Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Antropologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Bacalhau | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Canada | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Cuba | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Feminismo | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Manuel Macedo | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Oriente | Ourivesaria | Patuleia | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polémicas | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Queirosiana | Quintentista | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Viana do Castelo | Vila Nova de Gaia | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background
Seleccione o mês a visualizar:

Livros do mês: Maio 2018

Foram localizados 29 resultados para: Maio 2018

 

Referência:14079
Autor:MORENO, Humberto Baquero
Título:A BATALHA DE ALFARROBEIRA - Antecendentes e significado histórico. Vol I (e II)
Descrição:

Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1979/80. In-8.º de 2 volumes com paginação corrida de 1198 páginas. Brochado. Capa ligeiramente empoeirada. Miolo muito limpo.

Observações:

ÍNDICE:

CAPÍTULO I — Da morte de D. Duarte às cortes de Lisboa de 1439
CAPÍTULO II — A fuga de D. Leonor e a campanha contra o priorado do Crato
CAPÍTULO III — Partidários e pessoal da casa de D. Leonor a quem foram confiscados os bens ou confirmados os privilégios. Identidade dos beneficiários que obtiveram essas doações
CAPITULO IV — A campanha do regente contra o Conde de Barcelos. D. Leonor e alguns dos seus companheiros de exílio em Castela
CAPITULO V — Relações entre PortugaL,Castela, e Aragão durante a regência do Infante D. Pedro
CAPÍTULO VI — Da primeira entrega do regimento pelo Infante D. Pedro nas cortes de Lisboa de 1446, à carta de louvor de 11 de Julho de 1448. Alguns aspectos da administração pública postos em execução durante a regência
CAPITULO VII — Do termo da regência do Infante D. Pedro às vésperas de Alfarrobeira
CAPÍTULO VIII — A caminho de Alfarrobeira. Desfecho da luta. Os partidários do Infante D. Pedro
CAPITULO IX — Reacções à morte do Infante D. Pedro. Os partidários do rei em Alfarrobeira
CAPÍTULO X — A confiscação de bens e a concessão de cartas de perdão aos partidários do Infante D. Pedro

O segundo volume corresponde ao APÊNDICE da obra com descrição dos Partidários de D. Afonso V e de D. Pedro em Alfarrobeira.

Do prefácio:

"... Senti quando me abalancei neste empreendimento, a acentuada carência resultante da escassez ou mesmo inexistência de estudos sérios e aprofundados sobre a regência do Infante D. Pedro. Assim, centrado o meu interesse em torno de Alfarrobeira, ponto de desenlace dum grave conflito que se traduz no termo duma fractura que divide a nossa sociedade política ao longo do séc. XV, pude, através dum melhor conheciemnto dos homens intervenientes no processo, esclarecer algumas dúvidas. [...] Foi-me possível advertir que mais do que uma querela entre dois irmãos, que representam dois projectos políticos nacionais, tal como o problema se punha em termos de historiografia tradicional, estamos perantte a existência de correntes político-sociais que se degladiam à volta dum conceito de estado forte e centralizado ou duma ideia de estado débil, sujeito às mais diversas pressões. Acima dum possível antagonismo entre os Infantes D. Pedro e D. Henrique, que no fundo não passa dum falso problema, depararmos com forças socoais emergentes dum passado próximo, que polarizam conceitos políticos antagónicos.

A crise que se manifesta com maior virulência no período da regência, resulta basicmente dum contencioso aberto com o processo de transformação da sociedade portuguesa, que se desenha com maior ou menor clareza desde o termo do séc. XIV. No fundo é todo um conjunto de grupos sociais, representantes duma "nova" nobreza, que procura ocupar o seu espaço próprio e definir o seu projecto político. O neo-senhorialismo, que alguns pretendem instaurar na centúria de quatrocentos, não se compadece com um regime político que se pretende absoluto e poderoso. P choque teria de ser inevitável, na medida em que o regente personifica este último objectivo. Afastado da cena política, ficava aberto o caminho para o enfraquecimento do poder real. A persiguição feita aos partidários do antigo regente, reverso da medalha em relação à atitude por este assumida contra os que apoiaram a causa da rainha . Leonor, significa a derrota em Alfarrobeira desse projecto de política cengtralizadora
...".

