Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Batalhas | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fado | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Erótica | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre

Módulo background

Literatura

Foram localizados 39 resultados para: Literatura

 

Referência:13702
Autor:autoria indefinida
Título:COMEMORAÇÃO DO PRIMEIRO CENTENÁRIO DO VISCONDE DE ALMEIDA GARRETT
Descrição:

Comissão Nacional do Centenário de Almeida Garrett. Ministério da Educação Nacional, Lisboa, 1959. In-4º de 542 pags. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

Observações:

Obra comemorativa do primeiro centenário de Almeida Garrett que encerra colaborações  de, entre outros, escritores, ensaistas e políticos como Julio Dantas, Marcelo Caetano, Augusto de Castro, Jacinto do Prado Coelho, Magalhães Basto, Acúrcio Pereira.

Preço:35,00€

Referência:12764
Autor:autoria indefinida
Título:ESTÉTICA DO ROMANTISMO EM PORTUGAL . Primeiro colóquio - 1970
Descrição:

Grémio Literário, Lisboa, 1974. In-8º de 272 págs. Br.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

 Colóquio cujo presidente foi Vitorino Nemésio sendo secretários Joel Serrão, José-Augusto França e José Tengarrinha. Encerra as comunicações apresentadas por Barradas de Carvalho, Borges Coelho, Ruben Andresen  Leitão, Machado da Rosa, Jorge de Sena, Eduardo Lourenço, Alexandre Cabral, Fernando Castelo-Branco, Helena Cidade Moura, Raul Lino, Santos Simões, José-Augusto Seabra, Joel Serrão entre outros, sobre temas  relacionados com a história literária, literatura, artes plásticas, teatro, azulejaria, etc.

Preço:23,00€

Referência:12493
Autor:autoria indefinida
Título:LAVRA & OFICINA Caderno especial dedicado à literatura angolana em saudação à VI Conferência dos escritores afro-asiáticos
Descrição:

União dos Escritores Angolanos, Luanda, 1979. In-8º de 135 págs. Br. Muito ilustrado, no texto e em extra-texto a cores e a preto e branco.

RARO.
,

Observações:

"Têm os escritores angolanos uma tradição de luta. Desde o início [...] que os escritores estão presentes como agentes de luta pela independência"

Com participação de  Luandino Vieira, Pepetela, Boaventura Cardoso, Arnaldo Santos, Agostinho Neto, entre outros.

 

 

Preço:25,00€

Referência:13235
Autor:BELCHIOR, Manuel
Título:CONTOS MANDINGAS
Descrição:

Portucalense Editora, Porto, 1971. In-8º de 333 págs. Br.

Observações:


“(...) Os motivos que levam a publicar este volume de contos, antes mesmo dos estudos que fundamentalmente ditaram a minha ida à Guiné, fundam-se, em primeiro lugar, na necessidade que existe em animar ao diálogo a que aludimos os portugueses brancos que em África trabalham, abonando a capacidade mental dos seus interlocutores. Os homens que fornecem este variado repositório de narrações que vão desde o conto com intensão educativa e moral até à crítica social mas acerada, são conversadores amáveis, inteligentes e espirituosos cujo convívio dá prazer. Encontrei-os espalhados por toda a Guiné e mais no sertão que na cidade porque o homem do mato, ganha, muitas vezes, uma maior altura intelectual por dispor de mais tempo e mais tranquilidade para a meditação e para o estudo(...)”

O investigador justifica o seu trabalho depois de ter permanecido largos meses, entre 1967 e 1968, na região de Bafatá e Gabu, trabalhando com fulas e mandingas num inquérito etnológico. Ao fazer o inventário do material recolhido, descobriu, muito agradado, que recolhera quase uma cinquentena de contos e fábulas. O conjunto de generalidades sobre o povo mandinga ainda hoje se lê com deslumbramento. Não querendo abstrair o número de mudanças operadas nos últimos 40 anos, continua a ter a maior utilidade o que Manuel Belchior escreve sobre a distribuição dos mandingas no território da Guiné-Bissau, as suas origens, o tipo de povoamento, a sua organização familiar, social e política, a religião, a visão do trabalho, as actividades económicas e os divertimentos.

