Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Etnografia | Europa | Fado | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Galiza | Genealogia | Geografia | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Moda | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Poesia Trovadoresca | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Queirosiana | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sintra | Sociedade | Solares | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

Portugal

Foram localizados 273 resultados para: Portugal

 

Referência:13060
Autor:AGUIAR, António
Título:GENEALOGIA ILUMINADA DO INFANTE DOM FERNANDOpor António de Holanda e Simaõ Bening. Estudo histórico e crítico por...
Descrição:

Edicão do autor, Lisboa. 1962.In-fólio com 218 pags. Br.. Profusamente ilustrado com fac-similes, diagramas genealógicos e reproduções iconográficas. Exemplar nº 291 de uma tiragem de 450 exemplares numerados e assinados pelos autor.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:


Notável estudo da simbólica utilizada neste manuscrito iluminado de um filho de D. Manuel I, peça hoje na posse do Museu Britânico.
Muitos são nomes que já lhe foram atribuídos: “Genealogia dos Reis”. “Genealogia iluminada do Infante D. Fernando”, ”Árvore Genealógica dos Reis de Portugal”, “Genealogia por António de Holanda”, Iluminuras de Simão de Bening”.
Consiste  num manuscrito composto por 13 fólios finamente iluminadas por uma oficina flamenga com o propósito inacabado de mostrar a união das Casas Reais portuguesa e espanhola, através do Infante Dom Fernando antepassado de D. Manuel e igualmente descendente do Conde Dom Henrique e de seu pai o Rei Santo Estevão da Hungria.

Preço:60,00€

Referência:13266
Autor:ALBUQUERQUE, Luís [dir.]; DOMINGUES, Francisco Contente
Título:DICIONÁRIO DE HISTÓRIA DOS DESCOBRIMENTOS PORTUGUESES
Descrição:

Círculo de Leitores, Lisboa, 1994. dois volumes de in-8º de 1119-(1)págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Dirigido por um dos maiores especialistas na matéria, este dicionário é um instrumento de trabalho indispensável para alunos e professores, com cerca de 1000 artigos sobre os nomes, assuntos e locais mais significativos da História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa do século XV aos inícios do século XVII.

Preço:70,00€

Referência:13580
Autor:ALMEIDA, Nicolau Tolentino de
Título:OBRAS COMPLETAS DE NICOLAU TOLENTINO DE ALMEIDA illustradas por Nogueira da Silva Com alguns inéditos e um ensaio biographico-critico por José Torres
Descrição:

Editores - Castro, Irmão & Cª. Lisboa. In-4º de 388-II-LXXXVI-X págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com excelentes ilustrações vinhetas caricaturais abertas em madeira por Nogueira da Silva, desenhador-gravador, que foi o pioneiro da introdução desta técnica em Portugal. Conserva capas de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO

 

Observações:

Edição muito cuidada da obra completa de um dos mais notáveis poetas satíricos portugueses, "Com alguns ineditos e um ensaio Biographico-critico por José de Torres. Illustradas por Nogueira da Silva". Pertenceu à Nova Arcádia a sua obra é composta de sátiras descritivas e caricaturais, sonetos e odes.

Preço:70,00€

Referência:13063
Autor:ALMEIDA, Rodrigo Vicente de D'
Título:A CRUZ DE VILLA VIÇOSA monografia histórica, redigida à vista de documentos inéditos existentes na Biblioteca Real da Ajuda, pelo oficial da mesma biblioteca
Descrição:

Typographia da Loteria da Santa Casa da Misericordia, Lisboa, 1908. In-8º de 36 págs. Br. Ilustrado  em extra-texto com o retrato do autor em anterrosto e 2 gravuras com a valiosa Cruz de Vila Viçosa nas suas faces anterior e posterior.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Monografia muito interessante e exaustiva sobre esta valiosa obra de ourivesaria portuguesa.
 

Preço:35,00€

Referência:13068
Autor:ALVES, Alexandre
Título:O REAL MOSTEIRO DE SANTA MARIA DE MACEIRA DÃO (concelho de Mangualde)
Descrição:

Câmara Municipal de Mangualde, Mangualde, 1992. In-8º de189 págs. Br. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto, a cores.

 

Observações:

Monografia muito exaustiva sobre o Mosteiro de Santa Maria de Maceira Dão, no concelho de Mangualde.

" o autor ao visitar o Convento pela primeira vez em 1936, ou talvez mesmo antes, se “recusara a acreditar que “aquilo” fosse possível, que a indiferença dos homens – ou lá o que é – deixasse chegar a tal estado (de degradação) o histórico monumento cuja fundação se seguira, de muito perto, à da nacionalidade portuguesa.
Por isso logo decidira “recolher o material disperso e reerguer pedra a pedra, tudo quanto o tempo e os homens derribado… e fazer reviver o quadro de vida dos monges antigos entre aquelas pedras velhinhas”."

 

Preço:18,00€

Referência:13152
Autor:ALVES, Francisco Manuel e AMADO, Adrião Martins
Título:VIMIOSO - NOTAS MONOGRÁFICAS
Descrição:

Edição da Junta Distrital de Bragança, Coimbra, 1968. In-8º de IX-546 págs. Br. Cadernos por abrir. Edição dirigida por Paulo Quintela. Ilustrado em extra-texto.

 

Observações:

Monografia transmontana baseada no trabalho de investigação do Abade de Baçal, cujo retrato aparece no início do volume.

Aborda as seguintes localidades e assuntos: Algoso, Angueira, Argoselo, Avelanoso, Avinho, Caçarelhos, Campo de Víboras, Carção, Junqueira, Matela, Mora, Picadeiros (Quinta dos), Pinelo, Santulhão, S. Mamede, S. Joanico, S. Tomé (Quinta de), Serapicos, Uva, Vale de Algoso, Vale de Frades, Vale de Pena, Vila Chã da Ribeira, Vilar Seco, Vimioso; Orografia, Hidrologia, Etnografia e Arqueologia.

Preço:38,00€

Referência:12772
Autor:AMARAL, J. Duarte
Título:O GRANDE LIVRO DO VINHO
Descrição:

Temas e Debates, Lisboa, 1995. In-4º de 415 págs. Encadernação editorial. Profusamente ilustrado ao longo do texto.


 

Observações:

Esta obra  constitui um autêntico manual para os enófilos portugueses, não é uma obra técnica mas sim  um modo de “introduzir o vinho como grande tema de cultura. Para além do roteiro dos vinhos, das confrarias báquicas, o vinho surge nesta obra abordado e enaltecido num contexto civilizacional, desde os seus primórdios, e em diversas vertentes, histórica e religiosa, mística, poética ou folclórica, uma arte e um saber.

