Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Novembro 2020
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Madeira

Foram localizados 14 resultados para: Madeira

 

Referência:14382
Autor:AMARAL,João Bosco Mota
Título:O DESAFIO INSULAR
Descrição:

Eurosigno, Ponta Delgada, 1990. In-8º de 73-(2) págs. Br.

Observações:

Conferência proferida no simpósio internacional das ilhas, em Hiroshima a 2 de Outubro de 1989 onde o autor faz uma reflexão sobre a insularidade:

“O desenvolvimento para ser completo e alcançar as suas finalidades humanistas – desenvolver o Homem todo e todos os homens – tem de ser feito, em qualquer comunidade, de dentro para fora. (...) É impossível, e ineficaz, pretender desenvolver as ilhas de fora para dentro, segundo esquemas pensados longe do meio insular e sem participação das respectivas populações”.

“Assim, alcançados padrões razoáveis de qualidade de vida, e apesar do natural desnível com outras áreas, as ilhas onde floresça uma cultura própria continuarão a mostrar possuir força vital, fixando a população, inclusivamente jovem, em níveis razoáveis, mantendo laços e estreito intercâmbio com núcleos de naturais residentes no exterior, fortemente ligados à realidade insular, e enriquecendo a Humanidade com o seu contributo de diversidade”

Preço:10,00€

Referência:14523
Autor:autoria indefinida
Título:NO MAR episódios da vida dos marinheiros
Descrição:

Liga Naval Portuguesa ( J. Rodrigues & C.a, Editores), Lisboa, 1935. In-8º de XXIII-194-(4) págs. Brochado. Ilustrado ao longo do texto. Capas de brochura ligeiramente manchadas por picos de humidade. Miolo em optimo estado

Observações:

Do Prefácio:

“Ir a Badajoz ver lidar toiros é excursão sem pretensões a cultura intelectual ou moral. Ir a Paris palmilhar os boulevards, frequentar Montmartre ou Montparnasse, não trás sólidos benefícios ao saber nem à conduta. Mas viajar em serviço como oficial da Armada, isolado ou a bordo de navios de guerra, é coisa bem diversa: há que manter aprumo no navio, na tripulação, no procedimento próprio e assim, em comparações inevitáveis, se notam as perversões de certos povos, a hipocrisia de outros, a brutalidade animal de muitos deles…”

Encerra os seguintes capítulos:

D. Gilianes de Mascarenhas, por Alfredo Botelho de Sousa. O posto militar da ilha Tekomajl, por Pedro de Azevedo Coutinho. O Malhado, por Ivens Ferraz. Regresso de Estação, por D. Bernardo da Costa Mesquitella. Na costa de Moçambique, por Alfredo Caçador. Homem ao mar!, por Carvalho Brandão. Um invulgar acidente de Navegação, por Mata Oliveira. Contra-torpedeiro «Douro», por Agnelo Portella. Vigilancia da Beira, por António A. de Cisneiros e Faria. O Boi João, por Nuno Telles Pinto. Numa viagem do S. Gabriel, por Jayme do Inso. Hoihau, por Ivens Ferraz. Episodio, por Guilherme C. d’Oliveira. O Espectro, por Emilio San Bruno.

 

Preço:25,00€

Referência:14460
Autor:DAEHNHARDT, Rainer
Título:PÁGINAS SECRETAS DA HISTÓRIA DE PORTUGAL
Descrição:

Edições Nova Acrópole, Lisboa,1995. Dois volumes cartonados de in-8º de 191 e 227 págs, respectivamente. Encadernação editorial ilustrada, assim como Ilustrado se apresenta ao longoda obra e em extra-texto.

Observações:

Esta obra é um compêndio de várias histórias, mais ou menos secretas organizado por  este historiador luso-alemão acrescentando sempre a sua análise e as fontes a que recorreu para abordar diversos casos omissos e falsas verdades da História de Portugal.

Abordam-se perguntas como, entre muitas outras:

Damião de Goes foi assassinado porque sabia demais? Houve um "Artigo Secreto" no tratado da aliança luso-britânica? A custódia de Belém esteve quase a ser derretida para cunhar moeda? O Mosteiro da Batalha foi vendido em hasta pública para servir de pedreira? Os antepassados de D. Afonso Henriques vieram do Báltico? Os lusitanos eram cristãos-arianos? Lisboetas já tinham ido aos Açores antes dos homens enviados pelo Infante D. Henrique?

