Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Batalhas | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fado | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Erótica | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre

Módulo background

Crónica

Foram localizados 37 resultados para: Crónica

 

Referência:12623
Autor:ALMEIDA, Fialho d'
Título:OS GATOS
Descrição:

Livros de Portugal, Rio de Janeiro, 1942. In-8º de 332 págs. Encadernação meia francesacom dizeres a ouro em rótulos de pele na lombada. Conserva capa de brochura. Coleção "Clássicos e contemporâneos"  dirigida por  Jaime Cortesão.

1.ª edição brasileira.

Observações:

Selecção e prefácio de José Lins do Rego.

Do  prefácio:

 


 "Havia uma sociedade impregnada de uma felicidade construída em falso. Era todo o fim do século XIX dormindo ao som das valsas de Viena, deleitando-se nos cancãs de Paris, vendo Santos Dumont alçar voos para o céu. Os germes das guerras infernais já germinavam dentro da terra; os homens tinham plantado as sementes diabólicas. Portugal tinha rei constitucional, ministros, pobres ministros. Os ingleses impunham-lhe regimes de restrições. Fialho de Almeida então propunha-se a dissecar este mundo português como se não fossem vícios do mundo inteiro os que andavam por sua casa. O rei D. Carlos seria uma de suas vítimas favoritas, a casa de Bragança, os ministros, os poetas, os artistas, tudo enfim teria que sofrer as suas arranhadas de gato. [...]

Procurando as suas melhores coisas no “Os Gatos” eu tomei o partido de apresentar um Fialho de Almeida que não fosse aquele das pequenas coisas, dos mexericos locais, das insignificâncias do tempo, um Fialho que discutia ministros e pretendia entender de política. Este está tão morto quanto os ministros que combateu.
O Fialho desses trechos do “Os Gatos” é o menos efémero dos Fialhos. É aquele que se debruçou sobre os grandes temas, sobre a vida e a morte. É o que vê o rei D. Luiz morto e o que vê Bordalo Pinheiro vivo."

Preço:24,00€

Referência:12482
Autor:ALVARES, Frei João
Título:OBRAS DE.... dição crítica com introdução e notas de Adelino de Almeida Calado VOL ITratado da vida e feitos do muito vertuoso S.or Ifante D. Fernando. VOL II Cartas e traduções
Descrição:

Por Ordem da Universidade, Coimbra, 1959 e 1960. Dois volumes de in-8º de 285 e 237 págs. Br. Leves sublinhado ao logo do texto. Ilustrada em extra-texto

Observações:

Reunião dos escritos deste cronista português, com introdução e notas de Almeida Calado. No primeiro volume transcreve-se a a Crónica do Infante Santo D. Fernando,  escrita a pedido do Infante D. Henrique, que narra o martírio do Infante d. Fernando, oitavo filho de d. João I, que teve toda sua história ligada  à derrota portuguesa na batalha de Tânger (1437). A hagiografia escrita por Álvares é considerada como o principal escrito, no que diz respeito à compreensão do modelo de santidade desse Infante. Além disso, foi utilizado como propaganda legitimadora da casa de Avis.

No Segundo volume transcrevem-se cartas e traduções suas de sermões, sendo bastante importantes para a compreensão da sua época.

Preço:0,00€

Referência:12485
Autor:autoria indefinida
Título:JORNADA DEL-REI DOM SEBASTIÃO À ÁFRICA Crónica de dom Henrique
Descrição:

Imprensa Nacional Casa da Moeda,  Lisboa, 1978. In-8º de 205 pags. Br. Cadernos por abrir. Capa de brochura ligeiramente empoeirada.

Observações:

Obra anónima atribuída a Góis Loureiro. com um prefácio muito completo de Francisco de Sales de Mascarenhas Loureiro que narra as jornadas de Dom Sebastião em Africa.

"que  estaua  prestes  ao  cais da  Rainha,  junto  aos paços  [...],  ricamente  paramentada  com  seu  toldo  de  borcado»,  e  mandou levantar ferro, sendo logo seguido «de outras quatro gales, e sessenta galeons e naos armadas e mais de nouecentos nauios de menos  porte"

 

 

Preço:25,00€

Referência:13024
Autor:CASTRO, Fernando de
Título:CRÓNICA DO VICE-REI D. JOÃO DE CASTRO
Descrição:

Escola Superior de Tecnologia de Tomar, Tomar, 1995. In-4º de 589 págs. Br.