Encerra os seguintes capítulos:
A Vinha e o Vinho na Lenda e na Mitologia; A Vinha e o Vinho na História; A Vinha e o Vinho nas Religiões;  A Vinha e o Vinho na Arte;  A Vinha e o Vinho na Literatura; O Vinho na voz do Povo; O Vinho e a Vida; Da Vinha à Mesa; Geografia da Vinha;  A Vinha e o Vinho em Portugal; Roteiro dos Vinhos de Portugal.

 

“Desde os tempos mais remotos tem o vinho constituído bebida apreciada por milhões de homens. "Fruto da videira e do trabalho do Homem" nenhum outro produto da agricultura o excede em universalismo, comum que é às civilizações cuja alimentação tem por base o trigo, o milho e o arroz. A cultura da vinha está tão intimamente ligada à existência de certos povos e é tal a influência que ela excerce no desenvolvimento económico, demográfico e cultural dos mesmos que é possível falar-se de uma civilização da vinha.”

Preço:40,00€

Referência:13219
Autor:ANDRADE, António Alberto Banha de
Título:MUITAS RAÇAS, UMA SÓ NAÇÃO Esboço da Teoria do Humanismo Português
Descrição:

Agência-Geral do Ultramar, Lisboa, 1968. In-8º de 95-(5) págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:


Ensaio de António Alberto de Andrade onde ele defende a essencia do humanismo português como "a simpatia humana pelos povos de outros continentes, sem propósitos de imperialismo".

Preço:15,00€

reservado Sugerir

Referência:13294
Autor:ANJO,César
Título:DIÁRIO DA PÁTRIA
Descrição:

Tipografia Civilização, Porto, 1931. In-8º de 376 págs. Br.

Observações:

Livro escrito como se fosse um diário onde em cada data do ano são apresentados os acontecimentos mais marcantes da nossa história.  "como que um Evangelho onde, todos os dias, nós portugueses, fôssemos buscar,ao iniciarmos os nossos trabalhos, o alimento espiritual que tanto nos vai faltando"

Preço:17,00€

Referência:13366
Autor:ANTUNES, José Freire
Título:SÁ CARNEIRO um meteoro nos anos setenta
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1982. In-8º de 227-(5) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias.

Observações:

Biografia política de Francisco Sá Carneiro.

Da contracapa:

“José Freire Antunes conseguiu conciliar, de um modo quase inédito entre nós, a vivacidade do jornalista e a exactidão do historiador. Daí que este seu livro, sem deixar de ser um notável trabalho de investigação histórica, possa ser lido de um só fôlego, como romance de uma aventura de que todos fomos, pelo menos, espectadores."

Preço:13,00€

Referência:13624
Autor:autoria indefinida
Título:CORTES DE LISBOA DOS ANOS DE 1697 E 1698. Congresso da Nobreza
Descrição:

Na Typografia da Academia R. das Sciencias, Lisboa, 1824. In-4º  de V-124 págs. Encadernação coeva em carneira com dizeres e florões a ouro na lombada.

INVULGAR.

Observações:

Registo das Cortes onde  foi jurado herdeiro do trono o Príncipe D. João.
"Tendo sido encarregada a Academia Real das Sciencias de Lisboa de publicar huma Collecção completa das Cortes de Portugal nos diversos Reinados até as ultimas de 1697. (…) Obra de longo hálito, e vindo a formar huma série dilatada de volumes (…) entre todas se lançou das de 1697, por serem as ultimas que se celebrarão, e mostrão o novíssimo formulário, assaz differente do que teve uso nos primeiros Reinados. (...) breves memorias que restão das Côrtes de Lisboa de 1697, e as actas que se seguem do Congreço da Nobreza em 30 sessões"

Preço:95,00€

Referência:13564
Autor:autoria indefinida
Título:HISTORIA JOCOSA DOS TRES CORCOVADOS DE SETUBAL.Lucrecio, Flavio, e Juliano : onde se descreve a equivocação graciosa das suas vidas
Descrição:

Na Officina de Francisco Borges de Sousa, Lisboa, 1789. In-4º de 16 págs. Encadernação moderna em papel marmoreado. Ilustrado com uma Ilustrado com uma xilogravura representando os três corcundas.


MUITO RARO.

Observações:

Adaptação portuguesa do conto popular francês " Histoire des trois bossus de Besançon" transposta para personagens de Setúbal.

Preço:55,00€

Referência:13345
Autor:autoria indefinida
Título:PINTURA DOS MESTRES DO SARDOAL E DE ABRANTESCatálogo das obras atribuidas, e roteiro da exposição
Descrição:

Ministerio da Educação Nacional e Fundação Calouste Gulbenkian, S/l, 1971. In-4º de 173 págs. Encadernação meia francesa com dizeres e florões na lombada. conserva capas de brochura. Profusamente ilustrado com reproduções a cores e a preto e branco e com desdobrável da planta das salas e colocação das tábuas.

Observações:

Catálogo das obras da exposição organizada pela Camâra Municipal de Abrantes sob o alto patrocínio do Ministério da Educação Nacional e subsidiada pelo Instituto de Alta Cultura e Fundação Calouste Gulbenkian. Encerra também textos  de João Couto, Luís Reis Santos, Armando Vieira Santos e Myrom Malkie-Jirmounsky e também um  roteiro da exposição.

Preço:21,00€

Referência:13162
Autor:autoria indefinida
Título:BOLETIM DA SOCIEDADE DE BIBLIOPHILOS “BARBOSA MACHADO”
Descrição:

Imprensa Libanio da Silva, Lisboa, 1910-1915. TrÊs volumes encadernados com In-4º de 307-(2), 225-(2) e 246-(2) págs respectivamente. Encadernaçao em chagrin vermelho, decoração artistica à maneira gótica sobre lombada com rótulos pretos gravados com dizeres dourados. Edição em papel de algodão aparados só à cabeça mantendo as restantes margens intactas com as respectivas rebarbas do papel de algodão. Conserva capas de brochura. Ilustrado ao longo do texto.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Primeiro periódico inteiramente dedicado à bibliofilia com variadíssimos  artigos  dos  mais  importantes  vultos  da  cultura  daquele  tempo e que veio a lume em 1910 terminando em 1915.

“Apresenta uma ‘biografia goesiana’, cartas de e para Alexandre Herculano, uma ‘Notícia de Livreiros e Impressores em Lisboa na Segunda Metade do Século XVI’ e os ‘Aditamentos’ feitos por Martinho da Fonseca ao Dicionário Bibliográfico Português de Inocêncio. Reproduz ex-libris, folhas de rosto de manuscritos quinhentistas e alguns manuscritos.”

 

Segundo Daniel Pires esta publicação veio a lume em 1910 terminando em 1917 data do nº 1 do IV volume.
Sociedade cujo corpo directivo é o seguinte: Presidente, Conde de Sabugosa. Vice-presidente, Xavier da Cunha. Secretários, J. J. Gomes de Brito e J. Jardim de Vilhena. Tesoureiro, H. de C. Ferreira Lima. Vogais: D. José Pessanha e Martinho da Fonseca. Estes dois últimos são igualmente directores do “Boletim”.
 

