Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Julho 2021
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Bibliofilia

Foram localizados 75 resultados para: Bibliofilia

 

Referência:14795
Autor:AAVV
Título:A ILHA. À Memória de Sebastião da Gama.
Descrição:

Editor Élio Santana, Setúbal (Tipografia Sado), 1957. In-8º de 16 págs. Brochado. Com um retrato colado de Sebastião da Gama. Capa ilustrada com composição surrealista. Tiragem limitada a 300 exemplares, de circulação muito restrita. Picos de acidez, também marginal e lombada restaurada.

O único exemplar que encontrámos referido corresponde ao descrito na BN.
Desconhecido das principais bibliografias consultadas sobre Sebastião da Gama.
RARO.

 

Observações:

Colaboração de Artur Ribeiro, César Pratas, Manuel Tomé, Maria Elisa Reynaud, Maria Manuel, Miguel de Castro, Sebastião da Gama, Artur Ribeiro.

Encerra um inédito de Sebastião da Gama - A ILHA,  poema que dá o título à plaquete.
 

Preço:60,00€

Referência:14768
Autor:BRANDÃO, Raúl
Título:O AVEJÃO. Episódio Dramático.
Descrição:

Edição da Seara Nova, Lisboa, 1929. In-8º de 32 poágs. Brochado. Capa de brochura ilustrada por Carlos Carneiro.

Observações:

Constitui a primeira edição independente em livro, desta peça de teatro que foi publicada originalmente na revista Seara Nova (nº 150).

Preço:23,00€

Referência:14369
Autor:BRANDÃO, Raul & PASCOAES, Teixeira de
Título:JESUS CRISTO EM LISBOA. Tragicomedia em sete quadros.
Descrição:

Livrarias Aillaud e Bertrand. Lisboa. s. d. (1926). In-8º de 120 págs. Brochado. Rúbrica de posse coeva no frontspício.

Observações:

"Vinte séculos escoaram, e Jesus reencontra os mesmos males que não curou. Nada mais lhe resta do que fazer-se crucificar de novo. O Deus feito homem passa da cabana do cavador miserável ao gabinete do Comissário de Polícia, onde ele encontra o anarquista e o ladrão. Ouvimos a mulher honesta invejar cruelmente o insolente luxo da prostituta; assistimos à reunião do Conselho de Ministros, onde perpassa o pavor dos estragos que pode causar, no mundo moderno, a pregação de uma doutrina de humildade e de pobreza; na Catedral, encontramos o Diabo e Jesus face a face; o próprio poeta duvida que um Deus verdadeiro possa aparecer na Lisboa do nosso tempo; todavia, este Deus está de facto ali, sob a forma humana, e os poderosos do dia decidiram que deveria morrer pela segunda vez..." [Philéas Lebesgue, Lettres Portugaises (excerto), in Mercure de France, n.º73, tomo CCVIII, Paris, 1.12.1928.]

Preço:70,00€

Referência:22
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:DESCRIÇÃO BIBLIOGRÁFICA CAMILIANA, de uma importante e valiosa colecção de bibliografia activa e passivade CAMILO CASTELO BRANCO
Descrição:

In-4º de 141-(1) págs. Brochado. EXEMPLAR DA EDIÇÃO ESPECIAL limitada a 40 EXEMPLARES, numerados e rubricados pelo autor. Impressão em papel de qualidade superior, com os cadernos por abrir e cosidos manualmente. Ricamente ilustrado com reproduções de frontispícios e encadernações. Apresenta também reproduções fieis de diversas páginas das 3 primeiras edições do livro Caleche para distinção editorial.