 

 

Observações:

Crónica de uma das maiores figuras da expansão portuguesa, nasceu em Lisboa a 27 de Fevereiro de 1500, tendo falecido em Goa a 6 de Junho de 1548. Esta crónica, escrita pelo seu neto aborda os seus anos enquanto vice-rei e o Segundo Cerco à fortaleza portuguesa de Diu pelas forças do sultanato do Guzerate, capitaneadas por Coge Sofar que teve lugar entre Abril e Novembro de 1546. Este acontecimento de incontestável importância para o “Estado da Índia”, definiu a governação do Vice-Rei D. João de Castro. Coja Sofar,  foi derrotado pelos portugueses  comandados em terra por D. João de Mascarenhas e por mar por D. João de Castro. Pereceu nesta luta o próprio Coja Sofar e D. Fernando de Castro, filho do Vice-Rei português.

“…Eu mandei desenterrar D. Fernando, meu filho, que os mouros mataram nesta fortaleza pelejando por serviço de Deus e de el-rei nosso senhor, para vos mandar empenhar os seus ossos, mas acharam-no de tal maneira que não foi lícito ainda agora de o tirar à terra, pelo que não me ficou outropenhor salvo as minhas próprias barbas que vos aqui mando por Diogo Rodrigues de Azevedo, porque, como já deveis ter sabido, eu não possuo ouro, nem prata, nem móvel, nem cousa alguma de raíz, por onde vos possa segurar vossas fazendas, somente uma verdade seca e breve de que me Nosso Senhor deu…”

Preço:19,00€

Referência:13880
Autor:COSTA, Maria Velho da
Título:DESESCRITA
Descrição:

Afrontamento, Porto, 1973. In-8º de 90-(6) págs. Br. Capas de brochura ligeiramente amarelecida.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Livro que encerra vinte seis crônicas escritas numa época em que a censura vigorava em Portugal, e onde a autora usava uma maneira de escrever eliptica para as poder publicar. Destacamos  do conjunto a intitulada “Ova Ortegrafia”, na qual se propõe a ajudar a censura fazendo, ela própria, seus “cortes”: ecidi escrever ortado; poupo assim o rabalho a quem me orta. Orque quem me orta é pago para me ortar. Também é um alariado. Também ofre o usto de ida. Orque a iteratura deve dar sinal da ircunstância.

Preço:20,00€

Referência:13588
Autor:CRUZ, Fr. Bernardo da
Título:CHRONICA DE ELREI D. SEBASTIÃO, publicada por A. Herculano e o Dr. A. C. Paiva
Descrição:

Na Impressão de Galhardo e Irmãos, Lisboa: 1837. In-8º de XVI-466-(35) págs. Encadernação não contemporânea meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada sobre rótulo de pele vermelha. Exemplar muito limpo e muito fresco, levemente aparado à cabeça.

PRIMEIRA EDIÇÃO do primeiro livro publicado por Alexandre Herculano (Inocêncio I, 377 - RARO).

Observações:

Primeira edição desta apreciada Crónica publicada por Alexandre Herculano, o manuscrito original conserva-se na Biblioteca Pública Municipal do Porto.

“Entre os manuscriptos da Bibliotheca Publica de Lisboa encontrámos tambem uma copia moderna da obra de Fr. Bernardo da Cruz, (...) comtudo bastante differente da que principalmente nos serviu de texto. Esta existe na Bibliotheca do Porto; e na Noticia que vai juncta a este prologo, (publicada já por nós nos nº 18 e 19 do Repositorio da Sociedade Litteraria daquella Cidade) démos cabal informaçaõ della”

 

"Fr. Bernardo da Cruz, frade da Terceira Ordem, viveu na segunda metade do século deseseis : parece ter sido conspicuo pelo seu saber, e que por esse motivo occupou vários empregos monásticos. Antes d'elle não se encontra o cargo de Capellão niór da armada; e assim é tido pelo primeiro, a quem se conferiu este titulo. Como tal embarcou-se na frota que transportou á Africa El-Rei D. Sebastião e o seu exercito, para a fatal jornada de Alcacer-quibir. De lá, ou porque escapasse da batalha, ou porque tivesse ficado a bordo da armada, voltou a Portugal, onde escreveu a Historia do reinado de D. Sebastião e de parte do governo do Cardeal D. Henrique. O logar e o anno do seu nascimento, e a epocha da sua morte, não o podemos saber: mas é certo que elle ainda vivia no tempo da usurpação de Philippe II."