Preço:400,00€

Referência:13097
Autor:autoria indefinida
Título:CRÓNICA GERAL DE ESPANHA DE 1344
Descrição:

Academia Portuguesa da Historia, Lisboa, 1951. In-8.º de três volumes de DXCIX, 454 e 483 págs ( Falta o 4.º volume.). Br.

Observações:

A Crónica de 1344 é considerada a mais importante das crónicas historiográficas portuguesas anteriores ao século XV e um marco da prosa medieval em língua portuguesa,  foi elaborada por Pedro Afonso, conde de Barcelos, em 1344 e refundida cerca de 1400, tendo sido traduzida para castelhano, tanto a refundição como a versão original.
Esta edição critica do texto português pelo Académico Correspondente Luis Filipe Lindley Cintra contém um aprofundado estudo crítico nas 599 páginas do 1º volume, constituindo a tese doutoramento em Filologia Românica do autor, pela Univ. de Lisboa, em 1953.

Preço:77,00€

Referência:13574
Autor:BARRETTO, Joam Franco
Título:ORTOGRAFIA DA LINGUA PORTUGUESA
Descrição:

na Officina de Ioam da Costa, Lisboa,  1671. In-4º de III-279-(9) págs. Encadernação do século XIX meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro na lombada. Encerra em extra-texto uma tábua com palavras em várias linguas que não está descrita na bibliografia.

 

Exemplar descrito no Catálogo da riquíssima Biblioetca de de Monteverde da Cunha Lobo son o nº 2474 de quem o presente exemplar ostenta uma assinatura de posse no frontspício. Na folha de guarda a lápis um apontamento a lápis "ofereceu-me o Albino Forjaz de Sampaio". Acreditamos que a tábua em extra-texto não descrita nas bibliografias consultadas seja mandada imprimir pelo próprio bibliófilo Monteveerde  Cunha Lobo de quem se observa também um apontamento com o custo de execução de uma folha impresssa, da encadernação e do próprio livro.

 

PEÇA DE COLECÇÃO e MUITO RARA primeira edição.

 

Observações:

Obra que se divide em duas partes, na primeira o autor discorrer sobre a ortografia e o uso da língua latina em Portugal, na segunda  Franco Barreto disserta pormenorizadamente sobre o nome; verbo; preposições, advérbios; conjunções; interjeições; artigos; divisão das letras; pronúncia e valor das vogais; ditongos; aspiração das consoantes; sílabas e dicções; acentuação; pontuação, entre outros aspectos, terminando com Advertencias "em ordem a emmendar & melhorar as palavras, que a inorancia do vulgo tem corrutas"

"A primeyra, & principal regra é a nossa ortografia, he escrever todas as diçoens cõ tantas letras, cõ quantas pronunciamos, se por consoantes ociosas, como vemos na escritura Iltaliana, & Franceza. E dado que a diçã seja Latina, como a dirivamos a nós, & perde sua pureza, lógo a devemos escrever ao nosso modo, per semelhante  exemplo. Orthographia he vocábulo Grego, & os Latinos o escrevem desta maneira atrás, & nós devemos escrever cõ estas letras, Ortografia, porque cõ ellas o pronunciamos"

 

Preço:650,00€

Referência:13098
Autor:BETHENCOURT, Francisco
Título:HISTÓRIA DAS INQUISIÇÕES Portugal, Espanha e Itália
Descrição:

Círculo de Leitores, Lisboa, 1994. In-4º de  400 págs. Encadernação editorial com sobrecapa. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Um dos estudos mais completos sobre a instituição repressiva católica e uma tentativa de explicar porque, como e porquê actuou em Portugal, Espanha e Itália. Ele enuncia descobertas recentes, e faz um estudo comparativo sobre a instituição naqueles três países, desde o fim do séc. XV até ao princípio do XIX. Aborda temas como: formas de organização, rituais e etiquetas, modelos de ação inquisitorial, números de vítimas e a representação em imagens e pinturas da época, por inquisidores, judeus e protestantes.

Preço:25,00€

Referência:12426
Autor:BOUVIER, Réne
Título:ALBUQUERQUE
Descrição:

Edições da Esfera, s/l, 1937. In-8º de 104-(2) págs. Br. Cadernos por abrir. Ilustrado em extra-texto com um retrato  de Afonso de Albuquerque e um mapa.

 

INVULGAR.

Observações:

Tradução e prefácio de M. Lopes D'Almeida.
Encerra os seguintes capítulos: Portugal e a India no começo do século XVI; As primeiras campanhas de Albuquerque; Carácter de Albuquerque; As concepções e a obra de Albuquerque e por fim Os últimos anos - A Decadência.

Preço:35,00€

Referência:13554
Autor:BRANCO, Camilo Castelo
Título:A SENHORA RATTAZZI
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron Editor, Porto e Braga, 1880. In-8º de 30-II págs. Encadernação meia francesa em chagrin com dizeres e florões em casas fechadas. Conserva capas de brochura anterior, reforçada nas margens. Ante-rosto com os dizeres A SENHORA RATTAZZI enquadrados numa bonita e romântica moldura de composição tipográfica.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR

Observações:

Primeira edição deste folheto da Questão Rattazzi, polémicas em que Camilo se envolveu a propósito do livro escrito pela Princesa Rattazzi sobre Portugal. Este livro é a resposta às provocações da Sr.ª Rattazzi e termina da seguinte maneira:
“Em conclusão: o seu livro não é cano de escorrencias muito nauseabundas, nem é canal de noticias uteis, tirante a dos hoteis infamados de persevejos; não é pois cano, nem cabal; mas é canudo, porque custa sete tostões; e — vá de calão — como troça e bexiga, é caro.”

Inocêncio. XVIII, 144. “A questão Rattazzi: esteve por differentes vezes em Portugal uma dama estrangeira, de origem italiana ou ingleza, que se apresentou com o titulo de Princeza Rattazzi dizendo-se aparentada com a familia Imperial Bonaparte, o que, aliás, segundo consta de informações notorias, as auctoridades francezas não permittiam officialmente. algumas folhas francezas, hespanholas e italianas tinham falado d"ella a proposito de seus escriptos dados ao prelo, dos seus consorcios e de varios incidentes da sua vida aventurosa. Da ultima vez que se demorou em Lisboa, por 1879, lembrou-se ella de escrever um livro de viagem acerca de Portugal: mas, ou por falta de estudo, ou por leviandade, acreditando em esclarecimentos ministrados por pessoas de sua intimidade e de acanhada consciencia quanto aos factos que inculcaram, o certo e que fizeram cair Maria Rattazi em dislates e erros gravissimos, como lhe foi demonstrado. O seu livro, pois, deu margem larga e extensa á publicacão de outras obras de refutação aspera, em que a auctora, apesar do sexo, da idade, do nome aristocratico e da fama de que se fazia cercar, e em que desejava escudár-se, padecem duros ataques, sendo os mais vivos, mordazes e acerados os que lhe vibraram sem piedade Camillo Castello Branco e Urbano de Castro, que assignava os seus escriptos sob o pseudonymo chá-ri-vá-ri. Estas controversias e criticas tomaram o caràcter de verdadeiro escandalo litterario e foram só é alastrando pela imprensa de todas as cidades, em artigos soltos, em folhetins e em correspondencias”.