Dito resumidamente, até aos anos 70 do século passado, os núcleos principais da população mandinga distribuíam-se pelas regiões do Gabu, por Gussará, Ganadu e Badora (Bafatá) e região do Oio (Farim e BIssorã). Os mandingas pertencem ao grande ramo dos negros sudaneses, aparecem historicamente relacionados com os povos mandés, com o império de Ghana e mais tarde o império Mali. Tornaram-se na etnia preponderante até ao século XIX, quando foram derrotados pelos Fulas. Em termos de organização social, a generalidade da população dedica-se à agricultura, mas já que ter em conta os artífices (como os ferreiros, os ourives, os tintureiros e os sapateiros) os cantores e músicos e os comerciantes.

Os contos e fábulas recolhidos são um repositório impressionante da amálgama e do sincretismo cultural dos mandingas: a influência do Corão e do animismo; a influência da literatura árabe e da narrativa oral africana; a exemplaridade de justiça muçulmana, o rigor a que se deve sujeitar o comportamento do soberano justo; o prémio da fidelidade do amor; a importância do Irã, a divindade protectora dos povos animistas; a história dos clãs; o castigo da inveja e da infidelidade, entre outras manifestações. <

O fabulário mandinga tem atraído muitos investigadores, nele se cruza um vasto património de narrativas morais que acabam por aparecer na generalidade das narrativas de toda as etnias. O estudo que Benjamim Pinto Bull fez às fábulas crioulas decorre deste complexo interétnico: envolve lobos que comem cabras, lebres ladinas que conversam com jagudis e crocodilos; serpentes que esperam a hora de vingança; lobos que conversam com hipopótamos, mas há também morcegos, leoas, macacos e personagens como os curandeiros.

Enfim, contos e lendas onde encontramos toda a trama da história, da língua, da educação, dos conceitos de direito e justiça deste povo. A problemática religiosa, insiste-se, tem bastante complexidade. Não só o mandinga islamizou povos pelo poder da espada como se mantém intransigente na recusa em abandonar as práticas de fundo animista (caso da circuncisão).

Quem puder, não se furte ao esplendor desta literatura que ajuda a dissipar o preconceito de que estes povos não possuem um elevado recorte literário.
 

in notas de leitura

Preço:24,00€

Referência:13643
Autor:CASTELAR, Emilio
Título:A VIDA DE LORD BYRON
Descrição:

Typographia do Jornal do Porto, Porto, 1876. In-8º de 185 págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. um bocado cansada.. Paginas com alguns picos de acidez. Ostenta uma assinatura de posse. Traduzido da 2ª edição por M. Fernandes Reis.

Observações:

Biografia romanceada da vida de Lord Byron, onde o autor tenta fazer justiça  a um autor denegrido pelos seus contemporâneos.

Preço:28,00€

Referência:13453
Autor:CERVANTES, Miguel
Título:EL INGENIOSO HIDALGO DON QUIJOTE DE LA MANCHA compuesto por ... Lujosa edición con un proemio de José M. Asensio lustraciónes deDon Moreno Carbonero y Don Laureano Barrau eCERVANTES Y SUS OBRAS
Descrição:

 F. Seix, Editor, Barcelona, 1898-1904. Três volumes de in-8º de LXXXVIII-607,  XXIII-667 , X-563 págs. Sumptuosa encadernação editorial com lombada em chagrin com estampa a cores e ouro na capa, na pasta anterior ostenta o escudo real gravado a ferro, magnificamente bem conservada assim como as cromolitografias a cores de José Moreno Carbonero e Laureano Barrau protegidas por folha de papelde  seda. Vinhetas e letras capitulares policromadas da autoria de diferentes artistas. Corte superior das folhas brunido a ouro fino.

Observações:

Os dois primeiros volumes encerram a obra "Dom Duixote" de Cervantes e o terceiro volume encerra um conjunto de 27 ensaios sobre Cervantes, da autoria de José M. Asensio, um dos maiores estudiosos da sua obra, dos quais destacamos: Sobre las ediciones primitivas de El Ingenioso Obras desconocidas de Cervantes, Sobre La Estafeta de Urganda, Los continuadores de El Ingenioso Sobre La Española Inglesa, Desavenencias entre Miguel de Cervantes y Lope de Vega, El Conde de Lemos, Estudió Cervantes en Salamanca?, Un cervantista portugués del siglo XVIII quemado por el Santo Oficio, Los académicos de Argamasilla, El testamento de Cervantes, Sentido oculto del Quijote.