INDISPONÍVEL em formato físico. Em formato PDF pode efectuar gratuitamente download em : http://www.livro-antigo.com/listagem/

Observações:

Do prefácio: "Esta colectânea de obras camilianas é das mais completas que se tem apresentado para venda em Livrarias ou Leiloeiras nas últimas décadas. Ordenado ao longo de 500 lotes em Bibliografia Activa e Bibliografia Passiva, nela figuram primeiras tiragens de excepcional raridade que têm sobre o valor do livro sensus lacto, o valor intrínseco bibliofílico em continuada valorização. Não faltam à chamada o Bico de Gaz na edição original de 1854, a tão cobiçada Infanta Capellista (1872), o Caleche, as Horas de Luta, a folha solta de setim de Laura Geordano, os raríssimos folhetos Hossana, Maria não me mates que sou tua mãi, Folhas cahidas apanhadas da lama e o Folhetim do Nacional em primeira reprodução (1861). Um exemplar único da especialíssima tiragem em papel japão do Cancioneiro Alegre, exemplar como que um quase livro-mito das importantes bibliografias camilianas em que todas elas o refereciam mas nunca o viram. Um folheto de poesia desconhecido pelos bibliógrafos e da autoria de Camilo As duas actrizes (1849). Entre os romances cujas primeiras edições são de excepcional raridade figuram o Amor de Perdição (1862), Carlota Angela (1858), o Anathema (1851) e as Scenas Contemporâneas (1855). Entre as muito raras obras as produções poéticas e teatrais de Camilo figuram o Juizo Final (1845), as Inspirações (1851), a Murraça (edição de Freitas Fortuna), os Pundonores Desagravados (tiragem de 5 exemplares), as Revelações (1852), o Agostinho de Ceuta (1847), o Marquez de Torres Novas (1849), as Abençoadas Lágrimas (1861) etc… Um exemplar da edição original com 2 frontispícios de Um Volume que custa 400 reis (1858). Nas traduções de Camilo, algumas raras, enfileiram-se diversas obras primas desde a Formosa Lusitania, Fanny e as obras de Chateaubriand. Para arrematar em grande a descrição desta colecção camiliana, modéstia à parte, apresentamos o manuscrito original devidamente autenticado com a assinatura do romancista, do raríssimo folheto Nacional de segunda feira 26 de Fevereiro de 1850, Folhetim do Nacional. Utilizando as palavras de Matos Sequeira que enchem os prefácios das bibliografias de José dos Santos “ … tem o público à farta onde dessedentar-se de passadas e mal contidas securas (…) É uma maré cheia de Camilianismo …”.

INDISPONÍVEL em formato físico. Em formato PDF pode efectuar gratuitamente download em : http://www.livro-antigo.com/listagem/

Preço:0,00€

Referência:13465
Autor:FILIPE, Daniel
Título:MARINHEIRO EM TERRA. Poemas.
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1949. In-8º de 53-(3)págs. Br. Capas com alguns picos de acidez. Capa de António Vaz Pereira. Este exemplar é o nº 2 de 5 exemplares em papel bíblia, da Matrena, fora do mercado, numerados e rubricados pelo autor". Valorizado pela expressiva dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Castro a quem o livro também é dedicado.

PRIMEIRA EDIÇÃO do segundo e raro livro do autor.

Observações:

 

CANTIGA DE RODA

A tarde no jardim deserto e calmo
e este livro de poemas morno e fútil!
(Por exemplo: vejamos este "salmo")
Tudo tão completamente inútil!

Um céu azul, sem núvens - de verão.
Duas crianças jogam animadamente
ao eixo. Um entusiasmo são
qur me torna igual a toda a gente!

Apetece ser simples e sincero,
aqui onde há crianças e pardais...
Que diabo! Uma vez, ao menos, quero
ser como os mais!

 

Preço:75,00€

Referência:14481
Autor:FONSECA, Manuel da
Título:ROSA DOS VENTOS. Desenhos de Manuel Ribeiro
Descrição:

Edição do Autor, Lisboa, 1940. In-8º de 71-(3) págs. Encadernado inteira de percalina verde com dizeres dourados na lombada. Preserva as capas de brochura.