 

 

 

 

 

Preço:150,00€

Referência:12661
Autor:DANTAS, Júlio
Título:LISBOA DOS NOSSOS AVÓS.
Descrição:

Publicações Culturais Da C.M.L., Lisboa, 1969. In-8º de 280 pags. Br. Ilustrado com o retrato do autor em anterrosto. Ilustração da capa de Roque Gameiro. Obra impressa em papel couché. Capas ligeirmente empoeiradas.

Observações:

Conjunto de crónicas onde o autor  aborda a vida quotidiana de Lisboa e as suas personagens.
Encerra capítulos como: "Tipos das ruas de Lisboa", "As velhas procissões", "Os cafés lisboetas", "As feiras", "A vida lisboeta no segundo quartel do século XIX", "Modas", "As meninas".

"Logo que a casa estivesse pronta, bem armada de damascos de seda e provida de bufetes, de contadores e de pesadas serpentinas de prata de muitos lumes, começaria a provação terrível das visitas de cerimónia. As salas encher-se-iam de peraltas, descritos pelo autor como «certos animais com figura humana, que constituem nova espécie entre racional e irracional», e de casquilhas de grandes toucados de plumas, «tão altos, que, se as velas dos lustres lhes pegassem fogo, elas não dariam por isso», - toucados que ao tempo (refere o autor, com justa indignação) se chamavam «mitras», e que os cabeleireiros só conseguiam riçar e polvilhar "montando escadas e andaimes em volta das cabeças das senhoras"".

Preço:27,00€

Referência:13428
Autor:DIAS, Gastão Souza
Título:CARTAS DE ANGOLA
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1928. In-8º de 212-(2) págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez. Ilustração da capa de Tagarro.
 

INVULGAR.

Observações:

“As Cartas de Angola, foram na sua maioria publicadas em jornais, algumas há bastante tempo já, pecando assim por falta de unidade, não só nos assuntos versados, como também no estilo e na feição em que foram moldadas. Publico-as em volume porque contêm matéria que continua a interessar a Angola e porque nelas pus porventura um pouco do meu coração e da minha alma inquieta de português”.

Preço:30,00€

Referência:13209
Autor:FONSECA, Faustino da
Título:EL-REI D. MIGUEL Chronica popular do absolutismo
Descrição:

Guimarães & C.ª , Lisboa, 1905. In-8º de 524 págs. Encadernação em tela. Não conserva capas de brochura. Profusamente ilustrado com retratos e monumentos.

 

Observações:

Crónica do Reinado de D. Miguel que encerra capítulos como

Constitucional ou absoluto; Contra a Maçonaria;  A conspiração maçónica ; O corpo diplomático;A independa do Brasil; D. Miguel reconhece D. Pedro como rei; O goveruo constitncional; Invasão miguelista; Commentarios dos estrangeiros

Excerto sobre a Rainha:

"No torpor da sesta, sorvendo com delicia pitadas de rapé, que mais lhe sujavam de polvilhos o penteador, a rainha D. Carlota Joaquina, também hespanhola, outr’ora companheira nas danças, mas agora derrancada e gasta, feia, bexigosa, a face descahida, a bocca de maus dentes, fatigada de excessos, velha já aos quarenta e oito anos, encruzada n’um tapete de veludo, onde mais se amesquinhava a saia de chita, fundo amarello em ramos verdes, gosava o espectaculo excitante, embriagada de prazer, olhos húmidos, peito arquejante, narinas dilatando-se nervosas."

Preço:27,00€

Referência:13659
Autor:FREIRE, João Paulo
Título:CURIOSIDADES BIBLIOGRAFICAS
Descrição:

Livraria Editora Guimarães, Lisboa,1925 In-8º de 157-(1) págs. Br. Capas de brochura amarelecidas pelo tempo e com falhas de papel na lombada.

 

 

Observações:

Obra que reúne  artigos publicados pelo autor no jornal «A Pátria», a que juntou alguns inéditos. Encerra, entre outros os seguintes capítulos: Manual dos deputados; Manual das revoluções; O que deu a lira nacional na morte do principe D. José; Choradeira de Lisboa; Na lamentavel morte dos Cinco Infelizes Padecentes; Pela feliz união do Supremo Governo do Reino com o governo interino de Lisboa; De l'Amadis de Gaule; Onde pàra a curiosidade bibliografica Camiliana apontada por Camilo no numeroo antecedente?; O retrato de Ricardina; Terra Prohibida; Regresso ao Paraiso; A queda d'um anjo; Amor de Perdição, Guerra Junqueiro; As melhores poesias; Folhetos camilianos; Portugal de perto.