Preço:90,00€

Referência:13450
Autor:BRUNO, Sampaio
Título:A IDEIA DE DEUS
Descrição:

Livraria Chardron, Porto, 1902. In 8º de LXIV-483-(3) págs. Encadernação editorial.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra onde Sampaio Bruno se dedica dedica-se a uma reflexão, com o intuito de reabilitar a metafísica. Uma das questões centrais da obra é mostrar a viabilidade entre a metafísica e a ciência, entre a metafísica e a história do pensamento. O autor tece algumas considerações, quer negativas, quer positivas, sobre o estatuto da metafísica enquanto ciência.

“Eis a quimera basilar do progresso metafísico, consiste em dar uma extensão abusiva a uma face do fenómeno, aplicando-a, por uma imagem analógica, onde ela não cabe. Desta insensatez audaciosa, derivam duas consequências. A primeira é que, enquanto, que os sistemas científicos se penetram, os sistemas metafísicos excluem-se. Voltaire poe-los às brigas num poemeto famoso. A segunda consequência é que, no entanto, os sábios herdam uns dos outros, os metafísicos, no essencial, não herdam nada reciprocamente.  Finalmente quando um sistema científico cai alguma coisa se aproveita. O fracasso dum sistema metafísico, ou antes de todos os sistemas metafísicos até aqui, tem sido completo e absoluto.”

Preço:28,00€

Referência:12955
Autor:CAGIGAL E SILVA, Maria Madalena de
Título:A ARTE INDO-PORTUGUESA.
Descrição:

Edições Excelcior, Lisboa, 1966. In-4º de 374 pags. Encadernação do editor inteira em pele com ferros a ouro nas pastas e lombada. Profusamente ilustrado ao longo do texto e com gravuras a cores em extratexto. Exemplar numerado e assinado 510/1000. Obra impressa sobre papel couché fino. MAGNÍFICO EXEMPLAR encadernado em pele com capas de brochura conservada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Importante estudo sobre  a arte Indo-Portuguesa (e ainda uma obras mais completas sobre a arte indo - portuguesa) onde a autora defende, com as devidas ressalvas, que o estilo indo-português se caracteriza por uma combinação especial de elementos indianos e portugueses ou ocidentais recebidos através do nosso país, resultante da fusão das diferentes formas de emprego da decoração, escolha dos motivos e técnicas que, segundo a autora, parecem submetidas a orientação e tratamento característicos.

 “A Arte indo-portuguesa teria sido produzida em territórios portugueses da Índia e fora destes, em locais de influência econômica dos Portugueses e em territórios da penetração religiosa.”

Preço:275,00€

Referência:13002
Autor:CALADO, Adelino de Almeida
Título:CRÓNICA DE PORTUGAL DE 1419
Descrição:

Universidade de Aveiro, Aveiro, 1998. In-8º de 307 págs. Br

Observações:

"Este volume publica uma das fontes cronísticas mais importantes para o conhecimento da nossa Idade Média, sendo precedida por um primoroso estudo crítico do editor. Adelino de Almeida Calado, ao apresentar o texto desta crónica que foi escrita em 1419, revela como preparou a sua edição começando por referenciar a tradição manuscrita, isto é, as características dos códices quinhentistas da Biblioteca Pública Municipal do Porto (que veio de Coimbra) e da Casa Cadaval apenas descobertos e publicados no século XX, nos quais se copiou uma crónica cujo original entretanto se perdeu."
in Recensão de José Manuel Garcia

Preço:18,00€

Referência:13557
Autor:CARVALHO, Antonio Joaquim de
Título:OS TOIROS, Poema heroe-Cómico
Descrição:

Typografia Nunesiana, Lisboa, 1796. In-8º de X-89 págs. Encadernação coeva em carneira com dizeres em rótulo de pele na lombada. Guardas em papel marmoreado da época. Papel mantendo a sonoridade original.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Um dos mais apreciados poemas herói-cómicos da nossa literatura que explora  o ridiculo de alguns episódios tauromáquicos. É um poema em quatro cantos e é considerado o melhor trabalho deste autor conhecido como "poeta jocoso".
Inocêncio I, 159. “Presumo que fosse natural de Lisboa; porém não o affirmo por falta de noticias certas. Parece que exercera em principio a arte de cabelleireiro, a qual deixou depois pela profissão de mestre de dança. Morreu octogenario, quasi cego e pobrissimo em 1817, morador na rua do Crucifixo; e que fora sepultado na ermida da Victoria. Não declara porém a sua naturalidade, nem os annos que tinha quando morreu. Os Touros: Poema heroi comico. Ibi, na Typ. Nunesiana 1796. 8.o de X 89 pag. - Ibi, na Imp. de João Nunes Esteves 1825. 8.o de 52 pag. Este poema em quatro cantos, em oitava rima, passa entre os criticos por uma das melhores, se não pela melhor de todas as produções do auctor. Alguns chegaram até a duvidar de que fosse obra só dele, e disse se que Belchior Manuel Curvo Semedo o polira e retocara antes da impressão'

Preço:95,00€

Referência:13108
Autor:CARVALHO, Miguel de.
Título:MERCÊS DE D. TEODÓSIO II DUQUE DE BRAGANÇA.
Descrição:

Fundação da Casa de Bragança, Lisboa, 1967. In-8º XI-426 págs. Br. Cadernos por abrir. Ilustrado com duas reproduções de retratos de D. Teodósio. Capas de brochura com ligeiros cortes marginais.

Observações:

Obra com indice onomástico dos beneficiados pelo duque de Bragança e suas referências biográficas.

Preço:25,00€

Referência:12978
Autor:CASIMIRO, Augusto
Título:DONA CATARINA DE BRAGANÇARainha de Inglaterra, filha de Portugal
Descrição:

Edição da Fundação da Casa de Bragança e Portugália Editora, Lisboa, 1956. In-8.º de 560-(6) págs. Br. Ilustrado com um retrato da D. Catarina de Bragança.

Observações:

Obra que é um misto de ensaio e ficção sobre a vida de Catarina de Bragança, filha de D. Luísa de Gusmão e do rei D. João IV, que se tornou rainha consorte de Inglaterra pelo seu casamento com o rei britânico Carlos II.