Do Índice:

Volume I

- Um Deus Lusitano disfarçadamente ainda venerado
- O secretismo acerca dos Vândalos
- A origem Borgonhesa da 1ª dinastia portuguesa
- Dom João I, Fernão Lopes e a mudança da data
- Porque assassinaram Damião de Goes?
- O Avanço tecnológico do armamento português e sua influência nos contactos co outras culturas
- Lusitânea é a Coroa da Europa
- Para evitar Nova Guerra Portugal comprou o Brasil à Holanda
- O Conde de Lippe, um Homem de Espanto
- Moeda Falsa oficializada
- Dom Fernando II e seu amor por Portugal
- A Aliança Luso-Britânica e sua cláusula secreta
- Campos de concentração portugueses
- Serviço de correio estrangeiro a funcionar em Portugal

Volume II
- Terão Moçárabes lisboetas chegado aos Açores?
- Acerca da pergunta: "Quem foi Lopo de Calvo"?
- Contactos Luso-coptas
- Os cristãos de São Tomé
- Fernão de Magalhães não traiu Portugal
- Um presente português que mudou o Extremo-Oriente
- Uma investigação alemã sobre o falso (?) D. Sebastião
- O sebastianismo, a lenda messiânica portuguesa
- Um canhão no Cabo da Roca
- Uma carta de brasão espanhola passada em Lisboa
- O Duque de Schomberg, herói da Guerra da Restauração
- Uma rainha da Grã-Bretanha passou uma sentença de morte no Brasil
- Zeppelins nos Açores e Madeira
- Perdemos a nossa "Rampa de Lançamento"

Preço:45,00€

Referência:12734
Autor:MELO, Luís de Sousa
Título:VICENTES PHOTOGRAPHOS
Descrição:

Edições Ilhatur, Funchal, 1978. In-8º de 43-(5) págs. Br. Profusamente ilustrado com fotografias ao longo do texto.

 

INVULGAR.

Observações:

Livro de homenagem aos fotógrafos madeirenses Vicente Gomes da Silva (pai e filho) publicado na altura da passagem do seu espólio a Património Público.

Vicente Gomes da Silva foi “Photographo da Casa Real Portuguesa” e também “Photographe de Sa Majesté L’Impératrice d’ Austriche”.

 

Preço:19,00€

Referência:13012
Autor:PEREIRA, Fernando Jasmins Pereira; COSTA, José Pereira
Título:LIVROS DE CONTAS DA ILHA DA MADEIRA 1504 - 1537 I - Almoxarifados e Alfândegas
Descrição:

Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1985. In-4º de 113 págs. Br. Cadernos por abrir,

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

"Os livros de contas cuja publicação agora iniciamos são quanto, da espécie, circunscrição e período, chegou aos nossos dias. Instrumentos base da verificação da actividade dos diversos oficiais da fazenda, iam depois recolhendo aos armários da Casa da Coroa, onde o Terramoto de 1755, com todo o arquivo, os soterrou nos escombros do castelo. Não podemos hoje averiguar quantos teriam desaparecido antes, mas afigura-se lícito supor que alguns estragos causou: o livro dos quintos da Ribeira Brava de 1536, por exemplo, localizámo-lo em pedaços nas pastas dos Fragmentos.
No mesmo acervo de salvados, beneditinamente recolhidos por Manuel da Maia e seus homens, foi possível encontrar outras folhas, que se juntaram aos livros a que pertenciam. No Corpo Cronológico havia folhas, cadernos e mesmo um livro inteiro — o do almoxarifado dos quartos de 1504-1505. Outros livros, no entanto, desde logo tinham sido incluídos no Núcleo Antigo, alguns deles com falta de folhas, que em parte foi possível reconstituir.
O facto de só agora haver sido feito este trabalho sugere que a documentação a publicar não tem suscitado interesse; e, na verdade, pelo menos em trabalhos impressos não a encontrámos referenciada. A sua importância, de que adiante falaremos, merece estudo pormenorizado e profundo, não apenas numa perspectiva regional como global. Deve acentuar-se também que, além dos elementos nela constantes, proporciona um conhecimento bastante nítido da escrituração fazendária na primeira metade de Quinhentos."

Preço:20,00€