€

Referência:13584
Autor:MAIA, Manoel Rodrigues
Título:NOVO ENTREMEZ O DOUTOR SOVINA composto por... para se representar no Real Theatro de S. Carlos
Descrição:

Na Officina de Simão Thaddeo Ferreira, Lisboa, 1839. In-8º de 16 págs. Encadernação moderna em papel marmoreado com dizeres a ouro em rótulo de pele na lombada. Algumas páginas com restauro margina, não aparadas.

 

Valorizado pela nota de apreciação manuscrita de Almeida Garrett enquanto censor do Teatro S. Carlos.

PRIMEIRA EDIÇÃO e RARO. PEÇA DE COLECÇÂO.

 

Observações:


"é o Doutor Sovina de Manoel Rodrigues Maia, que a escreveu para ser repre- sentada no Theatro de Sam Carlos ; a acção é bastante simples, e só se sustem pela chulice da linguagem e pelas anecdotas que Maia dramatisou incidentemente. O Doutor Sovina é uma espécie de Manoel Mendes, menos bem entretecido; tem uma filha em casa, chamada D. Lépida, que se apaixona pelo praticante de escriptorio Silvério; O Doutor Sovina vive com a mais restricta parcimonia, sáe pela manhã para ajuntar folhas de couve na praça da Figueira, tempera a agua da fonte com a de um poço que tem em casa para não dispender com o aguadeiro, faz com qUe um pão dure para quatro diaâ, mas é bastante rico. Silvério quer casar com D. Lépida, e sabendo que o Doutor é eminente nos conselhos da rabolice, consalta-o acerca ào seu projecto, mas sem personificar a noiva"
In "História do Theatro Portuguez" de Teofilo Braga

 

Acreditamos ser esta a edição original pois o tipo de impressão e o papel são caraterístico do final do século XVIII e também porque segundo Albino Forjaz de Sampaio que no seu "tratado" sobre Literatura de Cordel refere as edições do DOUTOR SOVINA E DO NOVO ENTREMEZ DO DOUTOR SOVINA e indica a nossa edição (impressa na Oficina de Simão Thaddeo Ferreira sem data) colocando-a cronologicamente como sendo a primeira das que não têm indicação/impressão de data.Todas as outras edições  com indicação/impressão de data são posteriores à data manuscrita pelo punho do Garrett.
Este facto é corroborado pela informação fornecida pela  Biblioteca Nacional de Austrália e também pela  tese De Andreia Amaral, que se refere a esta edição apontando para a data de 1790 (?).

Preço:250,00€

Referência:13583
Autor:ALMEIDA, Nicolau Tolentino de
Título:OBRAS COMPLETAS de Nicolau Tolentino de Almeida
Descrição:

Estúdios Cor, Lisboa, 1968. In-4º de XII-384 págs. Profusamente ilustrado ao longo do texto com ilustrações de  Nogueira da Silva. Encadernação artística em Chagrin verde assinada por Frederico d'Almeida, com dizeres a ouro na lombada e fillet floreado nas nervuras da lombada e a emoldurar as pastas.  Corte das folhas brunido a ouro fino. Exemplar duma tiragem restrita de 1000 exemplares sendo este o nº 550.

Observações:

Terceira edição das obras de Nicolau TolenSegue o modelo do volume publicado em 1861 por José Torres e o grafismo de Nogueira da Silva . Tem um prefácio de Alexandre O'Neill , "Uma Arte do Pormenor ou um Preâmbulo para Desatentos":
 "[Tolentino] soube preservar, no meio das insignificâncias dum quotidiano sem relevo, uma visão implacável e irónica da sociedade do seu tempo. Objectar-se-á que ele fez uma crítica movida de cima para baixo, uma crítica de galarim para a plateia, mas Honoré (de) Balzac – e abstraímos da salvação das devidas proporções – que teria feito? Se o ponto de vista donde a visão procede é importante, a objectividade da visão não o é menos."

 

Apreciada obra do poeta Nicolau Tolentino De Almeida sendo a 1.ª edição de 1801 e a  2.ª edição de 1861.

Preço:65,00€

Referência:13582
Autor:MAFFRE, Claude
Título:L'OEUVRE SATIRIQUE DE NICOLAU TOLENTINO
Descrição:

Centre Culturel Calouste Gulbenkian,Paris, 1994. In-4º de 822 págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-exto com reproduções de fac-similes, caricaturas e outros documentos relativos a Nicolau Tolentino. Livro em lingua francesa.

 

Observações:

Magnífico estudo a partir do estabelecimento de uma edição comentada dos poemas considerados mais característicos e densos dee Nicolau Tolentino, que resultou de um confronto de trinta e sete manuscritos, entre outros, anteriores à edição de 1801, consultados nas bibliotecas públicas de Lisboa, Porto, Coimbra, Évora e Braga.
Claude Maffre procede, num segundo momento deste estudo, a um apreciável trabalho de síntese sobre a globalidade da obra satírica, salientando o ângulo particular de visão que Tolentino tinha da sociedade lisboeta do seu tempo.

Preço:23,00€

Referência:13581
Autor:ALMEIDA, Nicolau Tolentino de
Título:OBRAS POÉTICAS DE ...tomo I e II
Descrição:

LISBOA, NA REGIA OFFICINA TYPOGRAFICA. ANNO M.DCCCI. In 8º de 2 volumes com 231 - (1) e 222 - (1) respectivamente. Encadernação da época em carneira mosqueada, com rótulos vermelhos e dourados de execução recente na lombada. papel mantendo a sonoridade original, muito saudável, na obstante de apresentar uma mancha de humidade marginal nas últimas paginas do primeiro volume.

PRIMEIRA EDIÇÃO

Observações:

Referido pelo poeta O’Neill, no prefácio a «Uma Arte do Pormenor ou um Preâmbulo para Desatentos»: "...[Tolentino] soube preservar, no meio das insignificâncias dum quotidiano sem relevo, uma visão implacável e irónica da sociedade do seu tempo. Objectar-se-á que ele fez uma crítica movida de cima para baixo, uma crítica de galarim para a plateia, mas Honoré (de) Balzac – e abstraímos da salvação das devidas proporções – que teria feito? Se o ponto de vista donde a visão procede é importante, a objectividade da visão não o é menos..."

O escritor e editor Paulo da Costa Domingos nos diz ainda sobre este poeta:
"...Poeta da transição de século, do XVIII para o XIX. A presente edição surgiu ainda em vida, dado ele haver falecido apenas em 1811; edição a expensas do Estado, que, na altura, e apesar da feroz vigilância sobre os costumes, permitiu que se desse à estampa requintes sátiros como o do seguinte exemplo entre muitos:

«Em fege eftreita entaipados, Sol á ilharga, Sol por cima, Vinha eu, e o Padre Lima Cheios de pó, e encalmados. Eis-que na eftrada atacados, Párão as mulas baratas; Cuidei eu que erão Piratas, Que tirão vida, e dinheiro, Fui ver fe era o Clavineiro, E achei duas Açafatas.

Trazião a arma mais dura, Que nos peitos fe tem pofto, Trazião ambas no rofto O refpeito, e a formozura. Querem fege mais fegura, Porque a fua eftá quebrada; E em quanto o Padre na eftrada Lhe diz palavras pompozas, As minhas mãos refpeitozas Lhe affoufavão a almofada. [...]»

EDIÇÃO ORIGINAL deste célebre e muito apreciado livro de poesias satíricas.