Preço:240,00€

Referência:13725
Autor:CIDADE, Hernani
Título:LIÇÕES DE CULTURA LUSO-BRASILEIRA - ÉPOCAS E ESTILOS - NA LITERATURA E NAS ARTES PLÁSTICAS
Descrição:

Livros de Portugal, Rio de Janeiro, 1960. In-4.º de XV-349 págs. Br. Rubrica de posse. Ilustrado.

Observações:

"O que vamos tentar neste livro é, em cada época, surpreender esse estilo em seus rasgos essenciais e nalgumas obras literárias que, por seu mais fundo acolhimento e larga repercussão, considerarmos como as que melhor o exprimem. Não será, pois, uma história literária, senão uma síntese da sucessão dos estilos por que se vão revelando as fases da experiência colectiva, do que pode considerar-se o crescimento espiritual do homem, relacionando todos os rasgos que em tais estilos se integram, mas atentando, sobretudo, nos literários."

Preço:27,00€

Referência:13660
Autor:ENTWISTLE, William J.
Título:A LENDA ARTURIANA NAS LITERATURAS DA PENÍNSULA IBÉRICATradução do inglês de António Alvaro Dória. Revista e acrescentada pelo Autor
Descrição:

Imprensa Nacional de Lisboa, Lisboa, 1942. In-4º de 248 págs. Br. Capa e miolo com leves picos de acidez. Ostenta carimbo de biblioteca particular.

Observações:

Obra muito exaustiva que estuda a difusão da matéria arturiana na peninsula Ibérica, através dos Livros de cavalaria em especial no Amadis de Gaula.

Do Prefácio do Tradutor:

"A literatura cavalheiresca tem dado motivo para muitos estudos mais ou menos volumosos, entre os quais o presente é dos de mais valor. Foi por o reconhecer que o Sr. Dr. Joaquim de Carvalho, antigo e muito ilustre Director da Imprensa da Universidade de Coimbra, entendeu publicar a sua tradução, que só tem de lamentável o ter-me sido confiada. Embora os pontos de vista do Sr. Entwistle se limitem a um aspecto da vasta literatura cavalheiresca — o das novelas artimañas—, e mesmo esse restringido à Península Ibérica, ële é exaustivo, como facilmente pode verificarse. A literatura cavalheiresca tem sido incompletamente estudada entre nós, e o que de valioso existe sobre o assunto, mesmo no que respeita às novelas portuguesas, deve-se à pena de alguns dos mais ilustres especialistas estrangeiros. ¡E no entanto que magnífico campo a lavrar! Estou crente de que a presente obra vai contribuir para os estudiosos e eruditos portugueses fazerem incidir a sua atenção, pelo menos, sobre o contributo de Portugal para o vasto mar da novelística cavalheiresca."

Preço:18,00€

Referência:13708
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:NOTAS PARA UM IDEARIUM PORTUGUÊS - POLÍTICA E LITTERATURA
Descrição:

Livraria Sá da Costa, Lisboa, 1929. In. 8.º de 221-(1) págs. Br.Rubrica de posse. exemplar autenticado com rubrica de autor e editor.

Observações:

Conjunto de artigos  de um autor injustamente esquecido, Fidelino Figueiredo, que abordam temas de política e literatura.

Preço:23,00€

Referência:13700
Autor:FIGUEIREDO, Francisco Coelho de
Título:AGRADECIMENTO DE HUM HOMEM A MEMORIA DE OUTRO HOMEM VIRTUOSO, SÁBIO E FILÓSOFO
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1816. In-8º de 44 págs. Não conserva capas de brochura. Encadernação antiga em papel marmoreado. Exemplar que pertenceu a Eugénio de Castro ostentando a sua assinatura. Segundo Inocêncio este panfleto teve uma tiragem restrita de 150 exemplares.