Preço:58,00€

Referência:14078
Autor:BRANCO, Camillo Castello
Título:CARTAS INÉDITAS DE CAMILLO CASTELLO BRANCO AO 1.º CONDE DE AZEVEDO - coordenadas, annotadas e seguidas de traços biographicos d'este titular pelo 2.º Conde de Azevedo
Descrição:

Coimbra Editora Lda - Antiga Livraria França & Arménio, Coimbra, 1927. In-8.º de XIX-410-(2) págs. Br. Cadernos Por abrir. Edição de grande apuro gráfico, ilustrada em extra-texto com um retrato de Camilo, fac-símiles de algumas das suas cartas, retratos e estampas diversas.
Edição limitada a 500 exemplares.
RARO.

Observações:

Prefácio do Dr. Augusto de Castro.

Importante colectânea de correspondência do grande romancista, dirigida a seu amigo e distinto bibliófilo, 1.º Conde de Azevedo. nas cartas abordam-se não só assuntos literários com também de história politica contemporânea, traz também Noticias e Tábuas genealógicas sobre a família de Azevedo e outras.

Preço:28,00€

Referência:14077
Autor:COELHO, F. Adolfo
Título:CONTOS NACIONAIS
Descrição:

Editora Educação Nacional, Porto, s/d. In-8º de 168-(6) págs. Br. Capa de brochura ilustrada por Maria Vasconcellos.  Integrado na colecção "Bibliotecas das Crianças". Ilustrado ao longo do texto.

 

Observações:

Obra que recolhe  diversos  contos populares portugueses:

I. Filho és, pai serás; assim como fizeres, assim acharás; II. História da Carochinha; III. A sentença justa; IV. A formiga e a neve; V. O coelhinho branco; VI. A romãzeira do macaco; VII. A cacheirinha; VIII. O pote de azeite; IX. O rabo do macaco; X. Os três conselheiros do rei; XI. O pinto borrachudo; XII. Quem não trabuca Não manduca; Quem não manduca Não trabuca; XIII. Príncipe com orelhas de burro; XIV. Conto do Bacorinho; XV. Grisme e Guiomar; XVI. O Joãozinho Pequeno; XVII. O Doutor Grilo; XVIII. O depositário infiel; XIX. O estudante sábio; XX. Os sapatinhos de cetim; XXI. As senhoras do manto negro; XXII. As três cidras do amor; XXIII. A machadinha; XXIV. A vaquinha; XXV. O velho, o rapaz e o burro; XXVI. A mão do almofariz.

 

Preço:15,00€

Referência:14076
Autor:autoria indefinida
Título:CRÓNICA DO XARIFE MULEI MAHAMET E D’ EL REI D. SEBASTIÃO
Descrição:

Europress, Odivelas, 1987. In-8º de 207 págs. Brochado. Inserido na colecção "Heuris".

Observações:

Introdução e notas de Sales Loureiro. Documento recolhido na Biblioteca Nacional de Madrid.

Da badana:
"Trata-se de uma crónica sebástica que, estruturalmente se alinha com as crónicas similares: o cronista, cujo nome se desconhece, é o porta-voz de um grupo social e, nela, a História tem uma feição carismática (…)”, tendo sido “escrita por quem tomou parte nos acontecimentos e nos trouxe dados novos que vêm enriquecer os horizontes do actual conhecimento historiográfico."

Preço:17,00€

Referência:14074
Autor:ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner
Título:CORAL
Descrição:

Porto, Livraria Simões Lopes, 1950. In-8º de 102-2 págs. Br.ochado. Capas de brochura ligeiramente acidificado, miolo muito bem conservado.

PRIMEIRA EDIÇÃO de um dos primeiros livros de Sofia, bastanto raros no mercado dada a sua reduzida tiragem.

 

Observações:

CORAL é o terceiro livro de poesia de Sophia de Melo Breyner Andresen. Publicado pela primeira vez em 1950, segue-se a Poesia de 1944, em Coimbra e a Dia do Mar, que saíra em Lisboa em 1947. Este novo livro de Sophia retoma e concentra-se naquelas formas poemáticas e naqueles procedimentos e gestos retóricos, estilísticos e prosódicos que, desde o início, contribuíram para a singularização da sua obra poética.» (Manuel Gusmão)

Preço:120,00€

Referência:14073
Autor:[HELDER, Herberto]
Título:POEMACTO
Descrição:

Contraponto, Lisboa, s.d. (1958). In-8º de  30-(1) págs. Brochado. Ocasionais picos de humidade nas capas de brochura. Miolo muito limpo. Impressão sobre papel mantegueiro encorpado com acabamento a dois pontos com agrafos, com ligeira oxidação.

