Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Julho 2020
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Lisboa

Foram localizados 30 resultados para: Lisboa

 

Referência:14453
Autor:BACELLAR, João
Título:ALGUNS CASOS CRIMINAES estudos antropológicos, psicológicos e sociaes Por… Director da Cadeia Nacional de Lisboa
Descrição:

Oficinas Gráficas da Cadeia Nacional, Lisboa, 1922. In-8º de 247 págs. Br. Ilustrado ao longo do texto com quadros de dados estatísticos. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

Invulgar

Observações:

Inserido numa colecção denominada Estudos Penitenciários. I Volume que foi o único publicado. Estudo muito interessante, de índole socio-antropológica, sobre alguns casos de presos na Cadeia Nacional de Lisboa.

No índice:

- Estado Civil
- Profissão
- Naturalidade e Domicílio
- Factor Económico
- Instrução
- Educação
- Idade
- A Civilisação
- Hereditariedade
- Imitação e Contágio
- Alcoolismo
- Sistema Reformatório

Preço:28,00€

Referência:12298
Autor:CRUZ, Francisco Ignacio dos Santos
Título:DA PROSTITUIÇÃO NA CIDADE DE LISBOA Ou considerações históricas, higiénicas e administrativas em geral sobre as prostitutas, e em especial na referida cidade....
Descrição:

Publicações D. Quixote, Lisboa, 1984. In-8º de 363 págs. Encadernação inteira em sintético com dizeres a ouro na lombada e capa. Integrado na colecção Biblioteca de Etnografia e Antropologia.- Portugal de Perto.

Observações:

Primeiro estudo  sobre a prostituição feminina no nosso país.Aborda a história da prostituição, as classes de prostitutas, de aspectos fisiológicos e patológicos das prostitutas, dos seus costumes e hábitos, do seu número e distribuição na cidade de Lisboa, dos lugares, famílias e idades das prostitutas, das causas da prostituição, do Virus venereo, das casas públicas de prostituição (taxas, polícia, visita sanitária, distribuição das casas pela cidade, donas das casas) e legislação antiga e moderna em Portugal e no mundo.


"É inegável que o aumento da propagação do Virus venereo está na razão directa do aumento da prostituição; e também se não pode duvidar de que o exército concorre para o incremento da prostituição. É portanto o exército uma causa influente na propagação do Virus venereo; a razão e a experiência provam suficientemente qualquer dos dois princípios enunciados. Todos os escritores sobre as enfermidades dos exércitos dizem que o maior número de moléstias que se encontram nas tropas são as venéreas, e até em número superior a todas as outras. A estatística provou a um escritor que as moléstias venéreas das prostitutas sujeitas à vigilância das autoridades administrativas eram na razão de 1:3 e que eram estas muito mais graves do que as outras. Também ele assevera que, se as leis da Natureza são sempre constantes e invariáveis, também as há na ordem social com esta constância e invariabilidade; sendo uma delas que por toda a parte onde se encontram soldados reunidos em certo número, aí se encontram prostitutas. Isto se observa em todas as nações e é o que se vê entre nós apesar de todas as leis repressivas e apesar de todos os rigores da disciplina militar."

 

Preço:25,00€

Referência:14498
Autor:DANTAS, Júlio
Título:LISBOA DOS NOSSOS AVÓS.
Descrição:

Publicações Culturais Da C.M.L., Lisboa, 1969. In-8º de 280 pags. Br. Ilustrado com o retrato do autor em anterrosto. Ilustração da capa de Roque Gameiro. Obra impressa em papel couché. Capas ligeirmente empoeiradas.

Observações:

Conjunto de crónicas onde o autor  aborda a vida quotidiana de Lisboa e as suas personagens.
Encerra capítulos como: "Tipos das ruas de Lisboa", "As velhas procissões", "Os cafés lisboetas", "As feiras", "A vida lisboeta no segundo quartel do século XIX", "Modas", "As meninas".

"Logo que a casa estivesse pronta, bem armada de damascos de seda e provida de bufetes, de contadores e de pesadas serpentinas de prata de muitos lumes, começaria a provação terrível das visitas de cerimónia. As salas encher-se-iam de peraltas, descritos pelo autor como «certos animais com figura humana, que constituem nova espécie entre racional e irracional», e de casquilhas de grandes toucados de plumas, «tão altos, que, se as velas dos lustres lhes pegassem fogo, elas não dariam por isso», - toucados que ao tempo (refere o autor, com justa indignação) se chamavam «mitras», e que os cabeleireiros só conseguiam riçar e polvilhar "montando escadas e andaimes em volta das cabeças das senhoras"".

Preço:25,00€

Referência:13765
Autor:LISBOA, Irene
Título:ESTA CIDADE!
Descrição:

Edição de Autor, Lisboa, 1942. In-8º de 427-(4) págs. Br. Capas de brochura levemente empoeiradas e com alguns picos de acidez. Ilustração da capa de Ilda Moreira. Com alguns carimbos de posse.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Livro de crónicas escrito por Irene Lisboa, que com esta obra abandonou o pseudonimo de João Falco. São crónicas que retratam o quotidiano lisboeta, de várias classes sociais, vistas e narradas com a peculiar sensibilidade que caracteriza esta  escritora.