RARO.

Observações:

Folheto com a biografia de  Pedro José da Fonseca, professor na corte de D. José e membro fundador da Academia Real das Ciências de Lisboa. Segundo Inocêncio "Os unicos esclarecimentos biographicos, que até agora existem impressos ácerca d'este laborioso professor e distinctissimo philologo, constam de um folheto que pouco tempo depois da sua morte se publicou com o titulo: Agradecimento de um homem à memoria de outro homem virtuoso, sabio e philosopho'.

Preço:45,00€

Referência:13659
Autor:FREIRE, João Paulo
Título:CURIOSIDADES BIBLIOGRAFICAS
Descrição:

Livraria Editora Guimarães, Lisboa,1925 In-8º de 157-(1) págs. Br. Capas de brochura amarelecidas pelo tempo e com falhas de papel na lombada.

 

 

Observações:

Obra que reúne  artigos publicados pelo autor no jornal «A Pátria», a que juntou alguns inéditos. Encerra, entre outros os seguintes capítulos: Manual dos deputados; Manual das revoluções; O que deu a lira nacional na morte do principe D. José; Choradeira de Lisboa; Na lamentavel morte dos Cinco Infelizes Padecentes; Pela feliz união do Supremo Governo do Reino com o governo interino de Lisboa; De l'Amadis de Gaule; Onde pàra a curiosidade bibliografica Camiliana apontada por Camilo no numeroo antecedente?; O retrato de Ricardina; Terra Prohibida; Regresso ao Paraiso; A queda d'um anjo; Amor de Perdição, Guerra Junqueiro; As melhores poesias; Folhetos camilianos; Portugal de perto.

“O anno passado iniciei no jornal A Patria uma serie de chronicas sujeitas ao titulo geral Curiosidades Bibliographicas. Era uma secção muito a meu contento e que eu levaria longe se m’o tivessem deixado. (...) Muitas foram então as cartas que recebi pedindo me que continuasse ou que reunisse em volume os artigos já publicados”, por exemplo: «O retrato de Ricardina», «Terra Prohibida e Regresso ao Paraiso», «A queda d’um anjo», «Amor de Perdição», «Guerra Junqueiro», «Folhetos camilianos», etc."

Preço:15,00€

Referência:13368
Autor:GUERRA, Oliveira
Título:CÉLTICA
Descrição:

Escola Tipográfica da Oficina de S. José, Porto, 1960-1961. quatro números de in-8º com numeração corrida (o primeiro tem 48 páginas, o segundo decorre entre a 51 e 144, o terceiro entre a 147 e 240, e o final entre as 243 e 336). Br. Capas de brochura ligeira mente empoeiradas. Ilustrado ao longo do texto. Arranjo gráfico de António Leite.

COLECÇÃO COMPLETA.

INVULGAR

Observações:

Revista dirigida por Manuel de Oliveira Guerra no início da década de 60 do século passado. Esta
publicação tratava de "quebrar a capa de gelo" entre a literatura português e a literatura galega, e nela se recolheram colaborações de vários autores.
Existia um núcleo de colaboradores permanentes do lado português ( Hugo Rocha, Barata Feyo, Rebelo Bonito); um artista catalão, Tomás Casals Marginet,  e um núcleo galego, formado em volta dos irmãos Carré Alvarellos: Lois, Uxio e Leandro. Revista muito importante para traçar o panorama da relação galego-portuguesa a nível das artes e literatura nos anos 60.

 

Preço:45,00€

Referência:13636
Autor:GUIMARÃES, Jorge [edit.]
Título:LUSÍADA. Revista ilustrada de Cultura. Arte - Literatura - História - Crítica
Descrição:

Porto. 1952-1960. três volumes encerrando 13 números com 340 págs (1 a 4)-364 págs (5 a 8)- 444-62 págs. (9 a 13) + 20 págs. Encadernação meia francesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Profusamente ilustradas e com  impressão de luxo a cores sobre papéis couchés e texturados ou avergoados, brancos e a cores, brilhantes e mates. Folhas aparadas. No sétimo número as primeiras 24 páginas têm erro de numeração.

COLECÇÃO COMPLETA

INVULGAR.

