Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Junho 2024
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Colonização

Foram localizados 14 resultados para: Colonização

 

Referência:13219
Autor:ANDRADE, António Alberto Banha de
Título:MUITAS RAÇAS, UMA SÓ NAÇÃO Esboço da Teoria do Humanismo Português
Descrição:

Agência-Geral do Ultramar, Lisboa, 1968. In-8º de 95-(5) págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:


Ensaio de António Alberto de Andrade onde ele defende a essencia do humanismo português como "a simpatia humana pelos povos de outros continentes, sem propósitos de imperialismo".

Preço:15,00€

Referência:15114
Autor:CORRÊA, Marques de Jacome
Título:HISTORIA DA DESCOBERTA DAS ILHAS
Descrição:

Imprensa da Universidade, Coimbra, 1926. In-8º de (4)-220-(3). Brohcado. Exemplar muito estimado e em muito bom estado de conservação.

Observações:

Estudo histórico de elevado interesse para a determinação do que poderiam ter sido as causas e factores influenciadores na descoberta das ilhas colonizadas pelos portugueses. Dos capítulos, descrevem-se os seguintes: I - Portugal e a organisação social feudataria no principio do seculo XV; II - Os Infantes; III - Portugal e a Política Europeia; IV - As Explorações Marítimas; V - A navegação portugueza antes e depois das descobertas; VI - O conhecimento dos antigos do mundo habitado; VII - O conhecimento que tinham os arabes, do Mundo; VIII - Os propagadores da sciencia antiga na Edade Media; IX - A sciencia na Italia na Edade Media; X - A política externa portugueza no reinado de D. Affonso IV; XI - As Ilhas Athlanticas nas cartas da Edade Media; XII - A Influencia Ingleza nas Descobertas Portuguezas; XIII - A Colonisação das Ilhas; XIV - Frei Gonçalo Velho, o Descobridor dos Açores.

Marquez de Jacome Corrêa (1882-1932) foi grande proprietário, sucedendo nos vastos domínios de sua casa, e adido à embaixada de Portugal em Londres. Ficou conhecido o Marquês como grande filantropo, nomeadamente pelos seus frequentes actos de grande benemerência, aliás á semelhança de seu pai. Ficou Aires Jácome Correia conhecido por ter publicado vários estudos históricos sobre a ilha de S. Miguel.

Preço:35,00€

Referência:12631
Autor:COUTO, Monsenhor Gustavo
Título:O PLANO COLONIAL DE AFFONSO DE ALBUQUERQUE conferência realisada na sessão inaugural da Semana das Colonias promovida pela Sociedade de Geografia de Lisboa, no dia 13 de Maio de 1929
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1929. In-4º de 83-(2)págs. Br. Edição cuidada, impressa a duas cores. Ilustrado com 15 gravuras extra-texto.

 

RARO.

 


 

Observações:

Conferência realisada na Sessão inaugural da “Semana das Colonias” promovida pela Sociedade de Geografia de Lisboa, no dia 13 de Maio de 1929.

Do prefácio de Julio Dantas:

“A conferência de monsenhor Gustavo Couto — nobre documento em que resplandece a fé nos destinos da patria — constitui mais um subsidio para o monumento que um dia alguem levantará a essa figura imortal, que não pertence apenas aos portugueses, porque pertence à humanidade ”

 

 

Preço:29,00€

Referência:15035
Autor:GALVÃO, Henrique
Título:ALBUM FOTOGRÁFICO DA 1ª EXPOSIÇÃO COLONIAL PORTUGUESA
Descrição:

Litografia Nacional do Porto, (1934). In-8º oblongo de 101 folhas impressas de um só lado, a sépia, com um texto introdutório de Henrique Galvão. Brochado. Os 101 Clichés Fotográficos são da autoria de (Domingos) Alvão.

Observações:

" ... A Exposição Colonial de 1934 enquadra-se no âmbito de uma fotografia propagandista. Esta fotorreportagem retrata um acontecimento – a I Exposição Colonial Portuguesa – e é esse o acontecimento, sobre o qual reside quase todo o interesse, que dita o desenrolar do processo fotográfico.