RARA primeira edição do terceiro livro de Herberto Helder.

Observações:

Regressado da Europa em 1960, Herberto Helder torna-se encarregado das Bibliotecas Itinerantes da Fundação Gulbenkian e, por isso, esteve em Santarém entre 1961 e 1963, data em que entrou na Emissora Nacional. Em Santarém, Herberto Helder escreveu e publicou o livro de poesia Poemacto, composto e impresso nas Oficinas Gráficas do "Jornal do Ribatejo", o qual dava cobertura aos artigos de Joel Canhão, de Florindo Custódio, de Carlos Oliveira entre outros sócios ativos do CCS e no qual se publicitava as atividades organizadas pelo Círculo Cultural Scalabitano. Para António Ramos Rosa “a experiência de Poemacto” é onde “a poesia hebertiana sofre uma transformação estrutural, onde o jogo verbal e os exercícios sobre a materialidade da linguagem se tornam então dominantes” (Carta de Herberto Helder a Sophia de Mello Breyner Andresen. Fonte: Espólio de Sophia de Mello Breyner Andresen, BNDP).

Preço:350,00€

Referência:14072
Autor:SILVA,Andrée Mansuy-Diniz
Título:PORTRAIT D'UN HOMME D'ÉTAT: D. Rodrigo de SouzaCoutinho, Comte deLinhares 1755-1812 Vol. I les années de formation 1755-1796
Descrição:

Centre Culturel Calouste Gulbenkian, Paris, 2002. In-4º de 722 págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

 Estudo exaustivo sobre a vida e obra  de Dom Rodrigo de Souza Coutinho, um dos maiores estadistas portugueses do final do século XVIII. Este volume aborda a sua educação e os primeiros anos de formação política em Turim, onde permaneceu por quase vinte anos como ministro plenipotenciário na Corte do Piemonte. Durante esse tempo, observou os sistemas políticos das principais nações européias e formulou as bases do seu pensamento reformista, discutindo temas polêmicos como a tolerância religiosa, o combate ao ócio e a reforma fiscal e jurídica.

Preço:20,00€

Referência:14071
Autor:CASTILHO, António Feliciano de
Título:MIL E UM MYSTERIOS - romance dos romances
Descrição:

Typographia Lusitana, Lisboa, 1945. In-8.º de 285(2) págs. Encadernação meia inglesa, com lombada em sintético verde, na qual se inscrevem dizeres dourados. Miolo muito bem conservado, preservando a sonoridade original do papel.

Observações:

Primeira e já rara edição deste curioso título de Castilho que dedica no prólogo " ... aos Leitores do anno 1900 a quatro escriptores portugueses contemporaneos (sem indicação nominal) a TODAS AS BOAS MULHERES offerece o AUCTOR.

Preço:75,00€

Referência:14070
Autor:SANTOS, Maria José Azevedo
Título:VIDA E MORTE DE UM MOSTEIRO CISTERCIENSE São Paulo de Almaziva (hoje S. Paulo de Frades) Séculos XIII-XVI
Descrição:

Edições Colibri, Lisboa, 1998. In-8º de 328-(4) págs. Br. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto.

Observações:

"O livro aqui apresentado, composto por vários estudos, constitui, pelo seu objecto, uma importante monografia do mosteiro cisterciense de S. Paulo de Almaziva, hoje freguesia de S. Paulo de Frades, concelho de Coimbra."

 

Preço:20,00€

Referência:14069
Autor:MALHÃO, Francisco Rafael da Silveira
Título:SERMÕES Junto com ORAÇÃO FUNEBRE recitada pelo beneficiado... na Egreja de S. Vicente de Fóra em Lisboa.
Descrição:

Imprensa União-Tipographica, Lisboa, 1858 e Typographia de A. Henriques de Pontes, Lisboa, 1954. Dois títulos encadernados num só volume de in-8º de IV-226 e 15 págs. Encadernação coeva em pele com florões e dizeres a ouro na lombada. Ilustrado com duas litografias, uma do autor e outra de Dom Miguel de Bragança.