Preço:125,00€

Referência:13580
Autor:ALMEIDA, Nicolau Tolentino de
Título:OBRAS COMPLETAS DE NICOLAU TOLENTINO DE ALMEIDA illustradas por Nogueira da Silva Com alguns inéditos e um ensaio biographico-critico por José Torres
Descrição:

Editores - Castro, Irmão & Cª. Lisboa. In-4º de 388-II-LXXXVI-X págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com excelentes ilustrações vinhetas caricaturais abertas em madeira por Nogueira da Silva, desenhador-gravador, que foi o pioneiro da introdução desta técnica em Portugal. Conserva capas de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO

 

Observações:

Edição muito cuidada da obra completa de um dos mais notáveis poetas satíricos portugueses, "Com alguns ineditos e um ensaio Biographico-critico por José de Torres. Illustradas por Nogueira da Silva". Pertenceu à Nova Arcádia a sua obra é composta de sátiras descritivas e caricaturais, sonetos e odes.

Preço:70,00€

Referência:13577
Autor:CHOMPRÉ, Mr.
Título:DICCIONARIO ABREVIADO DA FABULA,para Inteligencia dos Poetas, Paineis, e Estatuas, cujos Argumentos são tirados da historia poetica
Descrição:

Na Regia Officina Typografica, Lisboa, 1779. In-4º de 217 págs. Encadernação coeva em carneira mosqueada com florões e dizeres a ouro, em casas abertas na lombada. assinatura de posse da época no frontispício.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Curiosíssimo dicionário com inúmeras entradas contendo a história resumida de várias personagens da mitologia grega e romana e da fábula.

Preço:75,00€

Referência:13574
Autor:BARRETTO, Joam Franco
Título:ORTOGRAFIA DA LINGUA PORTUGUESA
Descrição:

na Officina de Ioam da Costa, Lisboa,  1671. In-4º de III-279-(9) págs. Encadernação do século XIX meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Encerra em extra-texto uma tábua com palavras em várias linguas que não está descrita na bibliografia.

 

Exemplar descrito no Catálogo da riquíssima Biblioetca de de Monteverde da Cunha Lobo son o nº 2474 de quem o presente exemplar ostenta uma assinatura de posse no frontspício. Na folha de guarda a lápis um apontamento a lápis "ofereceu-me o Albino Forjaz de Sampaio". Acreditamos que a tábua em extra-texto não descrita nas bibliografias consultadas seja mandada imprimir pelo próprio bibliófilo Monteveerde  Cunha Lobo de quem se observa também um apontamento com o custo de execução de uma folha impresssa, da encadernação e do próprio livro.

 

PEÇA DE COLECÇÃO e MUITO RARA primeira edição.

 

Observações:

Obra que se divide em duas partes, na primeira o autor discorrer sobre a ortografia e o uso da língua latina em Portugal, na segunda  Franco Barreto disserta pormenorizadamente sobre o nome; verbo; preposições, advérbios; conjunções; interjeições; artigos; divisão das letras; pronúncia e valor das vogais; ditongos; aspiração das consoantes; sílabas e dicções; acentuação; pontuação, entre outros aspectos, terminando com Advertencias "em ordem a emmendar & melhorar as palavras, que a inorancia do vulgo tem corrutas"

"A primeyra, & principal regra é a nossa ortografia, he escrever todas as diçoens cõ tantas letras, cõ quantas pronunciamos, se por consoantes ociosas, como vemos na escritura Iltaliana, & Franceza. E dado que a diçã seja Latina, como a dirivamos a nós, & perde sua pureza, lógo a devemos escrever ao nosso modo, per semelhante  exemplo. Orthographia he vocábulo Grego, & os Latinos o escrevem desta maneira atrás, & nós devemos escrever cõ estas letras, Ortografia, porque cõ ellas o pronunciamos"

 

Preço:650,00€

Referência:13573
Autor:VILLAS BOAS E SAMPAIO, António de
Título:NOBILIARCHIA PORTUGUEZA tratado da nobreza hereditaria e politica autor... AGORA NOVAMENTE CORRECTA, emendada, e accrescentada cõ as Armas das Familias, e Cidades principaes deste Reyno, e outras cousas curiosas
Descrição:

Na officina de Filipe Sousa Villela, Lisboa, 1727. In-4º de VIII-350-(15) págs. Encadernação do século XIX inteira em pele gravada a ferros secos nas pastas e com dizeres a ouro em rótulo de pele na lombada. Rubrica coeva de posse no frontspício.

INVULGAR.

 

Observações:

Tratado sobre a nobreza hereditária e política de Portugal, considerado o melhor estudo nobiliárquico português, escrito por um dos maiores genealogista e historiador português.

Inocêncio I, 294. “ANTONIO DE VILLAS-BOAS E SAMPAIO, Bacharel em Leis pela Univ. de Coimbra, Desembargador da Relação do Porto, depois de ter exercido varios outros cargos de magistratura. - N. no termo de Guimarães, segundo uns, ou no de Barcellos, como outros dizem, a 27 de Agosto de 1629, e m. em Barcellos a 26 de Novembro de 1701. Nobiliarchia Portugueza tractado da Nobreza hereditaria e politica Offerecido ao ex.mo sr. D. João da Silva, Marquez de Gouvêa, etc. Lisboa, por Francisco Villela 1676. 4.º de 349 pag. (O sr. Figaniere affirma ter visto duas edições differentes, ambas da mesma officina e impressas no referido anno.) - Ibi, por Filippe de Sousa Villela 1708. 4.º de X-349 pag. - Novamente correcta, emendada e accrescentada com as armas das familias e cidades principaes d’este reino, e outras cousas curiosas. Ibi, na Off. Ferreiriana 1727. 4.° de XII-353 pag. (da qual tenho um exemplar) – E ultimamente, ibi, á custa de Manuel Antonio Monteiro de Campos 1754. 4.º (D’esta apparecem alguns exemplares com differente rosto, declarando ser a obra impressa em Amsterdam.) Apesar de tantas edições, não são muito vulgares os exemplares d’esta obra, e os que apparecem correm por preços variaveis entre 400 ou 600 réis até 800 réis. Como é procurada, e provavelmente se não reimprimirá tão depressa, é de esperar que com o tempo vão subindo de valor. A dicção d’esta obra é facil e pura, e o seu estylo menos inficionado dos vicios do tempo do que poderia esperar-se. O auctor mostra-se ás vezes credulo, ou falto de critica, adoptando tradições confusas, legendas inverosimeis, e factos mal averiguados ou absolutamente fabulosos pelo que não faltou quem o censurasse mesmo em sua vida. Para tornar mais util a sua lição cumpre ter presentes as Advertencias que lhe fez o rei d’armas Francisco Coelho, as quaes foram publicadas no tomo VI das Provas da Historia Genealogica da Casa Real Portugueza de pag. 662 a 703, onde se emendam alguns descuidos e equivocações, fazendo-se varios additamentos e explanações que são de interesse para o assumpto.”

Preço:275,00€

Referência:13571
Autor:PATO MONIZ, Nuno Alvares Pereira
Título:A APPARIÇÃO poema elegiaco em 4 cantos, consagrado á memoria da senhora D. Firmina Carlota da Sylva Serva
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1819.In-8º de 83-(1) págs. Encadernação da época inteira em pele, bastante desgastada mas sem perder a estrutura, com ferros a ouro em cercaduras nas pastas. Corte das folhas brunido a ouro.

PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

Observações:

Poema em quatro cantos que o poeta escreveu aquando da morte da filha de Manoel José da Silva Serva, conhecido maçon e grande protector de Pato Moniz.


Inocêncio VI, 308: “A Apparição: poema elegiaco em quatro cantos, consagrado á memoria da senhora D. Firmina Carlota da Silva Serva. Lisboa, na Imp. Regia 1818. 8.º de 64 pag. Saiu uma analise e juízo critico àcerca deste poema, por autor anonimo, porém amigo e admirador do poeta, no Observador Português, tomo I, pag. 138 e seguintes. Da Aparição foi editor o religioso capucho Frei Henrique de Jesus Maria, e tiraram se 425 exemplares. Nuno Alvares Pereira Pato Moniz, poeta e literato distinto, foi natural de Lisboa e nasceu no sitio do Arco do Cego em 1781.'

 

Preço:45,00€

Referência:13570
Autor:MACHADO, Fr. José
Título:NOVO MESTRE PERIODIQUEIRO, ou dialogo de hum sebastianista, hum doutor, e hum ermitão , sobre o modo de ganhar dinheiro no tempo presente.
Descrição:

Na Imprensa de Galhardo, Lisboa, 1821. In-8º de 38 págs. Encadernação moderna em papel marmoreado. Ostenta um pequeno autocolante de biblioteca particular.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Opúsculo polémico que atacava as ideias de liberdade da época. Nele o autor defendia os estabelecimentos antigos, as ordens religiosas e mesmo a Inquisição. Foi o primeiro de uma série de opúsculos.

Preço:45,00€

Referência:13567
Autor:autoria indefinida
Título:CONVERSA ENTRE A PEÇA DE FERROPAULO CORDEIRO E A ESTÁTUA DE PEDRA O PORTO
Descrição:

Na Imprensa da Gandra & Filhos, Porto, 1835. In-8º de 23 págs. Encadernação moderna com dizeres a ouro em rótulo de pele na pasta. Papel com amarelecimento acentuado pela acção do tempo sobre o papel de qualidade inferior.

PRIMEIRA EDIÇÃO

RARO.

Observações:

Folheto muito raro onde se aborda a derrocada do Absolutismo e o cerco do Porto através de um diálogo entre uma peça de ferro, Paulo Cordeiro e uma estátua de pedra, o Porto, o tom oscila entre o documental e o humorístico.

Preço:75,00€

Referência:13565
Autor:MELO, António Joaquim de Mesquita e
Título:PALESTRA ENTRE UM CAPUCHO E UM ESCUDEIRO
Descrição:

Na Imprensa da Universidade, Coimbra, 1822. In-8º 86-(2) págs. Encadernação moderna com dizeres a ouro em rótulo de pele na lombada.

RARO.

Observações:

Curioso exemplar de literatura de cordel que embora tenha sido publicado sem o nome do autor, Innocêncio atribuiu a autoria a  a A. J. de Mesquita e Mello, nascido "no anno de 1789, em uma quinta nas proximidades do Porto".

Inoc. VIII e XX

Preço:45,00€

Referência:13564
Autor:autoria indefinida
Título:HISTORIA JOCOSA DOS TRES CORCOVADOS DE SETUBAL.Lucrecio, Flavio, e Juliano : onde se descreve a equivocação graciosa das suas vidas
Descrição:

Na Officina de Francisco Borges de Sousa, Lisboa, 1789. In-4º de 16 págs. Encadernação moderna em papel marmoreado. Ilustrado com uma Ilustrado com uma xilogravura representando os três corcundas.


MUITO RARO.

Observações:

Adaptação portuguesa do conto popular francês " Histoire des trois bossus de Besançon" transposta para personagens de Setúbal.

Preço:55,00€

Referência:13563
Autor:LANGLÉ, Joseph Adolphe Ferdinand
Título:FUNERAL DO IMPERADOR NAPOLEÃO. Relação da trasladação dos despojos mortaes, de Santa Helena para Paris, e descripção da pompa funebre, illustrada com oito estampas
Descrição:

Na Imprensa Nacional, Lisboa, 1842. In-8.º de 63-(1) págs.Encadernação inteira moderna com dizeres a ouro em rótulo em pele na lombada. Desconhecemos se teve capas de brochura. Ilustrado em extra-texto com 8 litografias anunciadas no frontispício foram executadas na Lith. da Imp. Nacional e desenhadas por Miguel Ângelo Lupi.

RARO.

Observações:

Publicação muito curiosa onde se descreve a exumação dos restos de napoleão em St.Helena, a autópsia do corpo, o  transporte para Paris e a cerimónia fúnebre em Dezembro de 1840, quando os restos voltaram a ser enterrados.

Preço:135,00€

Referência:13561
Autor:SOYÉ, Luis Rafael
Título:NOITES JOZEPHINAS DE MIRTILO SOBRE A INFAUSTA MORTE DO SERENISSIMO SENHOR D. JOZE PRINCIPE DO BRAZIL edicadas ao consternado povo luzitano por
Descrição:

Na Regia Officina Typografia, Lisboa, 1790. In-8º de 248-(2) págs. Encadernação coeva da época inteira de carneira mosqueada com dizeres a ouro na lombada sobre rótulo de pele vermelha. Obra de grande apuro tipográfico magnificamente ilustrada com 16 gravuras de página inteira em extra texto, o frontispício gravado e decorado com figuras alegóricas e o retrato do autor e 12 vinhetas de meia página no começo de cada canto pelos melhores desenhadores e gravadores portugueses da época: Carneiro da Silva, Jerónimo de Barros, Soyé, Frois, João Tomás da Fonseca, Ventura da Silva, Lucius, Ramalho, entre outros. Cremos estar falho do retrato de D. José.

PRIMEIRA EDIÇÃO

MUITO RARA.

 

Observações:

Poema elegíaco sobre a morte de  D. José, príncipe do Brasil e duque de Bragança.

