Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Março 2020
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Música

Foram localizados 14 resultados para: Música

 

Referência:14418
Autor:AAVV
Título:VÉRTICE. Revista de Cultura e Arte.
Descrição:

Coimbra, nº1 Maio de 1942 ao nº 475 de Dezembro de 1986. Encadernação editorial em tela vermelha com ferros gravados a pigmento negro na lombada e pastas, ao longo de 45 volumes. Formato In-8º grande. Preservam os respectivos Índices em cada um dos volumes com excepção dos volumes 2, 3, 5, 6, 7 e 15 (omissão? falta de impressão?).
Direcção de Carmo Vaz e Raul Gomes passando mais tarde a direcção e propriedade para Raul Gomes (até 1974) sendo editor Mário Braga, Joaquim Namorado e depois Ivo Cortesão. PRESERVA ESTA COLECÇÃO TODAS AS CAPAS DE BROCHURA, ilustradas a maioria com desenhos de conceituados e destacados criadores da época.

Observações:

Publicação periódica das mais respresentativas da cultura e vida portuguesa de quase meio século. Apresenta incontornável colaboração de figuras destacadas das artes plásticas, musicologia, cinematografia, literatura, artes cénicas, filosofia, entre outras importantes disciplinas da cultura portuguesa.

Tendo aparecido em pleno fascismo, esta revista fundada em 1942 era envolvida com alguma figura lendária resultado da actividade clandestina a que foram remetidos pela ditadura muitos dos que assumiram a direcção do periódico. " ... Constitui uma tribuna do movimento neo-realista e foi palco privilegiado da resistência à ditadura. Tendo em consideração o seu valor intrínseco, faz parte do património cultural português do século XX. Com efeito, contribuiu, em paralelo com a Seara Nova, para a formação de várias gerações sendo, consequentemente, a sua análise obrigatória para o estudo dos vectores que presidiram na sociedade nacional...". (Daniel Pires, Dicionário da Imprensa Periódica Literária Portuguesa,  vol. II, 2º tomo, p. 594)

Preço:1250,00€

Referência:14277
Autor:autoria indefinida
Título:ARTE DA DANSA DE SOCIEDADE
Descrição:

Eduardo & Henrique Laemmert, Rio de Janeiro, s.d. (1874). In-8º de 136-VII ilustrações litográficas. Encadernação coeva, empoeirada, meia inglesa em pele com falhas  na lombada a necessitar de restauro. Carimbos a óleo de posse antigos no ante-rosto e frontspício. Miolo limpo e sem defeitos apontar.

Apresenta ainda o sub-título:

"... ensinada em lições claramente explicadas por meio de trinta e duas figuras gravadas e contendo além das contradansas geraes, das figuras da vaalsa, da polka, da schottisch e da redowa as marcas das contradansas provinciaes e de varias outras inteiramente novas inclusive: Les Landiers: Les Prouesses de Rocambole: La Jeunesse commerciale: La Princesse Imperiale dedicada aos Professores e curiosos."

Observações:

Trata-se da terceira edição aumentada do MAIS ANTIGO MANUAL DE DANÇA publicado no Brasil, no ano de 1854, ano este que conheceu duas edições. Demos conta de uma 4ª edição publicada em 1901.
Na época a reforma Couto Ferraz (Decreto nº 1.331, de 17 de fevereiro de 1854; Coleção de leis do império do Brasil – 1854. Rio de Janeiro, p. 45, v. 1, pt. I. ) aprova o regulamento para a reforma do ensino primário e secundário do município da Corte, a dança tornou-se obrigatória no Colégio Pedro II. Somente na década de 70 do séc. XIX, seria suprimida daquela instituição o que justificou a reedição deste manual com substancial aumento. O mesmo ocorrera em Portugal, desde a transição dos séculos XVIII e XIX, tendo a dança sido incorporado às exigências de educação, de homens e das mulheres, não só na aristocracia, mas também na classe média.

Preço:120,00€

Referência:14030
Autor:autoria indefinida
Título:REGULAMENTO GERAL PARA O SERVIÇO DOS CORPOS DO EXERCITO approvado por decreto de 21 de Novembro de 1866
Descrição:

Ministério da Guerra. - Imprensa Nacional, Lisboa, 1877. In-8º de 194-(41) págs. Encadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Miolo com alguns raros picos de acidez. Ilustrado com pautas musicais.

Observações:

Nova edição do Regulamento Geral para o Serviço dos Corpos do Exército aprovado por Pereira de Melo em 1866, de salientar que a "nova edição se juntasse, em appendice, tudo o que até hoje tem sido publicado, derrogando ou ampliando algumas das disposições contidas no mencionado regulamento". Apresenta no final um capítulo com partituras musicais com toques para trombones, chama de furrieis, toques para formar companhias e esquadroes, etc...

Preço:45,00€

Referência:12730
Autor:CARMO, Rita
Título:ALTAS-LUZES
Descrição:

Assírio & Alvim, Lisboa, 2003. In-8º de 240 págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Profusamente ilustrado. Integrado na Coleção Rei Lagarto.

