Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Agosto 2020
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Lisboa

Foram localizados 30 resultados para: Lisboa

 

Referência:14523
Autor:autoria indefinida
Título:NO MAR episódios da vida dos marinheiros
Descrição:

Liga Naval Portuguesa ( J. Rodrigues & C.a, Editores), Lisboa, 1935. In-8º de XXIII-194-(4) págs. Brochado. Ilustrado ao longo do texto. Capas de brochura ligeiramente manchadas por picos de humidade. Miolo em optimo estado

Observações:

Do Prefácio:

“Ir a Badajoz ver lidar toiros é excursão sem pretensões a cultura intelectual ou moral. Ir a Paris palmilhar os boulevards, frequentar Montmartre ou Montparnasse, não trás sólidos benefícios ao saber nem à conduta. Mas viajar em serviço como oficial da Armada, isolado ou a bordo de navios de guerra, é coisa bem diversa: há que manter aprumo no navio, na tripulação, no procedimento próprio e assim, em comparações inevitáveis, se notam as perversões de certos povos, a hipocrisia de outros, a brutalidade animal de muitos deles…”

Encerra os seguintes capítulos:

D. Gilianes de Mascarenhas, por Alfredo Botelho de Sousa. O posto militar da ilha Tekomajl, por Pedro de Azevedo Coutinho. O Malhado, por Ivens Ferraz. Regresso de Estação, por D. Bernardo da Costa Mesquitella. Na costa de Moçambique, por Alfredo Caçador. Homem ao mar!, por Carvalho Brandão. Um invulgar acidente de Navegação, por Mata Oliveira. Contra-torpedeiro «Douro», por Agnelo Portella. Vigilancia da Beira, por António A. de Cisneiros e Faria. O Boi João, por Nuno Telles Pinto. Numa viagem do S. Gabriel, por Jayme do Inso. Hoihau, por Ivens Ferraz. Episodio, por Guilherme C. d’Oliveira. O Espectro, por Emilio San Bruno.

 

Preço:25,00€

Referência:14453
Autor:BACELLAR, João
Título:ALGUNS CASOS CRIMINAES estudos antropológicos, psicológicos e sociaes Por… Director da Cadeia Nacional de Lisboa
Descrição:

Oficinas Gráficas da Cadeia Nacional, Lisboa, 1922. In-8º de 247 págs. Br. Ilustrado ao longo do texto com quadros de dados estatísticos. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

Invulgar

Observações:

Inserido numa colecção denominada Estudos Penitenciários. I Volume que foi o único publicado. Estudo muito interessante, de índole socio-antropológica, sobre alguns casos de presos na Cadeia Nacional de Lisboa.

No índice:

- Estado Civil
- Profissão
- Naturalidade e Domicílio
- Factor Económico
- Instrução
- Educação
- Idade
- A Civilisação
- Hereditariedade
- Imitação e Contágio
- Alcoolismo
- Sistema Reformatório

Preço:28,00€

Referência:12298
Autor:CRUZ, Francisco Ignacio dos Santos
Título:DA PROSTITUIÇÃO NA CIDADE DE LISBOA Ou considerações históricas, higiénicas e administrativas em geral sobre as prostitutas, e em especial na referida cidade....
Descrição:

Publicações D. Quixote, Lisboa, 1984. In-8º de 363 págs. Encadernação inteira em sintético com dizeres a ouro na lombada e capa. Integrado na colecção Biblioteca de Etnografia e Antropologia.- Portugal de Perto.

Observações:

Primeiro estudo  sobre a prostituição feminina no nosso país.Aborda a história da prostituição, as classes de prostitutas, de aspectos fisiológicos e patológicos das prostitutas, dos seus costumes e hábitos, do seu número e distribuição na cidade de Lisboa, dos lugares, famílias e idades das prostitutas, das causas da prostituição, do Virus venereo, das casas públicas de prostituição (taxas, polícia, visita sanitária, distribuição das casas pela cidade, donas das casas) e legislação antiga e moderna em Portugal e no mundo.


"É inegável que o aumento da propagação do Virus venereo está na razão directa do aumento da prostituição; e também se não pode duvidar de que o exército concorre para o incremento da prostituição. É portanto o exército uma causa influente na propagação do Virus venereo; a razão e a experiência provam suficientemente qualquer dos dois princípios enunciados. Todos os escritores sobre as enfermidades dos exércitos dizem que o maior número de moléstias que se encontram nas tropas são as venéreas, e até em número superior a todas as outras. A estatística provou a um escritor que as moléstias venéreas das prostitutas sujeitas à vigilância das autoridades administrativas eram na razão de 1:3 e que eram estas muito mais graves do que as outras. Também ele assevera que, se as leis da Natureza são sempre constantes e invariáveis, também as há na ordem social com esta constância e invariabilidade; sendo uma delas que por toda a parte onde se encontram soldados reunidos em certo número, aí se encontram prostitutas. Isto se observa em todas as nações e é o que se vê entre nós apesar de todas as leis repressivas e apesar de todos os rigores da disciplina militar."