Observações:

"Anelos vivos da Lusiada são os de valer como órgão da cultura portuguesa, em prol do avigoramento e realce intelectivos da pátria, como factor representativo da consciência mental do povo luso, não alheio às inquietações morais e artísticas da actualidade."


Revista artística publicada no Porto que aborda eclecticamente os mais variados assuntos, entre o erudito e o popular e encerrando lado a lado participação de autores ligados a doutrinas políticas bastante diferentes. Encerra participações de , entre muitos outros, autores como João Araújo Correia, Fernando Pamplona, Roberto Nobre, Eduardo Malta, António Quadros (o pintor), José-Augusto França, Júlio Resende, Artur Nobre de Gusmão, António Pedro, Diogo de Macedo, Eugénio de Andrade, Amândio César, Matilde Rosa Araújo, conde de Aurora, Fernando Namora, Henrique Medina, Cecília Meireles, Leão Penedo, Armando Côrtes-Rodrigues, Rui Luís Gomes, Hipólito Raposo, Cruz Malpique, Jacinto do Prado Coelho, Fidelino de Figueiredo, Julieta Ferrão, Agustina Bessa-Luís, Américo Cortez Pinto, Cabral do Nascimento, António Sérgio, Damião Peres,

Preço:180,00€

Referência:12765
Autor:LIMA, Fernando de Castro Pires de
Título:A MULHER VESTIDA DE HOMEM, contribução para o estudo do romance " A Donzela que vai à Guerra"
Descrição:

Fundação Nacional para a Alegria no Trabalho, Coimbra, 1958, In-8º de 381 págs. Br

Observações:

Prefácio do Prof. Dr.Raffaele Corso.
Estudo sobre as variantes na Península Ibérica e sobretudo, na América Latina (devido à imigração dos povos europeus) da composição tradicional italiana "A donzela que vai à guerra".

Preço:15,00€

Referência:13341
Autor:MATA, Inocência
Título:FICÇAO E HISTÓRIA NA LITERATURA ANGOLANA o caso de Pepetela
Descrição:

Edições Colibri, s/l, 2010. In-8º de 386 págs. Br.

Observações:

Do prefácio de Pepetela:

"No presente trabalho, Inocência Mata explora as relações entre a literatura, a história, o repensar da Nação Angolana e da sua criação, na minha obra. Como autor devo dizer que muito dificilmente seria de outra maneira. A minha geração foi privilegiada por ter tido que fazer opções dramáticas. Em contraponto encontramos outras gerações que perdem os objectivos ou que nunca chegam a ter algum, o que me parece um vácuo demasiado doloroso, simplesmente desumano. Por ter de fazer esse tipo de opções (lutar ou não lutar contra a situação colonial, pegar em armas ou trabalhar no exílio frio, desertar ou continuar num exército de ocupação colonial, etc., etc.) a literatura da minha geração está “contaminada” por essas opções pessoais. Daí o socorrer-se do passado para pensar o presente e perspectivar o futuro, daí o interesse pelos problemas que fracturam a sociedade, daí a ligação quase indispensável com o facto político. Os meus livros não podiam ser excepção. Pelo menos até certa altura da minha vida. Penso ser isso que inspirou a minha amiga Inocência, aliás como alguns outros estudiosos."

Encerra capitulos como :

Literatura e história: o caso de Angola; Ficção e história na obra de Pepetela; Vectores de geografias históricas; Lugares da utopia da escrita.

 

Preço:10,00€

Referência:12544
Autor:OLIVEIRA, José Osório
Título:ESPELHO DO BRASIL
Descrição:

Empresa Nacional de Publicidade, Lisboa, 1933. In-8º de 97-(4) págs. Br. Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Interessante conjunto de ensaios sobre a literatura e a cultura brasileira, escritos pelo seu maior divulgador em Portugal, onde ele tenta reflectir sobre a diversidade e a “unidade étnica” brasileira e a formação do povo brasileiro, dando eco ao que nesssa mesma altura se discutia no Brasil, uma definição do Brasil, da sua cultura e da sua literatura.