Observações:

Francisco Rafael da Silveira Malhão (1794-1860), foi um padre português, pregador de prestígio no século XIX.
Da advertência do autor:
"Não foi a ambição que me inspirou o pensamento de imprimir a serie de sermões que offereço ao publico, mas o desejo de acabar uma obra de reconhecida utilidade religiosa e social: a fundação da Igreja no logar do Olhomarinho, pertecente ao concelho da Villa de Obidos, consagrada ao « Santissimo e Immaculado Coração de Maria»."
Junto com o texto da Oração Funebre proferida pelo autor por altura das exéquias do Conde de Barbacena.

O primeiro título encerra XII sermões proferidos na Igreja de N. S. da Nazaré (1851), na abertura do Templo de S. Julião, na Vila das Caldas, Torees Vedras, na Igreja da Misericórida da Vila de Óbidos, no Templo do Bom-Jesus do Carvalhal, Sermão de Santo António pregado na capela do Sanguinhal e na Igreja de Nossa Senhora dos Mártires em 1855.

Preço:50,00€

Referência:14067
Autor:Autoria diversa
Título:ÊXODO
Descrição:

In-8º de 34 págs. Brochado. (1961). Exemplar em excelente estado de conservaçã, merecendo a classificação "mint condition".

 

Apresenta colaboração de João Vário, Luis Serrano, Rui Mendes, Louzã Henriques e Herberto Helder.

ÚNICO NÚMERO PUBLICADO. PEÇA DE COLEÇÃO. MUITO RARO quando nas condições que se apresenta o nosso exemplar.

Segundo Luis Serrano, um dos seus organizadores: "... o caderno de poesia Êxodo, de que se publicou apenas o número 1, pretendia ser uam revista onde se publicasse e desse, portanto, a conhecer o que de mais relevante aparecesse no domínio da criação poética e do ensaio sobre poesia. Veio a lume em Coimbra em 1961, antecipando-se de alguns meses ao movimento "Poesia 61" que viria a aprecer em Lisboa. Era coordenado por João Vário, Luis Serrano e Rui Mnedes que nesse primeiro número colaboraram com poemas [...] O texto de abertura, onde se desenvolviam as linhas programáticas da revista, foi escrito por João Vário, tendo este número tido ainda a colaboração de Louzã Henriques com um artigo intitulado "Da Poesia e de Estética" e de Herberto Helder com um texto chamado "Ofício de Poeta". O Caderno pretendia acolher e divulgar a poesia da nova geração sem grandes preocupações de carácter ideológico mas com grandes preocupações de qualidade e inovação já qie (...) uma poesia que desconhece as grandes inquietações do homem moderno, suas humanas razões, sua noção de fatalidadee impossibilidade de jogo gratuito, uma poesia que,  processando-se à margem da poesia europeia, das modernas aquisições da estética e da linguística e da correlativa revolução na técnica do verso, da noção espacial da arte poética, e, estando também à margem do moderno pensamento filosófico europeu, é ua poesia pequeno-burguesa, de restrita concepção do mundo, de culto desenfreado do eu, culto dirigido no pior sentido, de pouca ou negligente ou nenhuma informação cultural. No entanto, estas boas intenções, que pretendiam abrir portas a um certo experimentalismo e fariam da revista um "laboratório" de poesia, falharam, pois não foi possível alargar o restrito número dos seus colaboradores nem ultrapassar as dificudades económicas, apesar da boa vontade logo manifestada pela Livraria Almedina que custeou todo o primeiro número.
Simultaneamente com o aparecimento da revista, fez-se uma exposição de poesia ilutsrada no Edifício do Turismo em Coimbra com a colaboração dos artistas plásticos António Ferraz, Augusto Mota e Silva Pinto, que ilustraram os poemas desse primeiro e único número
...".

 

Observações:
Preço:85,00€

Referência:14066
Autor:[HELDER, Herberto]
Título:VOCAÇÃO ANIMAL
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1971. In-8º de 75-(4) págs. Brochado. Exemplar em excelente estado de conservação. Apresenta um carimbo de "Oferta Editorial" no ante-rosto.

Observações:

Da contracapa:

"... A sua poesia tem esse carácter único dos grandes visionários, como um Van Gogh, um Rilke, um Boschère, um Blake..."
António Ramos Rosa

Preço:125,00€

Referência:14065
Autor:[HELDER, Herberto]
Título:A CABEÇA ENTRE AS MÃOS
Descrição:

Assírio e Alvim, lisboa, 1982. In-8º de 41-(7)págs. Br.
Primeira edição.

