Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Maio 2020
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Coimbra

Foram localizados 65 resultados para: Coimbra

 

Referência:13357
Autor:autoria indefinida
Título:REVISTA CRÍTICA DE CIENCIAS SOCIAIS
Descrição:

Centros de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1978-1986. Vinte primeiros números da Revista de Estudos Sociais em treze volumes (alguns dos números são duplos ou triplos). Br. Alguns volumes com assinatura de posse. Falho do nº 6.

Observações:

 A Revista Crítica de Ciências Sociais é  uma edição quadrimestral do CES (Centro de Estudos Sociais) da Universidade de Coimbra que publica artigos que apresentem resultados de investigação avançada e de reflexão teórica inovadora em todas as áreas das ciências sociais e das humanidades. A revista foi fundada em 1978 por professores de Sociologia da Faculdade de Ecoomia da UC sob a direcção de Boaventura de Sousa Santos.
A Revista privilegia a publicação de números temáticos com artigos escritos por investigadores sobre as  respectivas áreas de especialidade.


Estes primeiros vinte números encerram alguns números temáticos como : Literatura e sociedade; Teoria das classes; A pequena agricultura em Portugal;Portugal 1974-1984: Dez anos de transformação social,  e artigos bastantes interessantes como : Um Exemplo de Resistência Popular - O Sebastianismo (José Veiga Torres);A Reforma Agrária em Portugal e o Desenvolvimento Económico e Social (Afonso de Barros); Telenovelas. A Propósito da Cultura de Massas (João Paulo Moreira); A Escrita na Vida da Gente: Sobre "Autobiografias Operárias" (Maria Irene Ramalho); Re-lendo "A Room of One's Own". Onde se conta de mudas que ouvem, surdos que falam e mudas que aprenderam a falar (Graça Abranches); "All Colored People Sing". Do estereótipo à identidade (Isabel Caldeira); Carta inédita  de Jorge de Sena; Mulheres, Família e Trabalho Doméstico no Capitalismo  (Virgínia Ferreira);Para uma Sociologia da População - um comentário à Demografia  (Carlos Fortuna); A figura do camponês em Artes e Letras de oitocentos (José Augusto França) entre muitos outros.

Preço:75,00€

Referência:13840
Autor:BARBOSA, José [comp.]
Título:ARTE MILITAR NA BIBLIOTECA GERAL DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA (Séc. XVI-XVIII)
Descrição:

Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1990. In-8º de 63- (30) págs. Br. Profusamente ilustrado com reproduções, algumas em páginas desdobráveis e armamentos, fortificações, capas de livros, etc.

 

Observações:

Obra com a  vasta bibliografia sobre arte militar impressa entre os séculos XVI e XVIII,  que pode ser encontrada no acervo da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, em Portugal. Para além da bibliografia constam da publicação dezenas de gravuras ilustrativas: armamentos, fortificações, capas de livros, entre muitas outras.

Da Introdução:
"Possui a Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra nos seus fundos bibliográficos um núcleo muito significativo de obras impressas nos séculos XVI a XVIII, sobre arte militar. Estas obras, provenientes dos antigos colégios universitários, ou adquiridas durante o século XVIII em leilões e livreiros, em especial franceses, estão de perto relacionados com o ensino da matemática, álgebra, aritmética, geometria, trigonometria, física, etc., com aplicações directas e práticas na balística e arquitectura militar, consideradas em termos de defesa e ataque, numa arma então em evolução e grande desenvolvimento como foi a artilharia.
Não é, pois, de estranhar, pelo seu conteúdo matemático, a existência de uma bibliografia deste tipo nos planos tradicionais do estudo universitário, o que, para os séculos XVII e XVIII, ganha uma incidência especial na implicação de Portugal, por vezes directamente, nas guerras através das quais se procurou estabelecer o equilíbrio europeu, e em cujo número cumpre destacar a Guerra dos 30 Anos, a Guerra da Restauração, a Guerra da Sucessão de Espanha e a Guerra dos 7 Anos, num período que, lato sensu, se pode prolongar, do ponto de vista dos meios militares em uso, até às Invasões Francesas, embora, por esta altura, e mercê do desenvolvimento da arte e táctica militares, a utilização da fortaleza abaluartada fosse progressivamente abandonada."

