Banner Homepage

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Bacalhau | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Canada | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Cuba | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estoril | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Patuleia | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Publicidade | Queirosiana | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Viana do Castelo | Vila Nova de Gaia | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

Montra de Destaques

Referência:13958
Autor:AVEIRO, Valdemar
Título:HISTÓRIAS DESCONHECIDAS DOS GRANDES TRABALHADORES DO MAR recordações da pesca do bacalhau
Descrição:

Editorial Futura, Lisboa, 2009. In-8º de 226 págs. Br. Ilusstrado em extra-texto com fotografias a preto e branco.

Observações:

Obra que aborda a faina do bacalhau em navios da pesca de arrasto.

Da Badana


"A mestria aqui é tanto mais sedutora e cativante quanto não pertence ao reino do fingimento e, muito menos da ficção ou da invenção, fazendo-se acompanhar de notáveis qualidades, amáveis e aprazíveis no trato com o leitor, à imagem do seu autor: a sageza, a lhaneza, a coloquialidade, a simplicidade, a simpatia e a bonomia. Diria mesmo que Valdemar Aveiro escreve musicalmente tocando as cordas da sua lira em pizzicato, numa técnica sem parangonas nem espaventos, num tom sem alardes nem tremendismos, consoante ensinava o famoso e clássico Mestre em pizzicatos que foi Monteverdi; qui si lascia l’arco, e si strappano le corde com duoi diti.

Tão simples, tão fácil, tão difícil, tão subtil como isso. E, sobretudo, arriscado na corda tensa do escrever, no tremer da escrita. Já lá escrevia o nosso Padre António Vieira que não há cousa mais escrupulosa no mundo que papel e pena: dois dedos com uma pena na mão é o ofício mais arriscado que tem o género humano."

Preço:15,00€

Referência:13557
Autor:CARVALHO, Antonio Joaquim de
Título:OS TOIROS, Poema heroe-Cómico
Descrição:

Typografia Nunesiana, Lisboa, 1796. In-8º de X-89 págs. Encadernação coeva em carneira com dizeres em rótulo de pele na lombada. Guardas em papel marmoreado da época. Papel mantendo a sonoridade original.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Um dos mais apreciados poemas herói-cómicos da nossa literatura que explora  o ridiculo de alguns episódios tauromáquicos. É um poema em quatro cantos e é considerado o melhor trabalho deste autor conhecido como "poeta jocoso".
Inocêncio I, 159. “Presumo que fosse natural de Lisboa; porém não o affirmo por falta de noticias certas. Parece que exercera em principio a arte de cabelleireiro, a qual deixou depois pela profissão de mestre de dança. Morreu octogenario, quasi cego e pobrissimo em 1817, morador na rua do Crucifixo; e que fora sepultado na ermida da Victoria. Não declara porém a sua naturalidade, nem os annos que tinha quando morreu. Os Touros: Poema heroi comico. Ibi, na Typ. Nunesiana 1796. 8.o de X 89 pag. - Ibi, na Imp. de João Nunes Esteves 1825. 8.o de 52 pag. Este poema em quatro cantos, em oitava rima, passa entre os criticos por uma das melhores, se não pela melhor de todas as produções do auctor. Alguns chegaram até a duvidar de que fosse obra só dele, e disse se que Belchior Manuel Curvo Semedo o polira e retocara antes da impressão'

Preço:95,00€

Referência:13845
Autor:CARVALHO, Hieronimo Ribeyro
Título:SERMAM DA PURISSIMA E IMMACULADA CONCEIÇAM DA SEMPRE VIRGEM MARIAEm Santa Anna, pregou-o o Doutro Hieronimo Ribeyro de Carvalho, Chantre da Sé de Coimbra, anno 1672.
Descrição:

Na officina de Rodrigo de Carvalho Coutinho, Coimbra, 1673. In-8º de 24-(2)págs. Br. Ostenta anotações da época em algumas páginas.

PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

 

Observações:

Sermão sobre a Imaculada concepção de Maria proferido por Jerónimo Ribeiro de Carvalho chantre da Sé de Coimbra durante o século XVII e que foi um dos principais pregadores do seu tempo.

Inocêncio III, p. 275.