Preço:17,00€

Referência:12588
Autor:PIMENTEL, Alberto
Título:O PORTO NA BERLINDAMemórias d'uma Família Portuense.
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron, Porto, 1894. In- 8º de XXVI-281 págs. Brochado com insignificantes defeitos na capa dada a fraca qualidade do papel. BOM EXEMPLAR.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra muito curiosa sobre o Porto, onde o autor nos fala das pessoas, das paisagens, dos monumentos, etc. e na  parte final,"Memórias d'uma família Portuense", revela notas íntimas sobre sua própria família. Com numerosas trancrições de Camilo, Ramalho Ortigão, Herculano, Arnaldo Gama, Castilho, Garrett, etc.

"Não é precisamente n'uma cidade de, província, e numa cidade essencialmente comercial como o Porto, que se pode encontrar, devidamente equipada, toda essa grande legião de artistas, de diletanti, de ociosos, de parvenus, de grandes damas, de fidalgos, de titulares, de burocratas, de mundanas e de rufiões, que, nas capitais, constituem a assistência habitual dos espectáculos de ópera. Basta a corte - iman de todas as vaidades - para dar brilho a S. Carlos, porque a corte arrasta consigo todo o mundo official e todo o mundo officioso, que vaidosamente borboleteia em torno d'ella.[ ... ] S. Carlos é uma instituição; S. João é um tour de force.[ ... ] O theatro de S. João, longe de ser uma engrenagem constitucional, representa o esforço da vaidade portuense, que em muitas coisas pretende ombrear com Lisboa."

Preço:50,00€

Referência:13008
Autor:PIRES, Maria Laura Bettencourt
Título:PORTUGAL VISTO PELOS INGLESES
Descrição:

Instituto Nacional de Investigação Científica, Lisboa, 1981. In-8º de  126 págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Antologia de textos escritos por Ingleses sobre Portugal, encerrando não só textos literários como tratados, textos sobre a Guerra Peninsular e relatos de viagens.

 

 

Preço:20,00€

Referência:12929
Autor:RIBEIRO, Álvaro
Título:A LITERATURA DE JOSÉ RÉGIO
Descrição:

Sociedade de Expansão Cultural, Lisboa, 1969. In-8º de 369-(7) págs. Br. Com uma assinatura de posse.

Observações:

Obra bastante interessante sobre a obra de José Régio pela riqueza de sugestões e de caminhos que abre ao leitor.

"Se José Régio tivesse sido escolar da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, discípulo de Leonardo Coimbra, e consequentemente habilitado com os respectivos estudos técnicos e especulativos, chegaria a ser pela sua assídua aplicação ao trabalho, pela sua fecundidade criadora, pela sua cooperação social, sem
dúvida, o maior, o mais existencial, o mais realizado filósofo português do século XX. (…) É todavia impressionante o paralelo temático, e até o paralelo tético, da obra literária de José Régio com a obra filosófica de Leonardo Coimbra "

 

Preço:15,00€

Referência:13727
Autor:RÓNAI, Paulo
Título:ENCONTROS COM O BRASIL
Descrição:

Ministério da Educação e da Cultura & Instituto Nacional do Livro, Rio de Janeiro, 1958. In-8.º de 249-(3) págs. Br.

Observações:

Reúnião de artigos de um dos maiores especialistas em literatura brasileira, originalmente publicados em jornais como  Revista do Brasil, O Jornal, Correio da Manhã, diário de Notícias, O Estado de São Paulo e Tribuna da Imprensa.
“as páginas de que se compõe este livro não pretendem constituir um panorama, e ainda menos exemplificar uma teoria da literatura; são apenas depoimentos de um leitor acerca de leituras que lhe deram prazer – de um leitor que escreve para comunicar a terceiros o próprio entusiasmo e talvez, mais ainda, para melhor compreender o que leu”
Encerra artigos sobre: Guimarães Rosa, Lima Barreto, Graciliano Ramos, Carlos Drummond de Andrade, Lorge de Lima, entre outros.

 

Preço:12,00€

Referência:13675
Autor:SCHEIDL, Ludwig
Título:O PRÉ-EXPRESSIONISMO NA LITEERATURA ALEMÃ Georg Heym, Georg Traakl, Ernst Stadler
Descrição:

Biblioteca Geral da Universidade, Coimbra, 1985. In-4º de 576 págs. Cadernos por abrir.