“O anno passado iniciei no jornal A Patria uma serie de chronicas sujeitas ao titulo geral Curiosidades Bibliographicas. Era uma secção muito a meu contento e que eu levaria longe se m’o tivessem deixado. (...) Muitas foram então as cartas que recebi pedindo me que continuasse ou que reunisse em volume os artigos já publicados”, por exemplo: «O retrato de Ricardina», «Terra Prohibida e Regresso ao Paraiso», «A queda d’um anjo», «Amor de Perdição», «Guerra Junqueiro», «Folhetos camilianos», etc."

Preço:15,00€

Referência:12446
Autor:GALVÃO, Duarte
Título:CRÓNICA DE D. AFONSO HENRIQUES Com notas e glossário de José de Bragança.
Descrição:

Portugalia Editora, Lisboa, s.d. In-8º de 309-(3) págs, Br. Cadernos por abrir. assinatura de posse.

Observações:

Crónica de D. Afonso Henriques escrita por Duarte Galvão, secretário de Afonso V, de D. João II, de quem foi também conselheiro, e de D. Manuel I às ordens de quem cumpriu também funções de cronista como se depreende por este seu trabalho.

Notas e glossário de José de Bragança.

 

Preço:23,00€

Referência:13372
Autor:LIMA, Jaime de Magalhães
Título:RASTO DE SONHOS arte e alentos de pousadas da minha terra
Descrição:

Emprêsa Gráfica A Universal, Porto, S/D. In-8º de 219-(4)págs. Br. Conserva capas de brochura. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Livro de crónicas escrita por Jaime de Magalhães Lima.

"Não  traduzem elas nem uma teoria, nem um sistema, nem princípios, nem regras, nem o que quer que seja disciplinado e fundado em sciência e razão; são apenas as impressões desordenadas de um vagabundo optimista qque, por ser optimista, confia sempre em que o dia de amanhã será mais alumiado e feliz do que o dia de hoje..."

Preço:28,00€

Referência:12670
Autor:LIMA, Saraiva
Título:DA BARREIRA ... Crónicas taurinas
Descrição:

Parceria António Maria Pereira, Lisboa, 1944. In-8.º de 236-(1) págs. Br. Capa do pintor Simão da Veiga e ilustrações ao longo do texto de Domingos Saraiva.

Observações:

Prefácio de José Cunha da Silveira.

Compilação das Crónicas Taurinas publicadas no "Diário Popular",época de 1943, pelo autor.

Do prefácio:

"Para mim, ao contrário do que pensam talvez muitos aficionados, o acontecimento mais notável da época tauromáquica de 1943 – a época gregoriana, como lhe chamou espirituosamente um fino humorista lisboeta – foram as crónicas publicadas pelo Dr. Saraiva Lima"

Preço:15,00€

Referência:13765
Autor:LISBOA, Irene
Título:ESTA CIDADE!
Descrição:

Edição de Autor, Lisboa, 1942. In-8º de 427-(4) págs. Br. Capas de brochura levemente empoeiradas e com alguns picos de acidez. Ilustração da capa de Ilda Moreira. Com alguns carimbos de posse.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Livro de crónicas escrito por Irene Lisboa, que com esta obra abandonou o pseudonimo de João Falco. São crónicas que retratam o quotidiano lisboeta, de várias classes sociais, vistas e narradas com a peculiar sensibilidade que caracteriza esta  escritora.

Da introdução

 “Recolho neste volume umas tantas observações sobre casos que conheci, que me pus a desfiar e a reconsiderar tranquilamente. Tirei deles novelas? Creio que não. Fiz deles histórias pitorescas ou até morais? Também não o creio. Pu-los simplesmente em letra redonda, contei-os.”

Índice:
 A Adelina, etc…. (1). – Helma. – O velatório. – No cabeleireiro. – O Lavra. – Modista de chapéus. – A Adelina, etc…. (2). – Épocas. – Rapariguinha da rua. – O amante. – O barracão. – Um dito. – A Adelina, etc… (3).