Preço:40,00€

reservado Sugerir

Referência:13579
Autor:CASTRO, D. João de
Título:PRIMEIRO ROTEIRO DA COSTA DA INDIA; Desde Goa até Dio: Narrando a viagem que fez O Vice-Rei D. Garcia de Noronha em soccorro desta ultima cidade. 1538-1539. Por Dom João de Castro, Governador e Vice-rei, que depois foi, da India.
Descrição:

Typographia Commercial Portuense, Porto, 1843. In-4º de XLIV-XII-284 págs. Encadernação meia inglesa com dizeres e florões a ouro na lombada. Ilustrado em extra-texto com um retrato litográfico do Infante D. Luís, duas gravuras que reproduzem monumentos indianos e dois fac-símiles impressos em folhas desdobráveis do do manuscrito original.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Primeira edição desta obra muito importante para a história das navegações portuguesas, este Roteiro foi escrito por D. João de Castro, a quem se deve a descoberta do “desvio da agulha magnética e da atracção local”, que vem referido nesta obra.


Inocêncio (III, 345) : “Primeiro Roteiro da costa da India, desde Goa até Dio; narrando a viagem que fez o Vice-rei D. Garcia de Noronha em soccorro d'esta ultima cidade 1538 1539. Segundo manuscripto autographo, publicado por Diogo Kopke, capitão da terceira secção do Exercito, Lente da Academia Polytechnica do Porto, etc. Porto, Typ. Comm. Portuense 1843. 8.º max. de XLVI 284 pag., em que se comprehendem de pag. 231 em diante Observações e notas do editor. Bella edição, adornada do retrato lithographado do infante D. Luis, de duas gravuras abertas em madeira, e de dous curiosos fac-similes do manuscripto original."

Preço:135,00€

Referência:13202
Autor:CASTRO, João Osório de
Título:O BAILE DOS MERCADORES
Descrição:

Cosmos, Lisboa, 1964. In-8º oblongo com  X-165-(19) págs. Encadernação editorial. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com ilustrações  de Luís Osório. Encerra também as pautas de música da autoria de Luís Sande Freire.

 

 

Observações:

Curiosa farsa em 7 quadros escrita por João Osório de Castro recheada de humor e fantasia.

Preço:18,00€

Referência:13427
Autor:CASTRO, José Augusto de
Título:CALVARIO E TABÔR
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1921. In-8º de 264 págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez, e com uma pequena falha de papel. Cadernos por abrir. Ilustrado com uma fotografia em extra-texto.

Observações:

Conjunto de crónicas de pendor republicano escritas por José Augusto de Castro, jornalista e poeta queno início do século XX, na Guarda, desempenhou um papel fundamental na luta e defesa dos ideais republicanos antes e depois da implantação da República. Estas crónicas reflectem a defesa dos seus ideais  e o combate feroz aos seus opositores políticos e à própria Igreja Católica.

Preço:20,00€

Referência:13056
Autor:CHICÓ, Mário Tavares
Título:A CATEDRAL DE ÉVORA NA IDADE MÉDIA
Descrição:

Edições Nazareth, Évora, 1946. In. 8.º de 58-(10) págs. Br. Profusamente ilustrado. Valorizado pela dedicatória autógrafa. Integrado na colecção Estudos de História, Arte e Arqueologia

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Monografia histórica e artística sobre a Catedral de Évora.

Preço:23,00€

Referência:13435
Autor:CHRISTO, António
Título:ALGUNS PROBLEMAS SOBRE JOÃO AFONSO DE AVEIRO
Descrição:

Edição do autor, Braga, 1960. In-4º de 126 págs. Br. Capas de brochura amarelecidas pelo tempo. Valorizado pela dedicatória autógrafa. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Curioso trabalho de investigação sobre quem de facto terá sido João Afonso de Aveiro, que dá o nome a um poeta e a um navegador dos finais do século XV, havendo alguns autores que defendem ser o mesmo indivíduo, enquanto outros optam por pessoas distintas.

Preço:30,00€

Referência:12944
Autor:CICCIA, Marie-Noelle
Título:LE THÉÂTRE DE MOLIERE AU PORTUGALau XVIIIe siécle
Descrição:

 Centre Culturel Calouste Gulbenkian, Paris, 2003. In-8º de 618 págs.Br.

 

Observações:

Estudo que aborda a influência do teatro de Moliere na produção teatral portuguesa durante o século XVIII onde a autora destaca o gosto da crítica do quotidiano, para além do mero divertimento de corte, que o público do Teatro do Bairro Alto procurava nos espectáculos e aborda também a qualidade das traduções.

Preço:28,00€

Referência:12810
Autor:CLARO, António
Título:O PELOURINHO Critica da nossa Historia politica desde 1817 a 1904.
Descrição:

 Livraria Depositária de J. Figueirinhas Junior, Porto, 1904. In-8º  de 519-(4) págs. Encadernação inteira em pele com dizeres a ouro na lombada. Ilustrado com o retrato do autor. Volume único, o segundo volume (1850-1904) não foi publicado. Conserva capa de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

 Obra sobre  a história do século XIX em Portugal, desde o reinado de D. João VI até 1850, ano que antecedeu a queda de Costa Cabral e dos governos de inspiração setembrista. Obra com interesse acrescido pelas muitas notas e documentação apresentadas pelo autor.

"Procurei ser exacto. Os meus esforços visaram a exhibir, com verdade, as personalidades politicas do paiz mais em voga nos ultimos oitenta e sete annos e por algumas das quaes tive certa veneração, quando confiado singularmente na tradição, toda ella refalsada e espactaculosa, as suppuz dotadas do caracter, da energia e da sagacidade dos grandes vultos dos tempos luminosos da História das nações."

Preço:40,00€

Referência:13045
Autor:CORREIA, Fernando da Silva
Título:ORIGEM E FORMAÇÃO DAS MISERICÓRDIAS PORTUGUESAS
Descrição:

Henrique Torres Editor, Lisboa, 1944. In-4º de 661-(2) págs. Br. Encadernação meia inglesa em tela com dizeres a ouro na lombada. Profusamente ilustrado em extra-texto com  fotogravuras impressas em  papel couchè apresentando reproduções de gravuras, iconografia, mapas, edifícios, etc.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Obra de consulta incontornável para todos aqueles que se dedicam ao estudo da génese e história desta importante instituição de assistência pois ainda hoje é o mais completo trabalho escrito sobre as Santas Casas.

Preço:40,00€

Referência:13451
Autor:COSTA, Afonso
Título:DISCURSOS PARLAMENTARES 1900-1901, 1911-1914e 1914-1926 Compilação, prefácio e notas de A. H. de Oliveira Marques
Descrição:

Publicações Europa América/ Livraria Bertrand, Mem Martins, 1973-1977. Três volumes de in-8º de 617-(4), 679 e 460-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Capa de José Cândido.

