Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Junho 2023
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Aveiro

Foram localizados 7 resultados para: Aveiro

 

Referência:15122
Autor:CHRISTO, Francisco Manuel Homem
Título:Carta a EUGÉNIO DE CASTRO com poemas originais.
Descrição:

Manuscrito original sobre folha de papel pautado, dim. 18 x 13 cm, manuscrito pela frente, datado e assinado, a tinta, pelo punho de Homem Christo e a lápis na pág. 3 e 4, com três poemas manuscritos pelo punho de Eugénio de Castro, de quem se reconhece a inconfundível caligrafia, de estética tão singular e exclusiva (proveniência: acervo de família do poeta Eugénio de Castro). Carta datada de 16 de Outubro de 1922 e os poemas do dia 19 do mesmo.

Observações:

Leia-se na carta: " O mais que conseguiria, creio, seria que meu filho ficasse para o fim dos exames. Ora os médicos são unânimes, Bissaia Barreto, José Rodrigues e Armando Gonçalves, em dizer que n'essa altura elle ainda terá a saude necessaria para fazer exame. Portanto desisto ...".

As três quadras manuscritas de Eugénio de Castro, correspondem a dois poemas distintos, sendo que se apresenta um deles, intitulado Na Praia (e depois Passos de Deusa na Praia), na forma de rascunho e outro na forma defintiva (? - não conseguimos apurar se este poema é ou não inédito, pelo que assim se considera até prova em contrário).

Francisco Manuel Homem Christo (1860-1943) natural de Aveiro foi jornalista, professor e político, seguiu a carreira militar até 1908, foi professor de História da Faculdade de Letras do Porto, deputado e membro do directório do Partido Republicano Português. Em O Século e O Povo de Aveiro (este último, jornal que fundou em 1882 e de que foi redactor durante largas décadas) revelou-se um aguerrido polemista político, invectivando tanto monárquicos como republicanos de vários matizes. Além dos temas da actualidade política da sua época, interessou-se por problemas pedagógicos. (Diccionário de Autores Portugues, DGLAB, 1990, vol II). É o autor do célebre livro A Anarquia em Portugal - Banditismo Político (1912), proibido de circular e quase totalmente destruída toda a edição, mal saiu da gráfica, quando foi impresso na capital espanhola.

Eugénio de Castro e Almeida (1869-1944) é a figura de proa do simbolismo na literartura em Portugal, sendo reconhecido internacionalmente pela sua vasta obra e de grande qualidade literária, relacionando-se com Verlaine, Moréas, Kahn e muitos outros simbolistas europeus (de quem foi entre nós o maior divulgador), considerado como tal, o introdutor e principal cultor nacional desta corrente. Além de poeta maior e reconhecido, foi professor universitário.

Preço:155,00€

Referência:15062
Autor:COELHO, João
Título:AVIARIUM e ILLIABUM ou AVEIRO e ÍLHAVO ATRAVÉS DOS SÉCULOS. Notas toponímicas
Descrição:

Tipografia de "O Figueirense", Figueira da Foz, 1953. In-8.º de 22-(2) págs. Brochado.

Tiragem restrita - RARO.

Observações:

Posfácio de José Leite de Vasconcelos.

Preço:25,00€

Referência:13372
Autor:LIMA, Jaime de Magalhães
Título:RASTO DE SONHOS arte e alentos de pousadas da minha terra
Descrição:

Emprêsa Gráfica A Universal, Porto, S/D. In-8º de 219-(4)págs. Br. Conserva capas de brochura. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Livro de crónicas escrita por Jaime de Magalhães Lima.

"Não  traduzem elas nem uma teoria, nem um sistema, nem princípios, nem regras, nem o que quer que seja disciplinado e fundado em sciência e razão; são apenas as impressões desordenadas de um vagabundo optimista qque, por ser optimista, confia sempre em que o dia de amanhã será mais alumiado e feliz do que o dia de hoje..."

Preço:28,00€