 

Preço:25,00€

Referência:12307
Autor:LOPES, Fernão
Título:CRÓNICA DE D. JOÃO I
Descrição:

Livraria Civilização Editora, Lisboa, 1945. In. 8.º de dois volumes de XL-455 e 493 páginas respectivamente. Br. Segundo volume com pequena mancha de humidade nas páginas iniciais.

Observações:

Edição prefaciada por António Sérgio. O I volume é uma edição segundo o códice n.º 352 do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, e o  II volume é uma  edição preparada por M. Lopes de Almeida e A. de Magalhães Basto, segundo o Códice CIII-I-10 da Biblioteca Pública de Évora confrontado com o texto impresso em 1644 e versões quinhentistas da mesma crónica existentes nas bibliotecas da Universidade de Coimbra e Municipal do Porto.

 

Preço:39,00€

Referência:13597
Autor:MARTINS, Francisco Ernesto de Oliveira
Título:ANTÓNIO JOSÉ LEITE artista fotógrafo
Descrição:

Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Lisboa, 1984. In-4º de 434 págs. Br. Profusamente ilustrado com reprodução de fotografias.

Observações:

Obra muito interessante sobre o fotógrafo terceirense, António José Leite, com prefácio de José Guilherme Reis Leite e crónicas de Vitorino Nemésio publicadas no Jornal "Estrela d’Alva". Muito interessante para uma visão da sociedade terceirense da primeira metade do século XX.

Do prefácio:

"... António José Leite, que não é açoriano, insere-se na sociedade angrense da primeira metade do século XX... Nascera no Porto, na freguesia de Cedofeita e ainda adolescente emigrou para a ilha Terceira... (mais tarde) a sua loja, «a loja do buraco», nome que lhe vinha duma abertura no interior... tornou-se uma das tertúlias artísticas da cidade..."

 

Preço:30,00€

Referência:13885
Autor:O'NEILL, Alexandre
Título:AS ANDORINHAS NÃO TÊM RESTAURANTES
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1970. In-8º de 89-(7) págs. Br Capa de brochura ligeiramente envelhecida. Inserido nao colecção "Cadernos de Poesia" com o nº 7.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Conjunto de crónicas de Alexandre O'Neill previamente publicadas em jornais.

 

da Contracapa:

As primeiras prosas de um poeta.

Preço:25,00€

Referência:13077
Autor:OSÓRIO, Gouveia
Título:TERRA NOSTRA
Descrição:

Tipografia Odcidental, Viseu, 1995/1997. In-8.º de dois volumes com 167-(4)e (18)-165-(5) págs. Br.

Observações:

Reunião de textos de Gouveia Osório dedicados à  "doce terra da Beira".

Preço:20,00€

Referência:13803
Autor:PIMENTA, Alfredo
Título:NAS VÉSPERAS DO ESTADO NOVO
Descrição:

Livraria Tavares Martins, Porto, 1937. In-8º de 183 págs. Br. Capas de brochura empoeiradas e com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Conjunto de crónicas escritas por Alfredo Pimenta em  1925 e que  foram recolhidas neste livro  publicado em 1937. Treze dessas crónicas abordam a ditadura, onze em torno da Tormenta e três abordavam o futuro.  

Da nota ao leitor


"A paisagem que a vida política nos oferece é totalmente fúnebre: cruzes, ciprestes, céus de negrume, toques de finados. Cheira a cadáver por todos os lados. Para onde a gente se volte, cheira a morte. Isto é um País, ou uma Morgue? Em 5 de Outubro (1910) a República tinha homens, tinha gérmenes de partidos... Tinha portanto as condições para viver se os homens e os partidos a soubessem servir. Hoje, a República não tem homens nem partidos. Aos homens, queimou-os, desprestigiou-os, inutilizou-os. Não há um, um só homem da República capaz de a aguentar e de a salvar".

