Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Julho 2019
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Judeus

Foram localizados 15 resultados para: Judeus

 

Referência:13098
Autor:BETHENCOURT, Francisco
Título:HISTÓRIA DAS INQUISIÇÕES Portugal, Espanha e Itália
Descrição:

Círculo de Leitores, Lisboa, 1994. In-4º de  400 págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Um dos estudos mais completos sobre a instituição repressiva católica e uma tentativa de explicar porque, como e porquê actuou em Portugal, Espanha e Itália. Ele enuncia descobertas recentes, e faz um estudo comparativo sobre a instituição naqueles três países, desde o fim do séc. XV até ao princípio do XIX. Aborda temas como: formas de organização, rituais e etiquetas, modelos de ação inquisitorial, números de vítimas e a representação em imagens e pinturas da época, por inquisidores, judeus e protestantes.

Preço:25,00€

Referência:13043
Autor:HERCULANO, Alexandre
Título:HISTORIA DA ORIGEM E ESTABELECIMENTO DA INQUISIÇÃO EM PORTUGAL.
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1975. Três volumes de in-8º de 315-(7), 298-(16) e 344-(6) págs. Br.

Observações:

Obra ainda hoje de referência  sobre a Inquisição portuguesa, e uma das mais importantes da bibliografia de Alexandre Herculano.

"Se é delatado, ás vezes por testemunhas falsas, qualquer desses malaventurados, por cuja redenção Cristo morreu, os inquisidores arrastam-no a um calabouço, onde lhe não é licito ver ceu nem terra e, nem sequer, falar com os seus para que o socorram. Acusam-no testemunhas ocultas, e não lhe revelam nem o lugar nem o tempo em que praticou isso de que o acusam. O que pode é adivinhar e, se atina com o nome de alguma testemunha, tem a vantagem de não servir contra ele o depoimento dessa testemunha. Assim, mais útil seria ao desventurado ser feiticeiro do que cristão. Escolhem-lhe depois um advogado, que, freqüentemente, em vez de o defender, ajuda a levá-lo ao patibulo. Se confessa ser cristão verdadeiro e nega com constância os cargos que dele dão, condenam-no às chamas e os seus bens são confiscados. Se confessa tais ou tais atos, mas dizendo que os praticou sem má tenção, tratam-no do mesmo modo, sob pretexto de que nega as intenções. Se acerta a confessar ingenuamente aquilo de que é culpado, reduzem-no à última indigencia e encerram-no em cárcere perpétuo. Chamam a isto usar com o réu de misericórdia. O que chega a provar irrecusavelmente a sua inocencia é, em todo o caso, multado em certa soma, para que se não diga que o tiveram retido sem motivo. Já se não fala em que os presos são constrangidos com todo o genero de tormentos a confessar quaisquer delitos que se lhes atribuam. Morrem muitos nos carceres, e ainda os que saem soltos ficam desonrados, eles e os seus, com o ferrete de perpetua infâmia. Em suma, os abusos dos inquisidores sãos tais, que facilmente poderá entender quem quer que tenha a menor ideia da índole do cristianismo, que eles são ministros de Satanás e não de Cristo...”
 

Preço:40,00€

Referência:13039
Autor:SARAIVA, António José
Título:INQUISIÇÃO E CRISTÃOS-NOVOS
Descrição:

Editorial Inova, Porto,1969. In-8º de 319-(10) págs. Br. Com uma pequena assinatura de posse.

SEGUNDA EDIÇÃO corrigida.

Observações:

Obra muito importante e polémica para o estudo do Judaísmo em Portugal onde o autor defende que  a Inquisição em Portugal não foi mais do que um episódio da luta de classes entre a aristocracia tradicional que tinha o poder e a burguesia mercantil em ascensão.
O livro apresenta aspectos menos conhecidos da Inquisição portuguesa como instrumento da política dos reis de Portugal, desejosos de eliminar o judaísmo e a sua influência no reino.

Preço:19,00€

Referência:13044
Autor:TAILLAND, Michèle Janin-Thivos
Título:INQUISITION ET SOCIÉTÉ AU PORTUGAL le cas du tribunal d'Evora, 1660-182
Descrição:

 Centro Cultural Calouste Gulbenkian, Paris, 2001. In-4º de 534 págs. Ilustrado ao longo do texto. Livro em lingua francesa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Estudo muito aprofundado sobre o papel da inquisição em Portugal através da análise do tribunal da Inquisição de Évora.

Preço:26,00€

Referência:13042
Autor:TURBERVILLE, A. S.
Título:A INQUISIÇÃO ESPANHOLA
Descrição:

Vega, Lisboa, s/d. In-8º de 131-(4) págs. Br. Integrado na colecção "Documenta Histórica".

