Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Janeiro 2023
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Livro

Foram localizados 7 resultados para: Livro

 

Referência:14975
Autor:PIMENTA, Belisário
Título:MEMÓRIAS DUM APRENDIZ DE GRAVADOR. Notas para a História da Gravura em Portugal
Descrição:

Edição do autor, Coimbra (Tipografia Loyo), 1961. In-8º de 26 págs. Brochado. Tiragem muito limitada, a 250 exemplares.
 

Observações:

Emboa com o subtítulo de Notas para a História ... , trata-se na realidade de um trabalho com elevado interesse para a História da Xilogravura (e consequentemente do Livro) em Portugal, sendo poucos os títulos disponíveis em torno desta matéria, além os de Ernesto Soares e os de Monsenhor Nunes Pereira. Apresenta no final uma bibliografia exaustriva de obras do autor.

 

"... De há certo tempo para cá dei-me ao trabalho agradável de trazer para público notícias relativas a pessoas de família com responsabilidades quer no campo da arte da gravura quer em iniciatívas industriais gráficas - umas e outras ou ignoradas ou injustamente esquecidas. Foi tarefa a que me lancei por motivos em parte, valha a verdade, sentimentais, em parte por hábitos inveterados de quem sempre lidou, embora obscuramente, com assuntos históricos e se preocupou com o esclarecimento de certas particularidades da pequena história prestes a ficarem esquecidas ou, quando muito, a poderem scr alteradas com o tempo. Foram pequenas monografias, publicadas em revistas, de que depois reduzido número de separatas daria vago conhecimento. Dois gravadores em madeira e o fundador duma litografia, e a seguir tipografia, ignoradas ou desconhecidas - foi de quem me abalancei a dar notícia a que, naturalmente, raros prestariam benévola atenção (*). Mas na família, além daqueles dois gravadores em madeira, ainda havia mais outro que o meu amigo e Snr. Ernesto Soares veiu muito amavelmente revelar no inventário que fez há pouco tempo desses artistas que os processos qui-micos vieram destronar (1). Esse gravador, igualmente ignorado e com razão, era eu... Aquele ilustre investigador deixou relacionado o meu nome apenas, com certeza, em homenagem à verdade histo-rica. Debaixo deste aspecto ainda se póde compreender a inclusão; se o encararmos pelo lado do valor dos trabalhos é que se podem levantar objecções ..." .

(*) Respectivamente: Albino Caetano da Silva Pinto. Gravador em madeira (1859-1928) na Revista de Guimarães, vol. 59 (1949); Rafael Pimenta, Gravador em madeira (1850-1931) no Instituto de Coimbra, vol. 115 (1952): Uma litografia desconhecida na Miscelanea de estudos da memória de Cláudio Basto (1948); e Uma Tipografia ignorada (em Miranda do Corvo: de 1815-1867) no Arquivo de Bibliografia Portuguesa, vol, 1 (1955).

Preço:23,00€

Referência:14018
Autor:PROENÇA, Raul
Título:CATÁLOGO IDEOGRÁFICO sub-rubricas gerais
Descrição:

Oficinas Gráficas da Biblioteca Nacional, Lisboa, 1921. In-8º de 36-(4) págs. Br.  Capas de brochura amarelecidas e com picos de acidez.

Observações:

Folheto que inicia a  "Biblioteca do Bibliotecário e do Arquivista" onde Raúl Proença estabeleceu "todas as regras, instruçõese regulamentos relativos à organização da Biblioteca Nacional".

Preço:8,00€

Referência:14942
Autor:SANTOS, Raúl Esteves dos
Título:A ARTE NEGRA. Dos Primitivos Processos da Escrita à Invenção da Tipografia.
Descrição:

Editorial Império Lda, Lisboa, 1941. In- 4º de 216-(3) págs. Brochado, com as capas empoeiradas e com ligeiras marcas de humidade. Miolo em muito bom estado.
Exemplar Nº 254 e uma tiragem limitada de 400, assinados pelo punho do auto. Apresenta 56 estampas "Hors-Texte", impressas sober papel couché, representando temas em torno do livro, da tipografia, da escrita, etc... Nítida impressão com grafismo muito cuidado.