RARA e importante obra

Observações:

PRIMEIRA EDIÇÃO DO PRIMEIRO LIVRO deste consagrado poeta neo-realista, autor de uma das mais importantes poemas do século XX - DOMINGO, aqui publicado. Fez parte do grupo do grupo do NOVO CANCIONEIRO e através da sua arte teve uma intervenção social e política muito importante, retratando o povo, a sua vida, as suas misérias e as suas riquezas, exaltando-o e, mesmo, mitificando-o.

Segundo Osvaldo Silvestre, "... a obra de Manuel da Fonseca (1911-1993) acaba por realizar o destino interventivo que desejou. De tal modo que não é possível estudá-la hoje à margem da mitologia revolucionária de que se alimentou, por longas décadas, a resistência ao regime, mitologia para a qual, afinal, contribuiu decisivamente. De certo modo poderíamos mesmo dizer que a sua obra coloca, como nenhuma outra, a questão da mitologia neo-realista - assim como a do neo-realismo enquanto mitologia (...) A publicação de "Rosa dos Ventos" em 1940, altura em que o neo-realismo na poesia não conseguira ultrapassar a inconsistência de algumas tentativas exploratórias, veio viabilizar uma alternativa ao presencismo dominante".
"A sua poesia propor-se-á como oralidade dramática, pela qual a enunciação é delegada num vasto friso de personagens que assim conquistam finalmente a sua voz, no que é afinal uma reparação feita a todos aqueles a quem a História interditara a voz, relegando-os para a esfera do não-dito - e daí a oralidade desta poesia, tão devedora no tom e nas formas poéticas de tradições maioritariamente populares, isto é, não cultas. É esta, pois, uma poesia em que o realismo se declina em termos históricos e, sobretudo, materialistas, pela forma como se enraíza na concretude de personagens e situações." ALVARO RIBEIRO DOS SANTOS-1288

Preço:160,00€

Referência:13336
Autor:FREITAS, Gustavo de & CABRAL, Miguel de Castro
Título:OBRAS DO DIABINHO DA MÃO FURADA Novela atribuída a Antonio José da Silva ( o Judeu). Edição e estudo Critico de
Descrição:

Revista da Lingua Portuguesa, Rio de Janeiro, 1925. In-4º de XXV-85 págs. Br. Capas de brochura envelhecidas. Separata da Revista da Lingua Portuguesa. Edição especial de 29 exemplares numerados e rubricados pelos autores dos quais "só entram no commercio os de nº 22  a 29", sendo este exemplar o nº 19. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira.

RARO.

Observações:

Obra portuguesa, de autoria e data controversa do Séc XVIII ou XIX,atribuida a António José da Silva e que circulou em forma de manuscritos, conhecendo-se apenas dois manuscritos preservados que divergem em alguns detalhes: um deles está na Biblioteca Nacional e outro na Academia de Ciências de Lisboa.
A obra,  narra a  história do Diabinho da Mão furado e do soldado Peralta às voltas com pactos, diabos, bruxas, e também com  referências clássicas, como a Bíblia, a Divina Comédia de Dante,e Dom Quixote de  Cervantes.Nas entrelinhas dessa   narrativa, o autor introduz severas críticas à sociedade lisboeta e à intolerância da Inquisição  
Portuguesa.
As primeiras 25 páginas desta obra encerram um prefácio de Fidelino de Figueiredo e um estudo critico de Gustavo de Freitas & Miguel de Castro Cabral.

Preço:50,00€

Referência:14484
Autor:LISBOA, Irene
Título:COMEÇA UMA VIDA.
Descrição:

Seara Nova, Lisboa, 1940. In-8º de 134-(4) págs. Encadernação moderna, meia inglesa com cantos em pele. Oreserva as capas de brochura, o Exemplar ostenta todas as margens intactas.