A Exposição Colonial de 1934 enquadra-se no âmbito de uma fotografia propagandista. Esta fotorreportagem retrata um acontecimento – a I Exposição Colonial Portuguesa – e é esse o acontecimento, sobre o qual reside quase todo o interesse, que dita o desenrolar do processo fotográfico. Assim que enunciada a intenção de “primeira lição de colonialismo dada ao povo português”, a Fotografia Alvão solicita à organização a exclusivo de todo o levantamento fotográfico da I Exposição Colonial Portuguesa, desde a sua abertura (16 de julho de 1934) até ao seu encerramento (30 de setembro de 1934), comprometendo-se a entregar uma coleção de fotografias executadas durante a mesma. A resposta foi positiva e Alvão tornou-se o fotógrafo oficial e exclusivo de toda a exposição. Deste levantamento fotográfico resultou o Álbum Fotográfico da 1ª Exposição Colonial Portuguesa, composto por 101 fotografias. Disposta tanto pelos jardins como pelo Palácio, propriamente dito, a Exposição Colonial contava com inúmeras atrações para os seus visitantes: nos jardins, estavam representadas várias cidades natais com indígenas oriundos das várias colónias portuguesas, existiam, ainda, stands comerciais, restaurantes, reproduções de monumentos célebres, um parque zoológico, “Luna Park” com inúmeras atrações que podiam ser vistas a bordo do “Comboio Colonial” ou do teleférico; já no interior do Palácio estavam representados os organismos oficiais, as empresas e as atividades coloniais e metropolitanas (...)

O álbum de Alvão foi considerado um resumo significativo do trabalho desenvolvido aquando da exposição e foi um dos trabalhos que lhe conferiu maior notoriedade. Devido ao forte cariz político e propagandista da Exposição Colonial, as fotografias de Alvão tornaram-se num elemento ativo na construção de uma mensagem política e correram não só por todos os jornais que iam noticiando os eventos mais marcantes, mas também nos guias e catálogos oficiais. ..." (Fotojornalismo 13)

Preço:200,00€

Referência:14916
Autor:PINHEIRO DA SILVA, José
Título:A CAPITANIA DA BAÍA (Subsídios para a história da sua colonização na segunda metade do século XVII)
Descrição:

Instituto de Estudos Históricos Doutor António de Vasconcelos, F. Letras da Univ. de Coimbra, Coimbra, 1964. In-8º de 382 págs. Brochado.

Observações:

Monografia muito importante sobre a colonização da Baía, versando temas como a economia, transportes, povoamento.

Do índice:

- O povoamento
- A ocupação do território e a economia
- Comércio e transporte
- Aspectos da administração
- Outros aspectos da colonização

(Separata da Revista Portuguesa de História, Tomos VIII, IX e XI.)

Preço:45,00€

Referência:12633
Autor:SOUZA, Laura de Mello e
Título:O DIABO E A TERRA DE SANTA CRUZ. Feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial.
Descrição:

Companhia das Letras, São Paulo, 1994. In-8º de 396 págs. Brochado.

Observações:

Primeiro estudo realizado no Brasil sobre a feitiçaria nos tempos coloniais. A autora debruça-se sobre o estudo das mentalidades durante o período colonial brasileiro, procurando investigar determinadas nuances da história do Brasil. Fala sobre as práticas de magia, feitiçaria na colônia, o sincretismo religioso e a tentativa dos portugueses em catequizar os índios da colónia. As várias práticas de feitiçaria no Brasil colonial do século XVI, XVII, XVIII destacando principalmente as regiões da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Grão-Pará, Maranhão, Minas gerais e Rio de janeiro. O que dá ênfase á teoria de que a colonização e o processo de catequização e a “impureza da Fé” caminhavam juntos.
Aborda  as mudanças ocorridas nos imaginários europeu e colonial no campo da magia e da feitiçaria por influência da própria visão de mundo das populações do velho e do novo mundo.

O estudo tem como fontes os processos oriundos de Visitações, Devassas Eclesiásticas e Autos-de-Fé do Santo Ofício, presentes nos arquivos públicos de Minas Gerais, Rio de Janeiroe e do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa.

 

 

Do índice:

O novo mundo entre Deus e o Diabo
Religiosidade popular na colônia
Feitiçaria, práticas mágicas e vida cotidiana (Sobrevivência material, deflagração de conflitos, preservação da afetividade, comunicação com o sobrenatural)
Universo cultural, projecções imaginárias e vivências reais (os discursos imbricados, histórias extraordinárias: o destino de cada um)
Conclusão (Sabbats e Calandus)

Preço:20,00€