Observações:

Tese de Doutoramento do Autor que aborda exaustivamente a obra de três autores pré-expressionistas: Georg Heym, Georg Traakl, Ernst Stadler.

Encerra os seguintes capítulos:

Capítulo I
Introdução à história de um movimento literário
Capítulo II
Relações do poeta com o mundo
Capítulo III
Relações do poeta com os homens
Capítulo IV
Poesia expressão do «eu»

Preço:14,00€

Referência:13686
Autor:SILVA, Agostinhoda
Título:STENDHAL MÉRIMÉE. Dois ensaios de Interpretação
Descrição:

Edição de autor, Vila Nova de Famalicão, 1947. In-8º de 179-(5) págs. Br. Capa de brochura amareleciida pelo tempo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Conjunto de dois ensaios onde o autor analisa a obra de Stendhal e Mérimée.

Preço:14,00€

Referência:13415
Autor:TRONI, Alfredo
Título:NGA MUTURI
Descrição:

Edições 70,Lisboa, 1973. In-8º de 73-(6) págs. Br. Ilustrado com um retrato do autor.

Observações:

Conto de Alfredo Troni, publicado em 1882 na  “metrópole” no Diário da Manhã e, mais tarde, no
Jornal das Colónias em Luanda, o autor  é por muitos considerado o precursor da prosa moderna em Angola.

Do Prefácio

 “Antes de mais, notemos que a principal personagem da noveleta, a que lhe dá o título, é um exemplo de crioulidade cultural, não biológica. A sua vida de acesso à crioulidade foi a escravatura, aliás a impulsionadora desse fenómeno onde quer que ele se apresente com alguma relevância social. O facto que originou a sua entrega à escravatura foi um dos mais correntes na África a Sul do Equador no século passado: a indemnização por prejuízos causados a estranho por elementos da sua família extensa.”
 

Excerto do Livro:


"Nga Ndreza (nome que tem na sociedade de Luanda, uma sociedade onde só avultam os panos, sim, mas que guarda um certo número de conveniências) afirma que é livre, que foi criada em Novo Redondo, e pertence à família de F...; e, quando muito, cala-se quando lhe perguntam se é buxila. Também ninguém faz questão disso já. E que a fizesse! Ela, à força de afirmar que não foi escrava, esqueceu-se de [não] ter sido sempre livre."

Preço:17,00€

Referência:12947
Autor:[HELDER, Herberto]
Título:NOVA - magazine de poesia e desenho
Descrição:

Edição de Herberto Helder, Lisboa, 1975/76. In-8.º de dois volumes com 176 e 195 páginas respectivamente. Primeiro volume com uma pequena assinatura de posse e segundo volume com uma pequena falha de papel no pé da lombada. Miolo muito limpo e fresco.

Organização de António Paulouro, António Sena, e Herberto Helder.

Colecção  Completa.

RARO.

Observações:

A publicação NOVA foi uma revista que contou com apenas dois números separados por um período de seis meses: o primeiro saiu em Setembro 1975 e o segundo, e último, em Março 1976. Escrita a duas línguas– português e castelhano– foi uma publicação que, após o 25 Abril, pretendeu ser também um espaço de colaborações e abertura ao mundo, como publicado no editorial da Nova 1: “Pelo lado que podemos, daremos parte de poemas, desenhos e textos de reflexão sobre as matérias, de autores de Espanha, Portugal, Brasil, América Hispánica e Países Africanos onde se pratica o português e o castelhano. Neste primeiro número verifica-se gente espanhola, portuguesa, brasileira, cubana e moçambicana. Veja-se que é já festejável.” Era notória a vontade de trabalhar para além das fronteiras definidas pelo Estado Novo, essa vontade de fazer um projecto editorial que pudesse ser uma possibilidade à mudança política sem hierarquias.

Encerra colaborações  de  Ana Hatherly,  Cruzeiro  Seixas,  Eugénio  de  Andrade,  João  Miguel  Fernandes  Jorge,  Jorge  de  Sena,  entre  muitos  outros.

Preço:125,00€
página 1 de 2