 

Preço:16,00€

Referência:14461
Autor:BRANDÃO, Mário
Título:O LIVRO DA RECEPTA & DESPESA DAS RENDAS DA UNIVERSIDADE POR MANUEL LEITAM Q COMEÇOU PER PASCOA DE 544 ANNOS. SCRIVAM MANUEL TOMAS.
Descrição:

(Nas Officinas da "Atlântida"), Coimbra, 1938. In-4º de - 8º de 56-(1) págs. Brochado. Dedicatória autógrafa a Virgilio Correia. Capas com ocasionais picos de humidade. Miolo bem conservado.

Anotações marginais a lápis co preciosa informação, escritos pelo punho do notável investigador de história, o Pdr. Nogueira Gonçalves.

Observações:

Publicação do Arquivo e Museu de Arte da Universidade de Coimbra.

Preço:23,00€

Referência:13914
Autor:BRUNO, José
Título:UMA VÉSPERA DE FERIADO peça de costumes de coimbra
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1929.In 8º de XVIII-234-(1) págs. Br. Profusamente ilustrado com vários retratos em extra-texto: Francisco Xavier Pais de Sande e Castro, António Correia da Fonseca, Alberto Costa ( Pad- Zé ), Fernando de Figueiredo, Miguel Trancoso, Alberto de Campos Melo, A. Vitor dos Santos, Rui Ulrich, E. de Sande Marinha, Carlos Roberto Pinto, Luis de Albuquerque, Pedro de Miranda, José Bruno, João Castelo Branco, Alberto Moura Pinto e Álvaro Sereno. A partir da pág. 215- 225  encerra um " In Memoriam " a José Aires de Magalhães.

Observações:

Peça expressamente escrita para ser representada por um grupo de quintanistas de Direito, Medicina e Filosofia, na sua récita de despedida, a 9 de Março de 1904, no Teatro Príncipe Real de Coimbra, repetindo-se no mesmo teatro a 12 de Março e em Lisboa, no real Teatro de S. Carlos, a 24 , em benefício da assistência nacional aos tuberculosos.
Esta obra obteve um êxito extraordinário, pelo que foi editada várias vezes e representada outras tantas por sucessivas gerações.

Preço:16,00€

Referência:13404
Autor:CRESPO, José
Título:SANTA ISABELna doença e na morte
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1972. In-8º de 204 págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Estudo muito interessante que baseando-se na  vida da Rainha Santa Isabel analisa as condições sociais da época, a acção exercida pela rainha em obras de assistência, e nos dá um vislumbre da medicina no século XIII ao analisar a doença e morte da rainha.

Preço:28,00€

Referência:13969
Autor:CRISTINO, Augusto Lopes
Título:EXCÊNTRICOS PANORAMAS VISTOS DE COIMBRA
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1953. In-8º; de 194-(1) págs. Br. Cadernos por abrir.  Capas de brochura ligeiramente amarelecidas.

Observações:

Livro de memórias sobre os tempos de estudante de Coimbra do autor.

Preço:20,00€

Referência:14424
Autor:DIAS, Pedro
Título:O MUDEJARISMO NA ARTE COIMBRÃ - SÉCULOS XV E XVI
Descrição:

Coimbra Editora Lda, Coimbra, 1979. In. 8.º de 49(1) págs. Brochado

Observações:

Desenvolvido trabalho sobre a arte mudejar em Portugal e, particularmente, em Coimbra. Ilustrado ao longo do texto. Separata do Arquivo Coimbrão, volume XXVII.

Preço:15,00€

Referência:13889
Autor:FALCATO, João
Título:COIMBRA DOS DOUTORES
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1957. In-8º de 208 págs. Br. capas de brochura envelhecidas. Com assinatura de posse. Ilustrado em extra-texto com fotografias.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:


Livro de memórias sobre a vida estudantil em Coimbra nos anos 40/50, é uma obra de referência pois João Falcato é bastante critico ao  Estado Novo e está longe de  ser  uma obra saudosista, cheia de anedotas e de louvores  à Academia e à UC.

 

Preço:18,00€

Referência:13919
Autor:FRANCO, Augusto Soares
Título:QUEM TORTO NASCE TARDE OU NUNCA S'ENDIREITA em 1 acto & QUEM FEIO AMA, BONITO LHE PARECE em 2 actos. Comédias originais por ...
Descrição:

Imprensa Conimbricense, Coimbra, 1856. In-8º de 65-65 págs. Encadernação moderna, meia inglesa com cantos em pele castanha. Papel de fina gramagem mas sustentando resistência e a sonoridade original do papel.

Observações:

Conjunto de duas peças de teatro muito curiosas escritas por Augusto Soares Franco.