Observações:

Colecção "Cadernos Peninsulares /Literatura". Livro inserido na colecção Cadernos Peninsulares/ Literatura. Na opinião de Nuno Júdice, a poesia de Herberto Helder  tornou-se um momento ímpar na afirmação daquilo que, em Portugal, se pode considerar como a mais conseguida realização do visionarismo poético ocidental, que recebe a herança de Rimbaud e Lautréamont e passa pelo surrealismo. Herberto Helder é sem dúvida, na opinião de outros críticos literários, o poeta mais importante da sua geração e a mais curiosa e intrigante personalidade do nosso experimentalismo. Radicando-se na tendência surrealista, a sua poesia revela uma excepcional riqueza de recursos expressivos com um grande poder encantatório gerando-se na zona originária do ser em que a criação absoluta torna imperioso ao poema “ ... vencer a fascinação do incriado e impor uma ordem e uma harmonia ao turbilhão interior ...” (António Ramos Rosa).

Preço:90,00€

Referência:14064
Autor:MELLO, António Homem de (TOY)
Título:HISTÓRIA DE MARIA FLOR - Romance
Descrição:

Edição do autor, nas oficinas do jornal Soberania, Águeda, 1943. In-8º de 325-(3) págs. Brochado. Ostenta uma dedicatória autógrafa.

 

Observações:

António Homem de Melo de Macedo (Toy) foi advogado, poeta, escritor e empresário jornalista natural de Águeda e pai do poeta Pedro Homem de Mello.

 

"Contemporâneo em Coimbra de António Nobre, Agostinho Campos e Alberto de Oliveira, foi colaborador da revista Boémia Nova (1889). Na Correspondência de António Nobre há amiudadas alusões a Toy, pseudónimo que usou.

António Homem de Melo passou muito tempo da sua vida na Quinta das Cabanas (Afife, Minho), onde produziu considerável parte de sua obra que legou, de sabor lírico-popular. Era pai do poeta Pedro Homem de Melo. Em Coimbra, Toy "valente e corajoso" sempre pronto a acudir com o argumento dos seus punhos de atleta a qualquer situação embaraçosa para os amigos, segundo Guilherme de Castilho. Nos últimos anos, dirigia, com o Conde de Águeda, seu irmão, o semanário de Águeda Soberania do Povo, fundado por seu pai, conselheiro Albano de Melo." (Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, vol. III, p. 73)

Preço:22,00€

Referência:14063
Autor:LACERDA, F. Gavicho de
Título:COSTUMES E LENDAS DA ZAMBÉZIA.
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1925. In-8º de 336-(4)págs. Br. Ilustrado ao longo do texto.
RARO

Observações:

Obra sobre os costume e lendas da Zambézia, onde o autor escreve " o que durante 32 anos de permanência na Zambézia por lá vi e aprendi, de maneira que o nosso colono, que amanhã para aquela tão rica região queira emigrar, algumas luzes leve ou pequeno conhecimento dela".

No Índice lêm-se as seguintes entradas:

Primitiva ocupação e penetração do Zambéze; Psicologia da Raça Negra, os Cafres; Juramento dos Cafres; Caçadas e pescarias, sua maneira de trajar; Das Habitações, mantimentos e bebidas; O Albinismo, cirurgiões, várias crenças; Feitiços, casamentos, partos e funerais; etc ...

Preço:37,00€

Referência:14062
Autor:RÉGIO, José
Título:PÁGINAS DE DOUTRINA E CRÍTICA DA "PRESENÇA"
Descrição:

Brasília Editora, Porto, 1977. In-8º de 361-(11) págs. Brochado

Observações:

Inserido na colecção das Obras Completas. Prefácio e notas de João Gaspar Simões.

Preço:18,00€

Referência:14061
Autor:ALEGRE, Manuel
Título:O CANTO E AS ARMAS
Descrição:

Edição do autor, Porto, 1967. In-8.º de 150-(1) págs. Br. Inserido na colecção "Nova Realidade". Capa de brochura realizada a partir de foto de Eduardo Gageiro. Sobrecapa impecável não fosse uma pequeno corte na capa e não ultrapassa 1/2 cm.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

PRIMEIRA EDIÇÃO da segunda obra de MANUEL ALEGRE, onde se acentua a propensão ideológica e de poesia de combate, acrescentando-se a temática do exílio que será constante ao longo de toda a sua obra.