Observações:

Estudo muito importante sobre a Inquisição espanhola.

"Em 1232, Gregório IX publicou uma bula ("Declinante"). dirigida ao Arcebispo de Tarragona, ordenando-lhe a busca e o castigo dos hereges compreendidos em sua diocese. É digno de nota que essa bula parece ter sido publicada sob a influência de um espanhol, Raimundo de Peñafort, o maior dominicano de sua época, o qual gozava de grande poder na corte papal e foi até o principal inspirador da política de perseguições seguida por Gregório e, portanto, o criador original da Inquisição medieval. No ano seguinte, Jaime, aconselhado pelos eclesiásticos reunidos em Tarragona, promulgou uma lei que castigava com o confisco de seus bens a todos os senhores que protegem herege"


 

Preço:18,00€

Referência:14221
Autor:USQUE, Samuel
Título:CONSOLAÇÃO ÁS TRIBULAÇÕES DE ISRAEL Vol. I (II e III)
Descrição:

França Amado editor, Coimbra, 1906 e 1907. In-8º de 3 volumes com LXVII-(12)-LIII ff-(I); (5)-XLIV e (5)-LXXVIV-(1)-52 págs respectivamente, encadernado num volume único, conservando as capas de brochura. Encadernação coeva meia francesa em pele com cantos , com dizeres e florões dourados na lombada. Cabeça da lombada com pequenso defeitos, sem afectar a estrutura do livro. Pasta com pequenos e meia dúzia de arranhões provocados por garras de felino(?). Apesar dos defeitos apontados, é um muito BOM EXEMPLAR desta bastante invulgar edição da raríssima edição original de que se conhecem apenas dois exemplares em território nacional.

Observações:

Com revisão e prefácio de Mendes de Remédios, esta é uma reedição da obra de Samuel Usque e acopulada nesta edição (a segunda) em três volumes, impressos em Coimbra, de 6 de Janeiro de 1906, a 30 de Outubro de 1907.

 

A extrema raridade do livro deve-se ao facto de ter pertencido ao Index proibitório e principalmente expurgatório, de Madrid, de 1640. Encontra-se em Portugal um exemplar na Biblioteca do Paço Ducal de Vila Viçosa, que pertenceu a D. Manuel II, em excelente estado de conservação, numa encadernação antiga de valor artístico não muito elevado, segundo escreveu o Professor Pina Martins, existindo ainda uma segunda edição na Biblioteca Municipal de Viseu. Confrontando o texto de Mendes dos Remédios com o da edição da Fundação Calouste Gulbenkian, que apresenta a edição fac-similada da primeira publicação, é possível verificar que faltam na de Mendes dos Remédios os sinais calderónicos que assinalam os capítulos e parágrafos. Para quem não possui grande destreza em paleografia, é mais fácil a leitura do texto publicado no princípio do século passado, trabalhado por Mendes dos Remédios. Livro avançado, em relação ao seu tempo, escrito por um homem fustigado por uma perseguição que vai lamentando, mas cujo fim augura.

Do Instituto Camões, obtivemos a seguinte informação:

"... Escritor português, nascido em 1492, sofreu as vicissitudes e perseguições de que foram alvo os judeus portugueses no período renascentista. Exilado, publicou em Ferrara a sua principal obra Consolação às Tribulações de Israel (1553).

Este texto apresenta um carácter vincadamente apologético do judeísmo, dando corpo a uma «filosofia religiosa em torno da história judaica». Com efeito, propôs-se narrar o sofrimento e as perseguições de que fora e era alvo o seu povo desde os tempos bíblicos até às opressões de que ele próprio fora vítima.

A obra é composta por três diálogos travados entre outros tantos interlocutores: Jacob, que representa o pensamento do autor, e os profetas Nahum e Zicareo, cuja função é vincar o carácter verídico das profecias, ao mesmo tempo que consolam o povo apontando a eminência do seu destino e missão históricas.

Sempre com o texto da Escritura por fundamento da narração e em estilo marcadamente bucólico e pastoril, dá acolhimento à filosofia esotérica hebraica, nomeadamente à teoria da metempsicose, que acolhe possivelmente através do esoterismo cabalístico, com mistura de concepções neoplatónicas. Com efeito, num dos citados diálogos, coloca na boca de uma das suas personagens, a respeito do destino das almas que abandonam a crença, a defesa da transmigração das almas, passando de corpo em corpo, num processo de purificação ou degradação progressivas.

Obra submetida a apertada censura por parte do Santo Ofício, encontrou sempre dificuldades de circulação em Portugal e Espanha. Modernamente foi publicada por Mendes dos Remédios...
".

Para mais informação adiantada sobre esta obra e seu autor, remetemos para este lugar.

Preço:70,00€