 

Preço:35,00€

Referência:13981
Autor:DACOSTA, Luísa
Título:DE MÃOS DADAS, ESTRADA FORA...
Descrição:

Livraria Figueirinhas, Porto, 1970. In-8.º de 103-(3) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com ilustrações de Jorge Pinheiro.

Observações:

Antologia de prosa e poesia que encerra textos de vários autores como Irene Lisboa, Sá de Miranda, Cecília Meireles, Trindade Coelho, Eça de Queirós, Raul Brandão, Vitorino Nemésio, entre outros.

Preço:15,00€

Referência:13635
Autor:DEROUET, Luís
Título:ÁLBUM REPUBLICANO
Descrição:

Typographia Adolpho de Mendonça, Lisboa, 1908. In-4º de 161 folhas. Encadernação editorial em tela, um bocado cansada, com ilustração de teor republicano nas pastas. Profusamente ilustrado.

PRIMEIRA EDIÇÃO.
INVULGAR

Observações:

Álbum de retratos e biografias dos principais activistas e também de alguns jornais republicanos que foi publicado em fascículos trimensais a partir de 1907, encerra retratos e biografias de  personalidades como Joaquim Teófilo Braga, Manuel José Arriaga Brum da Silveira, Bernardino Machado, Afonso Costa, António José de Almeida e Abílio Manuel Guerra Junqueiro.

Preço:65,00€

Referência:13983
Autor:LAPA, Albino
Título:HISTÓRIA DOS PAINEIS DE NUNO GONÇALVES
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1935. In-8º de 120-(8) págs. Br. Capas de brochura empoeirada com alguns picos de acidez. Ilustrada em extra-texto. Obra impressa a duas colunas. Exemplar nº 151 numerado e assinado pelo autor. Cadernos por abrir.

Observações:

Livro muito curioso sobre a  Questão dos painéis de Nuno Gonçalves, uma das maiores polémicas culturais portuguesas do século passado que teve a particularidade de atrair personalidades destacadas da cultura e académicos da especialidade.

"...querendo ser util à questão que mais tinta ainda gastou em Portugal e para facilitarmos os estudiosos, resolvemos publicar a HISTÓRIA DOS PAINEIS DE NUNO GONÇALVES - em bases diferentes da QUESTÃO DOS PAINEIS."
 

Preço:38,00€

Referência:13988
Autor:MACEDO JUNIOR, Diogo José de
Título:O MORAES DA MAGDALENA. (Recordações)
Descrição:

Tip. Rocha & Irmão, Gaia; 1924. In-8.º de 44-(4)págs. Br. Ilustrado em extra-texto com A. Gomes de Moraes, J. Gonçalves da Silva Mattos, um desenho de Camões de A. Teixeira Lopes e uma caricatura de Manuel Monterroso alusiva ao Canto II dos Lusíadas. Edição dedicada ao "Club de Villa Nova de Gaya, instituidor do Prémio "Luis de Camões" no 3.º centenário do Grande Épico".

INVULGAR.

Observações:

Opúsculo muito curioso sobre uma personagem de Gaia que era um grande camoniano. Encerra no final da monografia umas notas muito interessantes sobre tradições das gentes de Gaia.

Preço:23,00€

Referência:13788
Autor:OLIVEIRA, Manuel Caetano de
Título:DURANTE A MONARQUIA DOS TRAULITEIROS De 19 de janeiro a 13 de feveirero de 1919: Depoimento duma vitima
Descrição:

Edição do Autor, Porto, 1919. In-8º de 18-(12)págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto com imagens bastante gráficas.
 

MUITO RARO.

Observações:

Opúsculo sobre os Trauliteiros, milicia armada e violenta da chamada "Monarquia do Norte", ilustrado não só com fotografias muito gráficas de algumas vítimas e do grupo de agressores como também com algumas cartas e contratos relacionados com os trauliteiros.

Preço:45,00€

Referência:14012
Autor:OLIVEIRA, Paulino
Título:POEMAS de ...
Descrição:

Edições Descobrimento, Lisboa, 1932. In-4º de 379 págs. Br. Cadernos por abrir. Ilustrado com um retrato a lápis do autor. Valorizado pela emotiva dedicatória  de João de Castro Osório de Oliveira (filho do autor e de Anna Castro Osório).

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Livro publicado postumamente com a reunião da poesia de Paulino de Oliveira e com prefácio do poeta João de Castro Osório de Oliveira, seu filho.