 

Letra para um hino

É possível falar sem um nó na garganta
É possível amar sem que venham proibir
É possível correr sem que seja fugir.
Se tens vontade de cantar não tenhas medo: canta.


É possível andar sem olhar para o chão
É possível viver sem que seja de rastos.
Os teus olhos nasceram para olhar os astros
Se te apetece dizer não grita comigo: não.

o canto e as armas É possível viver de outro modo.
É possível transformares em arma a tua mão.
É possível o amor. É possível o pão.
É possível viver de pé.

Não te deixes murchar. Não deixes que te domem.
É possível viver sem fingir que se vive.
É possível ser homem.
É possível ser livre livre livre

Preço:45,00€

Referência:14060
Autor:GOMES, João Pereira
Título:OS PROFESSORES DE FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA
Descrição:

Câmara Municipal (aliás, Gráfica de Coimbra), Évora, 1960. In-8º de 622-(1) págs. Encadernação meia francesa em pele. Frontspício com antigo carimbo de posse de biblioteca privada coberta de tinta da china em formato rectangular. Conserva capas de brochura. Miolo impecável. Reproduções das assinaturas das figuras referidas, facsimiles de manuscritos, etc.

Observações:

Refere os professores que passaram pela Universidade de Évora e que são: Inácio Martins, Brás Gomes, MAnuel de Sequeira, Jerónimo Fernandes, Pedro Martins, Belchior Afonso, Pedro Luis, João Brandão, Francisco Cardoso, João Correia, Fernão Rebelo, Pedro Simões, Sebastião Antunes, Jerónimo Dias, Martim de Melo, Marçal Beliarte, João de Lucena, Francisco Fernandes, Lourtenço Fernandes, Jorge Pereira, Álvaro Lobo, Pedro Novais, Domingos de Araoz, Sebastião Abreu, Manuel de Seixas, Manuel Mendes, João Cortês, João Leitão, Manuel Pinheiro, Leonardo de Mira, Manuel Furtado e Jernónimo Mendes.

Preço:50,00€

Referência:14059
Autor:CASTRO OSÓRIO, Ana de
Título:O DIREITO DA MÃE novela
Descrição:

Livraria Civilização - Editora, Lisboa, 1925. In-8º de 229-(3) págs. Br. Valorizado pela expressiva dedicatória autógrafa à escritora Raquel Bastos.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Novela doutrinária onde a autora expõe o caso aflitivo de uma mulher que se pretende divorciar de um marido alcoólico, jogador, portador de doenças contagiosas, em defesa dos filhos.

Preço:17,00€

Referência:14058
Autor:NEMÉSIO, Vitorino
Título:A CASA FECHADA novelas
Descrição:

Arménio Amado Editor, Coimbra, 1937. In-8º de  X-298-II págs. Br.  Capas e lombada um pouco gastas, principalmente nas bordas e escurecidas pelo tempo.

PRIMEIRA EDIÇÃO

RARO.

Observações:

Obra que colige as novelas O Tubarão, Negócio de Pomba e A Casa Fechada, é o único livro de novelas de Nemésio, que foi muito mal recebido pela crítica aquando da sua publicação. É um dos livros mais transgressores de Nemésio,  foi editado em 1937, ainda antes da consagração com Mau Tempo no Canal. 

 

Preço:35,00€

Referência:14057
Autor:PINTO, Manoel de Sousa
Título:ÚLTIMOS ANOS DE MOLHÔA
Descrição:Tipographia Caldense, Caldas da Rainha, 1934. In-8.º gr. de 22 págs. Br. Ilustrado com um retrato, a lápis, de José Malhôa por D. Maria de Lourdes de Mello e Castro e um quadro de Malhoa.
Observações:Publicação da Conferência realizada nas Caldas da Rainha, a 28 de Abril de 1934, em homenagem a José Malhoa.
Preço:17,00€

Referência:14056
Autor:[ MONIZ, Nuno Álvares Pereira Pato ]
Título:AGOSTINHEIDA, Poema Héroi-Cómico, em 9 cantos
Descrição:

Na Impressão de J. N. Esteves e Filho, Lisboa, 1833. In-8º de 149 págs. Encadernação coeva meia inglesa em pele, com florões e dizeres a ouro na lombada, já um bocado cansada. Autoria manuscrita no frontíspicio dado o livro ter sido publicado anonimamente. Carimbo de anterior proprietário na folha de guarda.