Preço:40,00€

Referência:13605
Autor:LIMA, Augusto J. Gonçalves
Título:MURMURIOS
Descrição:

Typographia da Revista Popular, Lisboa, 1851. In-8º de XXIV-262-(2) págs. Encadernação meia inglesa em pano com dizeres a ouro em rótulo de pele. Sem capas de brochura e ligeiramente aparado. Pequenoa carimbo de posse.


PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

 

Observações:

Livro de poemas de Augusto Gonçalves Lima, um dos nove poetas que integraram a revista "Trovador" editada por Feliciano de Castilho que acreditava ter descoberto uma nova linhagem de poetas coimbrães, "os poetas do Trovador". Em jeito de prólogo o livro encerra cartas trocadas entre o autor e o critico literário dessa geração, António Pedro Lopes de Mendonça.

Preço:25,00€

Referência:14439
Autor:RODRIGUES, Manuel Augusto
Título:A INQUISIÇÃO E O CABIDO DA SÉ DE COIMBRA (1580-1640)
Descrição:

In-4º de 51 poágs. Brochado com margens ligeiramente oxidadas. Ostenta uma expressiva dedicatória autógrafa. Separata do Arquivo Coimbrão.

Observações:

Estudo muitodesenvolvido sobre as relações inquisitoriais e o Cabido da Sé de Coimbra em que os móbeis económicos desempenharam um papel importante para a retenção dos judeus e para o estabelecimento do Santo Ofício, em que o poder sócio-económico dos judeus se manifestava de muitas e variadas maneiras.

"... O poder económico do judeu e a sua qualidade de agente fiscal do Estado, da nobreza e até, durante algum tempo, da própria Igreja, fez-se acompanhar de sequelas políticas e sociais inevitáveis. O braço popular da plebe das vilas e aldeias, como classes mais directamente afectadas com a ascenção da minoria israelita, lavraram, sem rodeios, o seu protesto contra a marcha dos acontecimentos. Efectivamente, foram inúmeras as reações das várias classes da sociedade portuguesa contra a presença de judeus em Portugal..."

Preço:19,00€

Referência:13965
Autor:SÁ, Octaviano
Título:A TRICANA NO FOLCLORE COIMBRÃO
Descrição:

Comissão Municipal de Turismo, Coimbra, 1942. In-8º de 72 págs. Br. Separata de 'O Instituto'. Desenho da capa de Fausto Gonçalves. Profusamente ilustrado ao longo do texto com desenhos, gravuras e fotografias a preto e branco representando as tricanas através dos tempos. Capa com sinais de manuesamento e com alguns picos de acidez.

MUITO INVULGAR.

Observações:

Obra muito curiosa que encerra a versão ampliada de uma conferência inicialmente proferida pelo autor na sede do grupo folclórico Rancho de Coimbra.
Aborda a figura da Tricana de Coimbra no folclore e nas artes. Encerra também um poema de Alberto Osório de Castro.

Preço:25,00€

Referência:13968
Autor:SAMPAIO, Armando
Título:ENCONTRO COM A SAUDADE Recordações de um antigo estudante de Coimbra.
Descrição:

Edição do autor, Coimbra, 1965. In-8º de 237-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias. Capa de brochura ilustrada por J. Sampaio.

Observações:

Obra muito curiosa sobre a vida universitária em Coimbra na década de 40.

"Ao iniciar os estudos na Universidade sofri os efeitos naturais da liberdade a que não estava habituado. Era isso, justamente, que meu Pai temia..."

Preço:18,00€

Referência:13873
Autor:SOARES, A. J.
Título:SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO TEATRO DOS ESTUDANTES DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 1938 - 1961
Descrição:

Edição do autor, Coimbra, 1961. In-4º de 347-(4)págs. Br.  Cadernos por abrir. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

 

Observações:

Obra que aborda a históras do teatro estudantil de Coimbra e também  as deslocações dos grupos de teatro ao Porto, Lisboa, Açores, Madeira, Algarve, Braga, Leiria, Figueira da Foz, e ainda ao ultramar português, Luanda, Benguela, Sá da Bandeira, ilhas de de Cabo Verde, etc.