Inocêncio V, 316. “LUIS RAPHAEL SOYÉ, n. em Madrid a 15 de Abril de 1760, filho de paes estrangeiros, é certo que Soyé veiu para Lisboa trazido ainda na primeira infancia por seus paes, que em breve faleceram, correndo a sua educação, ao que posso julgar, por conta do morgado da Oliveira João de Saldanha Oliveira e Sousa, depois primeiro conde de Rio maior, que parece haver sido o seu protector durante muitos annos. Consta que aprendêra tambem as artes da pintura e gravura a buril, do que nos deixou documento em algumas estampas das suas Noites Josephinas Do seu tracto e amisade com Francisco Manuel existe a prova em uma ode que este lhe dirigiu, na qual se lhe mostra muito affeiçoado. Alguns versos que publicára nos annos de 1808 e seguintes em louvor de Napoleão, e que traduzidos em francez agradaram ao imperador, e foram por elle remunerados generosamente, fizeram que depois da restauração dos Bourbons o poeta ficasse malquisto, e vendo se então em pobreza e impedido de voltar para Portugal, como parece desejava, partiu para o Rio de Janeiro. - Alli conseguiu emfim que por elle se interessassem algumas pessoas influentes, e obteve a nomeação de Secretario da Academia das Bellas artes, logar que pouco tempo. Noites Josephinas de Myrtillo, Tem um frontispicio gravado a buril, os retratos do principe D. José e do auctor, e mais quatorze estampas havendo ainda no principio de cada um dos doze cantos, ou noutes (em quartetos hendecasyllabos rythmados) de que se compõe o poema, uma vinheta allusiva ao assumpto do canto: tudo executado pelos melhores gravadores nacionaes d'aquelle tempo. Posto que este poema elegiaco (o primeiro do seu genero que se imprimiu em Portugal) esteja mui longe de poder julgar se perfeito, não parece todavia tão mau como se esforçaram em fazer crer alguns emulos do auctor. Um d'estes, Manuel Rodrigues Maia, de quem tractarei em seu logar, levou o desejo de ridiculisal o ao ponto de compor á sua parte outro poema heroi comico em tres cantos de outava rythma, com o titulo Josephinada (do qual conservo uma copia manuscripta, e vi o autographo em poder do falecido F. de P. Ferreira da Costa) cujo assumpto é a publicação das Noites Josephinas tractada comicamente, e revestida de episodios satyricos, sem comtudo transcender os limites de uma critica litteraria. Conta se tambem com referencia ás Noites uma anecdota, que não é para ser omittida. Dizem que logo depois da publicação do poema, estando o poeta na loja de não sei qual livreiro onde o tinha posto á venda, entrára ahi um sujeito desconhecido, pedindo um exemplar que lhe foi para logo apresentado. Então o sujeito pediu tambem uma tesoura, e com ella foi cuidadosamente cortando as estampas e vinhetas da obra, as quaes depois de juntas embrulhou n'uma folha de papel. Isto feito, e tirando da bolsa os 1:200 réis, preço do volume, entregou os ao livreiro, dizendo lhe: «Eu pago só as estampas quanto ao livro, ahi fica: póde guardal o para mechas!» E sahiu, comprimentando polidamente as duas personagens, cujo desapontamento é facil de imaginar!”

 

Preço:185,00€

Referência:13560
Autor:ALORNA, Marquesa de
Título:OBRAS POETICAS DE D. LEONOR D'ALMEIDA PORTUGAL LORENA E LENCASTRE, Marqueza d'Alorna, condessa d'Assumar, e d'Oeynhausen, conhecida entre os poetas portugueses pelo nome de ALCIPE.
Descrição:

Imprensa Nacional, Lisboa, 1844. Seis tomos encadernados em três volumes de in-4º com XLVIII-307-(8)-383-(12), 299-(4)-289-(2), 330-(4)-527-(8) págs. Encadernação coeva meia inglesa em pele preta com dizeres e florões na lombada. Primeiro volume encerra um retrato da Marquesa de Alorna.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

MUITO INVULGAR.

Observações:

Reunião das obras escritas e traduzidas pela Marquesa de Alorna e que foram publicadas postumamente.

Tomo I: Noticia Biographica (pag. V a pag. XLVIII) das três épocas pricipais da sua vida: 1ª- menina e donzella; 2ª- Condessa d' Oeynhausen; 3ª- Marqueza d' Alorna.; Poesias compostas no mosteiro de Chellas; Poesias escriptas depois da sa­hida do mosteiro de Chellas.
    Tomo II: Continuação das poesias lyricas, escriptas depois da sahida do mosteiro de Chellas.
    Tomo III: A primavera, tradução livre do poema das Estações de Thompson; os primeiros seis cantos do Oberon, poema de Wieland, traduzidos do alemão; Darthula, poema traduzido de Ossian; tradução de uma parte do livro I da llliada em oitava rima.
    Tomo IV: Recreações botanicas, poema original em seis cantos; O Cemiterio d'aldeia, elegia, imi­tada de Gray; O Eremita, balada imitada de Goldsmith; Ode, imitada de Fulvio Testi; Ode de Lamartine a Filinto Elysio, traduzida; Epistola a lord Byron, imitação da 2ª meditação de Lamartine; imitação da 28ª meditação do mesmo poeta, intitulada: Deus.
    Tomo V: Poetica de Horacio; Ensaio sobre a critica, de Pope; O roubo de Proser­pina, poema de Claudiano em quatro livros .
    Tomo VI: Paraphrase dos cento e cinquenta salmos que compõem o Psalterio, em várias espécies de ritmo seguida da paráfrase do varino cânticos bíblicos e hinos da igreja.

Preço:250,00€

Referência:13557
Autor:CARVALHO, Antonio Joaquim de
Título:OS TOIROS, Poema heroe-Cómico
Descrição:

Typografia Nunesiana, Lisboa, 1796. In-8º de X-89 págs. Encadernação coeva em carneira com dizeres em rótulo de pele na lombada. Guardas em papel marmoreado da época. Papel mantendo a sonoridade original.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Um dos mais apreciados poemas herói-cómicos da nossa literatura que explora  o ridiculo de alguns episódios tauromáquicos. É um poema em quatro cantos e é considerado o melhor trabalho deste autor conhecido como "poeta jocoso".
Inocêncio I, 159. “Presumo que fosse natural de Lisboa; porém não o affirmo por falta de noticias certas. Parece que exercera em principio a arte de cabelleireiro, a qual deixou depois pela profissão de mestre de dança. Morreu octogenario, quasi cego e pobrissimo em 1817, morador na rua do Crucifixo; e que fora sepultado na ermida da Victoria. Não declara porém a sua naturalidade, nem os annos que tinha quando morreu. Os Touros: Poema heroi comico. Ibi, na Typ. Nunesiana 1796. 8.o de X 89 pag. - Ibi, na Imp. de João Nunes Esteves 1825. 8.o de 52 pag. Este poema em quatro cantos, em oitava rima, passa entre os criticos por uma das melhores, se não pela melhor de todas as produções do auctor. Alguns chegaram até a duvidar de que fosse obra só dele, e disse se que Belchior Manuel Curvo Semedo o polira e retocara antes da impressão'

Preço:95,00€

Referência:13554
Autor:BRANCO, Camilo Castelo
Título:A SENHORA RATTAZZI
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron Editor, Porto e Braga, 1880. In-8º de 30-II págs. Encadernação meia francesa em chagrin com dizeres e florões em casas fechadas. Conserva capas de brochura anterior, reforçada nas margens. Ante-rosto com os dizeres A SENHORA RATTAZZI enquadrados numa bonita e romântica moldura de composição tipográfica.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR

Observações:

Primeira edição deste folheto da Questão Rattazzi, polémicas em que Camilo se envolveu a propósito do livro escrito pela Princesa Rattazzi sobre Portugal. Este livro é a resposta às provocações da Sr.ª Rattazzi e termina da seguinte maneira:
“Em conclusão: o seu livro não é cano de escorrencias muito nauseabundas, nem é canal de noticias uteis, tirante a dos hoteis infamados de persevejos; não é pois cano, nem cabal; mas é canudo, porque custa sete tostões; e — vá de calão — como troça e bexiga, é caro.”

Inocêncio. XVIII, 144. “A questão Rattazzi: esteve por differentes vezes em Portugal uma dama estrangeira, de origem italiana ou ingleza, que se apresentou com o titulo de Princeza Rattazzi dizendo-se aparentada com a familia Imperial Bonaparte, o que, aliás, segundo consta de informações notorias, as auctoridades francezas não permittiam officialmente. algumas folhas francezas, hespanholas e italianas tinham falado d"ella a proposito de seus escriptos dados ao prelo, dos seus consorcios e de varios incidentes da sua vida aventurosa. Da ultima vez que se demorou em Lisboa, por 1879, lembrou-se ella de escrever um livro de viagem acerca de Portugal: mas, ou por falta de estudo, ou por leviandade, acreditando em esclarecimentos ministrados por pessoas de sua intimidade e de acanhada consciencia quanto aos factos que inculcaram, o certo e que fizeram cair Maria Rattazi em dislates e erros gravissimos, como lhe foi demonstrado. O seu livro, pois, deu margem larga e extensa á publicacão de outras obras de refutação aspera, em que a auctora, apesar do sexo, da idade, do nome aristocratico e da fama de que se fazia cercar, e em que desejava escudár-se, padecem duros ataques, sendo os mais vivos, mordazes e acerados os que lhe vibraram sem piedade Camillo Castello Branco e Urbano de Castro, que assignava os seus escriptos sob o pseudonymo chá-ri-vá-ri. Estas controversias e criticas tomaram o caràcter de verdadeiro escandalo litterario e foram só é alastrando pela imprensa de todas as cidades, em artigos soltos, em folhetins e em correspondencias”.