Da introdução

 “Recolho neste volume umas tantas observações sobre casos que conheci, que me pus a desfiar e a reconsiderar tranquilamente. Tirei deles novelas? Creio que não. Fiz deles histórias pitorescas ou até morais? Também não o creio. Pu-los simplesmente em letra redonda, contei-os.”

Índice:
 A Adelina, etc…. (1). – Helma. – O velatório. – No cabeleireiro. – O Lavra. – Modista de chapéus. – A Adelina, etc…. (2). – Épocas. – Rapariguinha da rua. – O amante. – O barracão. – Um dito. – A Adelina, etc… (3).

 

Preço:25,00€

Referência:13744
Autor:RIBEIRO, M. Felix
Título:OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA DE 1896-1939
Descrição:

Instituto Português de Cinema/Cinemateca Nacional, Lisboa, 1978. In-8º de 264 págs. Br. capa algumas marcas de uso. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Obra muito interessante do fundador e primeiro presidente da Cinemateca Portuguesa onde ele faz  um estudo exaustivo  sobre as salas de cinema em Lisboa, desde que o animatógrafo foi introduzido na cidade. O autor para  além de recorrer à documentação da época, recorre à sua  memória pessoal.

A obra contém ainda um apêndice que complementa os temas estudados pelo autor ao longo do livro, abordando temáticas como a música nos filmes, legendagem, a segurança nos cinemas  entre outros temas.

 

 

Preço:30,00€

Referência:13352
Autor:SANCHES, José Dias
Título:BELÉM DO PASSADO E DO PRESENTE
Descrição:

Separata do Jornal Ecos de Belém, Lisboa, 1970. In-8º de 242-(2) págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto. Ostenta vários carimbos de biblioteca particular.

Observações:

Exaustiva monografia sobre a história da zona de Belém em Lisboa, encerra capítulos sobre os seus monumentos e quintas. Encerra também um interessante capítulo com  apontamentos sobre as famílias tradicionais daquele bairro lisboeta.

Preço:17,00€

Referência:13933
Autor:SANTOS, Reinaldo dos
Título:CONFERÊNCIAS DE ARTE Forma, cor e luz na arte, Lisboa na arte, el subjetivismo del arte de Velazquez
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1949. In-4º de 57-(6) págs. Br. Ilustrado com  estampas em extra-texto. Valorizado pela dedicatória autógrafa a Paulo Quintela.

INVULGAR.

Observações:

Obra que encerra o texto de  três conferências:  Forma, côr e luz na arte:  Lisboa na arte:  El subjetivismo del arte de Velazquez.

Preço:25,00€

Referência:13899
Autor:SILVA, Manuel Emygdio da
Título:A BOTICA DO AZEVEDO (1775-1948)
Descrição:

Sociedade Industrial Farmacêutica, Lisboa, 1948. In-8º de 134-(2) págs. Br. Capa de brochura da autoria de Raul Lino ligeiramente empoeirada. Profusamente ilustrado em extra-texto com gravuras e retratos executados por Júlio Neuparth e um fac-simile de uma carta António Feliciano Alves de Azevedo.

Invulgar.

Observações:

Obra bastante interessante para  o estudo da evolução da farmácia em Portugal.  Encerra a história das farmácias do Rossio e de São Roque, e da Sociedade Industrial Farmacêutica. Interessa também como crónica dos elguns espaços chaves na história de Lisboa.

Contém excerto de ”Os Maias” no capítulo X onde fala na dita Botica.
Divide-se nos seguintes capítulos: I – A Farmácia do Rossio, i) A Origem, ii) António Feliciano Alves d’Azevedo, iii) Os filhos; II – A Farmácia de S. Roque; e, por fim, III – A Sociedade Industrial Farmacêutica.

Preço:27,00€

Referência:13281
Autor:ZAGALLO, Manuel C. de Almeida Cayolla
Título:PALÁCIO NACIONAL DA AJUDA - Roteiro
Descrição:

Lisboa, 1961. In-4.º de 118-(7) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Os desenhos que ilustram a obra são do artista Alexandre Salgado Dias e as gravuras extra-textos foram executadas sobre fotos do artista Mário Novais.

Observações:

Roteiro muito detalhado do Palácio Nacional da Ajuda.

Do prefácio do Dr. João Couto:

"Dos Palácios Nacionais, mantidos pela Direcção-Geral da Fazenda Pública, do Ministério das Finanças, o único que se encontra no perímetro de Lisboa é o Palácio da Ajuda.
Magnífica habitação Real, o edifício ou foi utilizado pelos monarcas ou tem servido para pompas oficiais nos recentes anos da vida nacional.
Circunstâncias favoráveis permitiram que o seu recheio se conservasse com bom aspecto e em condições de ser utilizado e, por isso, esta casa, dos princípios do século XIX, apresenta-se como um museu de grande valia para os que pretendem auscultar a vida e os arranjos das habitações numa época da qual, por incúria ou desinteresse, os exemplos vão tristemente rareando."

Preço:23,00€