 

COLECÇÃO COMPLETA

Observações:

Compilação dos discurso proferidos por Afonso Costa nas sessões do Parlamento entre 1900 e 1926. Afonso Costa foi  um dos maiores defensores da causa republicana e após a instauração da República foi um dos políticos mais importantes, tendo feito parte do Governo Provisório e de outros governos. Toda a sua actividade parlamentar se baseava na teoria da República como fundamento “obrigando todos a compreender que a República não é apenas uma substituição de fórmulas, mas a substituição de um regime de inutilização do indivíduo, da família e da sociedade, por um regime de trabalho, de moralidade e de progresso”.

Preço:45,00€

Referência:13444
Autor:COSTA, Carlos Eurico da
Título:A CAÇA EM PORTUGAL
Descrição:

Editorial  Estampa, Lisboa, 1994. Dois volumes de in-8º de 408-(1) e 434-(1) págs. Br. Encadernação editorial. Profusamente ilustrado ao longo do texo com fotografias a preto e branco e ilustrações de  Álvaro Duarte de Almeida.

Observações:

Obra em dois volumes sobre a caça em Portugal, dirigidos e coordenados por Carlos Eurico da Costa.
Da contracapa:

"A CAÇA EM PORTUGAL é o mais completo manual de caça desportiva publicado entre nós.
Nele, o leitor encontrará toda a informação sobre a fauna cinegética, os processos de caça (de aves de de pêlo), as armas, munições e tiro, os cães o o ensino do cão de parar e ainda um tratado de culinária de caça, sendo todos os temas tratados pelos mais reputados especialistas.
Um livro indispensável ao caçador português, interessado no conhecimento teórico do seu desporto favorito, bem como na sua aplicação prática."

Encerra textos de Aquilino Ribeiro, Jayme Duarte de Almeida, Germano Sacarrão, João Maria Bravo, Padre Domingos Barroso, D. Jorge Frederico de Avilez (Visconde de Reguengo), J. M. Varela Cid, Marques Elpídio, Ferreira de Sousa, Elisiário Rodrigues Nogueira, João Sabrosa, Sebastião R. Peretrello, Mello Machado, J. Romana Vargas, L. Almeida Araújo, Torres Botelho, Maria Emília Cancella de Abreu e Renato Boaventura.

Preço:28,00€

Referência:13237
Autor:DAEHNHARDT, Rainer
Título:PÁGINAS SECRETAS DA HISTÓRIA DE PORTUGAL
Descrição:

Edições Nova Acrópole, Lisboa,1995. Dois volumes de in-8º de 191 e 227 págs. Encadernação editorial. Ilustrado ao longo e em extra-texto.

Observações:

Esta obra é um compêndio de várias histórias, mais ou menos secretas organizado por  este historiador luso-alemão acrescentando sempre a sua análise e as fontes a que recorreu para abordar diversos casos omissos e falsas verdades da História de Portugal.

Abordam-se perguntas como, entre muitas outras:

Damião de Goes foi assassinado porque sabia demais? Houve um "Artigo Secreto" no tratado da aliança luso-britânica? A custódia de Belém esteve quase a ser derretida para cunhar moeda? O Mosteiro da Batalha foi vendido em hasta pública para servir de pedreira? Os antepassados de D. Afonso Henriques vieram do Báltico? Os lusitanos eram cristãos-arianos? Lisboetas já tinham ido aos Açores antes dos homens enviados pelo Infante D. Henrique?

Preço:45,00€

Referência:13618
Autor:DELICADO, António
Título:ADÁGIOS PORTUGUESESreduzidos a lugares communs
Descrição:

Livraria Universal, Lisboa, 1924. In-8º de 272 págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez.

Nova edição revista e prefaciada por Luís Chaves.

Observações:

Segunda edição da primeira recolha de provérbios portugueses feita em Portugal, da autoria do Padre António Delicado  publicado, em 1651. A obra recolhe cerca de 4000 provérbios , (a grande maioria, populares), "reduzidos a lugares communs", isto é, agrupados em capítulos. Esta edição é antecedida por um exaustivo prefácio de Luís Chaves que também foi editor desta nova edição.
Segundo António Delicado, no texto "AO LEITOR" "os adagios são as mais approvadas sentenças que a experiência achou nas acçoens humanas, ditas em breves e elegantes palavras"

Este  livro é também um documento que nos dá preciosas informações sobre Portugal  da época: o homem em sua existência quotidiana, as condições de vida, o sensato e o ridículo, as alegrias e as tristezas, as grandezas e as misérias, a realidade e os sonhos, a objetividade e os preconceitos.

Preço:35,00€

Referência:13477
Autor:ENES, José
Título:ESTUDOS E ENSAIOS
Descrição:

Universidade dos Açores, Ponta Delgada, 1982. In-8.º de 213 págs. Br.

Observações:

Esta obra apresenta temas como: "O sentido de Objectivo"; "A ideia clara e distinta"; A essencialidade judicativa da crítica"; "Que é a verdade?"; "Ocultamento do ser do eu em David Hume"; Revelação ontológica do Eu em S. Tomás de Aquino", entre outros.

Preço:13,00€

Referência:13050
Autor:ESPARTEIRO, António Marques
Título:O ALMIRANTE MARQUÊS DE NISA
Descrição:

Parceria António Maria Pereira, Lisboa, 1944. in-4º de  436 págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Apresenta alguns picos de acidez. Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

“O ALMIRANTE MARQUÊS DE NISA” constitui uma obra de interesse para todos quantos se interessam pela nossa História náutica em particular ou ainda pela História de Portugal e da Europa em geral.
Realça os feitos heróicos daquele que foi uma das maiores glórias da Armada Portuguesa, D. Domingos Xavier de Lima, vulgarmente conhecido por Almirante Marquês de Nisa.

Preço:38,00€

Referência:13620
Autor:FEIJÓ, João de Morais Madureira
Título:EXPLICATIONES IN OMNES PARTES Totius Artis. R. P. EMMANUELIS ALVAREZ è Societate JESU, AD USUM EXCELLENTISSIMI DUCIS ALLAFONENSIS Expositæ à Magistro suoJOANNE DE MORAES MADUREYRA FEYJO’,Ex Ordine Divi Petri Sacerdote Philosopho, ac Theologo, Et ol
Descrição:

Ulyssipone Occidentali / ex praelo Michaelis Rodrigues, Lisboa, 1729. In-8º XLII-347-(1) págs. Encadernação coeva inteira em carneira com dizeres e florões gravados a ferro na lombada. Assinatura de posse a tinta no frontispício.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

 

 

Observações:

Primeira parte da "Arte Explicativa" de Madureira Feijo, que é uma  explicação em língua portuguesa da Gramática do jesuíta  Manuel Álvares, traduzindo-a e explicando-a.

Para além de ser uma glosa à grámatica de Alvares, o autor esboça, na Advertencia, um breve capítulo centrado na explicação do verbo português e que é extremamente interessante para o estudo das ideias gramáticais no Portugal do século XVIII.