Preço:90,00€

Referência:13553
Autor:RATTAZZI, Princesse
Título:PORTUGAL À VOL D’OISEAU. Portuguezes e Portuguezas, seguido das apreciações de Camillo Castello Branco à primeira e segunda edição e da nova carta da princeza aos criticos do seu livro
Descrição:

Typographia Litteraria de C. A. de Moraes, Rio de Janeiro, 1880 In-8º de 296 págs. Encadernação moderna em chagrin preto, meia francesa com dizeres e florões em casas fechadas. Conserva ambas as capas de brochura. BELO EXEMPLAR embora apresente papel ligeiramente acidificado próprio da sua qualidade. PEÇA DE COLECÇÃO

MUITO RARA edição brasileira, a primeira na língua portuguesa.

Observações:

Tradução publicada no Brasil e diferente da edição portuguesa deste polémico livro da princesa rattazzi. Encerra também uma apreciação escrita por Camilo Castelo Branco. Saiu um ano antes da edição portuguesa.

Maria Rattazzi escreveu as memórias das suas estadias em Portugal através de cartas. O livro não agradou à maioria dos intelectuais portugueses dando origem a uma polémica, segundo Inocêncio XVIII, 154:
"QUESTÃO RATTAZZI. - Esteve por differentes vezes em Portugal uma dama estrangeira, de origem italiana ou ingleza, que se apresentou com o título de princeza Rattazzi, dizendo se aparentada com a familia imperial Bonaparte, o que, aliás, segundo consta de informações notorias, as auctoridades francezas não permittiam officialmente. Algumas folhas francezas, hespanholas e italianas tinham falado d'ella a proposito de seus escriptos dados ao prelo, dos seus consorcios e de varios incidentes da sua vida aventurosa. Da ultima vez que se demorou em Lisboa, por 1879, lembrou se ella de escrever um livro de viagem acerca de Portugal: mas, ou por falta de estudo, ou por leviandade, acreditando em esclarecimentos ministrados por pessoas de sua intimidade e de acanhada consciencia quanto aos factos que inculcaram, o certo e que fizeram cair Maria Rattazi em dislates e erros gravissimos, como lhe foi demonstrado. O seu livro, pois, deu margem larga e extensa á publicacão de outras obras de refutação aspera, em que a auctora, apesar do sexo, da idade, do nome aristocratico e da fama de que se fazia cercar, e em que desejava escudár se, padecem duros ataques, sendo os mais vivos, mordazes e acerados os que lhe vibraram sem piedade Camillo Castello Branco e Urbano de Castro, que assignava os seus escriptos sob o pseudonymo Chá Ri Vá Ri."

Preço:125,00€

Referência:13547
Autor:autoria indefinida
Título:TROVADOR Collecção de modinhas, recitativos, árias, lundús, etc Vol. I (a V)
Descrição:

Livraria Popular de A.A. Da Cruz Coutinho,Rio de Janeiro,  1876. Cinco tomos encadernados num volume único com in-8º de 208-160-160-144-144 págs. respectivamente. Encadernação moderna meia inglesa em pele com dizeres e florões na lombada sobre rótulo de pele castanha. Conserva todas as capas de brochura e está apenas aparado À cabeça- BONITO EXEMPLAR.
Nova edição, correcta. RARO.

Observações:

Curiosa colectânea de letras de  modinhas, de origem portuguesa e Lundús, de origem africana, algumas com autoria e outras anónimas. Encerra ainda um conjunto de poesias de gosto popular do século XIX de poetas portugueses e brasileiros.

 

Preço:100,00€

Referência:13545
Autor:OLAVO, Carlos
Título:A VIDA TURBULENTA DO PADRE JOSÉ AGOSTINHO DE MACEDO
Descrição:

Liv. Ed. Guimarães, Lisboa, 1938. In-8º de 284-(4) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

A obra é a biografia de um dos maiores polemistas portugueses (1761-1831). Encheu a sua época com as suas polémicas, com a loucura das suas atitudes e com o clamor dos seus impropérios.

“Será interessante saber, para determinar a origem dêste meu trabalho, a razão porque pensei, escolhi e estudei a personalidade de José Agostinho de Macedo, velha figura literária com mais dum século de túmulo, quási esquecida, quási apagada nas sombras que a luz dos tempos vai deixando nos recantos da história. (...) êle é uma das personagens mais interessantes da nossa história literária porque, além de polemista, foi poeta, prêgador, epistológrafo, dramaturgo, crítico e dominou a sua época pela fôrça quási incrivel da sua personalidade."

Preço:18,00€

Referência:13544
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:IDEIAS DE PAZ
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa, 1966. In-8º  de 331-(3) págs. Br. Título publicado na "Colecção Problemas". Cadernos por abrir.

Observações:

Edição conjunta de cinco opúsculos que haviam sido publicadas separadamente e que resumem o apuramento da longa e acidentada prospecção que o autor empreendeu da realidade contemporânea, principiando pela análise e discussão dos conceitos de "pátria" e  "solo pátrio".

Preço:15,00€

Referência:13543
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:ENTRE DOIS UNIVERSOS.
Descrição:

Guimarães Editores, Lisboa, 1959. In-8 º de 278-(10) págs. Br.  Integrado na colecção "Filosofia e Ensaios".

Observações:

“Todo o livro expressa um esforço dialético de apaziguamento interior, pedindo ao entusiasmo pela  obra da inteligência razões de confiar na espécie humana, novo gosto de viver e defesa sorridente  contra os absurdos da existência”

Preço:13,00€

Referência:13542
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:UM HOMEM NA SUA HUMANIDADE
Descrição:

Guimarães Editores, Lisboa, 1957. In-8º de 177-(5) págs. Br. Integrado na «Colecção Filosofia e Ensaio». Alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Conjunto de três ensaios, nos quais se pretende dar voz às emoções humanas numa ruptura com a razão e o empirismo positivistas. Isto porque, em sua opinião, racionalizar a vida seria desfigurar a condição humana. O excesso de razão teria levado o homem à guerra, à destruição e à morte.

“Três ensaios de forma epistolar compõem o presente opúsculo, em que se tenta exemplificar a  elaboração de experiências pessoais, ainda as mais dolorosas, em ideias gerais”. 

Preço:14,00€

Referência:13539
Autor:ESTRADA, Raymundo Manoel da Silva
Título:CONFRONTAÇÃO MINUCIOSA DOS DOIS POEMAS LUSÍADAS, E ORIENTE,Defensa imparcial do grande Luiz de Camões contra as invectivas, e embustes do discurso preliminar do Oriente composto pelo padre José Agostinho de Macedo, em que se prova as suas falsas
Descrição:

Imprensa Nevesiana, Lisboa, 1834. In-8º de 56 págs. Encadernação moderna meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada sobre rótulo de pele vermelha. Frontspício com ex-libris.