RARA PRIMEIRA EDIÇÃO

Observações:

Sátira por Pato Moniz a a José Agostinho de Macedo e ao seu poema Gama que este proclamava ser melhor que Os Lusíadas. Pato Moniz foi um escritor "de família fidalga, cursou humanidades, e veio a apaixonar-se pelas letras e pela política. Grande amigo e admirador de Bocage"

Excerto do Canto I

"Eu, que, nos sons de Clio, ou nos de Eutér-
Ou já nos de Melpómene, cantava [pe,
Prazeres, e paixões, virtude, e gloria;
Agora, zombeteiro flauteando,
Canto o Camões da Rua da Bombarda
Que, d'Epico furor doudo varrido,
Poz do de Velho Camões a calva á-mostra,
Expondo aos Mares novamente o Gama. Deste furor
as cauzas me revéla
Ó Deosa, ó Nynfa, ó Musa galhofeira;
Abre-me os Cofres teus, e entorna a-froxo
Aureas facécias que com mão profúsa
Soltaste outr'ora no Lutrin, no Hyssópe..."

Preço:75,00€

Referência:14054
Autor:SOTTO MAIOR, Eloy de Sá
Título:RIBEIRAS DO MONDEGO nova edição revista e prefaciada por Martinho da Fonseca
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1932.- XIII-(8)-188 págs. Encadernação meia inglesa em sintético com dizeres a ouro na lombada. Integrada na colecção Biblioteca de escritores portugueses. Reimpressão da edição original de 1623. Inclui o fac-simile do seu frontíspicio. Ligeiro aparo marginal. Falho de Capas de Brochura.

 

Observações:

Obra com prefácio de Martinho da Fonseca.

No Prefácio:
"... As Ribeiras do Mondego, ‹‹livro de triste fado››, como muito bem lhe chamou o sr. dr. Ricardo Jorge, ressuscitam agora em nova edição, saindo do abandono em que estiveram tanto tempo, recuperando o seu lugar na literatura portuguesa. Divide-se esta obra em seis livros de prosa e verso, escritos com sentimento e naturalidade, e embora não se possa comparar à Primavera de Francisco Rodrigues Lobo, condiscípulo e amigo de Eloy de Sá, é, sem fvor, uma das nossas novelas pastoris, e não sao muitas as que possuimos, deveras interessante, e de todas as suas obras a mais apreciada. [...] havendo entre a primeira edição e esta segunda um espaço de tempo de trezentos e nove anos, isto é, três séculos de esquecimento e abandono de uma obra não inferior a muitas outras que têm gozado do benefício de várias edições”.

Preço:19,00€

Referência:14053
Autor:ALMEIDA, António Victorino d'
Título:HISTÓRIAS DE LAMENTO E REGOZIJO
Descrição:

Parceria A. M. Pereira, Lisboa, 1968. In-8º de  285-(3) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Primeiro livro do autor, Maestro que é figura incontornável quando se fala de música e de cultura portuguesa.

Da badana:
"Alheado de possíveis defeitos, próprios de um primeiro livro, o leitor sente-se 'agarrado', e vê, comove-se, ri, pensa, reage, mas não consegue soltar a atenção e o interesse e tem de ir até ao fim!
"Isso mostra que o músico António Victorino d'Almeida possui as qualidades de imaginação e poder comunicativo que, pela experiência, fazem um escritor. Também pela experiência é que o seu muito e reconhecido talento fizeram dele o músico que é.
"Bem vistas as coisas, não há músicos, nem pintores, nem escritores. Há simplesmente — artistas, E é o caso."

Preço:18,00€

Referência:14052
Autor:ROSTAND, Jean
Título:DE L'AMOUR, DES IDÉES
Descrição:

Claude Aveline Editor, Paris, 1926. In-8.º de 65(3) págs. Encadernação meia francesa, com lombada em pele decorada com dourados. Conserva capas de brochura. Exemplar em excelente estado de conservação e aoarado à cabeça mantendo intactas e desencontradas as restantes margens. Impressão a negro e vermelho. Acompanhado de gravurinhas abertas em madeira da autoria de  Angéline Beloff. Edição numerada de uma tiragem restrita.