Observações:

Novela ilustrada por Maria Keil do Amaral . PRIMEIRA EDIÇÃO de um dos primeiros livros de Irene Lisboa, utilizando ainda aqui o seu pseudónimo João Falco, considerado um dos mais originais autores da literatura portugesa.

Preço:45,00€

Referência:14637
Autor:NEMÉSIO, Vitorino
Título:O VERBO E A MORTE
Descrição:

Livraria Moraes Editora, Lisboa, 1959. In-8º de 90-(6) págs. Brochado. Exemplar impecávelmente bem conservado.

Observações:

Este é um dos mais significativos livros de poesia de Nemésio integrado na apreciada colecção Círculo de Poesia.

 

 

 

VERBO E ABISMO       

Já da vaga vocálica dependo
Como a alga que a onda leva à areia:
Mas eu mesmo, que a digo, mal entendo
A voz que clama a minha vida e a enleia.

Se intervenho no som gratuito, ofendo
Seu sentido secreto e íntima cheia:
Transtornado por ela, emendo, emendo,
E é ela que me absorve e senhoreia.


Verbo ao abismo idêntico, toado
Sobre os traços de fogo que precedemA presença de Deus no monte irado,

Ao teu sopro de amor as vozes cedemO que a morte decifra e restitui
Ao espírito liberto do que fui.

Preço:50,00€

Referência:14770
Autor:QUEIROZ, Teixeira de [BENTO MORENO]
Título:O SALLUSTIO NOGUEIRA. Estudo de Política Contemporanea por ...
Descrição:

Livraria Editora Mattos Moreira & Cardosos, Lisboa, 1883. In-8º de 470-(1). Encadernação coeva, meia inglesa em skivertex. Conserva capa de brochura anterior. Aparo marginal e Ex-libris na pasta anterior e outro na posterior.

Ostenta uma dedicatória autógrafa à escritora Guiomar Torresão, data de 1897. Belo exemplar

Observações:

O Salústio Nogueira é aquele que os críticos literários consideraram o melhor romance de sempre do escritor Teixeira de Queirós. Camilo Castelo Branco escreveu um dia que não havia em Portugal um número significativo de leitores com um nível cultural suficientemente elevado para poderem desfrutar da leitura de obras como O Salústio Nogueira.

" ... A acção d’O Salústio Nogueira começa em finais do século XIX, entre as elites de Lisboa e o ambiente predominantemente rural da região de Braga. Salústio Nogueira, homem de grandes ambições, consegue, graças ao empenho de pessoas influentes, o cargo de deputado por que tanto ansiava. Angelina, filha de um humilde comerciante e fervorosa amante de Salústio, aceita o convite que o deputado lhe faz e vai viver com ele para Lisboa. Para trás, fica o desgosto de seus pais, que esperavam vê-la casada com um humilde rapaz e, certamente, nunca esperariam que a sua filha, a menina mais católica e temente a Deus que havia em Braga, partisse pela noite sem nada dizer.

Pode parecer enredo de telenovela, mas é bem mais do que isso. Teixeira de Queirós, neste romance, traça-nos um rigoroso retrato da sociedade do seu tempo, apontando o dedo à corrupção. Além disso, e como viriam a assinalar mais tarde os estudiosos, trata-se de uma das primeiras manifestações de um verdadeiro humanismo feminista na nossa literatura. Efetivamente, apesar do título do romance, Salústio não é propriamente o herói desta narrativa..." (Vitor Rodrigues)

Preço:75,00€

Referência:14826
Autor:Sem autoria
Título:CATÁLOGO DA LIVRARIA DO EX.Mº Sr. CARLOS MACEDO BRANCO COMPOSTA DAS MELHORES OBRAS DA LITERATURA PORTUGUEZA MODERNA E CONTEMPORÂNEA E COM A MAIS COMPLETA CAMILIANA que até hoje tem aparecido para venda em leilão.
Descrição:

Livraria Moraes, Lisboa, 1927. In. 8.º de 192 págs. Br.