INVULGAR.

Observações:

Folheto onde o autor faz uma comparação minuciosa dos Lusíadas e do Oriente, criticando o poema de Agostinho de Macedo e acima de tudo o Discurso Preliminar que antecede o poema de Macedo.

Preço:40,00€

Referência:13538
Autor:COUTO, António Maria do
Título:MANIFESTO CRITICO, ANALYTICO E APOLOGETICO em que se defende o insigne vate Luiz de Camõs, da mordacidade do discurso preliminar, que precede ao poema Oriente; e se demonstrão os infinitos erros do mesmo poema
Descrição:

Na Impressão de J.F.M de Campos, Lisboa, 1815. In-8º de 104-(1) págs. Encadernação modesta meia inglesa, desgastada, com dizeres a ouro na lombada. Rótulo de papel de núemro de ordem de biblioteca na pasta.

INVULGAR.

Observações:

Folheto onde o António Maria do Couto tece considerações e condena  o poema "O Oriente" da autoria de J. A. Macedo, que este pretendia melhor que "Os Lusíadas" de Camões.

Preço:45,00€

Referência:13537
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:GAMA poema narrativo
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1811. In-8.º de XV-266 págs. Encadernação coeva inteira em pele e dizeres a ouro em rótulo de pele vermelha na lombada.

PRIMEIRA E ÚNICA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Primeira versão do poema Oriente de de Agostinho de Macedo onde ele tentou  corrigir aquilo que considerava errado em «Os Lusíadas», de Camões, e de fazer justiça aos heróis que Camões não tinha exaltado.

Inocêncio: “Foi editor o livreiro Desiderio Marques Leitão. - O poema é dedicado a Ricardo Raymundo Nogueira, então membro da regencia do reino: consta de dez cantos, com 787 oitavas, e é precedido de uma de pindarica em louvor de Camões, a qual se não encontra noutra parte. D’este Gama refundido, e accrescentado com dous novos cantos, é que se formou o Oriente.”

Preço:60,00€

Referência:13535
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:A LYRA ANACREONTICA; Á Illustrissima SenhoraD. M. C. D. V.
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1819. In-8º de de 192 págs. Encadernação coeva inteira de pele mosqueada com dizeres a ouro sibre rótulo de pele vermelha na lombada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Primeira edição, muito invulgar de uma das mais  apreciadas obras de José Agostinho de Macedo.
Contém cento e uma odes anacreonticas, precedidas de uma epístola dedicatória em versos hendecasyllabos.
Nas "Memorias para a vida intima de José Agostinho de Macedo", Inocêncio refere-se que Agostinho de Macedo manteve assidua relação com D. Joanna Thomasia de Brito Lobo, freira do mosteiro de Odivelas, “fazendo por seu respeito amiudadas visitas áquelle convento. (...)  Era esta dama, ao que parece, dotada de alguma instrucção e apaixonada das lettras; José Agostinho dedicou-lhe as suas  Cartas philosophicas a Attico, impressas em 1815 (...) Estes amores tiveram seu termo em 1818; e não deixa de ser curioso o modo como finalisaram. A religiosa de quem temos fallado, entretinha correspondencia epistolar com outra da mesma ordem (...), chamada D. Maria Candida do Valle e n’uma das sortidas que José Agostinho fazia a Odivellas, D. Joanna lhe fez ver uma carta mui discreta, que pouco antes recebera d’aquella sua amiga. O padre agradou-se tanto da linguagem  e estylo d’aquella missiva, que pediu in continenti, permissão de ser elle quem fizesse a resposta. Foi satisfeito o seu desejo e parece que por mais tempo continuou a servir de secretario na correspondencia das duas damas. Porém como a tal D. Maria Candida viesse a Lisboa, José Agostinho sollicitou ter  com ella uma entrevista. Não sabemos o que passaram, porém o certo é que D. Joanna foi desde logo abandonada tendo de ceder o campo á sua rival. Cumpre notar que José Agostinho contava então 59 annos e D. Maria passava dos 38; foram taes os atractivos que elle encontrou n’esta nova conquista  e com tal fervor se entregou á sua paixão, que em tres dias compoz (apesar das cans que lhe alvejavam a fronte), cem Odes anacreonticas, em louvor da sua bella, as quaes deu á luz no anno de 1819, sob o titulo de Lyra Anacreontica ”.

Preço:75,00€

Referência:13534
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:COMBOY DE MENTIRAS vindo do Reino Petista com a fragata verdade encoberta por capitania.
Descrição:

Na Of. de Simão Thaddeo Ferreira, Lisboa, 1801. Um volume com os 24 números de 16 páginas cada num total de 384 págs. Encadernação coeva  inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. Etiqueta de ordem de biblioteca na cabeça da lombada. Guardas em papel marmoreado da época. Ilustrado com vinhetas decorativas xilogravadas.

COLECÇÃO COMPLETA

INVULGAR
 

Observações:

Colecção completa destes folhetos onde o autor faz a reunião de "Poesias, Maximas , Casos , e Avisos de todos os lotes , para satisfazer a vossa curiosidade".

Segundo Inocêncio, Rodrigues da Costa era muito dado ao bom humor e todos aplaudiam "os seus chistes e ditos naturalmente engraçados e satíricos". Faleceu em 1832, pouco depois de ter recebido uma pensão anual de D. Miguel, de quem era partidário. Deixou uma vasta obra, sendo esta uma das mais estimadas. Inoc., IV

Preço:90,00€

Referência:13533
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel ; PIMENTA, Alberto
Título:O BALÃO AOS HABITANTES DA LUA heroi-comico em hum só acto junto com: O BALÃO AOS HABITANTES DA LUA edição organizada e comentada por Alberto Pimenta
Descrição:

livro 1: Na Impressão Regia, Lisboa, 1819. In-8º de 47 págs. Encadernação inteira em pele com dizeres em rótulo vermelho na pasta.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

 

livro 2: Edições 70, Lisboa, 1978. In-8º de 91 págs. Br. Ilustrado com um retrato do autor.

 

Observações:

Livro 1: Obra onde o autor seguindo o exemplo do que Bocage fizera em 1794 com um poema a exaltar o aeronauta italiano Vicente Lunardi e seu balão aerostático,   Rodrigues da Costa, neste poema,  exalta  Robertson e o seu filho que, em Março daquele ano, em Lisboa, fizeram demonstração sobre os grandes avanços dos balões. O poema faz de Robertson o protagonista de sua viagem à Lua. É uma crónica rimada,onde com ironia e perspicácia denuncia os maus costumes de seu tempo. Ao fazer de Robertson um génio, que ao tentar  alcançar o Sol, esbarra na Lua, o autor faz uma alegoria em que mostra os Lulanos, moradores da Lua, extremamente parecidos com os lisboetas.

 

livro 2: Edição com comentários e prefácio muito exaustivo de Alberto Pimenta desta apreciada  e curiosa obra de Rodrigues da Costa onde ele  narra a visita de um homem, de um português, aos Lulanos, os habitantes da lua.

Preço:95,00€

Referência:13531
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:BARCO DA CARREIRA DOS TOLOS obra critica, moral e divertida
Descrição:

Typographia de Elias José da Costa Sanches, Lisboa, 1850. Volume com 12 folhetos de 32 págs cada. Encadernação moderna meia francesa em pele com florões e dizeres a ouro em rótulos de pele vermelha na lombada. Exemplar em magnífico estado de conservação estando apenas aparado à cabeça carminada. Mantem intactas e muito ireegulares com todas as barbas, as restantes margens.