Excerto de uma das crónicas

"Em todos os partidos republicanos, há homens a aproveitar, uma vez que sejam desenquadrados dos partidos. Esses homens, potencialmente úteis, têm sido nefastos, precisamente porque se encontram dentro dos partidos. Ao lado desses, há os que são prejudiciais - estejam fora, estejam dentro dos partidos.
A sua acção é, porém, muito pior dentro dos partidos, porque são estes que lhes emprestam uma força que, só por si, nunca teriam. Um partido político é um aposento fechado, em que o ar é viciado.
A trilogia da educação nacional, Deus, Pátria e Família
Um homem, por muito inteligente que seja, e muito sensato, e muito prudente, e muito calmo, e muito lúcido - dentro de um partido político, perde a autonomia da sua inteligência, do seu senso, da sua calma, da sua prudência e da sua lucidez: dentro de pouco tempo, passa a pensar e a sentir como o partido político a que pertence. A disciplina partidária tolhe-lhe os movimentos. Ele passa a ser o reflexo da multidão dos partidários; ele passa a ser o joguete nas mãos do Interesse partidário. Se tenta manter-se autónomo, acusam-no de prejudicar a disciplina do partido.
Se se sujeita a esta, naufraga. Porque todos os partidos são maus, todos, todos, sem excepção. Há uns milhares melhores do que outros; mas todos são maus. Os melhores são os mais inúteis. Quanto melhor é um partido, menor é a sua acção política, menos profícua a sua intervenção na vida nacional.
Guerra aos homens? Não. Guerra, e sem tréguas, aos partidos. Aproveitem os homens, e esmaguem os partidos. À Nação, não a constituem partidos políticos. Constituem-na, sim, as forças espirituais, morais e materiais: o Pensamento, o Sentimento e a Acção. Os partidos políticos são elementos de dissolução nacional e de anarquia nacional.
Eles são a fonte da guerra intestina. São eles que lançam os homens uns contra os outros. São eles que criam este estado miserável dos exilados na própria terra."

Preço:18,00€

Referência:13367
Autor:PIMENTEL, Alberto
Título:O CAPOTE DO SNR. BRAZ
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron, Porto, 1877. In-8.º de XVI-225-(1) págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Compilação de crónicas, artigos e folhetins anteriormente publicados no "Diário de Notícias" por este autor contemporâneo de Camilo Castelo Branco.

"O titulo d'este livro é exactamente como esse  mysterioso capote, porque, por detraz d'elle, estão  os mais variados assumptos, as mais oppostas narrativas, que todavia podem constituir um volume como essas mil pequenas coisas, differentes umas  das outras, de que o próprio Braz era portador iam certamente constituir um jantarinho de velho celibatário."

 

Preço:30,00€

Referência:12587
Autor:PIMENTEL, Alberto
Título:O PORTO POR FORA E POR DENTRO
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron, Porto, 1878. In-8º de. 277-(3) págs. Brochado com as capas de brochura apresentando ligeiras falhas marginais devido à fragilidade da qualidade do papel.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

 

Interessante livro de memórias onde o autor discorre sobre os assuntos mais diversos e em que mais uma vez se manifesta o amor do autor pela cidade do Porto. Aborda temas com a toponímia, as figuras populares e também os escritores portuenses.

" N'um livro que se propõe tratar exclusivamente do Porto, devia de escrever-se por força um pagina destinada a letras e letrados, porque se ha terreno fadado para escriptores é aquelle, se ha torrão ubérrimo de talentos é o d'aquella velha cidade, que nos seus necrologicos inscreve em cada século uma plêiade de nomes que ficam pelas idades a dentro reflectindo auroras sempre-eternas sobre o chão dos cemitérios..."

O livro é dedicado "A Camilo Castelo Branco".

Preço:55,00€

Referência:12606
Autor:QUEIROZ, Eça de
Título:HOMENS E IDEIAS DO SÉCULO XIX
Descrição:

Edições Dois Mundos, s.d, Rio de Janeiro. In-8º de 309-(5) págs. Encadernação meia francesa com dizeres a ouro na em rótulo de pele na lombada. Conserva capas de brochura. Ilustrado em extra-texto com um retrato de Eça de Queiroz.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Conjunto de crónicas escritas por Eça de Queiroz seleccionadas por Vianna Moog,um dos seus biógrafos no Brasil, que talbém escreveu um interessante prefácio.

Encerra, entre outras, crónicas sobre,  Ramalho Ortigao; Antero de Quental; A arte é tudo - tudo o resto é nada; Positivismo e idealismo.

 

"Crônicas mais marcantes(...) de sua formação, do seu estilo, da sua verve e do seu temperamento."
 

Preço:21,00€

Referência:13251
Autor:RAPOSO, Hipólito
Título:PÁTRIA MORENA
Descrição:

Livraria Civilização, Porto,  1937. In-8º de 335-(9) págs.Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Apreciado conjunto de de crónicas sobre Portugal, algumas antes publicadas em jornais e revistas.
Do índice:
Exta He Lixboa Prezada; Terras da Minha Gente; Nos Domínios de D. Fuas: Pelo Reino das Cegonhas; Cuidados Meus.