Observações:

Ex-libris de Henrique R. Vieira. Na página 33 verifica-se uma pequena falha de papel com prejuízo da mancha tipográfico.

Preço:15,00€

Referência:14443
Autor:Sem autoria
Título:CORRESPONDÊNCIA DE EL-REI D. MANUEL II com o Dr. Maurice L. Ettinghausen sobre os LIVROS ANTIGOS PORTUGUESES.
Descrição:

Fundação da Casa de Bragança, (Lisboa, 1957). In-4 de 90-(7) págs. Brochado. Com uma dedicatória autógrafa.

Observações:

Prefácio  de Prof. Dr. M. B. Amzalak.

" Reunem-se neste volume uma interessante colecção de cartas dirigidas por El-Rei Manuel II ao Dr. Maurice Ettinghausen a propósito do seu monumental trabalho de bibliografia, e ainda outras cartas escritas pela sua bibliotecária sobre o mesmo assunto. São acrtas muito interessantes. Nelas se trata da organização, da publicação e da expansão daquele livro valioso. O Senhor D. Manuel manifestou nestas cartas escritas em francês e inglês, não só a sua grande erudição, a sua paixão de coleccionador, o seu desejo de máxima expansão do seu livro, mas também um profundo conhecimento da história, dos homens e da Vida ..."

Preço:19,00€

Referência:14816
Autor:VASCONCELOS , Mário Cesariny de
Título:DISCURSO SOBRE A REABILITAÇÃO DO REAL QUOTIDIANO
Descrição:

Contraponto, s.d. (1952), Lisboa. In-8º de 25-(1) págs. Brochado. Ocasionais picos de acidez. Lombada com ligeiro defeito provocado por manuseamento, junto do topo.

BOM EXEMPLAR desta Primeira edição do segundo livro do autor.

Observações:

Neste segundo livro de Cesariny (o primeiro, Corpo Visível em 1950) presencia-se o humor, o absurdo, o sarcástico ou negro, características estas que serão uma outra característica fundamental da sua poesia, presente nos inventários de Discurso Sobre a Reabilitação do Real Quotidiano  " (...) a outra viagem por mar / o jovem que já é livreiro / a camionete a esmagar / o túmulo de Sá-Carneiro (...)."

Preço:100,00€

Referência:14818
Autor:VIEIRA, Luandino
Título:NO ANTIGAMENTE NA VIDA. Estórias
Descrição:
Observações:

Edições 70, Lisboa, 1974. In-8º de 220-(3) págs. Brochado.

PRIMEIRA EDIÇÃO. Exemplar impecável ostentanto uma dedicatória autógrafa.

Preço:29,00€

Referência:14750
Autor:[HELDER, Herberto]
Título:A CABEÇA ENTRE AS MÃOS
Descrição:

Assírio e Alvim, lisboa, 1982. In-8º de 41-(7)págs. Brochado. Exemplar em magníficas condições de conservação.
Primeira edição.

Observações:

Colecção "Cadernos Peninsulares /Literatura". Livro inserido na colecção Cadernos Peninsulares/ Literatura. Na opinião de Nuno Júdice, a poesia de Herberto Helder  tornou-se um momento ímpar na afirmação daquilo que, em Portugal, se pode considerar como a mais conseguida realização do visionarismo poético ocidental, que recebe a herança de Rimbaud e Lautréamont e passa pelo surrealismo. Herberto Helder é sem dúvida, na opinião de outros críticos literários, o poeta mais importante da sua geração e a mais curiosa e intrigante personalidade do nosso experimentalismo. Radicando-se na tendência surrealista, a sua poesia revela uma excepcional riqueza de recursos expressivos com um grande poder encantatório gerando-se na zona originária do ser em que a criação absoluta torna imperioso ao poema “ ... vencer a fascinação do incriado e impor uma ordem e uma harmonia ao turbilhão interior ...” (António Ramos Rosa).

Preço:85,00€