 

Preço:25,00€

Referência:13744
Autor:RIBEIRO, M. Felix
Título:OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA DE 1896-1939
Descrição:

Instituto Português de Cinema/Cinemateca Nacional, Lisboa, 1978. In-8º de 264 págs. Br. capa algumas marcas de uso. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Obra muito interessante do fundador e primeiro presidente da Cinemateca Portuguesa onde ele faz  um estudo exaustivo  sobre as salas de cinema em Lisboa, desde que o animatógrafo foi introduzido na cidade. O autor para  além de recorrer à documentação da época, recorre à sua  memória pessoal.

A obra contém ainda um apêndice que complementa os temas estudados pelo autor ao longo do livro, abordando temáticas como a música nos filmes, legendagem, a segurança nos cinemas  entre outros temas.

 

 

Preço:30,00€

Referência:13352
Autor:SANCHES, José Dias
Título:BELÉM DO PASSADO E DO PRESENTE
Descrição:

Separata do Jornal Ecos de Belém, Lisboa, 1970. In-8º de 242-(2) págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto. Ostenta vários carimbos de biblioteca particular.

Observações:

Exaustiva monografia sobre a história da zona de Belém em Lisboa, encerra capítulos sobre os seus monumentos e quintas. Encerra também um interessante capítulo com  apontamentos sobre as famílias tradicionais daquele bairro lisboeta.

Preço:17,00€

Referência:13933
Autor:SANTOS, Reinaldo dos
Título:CONFERÊNCIAS DE ARTE Forma, cor e luz na arte, Lisboa na arte, el subjetivismo del arte de Velazquez
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1949. In-4º de 57-(6) págs. Br. Ilustrado com  estampas em extra-texto. Valorizado pela dedicatória autógrafa a Paulo Quintela.

INVULGAR.

Observações:

Obra que encerra o texto de  três conferências:  Forma, côr e luz na arte:  Lisboa na arte:  El subjetivismo del arte de Velazquez.

Preço:25,00€

Referência:13899
Autor:SILVA, Manuel Emygdio da
Título:A BOTICA DO AZEVEDO (1775-1948)
Descrição:

Sociedade Industrial Farmacêutica, Lisboa, 1948. In-8º de 134-(2) págs. Br. Capa de brochura da autoria de Raul Lino ligeiramente empoeirada. Profusamente ilustrado em extra-texto com gravuras e retratos executados por Júlio Neuparth e um fac-simile de uma carta António Feliciano Alves de Azevedo.

Invulgar.

Observações:

Obra bastante interessante para  o estudo da evolução da farmácia em Portugal.  Encerra a história das farmácias do Rossio e de São Roque, e da Sociedade Industrial Farmacêutica. Interessa também como crónica dos elguns espaços chaves na história de Lisboa.

Contém excerto de ”Os Maias” no capítulo X onde fala na dita Botica.
Divide-se nos seguintes capítulos: I – A Farmácia do Rossio, i) A Origem, ii) António Feliciano Alves d’Azevedo, iii) Os filhos; II – A Farmácia de S. Roque; e, por fim, III – A Sociedade Industrial Farmacêutica.

Preço:27,00€

Referência:13281
Autor:ZAGALLO, Manuel C. de Almeida Cayolla
Título:PALÁCIO NACIONAL DA AJUDA - Roteiro
Descrição:

Lisboa, 1961. In-4.º de 118-(7) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Os desenhos que ilustram a obra são do artista Alexandre Salgado Dias e as gravuras extra-textos foram executadas sobre fotos do artista Mário Novais.

Observações:

Roteiro muito detalhado do Palácio Nacional da Ajuda.

Do prefácio do Dr. João Couto:

"Dos Palácios Nacionais, mantidos pela Direcção-Geral da Fazenda Pública, do Ministério das Finanças, o único que se encontra no perímetro de Lisboa é o Palácio da Ajuda.
Magnífica habitação Real, o edifício ou foi utilizado pelos monarcas ou tem servido para pompas oficiais nos recentes anos da vida nacional.
Circunstâncias favoráveis permitiram que o seu recheio se conservasse com bom aspecto e em condições de ser utilizado e, por isso, esta casa, dos princípios do século XIX, apresenta-se como um museu de grande valia para os que pretendem auscultar a vida e os arranjos das habitações numa época da qual, por incúria ou desinteresse, os exemplos vão tristemente rareando."

Preço:23,00€