COLECÇÃO COMPLETA.

Observações:

Uma das mais estimadas obras do autor, onde ele faz uma critica da sociedade portuguesa da altura,  "Muito se alegrou o diligente Navegante com a descoberta, sacrificando se ao louvável fim de fazer ditosos os que tinham nascido para o ser: e por isto destinou transportar à mesma Ilha os Tolos…"

Doze classes de que se compõe esta obra:

Folheto os tôlos modistas; folheto os tôlos namorados; folheto os tôlos mal casados; folheto os tôlos mal creados; folheto os tôlos velhacos encobertos; folheto os tôlos bebedos; folheto os tôlos soberbos; folheto os tôlos presumidos;  folheto os tôlos queixosos da fortuna; folheto os tôlos crédulos; folheto os tôlos que em tudo se mettem; folheto os tôlos em geral.
 

Preço:160,00€

Referência:13530
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:PORTUGAL ENFERMO por vícios, e abusos de ambos os sexos, dedicado ao senhor José Luís Guerner, Cônsul de S. M. Siciliana
Descrição:

Na Impressão Régia, 1819-1820. Dois volumes de in-8º de 69 e 73 págs. Encadernação moderna inteira de pele com dizeres a ouro em rótulo de pele azul na lombada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Folhetos onde o autor faz uma sátira  ao Portugal do início do século XIX, cuja sociedade o autor considerava viciosa e perdida, entregando-se a festas e a modas importadas do estrangeiro e ao jogo, desprezando tudo o que é português. Depois da sátira em verso, o autor acrescentou algumas charadas, adivinhas e improvisos, que não tendo relação com o tema principal, tinham a  função de avolumar os impressos e divertir dos leitores.


Portugal, Portugal ! Eu te lastimo !
E bem que velho sou ainda me animo
A mostrar-te os defeitos, e os excessos
Dos costumes, que tens já tão avessos
Dos costumes, que tinhas algum dia,
Quando mais reflexão na gente havia.
Tu de estranhas Nações foste envejado;
Hoje faz compaixão teu pobre estado:
Cada vez te vão mais enfraquecendo,
Todo o brilho, que tinhas, vas perdendo:
Paraiso do mundo te chamavão;
As mais Nações com tigo se animavão;
Ellas porém ficarão sãs, e fortes;
E tu todo o instante exposto aos córtes
Da usura, da ambição, da falcidade,
Do egoismo, da fuga, da impiedade:
Males, que aos que bem pensão cauzão tédio,
A que apenas descubro hum só remedio,
Que outro melhor não ha, a que se apelle,
E muita gente chora a falta d’Elle…

 

Preço:80,00€

Referência:13529
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:IDÉAS VAGAS sobre varios assumptos para Recreio de todas as pessoas de ambos os sexos.
Descrição:

Na Officina de Simão Thaddeo Ferreira, Lisboa, 1822. In-8º de 79 págs. Encadernação moderna inteira em percalina azul com dizeres e florões a ouro na lombada. Exemplar inteiramente por aparar.

INVULGAR.

Observações:

Curioso folheto com poemas sobre Portugal  e a sociedade portuguesa, deste escritor e frequentador das tertúlias da Arcádia Lusitana.

Innocêncio afirma  “Dotado  de  bom humor, e maneiras affaveis, era bem quisto de todos que o conheciam, e que applaudiam os seus chistes e ditos naturalmente engraçados, e satyricos. Viveu por muitos annos decentemente dos proventos do seu emprego, e do producto dos muitos papeis que imprimia, e que eram bem acolhidos do  publico. Sabendo amoldar-se ás circumstancias politicas do tempo, escreveu sucessivamente a favor  das idéas liberaes e do governo absoluto.”

Preço:42,00€

Referência:13528
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:NOVODIVERTIMENTOPARAMEIOQUARTODEHORA
Descrição:

Na Impressão de João Nunes Esteves, Lisboa, 1825. In-8º de 20 págs. Encadernação inteira com  dizeres e florões a ouro na lombada.

INVULGAR.

Observações:

Folheto  muito curioso e invulgar deste autor cuja bibliografia tem bastante interesse para a história  da sociedade portuguesa da sua época. Este folheto contém 16 sonetos e no prefácio o autor lamenta-se a perda crescente da qualidade da literatura portuguesa. Nos sonetos 12, 13, 14 e 15, o autor critica o comportamente dos brasileiros "Da ruel Anarquia a effervescencia / Na America soltou toda a impiedade ."(...):"Gentes do Rio, Gentes da Bahia,Do Pará, Maranhão, e Pernambuco,Onde estão as Chulices, e o Batuco,Que tanto no Brazil nos attrahia?"

Preço:45,00€

Referência:13527
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:JOGO DOS DOTES PARA RECREIO DAS SOCIEDADES,Em que se tirão lindas Sortes em verso; e outro Jogo de 40 perguntas, e 40 respostas, que se deve separar deste Livro, para se usar delle cortado, e pregado com massa nas Cartas de Jogar, ou em cartão
Descrição:

Na Typografia Rollandiana, Lisboa, 1818. In-8º de 308-(4) págs. Encadernação inteira com dizeres a ouro na lombada. Por aparar. Terceira edição.

INVULGAR.

Observações:

Curioso livro com um jogo de cartas por naipes,  em cada página contém 2 poemas de cartomancia (questão e adivinhação) em rima tradicional portuguesa.

Inocêncio IV, 304" José Daniel Rodrigues da Costa (1757-1832) natural da cidade de Leiria, não podendo cursar os estudos superiores aos de primeiras letras e gramática latina por falta de recursos pecuniários, acolheu-se á protecção do desembargador"

Preço:65,00€

Referência:13522
Autor:LOPES, Joaquim José Pedro
Título:CARTA AO SR. ANTÓNIO MARIA DO COUTO,na qual se dá breve, seria, e terminante resposta ao Manifesto, em que pretende mostrar os erros do poema Oriente, e defender os das Lusiadas
Descrição:

Impressão Régia, Lisboa, 1815. In-8º de 31 págs. Br.  Páginas com alguns picos de acidez. Exemplar cosido apenas à margem estando intacto de margens, sem encadernação como na origem

INVULGAR.

Observações:

Carta que faz parte da polémica iniciada por António Maria do Couto com a publicação do  "Manifesto critico, analytico e apologético em que se defende o insigne vate Camões da mordacidade do discurso preliminar do Poema Oriente, e se demonstram os infinitos erros do mesmo poema". Esta resposta de Joaquim José Pedro Lopes, é  uma defesa do poema de Macedo e onde se apontam erros encontrados nos Lusiadas.

Preço:20,00€

Referência:13517
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:A MEDITAÇÃO junto com NEWTON
Descrição:

Typ de Francisco Pereira d'Azevedo, Porto, 1854. Dois tomos de 270 e 169 págs encadernados juntos num só volume. Encadernação coeva em pele castanha meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Pequena vinheta de número de ordem de biblioetac particular na lombada.

Observações:

Dois poemas de inspiração filosófica de José Agostinho de Macedo.

A Meditação, poema em quatro cantos que segundo Innocêncio no seu livro "Vida e Obra de José Agostinho de Macedo" transcrevendo um juízo de Costa e Silva afirma: "De  todas as obras de José Agostinho a mais importante é a Meditação. Este poema lhe levou longos annos de trabalho e de desvelo, refundindo-o e corrigindo-o muitas vezes, e mudando-lhe o titulo, antes de o dar á luz."