“As representações teatrais dos estudantes de Coimbra constituiram sempre uma actividade cultural da maior importância, não só como diversão mas também como processo pedagógico. Há notícia de espectáculos teatrais na Universidade em data anterior a 1538 e sabe-se que por ocasião de uma visita de D. João III à Universidade de Coimbra, houve um solene espectáculo para festejar o acontecimento, em que foi interpretada uma comédia de Plauto. As récitas teatrais e a composição de obras dramáticas faziam parte dos métodos pedagógicos do Renascimento, e também em Coimbra aparecem provisões reais a regulamentar os espectáculos promovidos por Mestres e alunos da Universidade ”.

 

Preço:15,00€

Referência:14357
Autor:SOUSA, António de
Título:CRUZEIRO DE OPALAS. Versos de amor e Saudade que Antonio de Portucale compoz nos anos de MCMXVI, MCMXVII e MCMXVIII nas cidades de Lisboa, Porto, Coimbra e na aldeia de Santa Cruz do Douro.
Descrição:

(Typ. Popular, Coimbra, 1918). In-8º de 43-(5) págs. Brochado

Observações:

São raríssimos os exemplares deste primeiro livro de António de Sousa, livro publicado sob pseudónimo - ANTONIO PORTUCALE.
 

António de Sousa, nasceu no Porto a 25 de Dezembro de 1898. Estudou na Universidade de Coimbra, onde se licenciou em Direito, e onde viveu largos anos. Casado com a pintora Alice Toufreloz Brito de Sousa, vem para Lisboa, em finais dos anos 40, indo residir para Algés, concelho de Oeiras. Tal como Edmundo de Bettencourt, passara primeiro pela Faculdade de Direito de Lisboa, antes de aportar a Coimbra. Teve uma vida académica muito intensa durante o seu percurso por Coimbra, em que a poesia e os ventos de um Modernismo crescente, o envolveram profundamente, levando a que o final curso, se fosse ficando um pouco tardio. António de Sousa já como estudante de Direito, mostrara ser um poeta de rara sensibilidade, que escreveu poesia da mais pura água, alguma da qual, foi gravada e cantada, pelos grandes cantores da chamada primeira “década de oiro” da Canção de Coimbra. Ainda hoje não a dispensam, na maior parte de repertório dos cantores de Coimbra.

Foi presidente da Associação de Basquetebol de Coimbra, secretário-geral e presidente a Associação Cristã dos Estudantes de Coimbra e um dos fundadores da Universidade Livre Conimbricense. Pertenceu à Comissão de Propaganda do Centro Republicano Académico em 1927, foi Presidente da Associação Académica nos anos 1934-35, e um ano depois, fazia parte da Comissão Promotora de uma Homenagem aos estudantes mortos na 1ª Grande Guerra. A comissão era presidida pelo Dr. Fernando Martins, e pelos estudantes Otílio de Figueiredo, e António de Sousa, que presidia à Associação. A homenagem realizada pela Academia, veio a culminar no descerrar de uma lápide, a 9 de Abril de 1935, na sala da Associação Académica, sediada na Rua Larga, perpetuando a memória dos estudantes caídos no campo de batalha.

No decurso da sua longa vida estudantil, em que conciliava o trabalho, com o estudo, a poesia e a intervenção social, António de Sousa começara cedo a escrever, e a colaborar em revistas. Com o pseudónimo António Portucale, publica em 1918, a poesia “Cruzeiro de Opalas”, e em 1919, “O Encantador”. Nos anos 20, foi um dos percursores do Movimento Presencista. O poeta da Ereira, mais velho que todos os outros, homem de grande estatura moral, lutador contra a ditadura, que o afasta compulsivamente do ensino, nos anos 30, é um dos elos aglutinador do movimento. Afonso Duarte era sem dúvida uma referência na seriedade e sensibilidade, expressa na sua postura de homem de carácter e de poeta. Depois, em 1924, foi um dos criadores da revista Triptico, juntamente com João Gaspar Simões e Vitorino Nemésio. Colabora com as revistas Ícaro, Byzancio, Vértice, Presença, Portucale e a Revista de Portugal. Trabalhou largos anos na Associação Cristã da Juventude de Coimbra, como secretário-geral e presidente, tendo assegurado essas funções, poucos anos após a sua inauguração, a 20 de Junho de 1918.

Foi ainda Presidente do Orfeon Académico, cargo de que não tomou posse, devido a um conflito com o regente Padre Elias de Aguiar. Bettencourt e Paradela gravaram poesias suas, e muitos outros as cantaram. Foram várias, as suas poesias, na Canção de Coimbra, mas as que encantaram mais os seus cantores, talvez tenham sido as que tiveram gravação.

Preço:150,00€