Preço:18,00€

Referência:12662
Autor:RIBEIRO, Aquilino
Título:O GALANTE SÉCULO XVIIITextos do Cavaleiro de Oliveira
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa. S. d. . in-8º de XXIV-302 págs. Br. Assinatura de posse no frontispício.
 

Terceira Edição.

Observações:


Tradução de um conjunto de crónicas de costumes publicadas pelo autor em francês com o titulo "Amusement Périodique"  onde faz uma crítica acérrima da religião e dos costumes vigentes no  século XVIII. A tradução é antecedida por um extenso e exaustivo prefácio de Aquilino Ribeiro.

Preço:28,00€

Referência:13689
Autor:RIBEIRO, Carlos
Título:NOS MARES DO NORTE Crónicas de uma viagem de assistência á frota bacalhoeira portuguesa na campanha de 1945.
Descrição:

Edições Astra, Porto, 1947. In-8º de 200 págs. Br. Capa de brochura ilustrada pelo artista plástico Tomaz de Mello (Tom). Cadernos por abrir.

RARO.

 

 

Observações:

Obra com prefácio do comandante Tenreiro.

"Em boa verdade, é uma vida dura a do pescador da pesca longíqua, mais áspera, talvez, do que a de qualquer outro trabalhador do mar. Mas, enquanto a humanidade habitar a terra há-de haver sempre, decerto, pescadores de bacalhau, como nunca deixarão de existir fogueiros, mineiros, mergulhadores e demais operários de profissões especialmente árduas."

Preço:35,00€

Referência:13754
Autor:RODRIGUES, Bernardo
Título:ANAIS DE ARZILA. Crónica inédita do século XVI. Por… Publicada por ordem da Academia das Sciencias de Lisboa e sob a direcção de David Lopes sócio efectivo da mesma academia. Tomo I (1508-1525), Tomo II (1525-1535) e Suplemento (1536-1550)
Descrição:

Academia das Sciencias de Lisboa, Lisboa, 1915 e 1919. Dois volumes de in-8º com XLVIII-498 e XIX-562 pags. Br. Conserva capas de brochura. Capas de brochura com alguns picos de acidez . Cadernos por abrir.  Profusamente ilustrados em extra-texto com mapas desdobráveis e fotogravuras  impressas sobre papel couché.  Integrado na Comemoração do Quinto centenario da tomada de Ceuta. 1.a série, Textos históricos publicados pela Comissão dos centenario de Ceuta e Albuquerque. Única edição publicada.

 

INVULGAR.

Observações:

Obra em dois tomos escritos em 1561 por Bernardo Rodrigues,  militar e cronista português que, nasceu e
viveu em Arzila até esta ser tomada pelos Mouros em 1549.Foi publicada pela Academia das Ciências de Lisboa sob a direcção de David Lopes.
Estes Anais são uma descrição dos feitos de guerra das tropas portuguesas e narra largamente os movimentos das almogaverias contra os mouros, as cavalgadas e as entradas dos capitães portugueses da vila de Arzila contra os alcaides locais.
Sendo uma narrativa de teor militar, que tinha como finalidade enaltecer os actos de bravura dos nobres cavaleiros que partiram para a conquista do Norte de África, é  um relato crú e realistico das duras batalhas que se travaram pela conquista de Arzila.

Preço:40,00€

Referência:13426
Autor:ZURARA, Gomes Eanes
Título:CRÓNICA DA TOMADA DE CEUTA
Descrição:

Publicações Europa América, Lisboa, 1992. In-8º de 432 págs. Br.

Observações:

As primeiras páginas da obra contêm uma introdução e notas feitas por Reis Brasil que encerra um estudo detalhado da biografia de Zurara, bem como das fontes disponíveis ao autor, que no seu tempo foi o principal cronista e bibliotecário régio. Inclui também uma descrição dos manuscritos existentes e das edições publicadas anteriormente.
A conquista de Ceuta marca o início da empresa da expansão portuguesa, e esta crónica constitui um documento de rara importância para o estudo de um dos mais importantes feitos da História de Portugal e do Mundo: os Descobrimentos.

Preço:17,00€
página 1 de 2