 

Newton, Esta edição encerra o "Discurso Preliminar. A Fisica, ou alguma de suas
partes, he, ou póde ser digna materia da poezia sublime?"

 

Preço:95,00€

Referência:13516
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:A NATUREZA
Descrição:

Typographia de Francisco Pereira De Azevedo, Porto, 1854. In-8º de 363 págs. Encadernação coeva meia inglesa em pele castanha com dizeres a ouro na lombada. Pequena vinheta de núemro de ordem de biblioteca particular na lombada.

Observações:

"Tomei para objecto d'este poema a descripção das maravilhas da Natureza.(...) o compasso frigidissimo das estereis, e infecundas regras, com que nos opprimem alguns pedantes, não tem aqui lugar."

Preço:65,00€

Referência:13514
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:AS PATEADAS DE THEATRO INVESTIGADAS NA SUA ORIGEM; E CAUSAS junto com A IMPOSTURA CASTIGADA junto com O SEBASTIANISTA DESENGANADO À SUA CUSTA junto com D, LÍZ DE ATHAIDE OU A TOMADA DE DABUL junto com BRANCA DE ROSSIS
Descrição:

Na Impressão Régia, Lisboa, 1812.In-8º de 132 págs. Junto com: A impostura castigada, comedia em tres actos; composta em 1812 por J. A. D. M. Lisboa : Na Imprensa Nacional, Lisboa, 1822. In-8º de 56 págs. Junto com: O Sebastianista desenganado á sua custa. Comedia composta por José Agostinho de Macedo. Representada oito vezes sucessivas no Theatro da Rua dos Condes,  Na Imprensa Nacional, Lisboa, 1823. In-8º de 56 págs. Junto com: D. Luiz d'Athaide ou a tomada de Dabul. Drama heroico. O assumpto he tirado da Asia Portugueza de Manoel de Faria e Sousa. Tom. II. Parte III. &c. por J. A. de M. Na Imprensa Nacional,  Lisboa, 1823. In-8º de 72 págs. Junto com: Branca de Rossis. Tragedia. Na Impressão Régia, Lisboa, 1819.In-8º de 93-(3) págs. Encadernação  recente em papel marmoreado com rótulo na lombada. Assinatura de posse no rosto. Exemplar em razoável estado de conservação.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Reunião num volume só de várias obras de josé Agostinho de Macedo relacionadas com teatro. Na introdução à primeira obra  “Pateada he hum movimento espontaneo de pés, bordões, cacheiras, taboas, assobios, feito na Platéa  elos  Senhores espectadores,  de  que  resulta  huma  assoada,  açogaria,  marinada,  e  ingrezia  confusa dada nas bochechas aos cómicos, para se lhes dizer com toda a civilidade, que o que estão representando, ou acabão de representar, he huma completa parvoice, huma manifesta pouca vergonha, ou hum solemne destempero.” Esta é a definição que o autor dá na «Carta, que serve de Introducção» aos VIII  capítulos da obra, onde ele dá exemplos práticos oriundos do teatro da época.

Seguem-se quatro peças de teatro, comédias e tragédias, escritas pelo autor:  A impostura castigada, comedia em tres actos; O Sebastianista desenganado á sua custa. Comedia composta por José Agostinho de Macedo. Representada oito vezes sucessivas no Theatro da Rua dos Condes; D. Luiz d'Athaide ou a tomada de Dabul. Drama heroico. O assumpto he tirado da Asia Portugueza de Manoel de Faria e Sousa e  Branca de Rossis. Tragedia.

Preço:75,00€

Referência:13510
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:CARTAS FILOSOFICAS A ATTICO por...
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1815. In-8.º de 240 págs (As duas últimas páginas estão numeradas com o nº 239 e 240). Encadernação inteira de pele (com sinais de ressequimento) decorada com dizeres e florões a ouro sobre rótulo de pele vermelha na lombada. Pequena assinatura de posse no frontispício. Corte das folhas carminadas.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra onde Agostinho de Macedo aborda temas políticos, sociais, religiosos, culturais e económicos.
Encerra os seguintes capítulos: I. Sobre os bens da Fortuna; II. Sobre o Suicidio; III. Sobre a Filosofia de Mendelson; IV. Sobre o Bello; V. Sobre a Exageração dos males da Sociedade; VI e VII. Sobre o Sublime; VIII e IX. Sobre o ser a ignorancia mais conducente para a felicidade do que a Sciencia, (Sustenta-se este paradoxo); X. Sobre o modo de ser eloquente; XI. Sobre o Estylo, etc.; XII. Sobre as Bellas Artes; XIII. Sobre a Poesia em relação com a Musica; XIV. Sobre o Desterro; XV e XVI. Sobre o Patriotismo; XVII. Sobre o assumpto de que a maior Bibliotheca não he mais que hum só Livro (Sustenta-se este Paradoxo); XVIII. Sobre o assumpto das Cartas; XIX. Sobre ser o homem o objecto mais ignorado pelo mesmo homem; XX. Sobre Seneca e Young serem dois Escriptores prejudiciaes; XXI. Sobre não haver Sciencia sem a Sciencia moral; XXII. Sobre as operações do entendimento; XXIII. Sobre o Genio; XXIV. Sobre o Gosto; XXV. Sobre a Indifferença, etc.: XXVI. Sobre as inclinações fysicas e espirituaes; XXVII. Sobre os poucos conhecimentos do homem.

Este livro tem uma extensa dedicatória a uma religiosa Cisterciense do Mosteiro de Odivelas, D. Joana Tomásia de Brito Lobo de Sampaio.
Segundo Inocêncio nas  "Memorias para a vida intima de José Agostinho de Macedo": "Já dissemos no XIX d'este capitulo, como José Agostinho de Macedo vivera por algum tempo ligado em intimo trato com a actriz 'Maria Ignacia da Luz', porém este commercio amoroso em breve arrefeceu como era de esperar e José Agostinho voltando-se rapidamente do theatro para o claustro, depressa se lhe deparou para substituir a actriz uma religiosa do mosteiro de Odivellas, por nome 'D. Joanna Thomasia de Brito Lobo de Sampaio' a qual durante annos foi cortejada com assiduidade, fazendo por seu respeito amiudadas visitas àquelle convento. Estas deram azo a que se divulgasse o segredo, e a que seus inimigos tirassem d'ahi assumpto para motejos e zombarias. Era esta dama, ao que parece, dotada de alguma instrucção e apaixonada das lettras: José Agostinho de Macedo dedicou-lha as suas 'Cartas Philosophicas a Attico', em 1815, bem como a traducção de uma pequena novella com o titulo de 'Arrependimento premiado', que sahiu anonyma em 1818. Se tivesemos de dar credito aos elogios e louvores de que são tecidas as dedicatorias que precedem estas duas producções, teriamos que collocar tal senhora, quando menos, a par de Mad. de Sevigné, Dacier ou Staël; porém José Agostinho, encarecia em todas as suas cousas e assim como não sabia fazer uso dos doestos e das satyras individuaes, tambem não podia louvar senão adulando aquelles a quem procurava engrandecer, tecendo-lhas os mais encomiasticos e hyperbolicos panegyricos, rescendentes de podres incensos e malbaratadas lisonjas."

Preço:60,00€
página 1 de 10