Num extenso artigo publicado no Diario De Noticias em 10-6-64 aquando do centenário da morte de Paulino de Oliveira, David Mourão-Ferreira relembra o que Fernando Pessoa tinha escrito sobre o autor  "Tão intenso, porém., era o sentimento pagão que nele animava que em alguns poemas conseguiu fugir do cárcere. Esses poemas, creio, ficarão. Não deixarão, quase o afirmo, de ser incluídos na Antologia Portuguesa definitiva que alguém futuro formará", concordando com essa afirmação mas acrescentando que "Impossível... reduzir reduzir essa obra à exclusiva dimensão do paganismo. Se Paulino de Oliveira, sob muitos aspectos, se aparenta a um Teixeira-Gomes - pertence, por outros, não menos importantes, á familia espiritual de um Teixeira de Pascoais. Estará mesmo, talvez -como, poe exemplo, mais tarde acontecerá com António Patricio- a igual distância de um e de outro."

Rastros

De chofre, como rápido meteoro
Que risca as minhas noites mal veladas
Surgem faiscando e fogem apressadas
Coisas que mal compreendo e mal decoro

Lembranças vagas a que em vão imploro
E estendo os braços... coisas apagadas,
Rastros de antigos prantos e risadas
Que debandaram em sombrio coro

É como o lastro dessas caravelas,
Dantes povoadas, de enfunadas velas,
Em que embarquei à busca dos desejos...

Passa um perfume conhecido, vago -
Aura de rotos panos, velho afago,
Rastro de aroma, a ideia dos teus beijos!

 

Preço:30,00€

Referência:13929
Autor:SANTOS, Luís Reis
Título:VASCO FERNANDES E OS PINTORES DE VISEU DO SÉCULO XVI
Descrição:

Edição do Autor, Lisboa, 84-(78) págs.Encadernação editorial. Profusamente ilustrado  gravura policromática de S. Pedro, de Grão Vasco e em extra-texto  78 páginas, com estampas das obra atribuída ao pintor Grão Vasco. Valorizado por encerrar um cartão do autor com uma dedicatória.

INVULGAR.

Observações:

Primeira monografia artística e biográfica de Vasco Fernandes, o "Grão Vasco", é também uma obra de referência sobre a famosa Escola de Viseu e os  seus pintores mais famosos: Vasco Fernandes (Grão Vasco), Gaspar Vaz, António Vaz entre outros.

"A glória de Vasco Fernandes, o Grão-Vasco portentoso que a tradição converteu em lendária figura nacional, em génio criador de todos os painéis existentes no País e pintados sobre tábuas, nos séculos XV e XVI, à maneira gótica e renascentista, há já muito reclama a sua monografia histórica."

Preço:60,00€

Referência:13787
Autor:sem autor definido
Título:TRATADO DA EDUCAÇÃO FYSICA DOS MENINOS para uso da nação portugueza publicado por ordem da Academia Real das Sciencias.
Descrição:na Officina da Academia Real das Sciencias, Lisboa, 1790. In-8º de VIII-119 p.págs. Encaderação coeva em pele com pastas decoradas com papel pintado da época. Leves manchas ao longo do miolo, sem comprometer a estrutura sólida do papel. Apesar de alguns defeitos, muito bom exemplar desta já OBRA MUITO RARA.
Observações:Primeiro livro de pediatria em língua portuguesa. Segundo Almeida Garrett, na sua obra, publicada em 1829, "Da Educação" “Os dois breves, simples e excelentes tratados dos D.D. Mello-Franco e F.J. d’Almeida devem andar nas mãos de todos os pais e educadores”
Preço:265,00€

Referência:13602
Autor:TEIXEIRA, Marianno Vicente de Bastos
Título:BREVE TRACTADO DO BORDADO A MATIZ, E PETIT POINT ornado de um mappa das côres, com os nomes mais conhecidos pelo vulgo, para milhor intelligencia, acompanhado do curioso, symbolo, e significação das côres. O.D.C. ao bello sexo
Descrição:

Typographia da Gazeta dos Tribunaes, Lisboa, 1846. In-8º de 56 págs. Encadernação meia inglesa  com dizeres e florões a ouro na lombada. Ilustrado em extra-texto e com um desdobravél a cores com um curioso Mappa de cores.

INVULGAR.