Preço:125,00€

Referência:12871
Autor:FERREIRA MARTINS, Gen. Luís Augusto
Título:HISTÓRIA DO EXÉRCITO PORTUGUÊS
Descrição:

Editorial Inquérito, Lisboa, 1945. In-4.º de 576 págs. Encadernação meia francesa em pele castanha com dizeres e florões a ouro sobre rótulo vermelhona lombada. Obra profusamente ilustrada ao longo do texto e em extra-texto representando castelos, aspectos de batalhas, retratos, bandeiras, uniformes,  armas, etc.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

 

Observações:

Obra monumental sobre a história do  exercito português, abordando também as suas operações fora do território continental, guerras em África, guerras da Península, guerras na Europa, ilustradas com mapas desses teatros de operações.

"A obra divide-se em dez capitulos, o primeiro dos quais é apenas como que uma introdução, em que se procura pôr especialmente em foco a influência dos povos que ocuparam a Peninsula, antes da fundação da nacionalidade portuguesa, nas instituições militares, por esta seguidamente adoptadas.
Os restantes capitulos corresponderiam aos principais periodos da acção ou da evolução do Exercito, terminando em 1918, no fim da Grande Guerra, que marcou a ultima grande e fase da actividade bélica do Exército nacional."


 

 As operações do exército português fora do território continental (guerras em África, guerras da Península, guerras na Europa) são ilustradas com mapas desses teatros de operações. As armas utilizadas em cada período pelos contendores são reproduzidas em fotografias e gravuras.

 Na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Vol. 11, 202: “... Nasceu em Lisboa em 1875, onde fez o curso liceal de 1885 a 1890, depois a Escola Politécnica de Lisboa, onde tirou os preparatórios de Engenharia e Artilharia para a Escola do Exército, tirando nesta o curso de Artilharia de 1893 a 1895. Tirou ainda o curso do Estado-Maior. Como Tenente de Artilharia fez parte da expedição a Moçambique (1897-98). Em 1906 passou a servir no Estado-Maior. Quando da primeira Grande Guerra foi sub chefe do Estado-Maior do C. E. P. em França de 1916 a 1919. Comandou o Regimento de Infantaria 5 (1923), e a escola Central de Oficiais de 1929 a 1933. Promovido a general por escolha, em 1930, foi administrador geral do Exército de 1936 a 1940 ..."

 

 

Preço:145,00€

Referência:13463
Autor:FIGUEIREDO, Cândido de
Título:FALAR E ESCREVER Novosestudospráticosdalínguaportuguesaouconsultóriopopulardeenfermidadesdalinguagem.
Descrição:

Livraria Clássica Editora, Lisboa, 1923 e 1926. Três volumes de in-8º de 335, 309 e 340 págs.

Observações:

Obra em  três volumes que reune  artigos préviamente publicados em jornais onde , como o subtítulo “Consultório Popular de Enfermidades da Linguagem” sugere,  o autor respondia a perguntas sobre o uso “correcto” e “incorrecto” da língua portuguesa e desta maneira tentava corrigir os problemas mais usuais do uso da nossa língua.

Preço:40,00€

Referência:13544
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:IDEIAS DE PAZ
Descrição:

Portugália Editora, Lisboa, 1966. In-8º  de 331-(3) págs. Br. Título publicado na "Colecção Problemas". Cadernos por abrir.

Observações:

Edição conjunta de cinco opúsculos que haviam sido publicadas separadamente e que resumem o apuramento da longa e acidentada prospecção que o autor empreendeu da realidade contemporânea, principiando pela análise e discussão dos conceitos de "pátria" e  "solo pátrio".

Preço:15,00€

Referência:13543
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:ENTRE DOIS UNIVERSOS.
Descrição:

Guimarães Editores, Lisboa, 1959. In-8 º de 278-(10) págs. Br.  Integrado na colecção "Filosofia e Ensaios".

Observações:

“Todo o livro expressa um esforço dialético de apaziguamento interior, pedindo ao entusiasmo pela  obra da inteligência razões de confiar na espécie humana, novo gosto de viver e defesa sorridente  contra os absurdos da existência”

Preço:13,00€

Referência:13542
Autor:FIGUEIREDO, Fidelino de
Título:UM HOMEM NA SUA HUMANIDADE
Descrição:

Guimarães Editores, Lisboa, 1957. In-8º de 177-(5) págs. Br. Integrado na «Colecção Filosofia e Ensaio». Alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Conjunto de três ensaios, nos quais se pretende dar voz às emoções humanas numa ruptura com a razão e o empirismo positivistas. Isto porque, em sua opinião, racionalizar a vida seria desfigurar a condição humana. O excesso de razão teria levado o homem à guerra, à destruição e à morte.

“Três ensaios de forma epistolar compõem o presente opúsculo, em que se tenta exemplificar a  elaboração de experiências pessoais, ainda as mais dolorosas, em ideias gerais”. 

Preço:14,00€

Referência:13470
Autor:FILGUEIRAS, Octávio Lixa & BARROCA, Alfredo
Título:O CAIQUE DO ALGARVE E A CARAVELA PORTUGUESA.
Descrição:

Separata da Revista da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1970.In-8º de 39 págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias e com desdobrável com reconstituição dos planos da embarcação.

Observações:

Estudo crítico sobre os Caíques, embarcação da costa portuguesa sobretudo no Algarve com origem no século XVI e as Caravelas, criticando um trabalho publicado previamente por Alberto Iria que defendia a filiação do caíque algarvio na caravela latina dos Descobrimentos (ou vice versa).

 

Preço:18,00€

Referência:13209
Autor:FONSECA, Faustino da
Título:EL-REI D. MIGUEL Chronica popular do absolutismo
Descrição:

Guimarães & C.ª , Lisboa, 1905. In-8º de 524 págs. Encadernação em tela. Não conserva capas de brochura. Profusamente ilustrado com retratos e monumentos.

 

Observações:

Crónica do Reinado de D. Miguel que encerra capítulos como

Constitucional ou absoluto; Contra a Maçonaria;  A conspiração maçónica ; O corpo diplomático;A independa do Brasil; D. Miguel reconhece D. Pedro como rei; O goveruo constitncional; Invasão miguelista; Commentarios dos estrangeiros

Excerto sobre a Rainha:

"No torpor da sesta, sorvendo com delicia pitadas de rapé, que mais lhe sujavam de polvilhos o penteador, a rainha D. Carlota Joaquina, também hespanhola, outr’ora companheira nas danças, mas agora derrancada e gasta, feia, bexigosa, a face descahida, a bocca de maus dentes, fatigada de excessos, velha já aos quarenta e oito anos, encruzada n’um tapete de veludo, onde mais se amesquinhava a saia de chita, fundo amarello em ramos verdes, gosava o espectaculo excitante, embriagada de prazer, olhos húmidos, peito arquejante, narinas dilatando-se nervosas."