Observações:

Muito curioso e interessante trabalho de fundo realizado sobre a evolução da escrita desde a antiquidade clássica até à invenção da Imoressão de Gutenberg.

Director de A Voz do Operário, Raul Esteves dos Santos (1889-1954) foi um dos democratas republicanos fundadores do Movimento de Unidade Democrática (MUD), ao lado de outros diretores de imprensa ligada à oposição à ditadura. Esteve preso na década de 40. Raul Esteves dos Santos participou nas accões revolucionárias da Implantação da República e tem o seu nome ligado a um importante conjunto de democratas republicanos que durante a ditadura tiveram um papel destacado na Sociedade A Voz do Operário, à qual se uniram pela causa da educação e por ali encontrarem um espaço de liberdade [tais como como o poeta Alfredo Guisado, antigo companheiro de Fernando Pessoa no grupo Orfeu e, depois, director-adjunto do República; ou António Lomelino, presidente do Centro Escolar Republicano Almirante Reis, a associação onde foi fundado o MUD.

Preço:65,00€

Referência:14922
Autor:SILVA, Joaquim José Ventura da
Título:REGRAS METHODICAS PARA SE APRENDER A ESCREVER os Caracteres das Letras Inglesa, Portugueza, Aldina, Romana, Gotica, Italica e Gotica Germanica offerecidas ao Augustissimo Senhor Dom Pedro Principe da Beira Compostas por ...
Descrição:

Editores Lopes & Ca. Lisboa, Lopes & Ca. Lisboa, 1899. In-fólio oblongo de I - 43 fls., contendo igual número de estampas. Frontispício de bela composição, com figuras e arabescos caligráficos. Encadernação editorial em tela verde e cinzenta com dizeres caligráfico gravados a negro nas pastas. As estampas foram desenhadas por Ventura, e gravadas a buril pelos artistas Lucio e Freitas no ano de 1803. Capas empoeiradas e com alguns defeitos menores de manuseamento mas BOM ESTADO GERAL DE CONSERVAÇÃO.

RARO e é ainda hoje considerado um dos maios belos manuais de caligrafia publicados em Portugal.

 

Observações:

Belas imagens dos vários tipos de letras e belos ornatos da famosa e tão perdida arte caligráfica. Homenagem bem conseguida ao grande calígrafo e mestre de aritmética. Trata-se da reprodução da 2ª edição do Atlas das Regras Methodicas, de Ventura da Silva, primorosamente executada e impressa sobre papel de excelente qualidade e gramagem.

Segundo Inocêncio (IV, 114) Ventura da Silva (1777-1849), "... foi professor de instrucção primaria e secundária e um dos melhores calligraphos portuguezes...".

No século XIX, foi o tipógrafo J.J. Ventura da Silva que repetiu e continuou a escola de Manuel Andrade de Figueiredo, revelando algumas ideias originais. O seu monumental tratado das Regras Methodicas para se aprender a escrever teve a primeira edição no ano de 1803. A segunda, em 1820. Tanto a obra didáctica de J.J. Ventura da Silva como o magnífico atlas explicativo tornaram-se raros; a editora portuense Lopes & C.ª reeditou-os a ambos. Em Dino dos Santos lê-se o seguinte:
"... Ventura da Silva was a Portuguese calligrapher and teacher from the nineteenth century, who in 1820 published an excellent book titled Regras methodicas para se aprender a escrever os caracteres das letras Ingleza, Portugueza, Aldina, Romana, Gotica-Italica e Gotica-Germanica. It was the second edition of an 1803 book that was mainly about English script lettering. Ventura’s work was influenced by English calligraphers like Charles Snell and George Shelley. At the time the British influence in Portugal was truly profound. The British army had defended Portugal from the Napoleonic invasions, and the gratitude for that support was visible in every aspect of daily life. Calligraphy was no exception. However, in 1820 Ventura published this new version, which included samples of what he called the Portuguese Script. The Ventura font is a revival of those samples from the nineteen century, staying as close as possible to the original. The OpenType format allowed me to put in a single typeface several variations of the character shapes he designed, along with plenty of ligatures ...".

Preço:250,00€