Observações:

Livro muito curioso, dedicado ao bello sexo, sobre o método de bordar a matiz e a petit-point, que encerra também um capítulo sobre as cores os seus simbolos e o seu significado.

Preço:65,00€

Referência:13825
Autor:VASCONCELOS, José Leite de
Título:DICCIONARIO CHOROGRAPHICO DE PORTUGAL. Ampliado,melhorado e corrigido por A. Peixoto do Amaral
Descrição:

Livraria Portuense,Porto, 1902. In-8º de 193-(2) págs. Meia encadernação modesta, com as pastas em cartonagem marmoreada.

SEGUNDA EDIÇÃO.

Invulgar.

Observações:

Dicionário corográfico de Portugal organizado por Leite e Vasconcellos e ampliado, melhorada e corrigida por Peixoto do Amaral.

"Contendo todos os districtos, concelhos, comarcas e freguezias de Portugal e ilhas adjacentes: as distancias das freguezias á sede do concelho, e d'este á séde dos respectivos districtos. Todos os habitantes e fogos tanto de cada freguezia, como de cada concelho, e de cada districto administrativo. Todos os rios com o percurso expresso em kilometros e todos os montes com a respectiva altitude expressa em metros."

 

Preço:40,00€

reservado Sugerir

Referência:13798
Autor:VASCONCELOS, José Leite de
Título:ANTROPONIMIA PORTUGUESA.Tratado comparativo da origem, significação, classificação, e vida do conjunto dos nomes próprios, sobrenomes, e apelidos, usados por nós desde a Idade Média até hoje.
Descrição:

Imprensa Nacional, Lisboa., 1928. In-4º de  659 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas e com picos de acidez. Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra magistral de Leite de Vasconcellos sobre a antroponimia portuguesa onde o autor aborda a origem, o significado e a classificação dos nomes portugueses.

Preço:95,00€

reservado Sugerir

Referência:13699
Autor:VAZ, Francisco d'Assis de Sousa
Título:MEMORIA SOBRE A INCONVENIÊNCIA DOS ENTERROS NAS IGREJAS, E UTILIDADE DA CONSTRUCÇÃO DE CEMITÉRIOS
Descrição:

Imprensa de Gandra e Filhos, Porto, 1835, in-8º de 51 págs. Encadernação em papel marmoreado. Não conserva capas de brochura. Miolo com alguns picos de acidez.

INVULGAR.

Observações:

Uma das primeiras obras publicadas em Portugal que aborda os graves inconvenientes do  costume de se enterrarem os mortos nas Igrejas. Sousa Vaz não só refere as questões higiéniccas como apresenta o conceito de cemitério como "Atheneu Histórico" e "Museu da Morte". Para o autor, o cemitério oferecia às famílias “principais e abastadas” um “vasto campo da natureza” privilegiado para a construção dos seus túmulos “debaixo da direcção das Belas-Artes”, tornando-os assim monumentos aos falecidos promovendo assim , a “abertura de um novo campo das artes, estimulariam a produção dos artistas, que certamente quereriam rivalizar entre si com suas obras, e concorreriam para fazer imprimir nas artes progressos espantosos”.

Preço:85,00€

Referência:13956
Autor:VILLIERS, Alan
Título:A CAMPANHA DO ARGUS uma viagem aos bancos da Terra Nova e Gronelândia
Descrição:

Livraria Clássica Editora, Lisboa, s/d. In-8º de 366-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias do autor. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Obra escrita, a convite de Pedro Teotónio Pereira, embaixador português em Washington,pelo marinheiro Australiano Alan Villiers sobre  a epopeia dos pescadores portugueses, num dos mais belos veleiros da frota bacalhoeira portuguesa, o Argus.
Villiers embarcou com os pescadores portugueses e durante cinco meses, viu e registou a dureza da “faina maior” para a documentar. Naquele tempo, a pesca do bacalhau por “homens de ferro em navios de madeira”, a mítica “frota branca”, era a última grande actividade económica que fazia uso da navegação à vela para viagens transoceânicas.
Através desta obra de Alan Villiers no “Argus”, ficamos com uma imagem da pesca portuguesa que até 1974 utilizava ainda  o método tradicional de pesca, apanhavam o bacalhau com isco e à linha a partir de pequenos botes, denominados “dóris”, que saiam do navio-mãe para a água.

Preço:40,00€