Observações:

Livro que  reúne cerca de 200 imagens que retratam momentos da história das actuações ao vivo em Portugal e de sessões fotográficas com artistas com fotografias de Rita Carmo juntamente  com  textos de Miguel Francisco Cadete e prefaciado por Pedro Gonçalves.
Inclui artistas tão diferentes como Carlos Paredes, Ben Harper, Michael Nyman, Isabel Silvestre, INXS, Massive Attack, Madredeus, Rolling Stones, Da Weasel, Moonspell, Lou Reed, Ravi Shankar, Sétima Legião, Skunk Anansie, Nirvana, Sérgio Godinho, Lloyd Cole, Tricky, U2, The Gift, GNR, entre muitos outros.

"Alguém se lembra do que se escreveu sobre a única passagem dos Nirvana por Portugal, a 5 de Fevereiro de 1994? Claro que não. E aquela fotografia, que nem sequer é tecnicamente perfeita, alguém esquece depois de a ver? A música é uma paixão que não se esgota no som. E a Rita, porque tem sempre lá estado, trata dela com mãos de veludo."
Pedro Gonçalves

"Os textos que acompanham as fotografias (...) tentam estabelecer a ligação que emana da iconografia própria da música popular e que se diria quase religiosa com a sua vertente mais prosaica e própria do show business (...) 'Atas - Luzes' é também um livro sobre pessoas, sobre música e sobre tudo o que as rodeia."
Miguel Francisco Cadete

Preço:22,00€

Referência:13321
Autor:COVÕES, Ricardo
Título:OS 50 ANOS DO COLISEU RECREIOS
Descrição:

Edição do Autor, Lisboa, 1940. In-4º de XI-588-(1) págs. Br. Capas de brochura com manchas de humidade e empoeiradas. Profusamente ilustrada em extra-texto.

Observações:

Obra muito interessante, comemorativa dos 50 anos do Coliseu dos Recreios e que  contém a história muito exaustiva da conhecida casa de espectáculos de Lisboa. Foi escrita pelo seu Director e para  além do texto histórico,  recheado de pormenores e histórias onde aborda as peças e os espectáculos; os artista de circo e de teatro; as bandas, as orquestras e o cinema; os escritores, os músicos, os maestros e compositores; os lutadores e os boxeurs; e também os pintores, os cenógrafos e as costureiras, encerra inumeras fotografias da construção do edifício, primeiros espectáculos, directores e eventos.

Preço:27,00€

reservado Sugerir

Referência:14470
Autor:LÉRY, Jean de
Título:VIAGEM À TERRA DO BRASIL
Descrição:

Livraria Martins, São Paulo, 1941. In-4º de 278-(3) págs. Encadernação coeva em sintético vermelho com papel fantasia. Encerra um mapa desdobrável de grandes dimensõe e ainda inúmeras ilustrações que constituem documentos etnográficos bastante fidedignos. Acidez generalizada própria da a qualidade do papel. Conserva capas de brochura. Ligeiro aparo marginal, cabeça do livro carminado. Mapa desdobrável de grandes dimensões.

INVULGAR.

Observações:

Tradução integral de Sérgio Milliet, segunda a edição de Paul Gaffarel, com colóquio na língua brasílica e notas tupinológicas de Plínio Ayrosa. Edição brasileira, inserida na colecção Biblioteca Histórica brasileira, do clássico da "literatura de viagens" ao Brasil. Nesta edição, foram publicadas, pela primeira vez, as famosas canções de Léry. Este repositório musical é considerado o primeiro documento musical brasileiro existente. As gravuras que ilustram o livro foram desenhadas pelo próprio Léry (?) ou sob a sua supervisão. Têm sido aumentadas em número nas edições publicadas em vida do autor. Esta edição possui a reprodução das gravuras existentes na edição de Paul Gaffarel.

Da edição prefaciada por Ruben Borba de Moraes (1961), podemos ler:

" ... Embora o livro de Jean de Léry tenha sido, mais que qualquer outro de sua época, traduzido e reeditado, não há dúvida que fazia falta uma boa edição brasileira cuidadosamente feita e comentada. De fato, Léry tem um valor excepcional como documento histórico, etnográfico e até musical. No seu livro estão registrados dois cantos tupis: os documentos mais antigos que possuímos de nossa música ameríndia. Nas suas páginas escritas com um sabor delicioso, na linguagem francesa tão pitoresca, hoje em dia, do século XVI está toda a história da malograda Franca Antártica. Lido em seu tempo como livro de viagem e aventuras, de grande sucesso, traduzido para o holandês, o alemão e latim (a língua universal de então) nosso calvinista gozou de popularidade até o século XVIII. Outros viajantes, outras terras exóticas de selvagens, e outras preocupações também, vieram desviar a atenção dos amadores de histórias e aventuras. Com os anos que passavam Léry perdia a atualidade e, de livro para o grande público que era, foi, aos poucos, ficando documento para eruditos e historiadores. Paul Gaffarel, o francês que melhor conhecia a história do Brasil em seu tempo, tentou, sem grande sucesso, parece, pô-lo ao alcance do grande público. Preparou uma edição crítica notável que Affonse Lemerre, o famoso editor parisiense, publicou entre os seus elegantes volumezinhos tão cuidadosamente impressos e apresentados, hoje tão procurados pelos bibliófilos. Anos depois, Alencar Araripe deu na Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro uma tradução brasileira impressa numa ortografia de sua invenção, das mais simplórias que se tem visto. É dessa edição que se têm utilizado aqueles que não estão familiarizados com o francês do século XVI, pois as tentativas posteriores de pôr Léry ao alcance do público, quer em traduções, quer em francês modernizado, contribuíram mais para deformar a obra que para valorizá-la. Acresce que o preço alto e a raridade das primeiras edições do livro do nosso cronista francês vinham ainda dificultar a leitura de um dos livros mais interessantes e instrutivos sobre o Brasil do primeiro século. A fim de sanar essa situação lamentável resolvemos dar esta nova edição. Confiamos a tradução a Sérgio Milliet que tão bem conhece o francês antigo e o bebeu, como nós, em saudosos anos de estudo e mocidade, na Genebra de Calvino e Jean de Léry. Está baseada na de Gaffarel. Sai agora enriquecida com notas eruditas e preciosas de Plínio Ayrosa que conseguiu também, e pela primeira vez, interpretar e restabelecer o texto tupi do famoso diálogo. Para enriquecer e ilustrar este volume, resolvemos aproveitar não somente as ilustrações da edição original e de outras subseqüentes mas também algumas gravuras contemporâneas pouco conhecidas (...).

Já Sergio Milliet fala-nos do autor Jean Léry (1534-1611), da seguinte forma:
" ... Léry não era nenhum intelectual de nomeada, nenhum cientista de reputação. Simples sapateiro, estudioso de teologia, embarcou com alguns outros artesões para colaborar na tentativa colonizadora de Villegagnon. As dissensões logo surgidas entre calvinistas e papistas tiveram como resultado o exílio de Léry para o continente, a "terra firme", e a sua longa estada entre os indígenas. Durante esse período de muitos meses em que com eles conviveu, observou e anotou o que viu. Como curioso apenas, como homem honesto desejoso de levar a seu mestre Calvino informações detalhadas, em relatório suscetível de trazer algum benefício aos possíveis exilados da região reformada, e, também, de limpar de culpa a sua atuação no Brasil. Não pretendia escrever nenhum livro e só o fez em obediência aos rogos de seus amigos. Parece incrível, hoje em dia, que uma simples narrativa de viagem pudesse apresentar tanto interesse, constituísse uma literatura de êxito quase popular. É que refletimos dentro de novos conceitos de aventuras, emoções, novidade. Para os homens do século XVI, tais relatos de viagem tinham um sabor inédito capitoso...".

Preço:50,00€

Referência:14474
Autor:LIMA, Gervásio
Título:A PATRIA AÇOREANA
Descrição:

Tip. editora Açoreana de Manuel de Freitas Mariano, Angra do Heroísmo, 1928. Inº-8.º de 258 (2) págs. Encadernação moderna inteira de percalina. Nítida impressão sobre papel avergoado. Esmerado apuro gráfico, com mancha tipográfica respirável e tipos de corpo maior, decorada ao gosto da época. Apresenta em separado, fac-similes de autógrafos de Gago Coutinho, António José d'Almeida, Jayme Magalhães Lima, assim como vistas diversas ilhas e urbanas, etc... Exemplar aparado, sem capas de brochura. Frontspício com pequeno restauro no canto inferior direito.

Observações:

Livro comemorativo do V Centenário da Descoberta dos Açores

Preço:25,00€

Referência:14263
Autor:LOPES, A.
Título:NOVO METHODO DE DANÇAS DE SALÃO OU O VERDADEIRO GUIA DAS DANÇAS MODERNAS, Composto expressamente para uso dos portuguezes
Descrição:

Papelaria e Typ. Azevedo, Porto, 1885. In-8º de 354-(12) págs. Encadernação coeva meia inglesa em pele vermelha com dizeres e florões a ouro na lombada. Profusamente ilustrado com gravuras abertas a chapa de aço em extra-texto representando os diferentes tipos de danças, inclui também partituras para piano para diferentes tipos de danças de salão.  Com uma fotografia do autor. Ornada com 42 gravuras representado técnicas e estilos de dança e 10 partituras em desdobráveis de maiores dimensões. Texto emoldurado à maneira romântica. Ligeiro aparo marginal. Nítida impressão sobre papel de boa qualidade.

PRIMEIRA EDIÇÃO (e única?).

RARÍSSIMA.

Observações:

Livro muito interessante sobre as danças de salão com uma descrição pormenorizada de cada umas das modas.

Preço:245,00€