Observações:

Admrável livrinho de aforismos numa cuidada edição de bibliofilos.

Preço:28,00€

Referência:14051
Autor:ROCHA, Justiniano José da
Título:COLECÇÃO DE FABULAS imitadas de Esopo e Lafontaine
Descrição:

Francisco Alves & Cª, Rio de Janeiro, 1907 (capa vem a indicação de 1908). In-8º de 160 págs. Cartonagem editorial.

Observações:

Oitava edição melhorada com numerosas vinhetas (muito curiosas) e adoptada para leitura nas escolas. Muito ilustrado ao longo do texto com gravuras alusivas ao assunto abertas em chapa de aço.

Preço:15,00€

Referência:14050
Autor:MARQUEZ, Gabriel Garcia
Título:A REVOADA - Romance
Descrição:

Quetzal Editores, Lisboa, 1989. In. 8.º de 133(1) págs. Br.

 

Observações:

Capa de brochura ilustrada. Tradução de António Gonçalves. Anteriormente publicado em Portugal por uma outra editora sob o título: O ENTERRO DO DIABO.

 

Da capa posterior:

"... REVOADA é o primeiro romance de Gabriel García Marquez e é nele que, pela primeira vez, surge a mágica Macondo dos CEM ANOS DE SOLIDÃO. Publicado em 1955, é um livro cuidadosamente planificado e construído, de escrita rigorosa e contida - há passagens inteiras constantemente retomadas ao longo do romance, por vezes ligeiramente alteradas, expressões, imagens ou palavras insistentemente disseminadas por todo ele fechamento do seu universo mítico. A acção existe mais fora do tempo presente - umas escassas horas entre o meio-dia e as três da tarde de 12 de ASetemrbo de 1928 - do que dentro dele. A narracção é feita em sucessivos flash-back, retomados, complementados, açterados e baralhados por cada um dos personagens. Nada - ou tudo - se passa numa tarde sufocante de verão numa sala fechada de uma casa fechadas há dez anos, em tornmo de um caixão por fim fechado. Gabriel García Marquez com a sua escrita magnífica, leva-nos a uma aldeia e a uma  família burguesa, cujos destinossão indissolúveis, ambas destruidas por inimigos vindos de fora. Macondo, alimentada pelo ressentimento, virada para o passado, onde «a hera invade as casas, a erva cresce pelas ruelas» e os lagartos entram nos quartos - invadida por uma revoada de arrivistas que se apodera dela, a suga e a abandona depois à sua sorte".

Preço:8,00€

Referência:14049
Autor:ALVES, Olympio Duarte
Título:CANCIONEIRO DE MONTE REAL OU POESIAS DO ACASO
Descrição:

Edição do autor, Leiria, 1971. In. 8.º de 115-(6) págs. Br. Nítida impressão sobre papel de boa qualidade. Ilustrado em hors-texte com a "Fonte da Rainha Santa".

Apresenta uma extensa dedicatória.

Observações:

Inclui prefácio de Jaime Lopes Dias.

Esta obra resulta da recolha e arquivo, do autor, de poemas e versos de aquistas que frequentavam as suas termas.

Preço:19,00€

Referência:14048
Autor:ALBUQUERQUE, Martim
Título:A SOMBRA DE MAQUIAVEL E A ÉTICA TRADICIONAL PORTUGUESA. Ensaio de História e Ideias Políticas
Descrição:

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa, 1974. In-8º de 232 págs.Br. Ilustrado com gravuras extra-texto. Exemplar com os cadernos por abrir com nítida impressão sobre papel encorpado.

Observações:

Faz-se acompanhar de um excelente prefácio de Joaquim Veríssimo Serrão
Obra de fôlego, profundamente documentada, que permite ao autor concluir que "o pensamento tradicional português é antimaquiavélico" e que o maquiavelismo "é incompatível com a necessidade da expansão e com a psicologia de um povo sonhador de quinto-impérios e criador do tipo ideal do fidalgo".

Do prefácio:

"... Não seria exagero afirmar que o autor esgotou as fontes históricas, jurídicas, filosóficas e literárias de quatro séculos de Cultura Nacional poara erguer um admirável pano de fundo sobre a «presença» real e a «incerteza» prática de um Maquiavelismo de feição portuguesa ..."
 

Preço:30,00€
página 1 de 2