Preço:27,00€

Referência:13233
Autor:FONSECA, Quirino da
Título:A CARAVELA PORTUGUESA e a prioridade técnica das Navegações Henriquinas. I e II partes.
Descrição:

Edição do Ministério da Marinha, Lisboa, 1978. In-8º de 362 e 257 págs. respectivamente. Encadernação meia francesa em pele com dizeres e florões na lombada. IIustrados com esboços e medidas do velame, reprodução de gravuras antigas, perfis de embarcações, e quadros de dados com a arqueação dos navios.Conserva capas de brochura.

Observações:

Estudo muito importante sobre a caravela portuguesa,com comentário preliminar de João da Gama Pimentel Barata.
"É na presente obra que a erudição do comandante Quirino da Fonseca atinge a culminância, dela ressaltando a vivacidade do seu espírito que, sobrepondo-se às enormes dificuldades da época na consulta, estudo e angariação de elementos de trabalho, produziu acerca da caravela portuguesa obra completa que ainda hoje constitui elemento básico a que recorrem os estudiosos deste e de outros tipos de embarcação."

Encerra capítulos como:

I - As mais antigas referências a caravelas em Portugal; Etimologia da palavra caravela;II - Velame redondo e latino; Navios redondos e latinos, pelo que respeita ao seu velame; III - Aerodinâmica da vela e em especial, da latina; IV - Velame triangular, antigo e moderno; As velas das galés, das galeotas, dos bergantins e das caravelas; As velas de mesena ou de artimão, das naus e dos galeões; V - Caravelas latinas e caravelas redondas; VI - Faculdades náuticas das caravelas; VII - Caravelas portuguesas e espanholas; Os navios de Colombo; VIII - Os caravelistas do Infante; IX - Os elementos contidos no Livro Náutico, para a construção das caravelas, em fins do século XVI;Os caiaques do Algarve, descrição e manobra; Representação artística das caravelas.

Preço:80,00€

Referência:13403
Autor:FRANÇA, Isabella de
Título:JORNAL DE UMA VISITA À MADEIRA E A PORTUGAL. (1853-1854)
Descrição:

Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal, Funchal, 1970. In-4º de 270-(4)págs. Encadernação editorial em tecido com dizeres a ouro nas pastas e na lombada. Lombada gasta. Profusamente ilustrado em extra-texto com belas estampas reproduzindo as aguarelas originais de Isabella de França.

Observações:

Obra muito curiosa  que reproduz o manuscrito de um diário de viagem de uma senhora inglesa, datado de meados de oitocentos. Este diário foi escrito e ilustrado por Isabella de França , casada com José Henrique de França um comerciante londrino de origem madeirense e proprietário na ilha. A obra é um retrato muito interessante da vida quotidiana na Ilha da Madeira.

Tradução portuguesa de Cabral do Nascimento, com notas e comentários de Santos Simões.

Preço:30,00€

Referência:13370
Autor:FREIRE, Anselmo Braamcamp
Título:BRASÕES DA SALA DE SINTRA
Descrição:

Imprensa Nacional - Casa da Moed, Lisboa, 1973. Três volumes de in-4º de 626, 512 e 512 págs. Br. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto.Capas de brochura empoeiradas. Reproduz integral da ediçao original publicada entre 1921 e 1930.

Observações:

Obra  de referência sobre a  heráldica  dos  brasões  das  famílias  da  nobreza portuguesa usando como base o  estudo  dos  brasões  que  decoram  o  tecto  de uma  das  salas  do  Palácio  de  Sintra, mandados pintar pelo rei D. Manuel I e que  representam todos os brasões, insígnias e letreiros das principais famílias nobres portuguesas.

Preço:70,00€

Referência:13107
Autor:FREIRE, João Paulo (MARIO)
Título:FOGOS-FÁTUOS
Descrição:

Edição da Renascença Portuguesa, porto, 1923. In-8º de 173-(1) págs. Encadernação moderna inteira de sintético castanho, conservando as capas de brochura com ligeiro restauro. Amarelecimento geral do papel, dada a sua fraca qualidade.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Curioso livro que trata de "Alguns problemas nacionais à margem... da política" (primeira parte) e de "Documentos para a História do Movimento Revolucionário do 19 de Outubro" (segunda parte do livro)

"Tudo quanto se coordenou neste volume sob a rubrica geral de Fogos-Fátuos veio publicado no diário lisbonense A Imprensa da Manhã. Pareceu-me conveniente arquivar em livro as duas partes deste volume. A primeira porque dizendo respeito a melhoramentos e iniciativas nacionais mais facilmente pode ser consultada pelos que a estas ninharias dedicam a sua inteligência e o seu esforço, tão inútil perante a contra-maré imbecil das massas; a segunda porque constituindo por si mesma uma série de interessantíssimos depoimentos para a desgraçada história do movimento revolucionário de 19 de Outubro de 1921, à História pertence e como tal a ela é devida, exactamente como o calhau bruto e informe faz parte do edifício que se constrói."

Preço:25,00€

Referência:12991
Autor:GAMA E CASTRO, José da
Título:O NOVO PRINCIPE ou oespirito dos governos monarchicosPor... Segunda edição. Revista e consideravelmente augmentada pelo autor
Descrição:

Typ. Imp. e Const. de J. Villeneuve e Comp., Rio de Janeiro, 1841. In-8º de 404 pags. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. miolo com algumas manchas de humidade. A página 33 foi dactiloscrita.

MUITO INVULGAR.

Observações:

Segunda edição  desta obra, publicada  depois do autor, no ano anterior, ter publicado uma tradução portuguesa de The Federalist.
Contra a máxima de Thiers, segundo a qual, "rei reina, mas não governa" o autor propõe um outro aforismo, "o rei governa, mas não administra". Considera que as "leis fundamentais" e os "corpos intermediários" é que distinguem a monarquia do despotismo, pois  "tanto no despotismo como na tyrannia o procedimento de quem manda he arbitrario; mas no primeiro caso he arbitrario por falta de lei, e no segundo porque se abusa, porque se despresa, ou porque se calca a lei".
Afirma que  "todos os governos possíveis são ou relativamente bons ou relativamente máos conforme as circunstâncias da nação a que se applicão; mas o único bom para huma nação determinada he aquelle que resulta da história, isto he, da experiência dessa nação". Faz a distinção entre  legitimidade e legalidade "nunca he possível ir dar na história do mundo com o momento da sociedade constituindo-se, mas sempre com a sociedade constituída". Porque "as relações entre os differentes membros da sociedade não se fizerão, apparecerão já feitas". Já a legitimidade é, sobretudo, marcada pela "justiça da aquisição" e pela "diuturnidade da posse", sendo expressa nas leis fundamentais da Constituição histórica:"certas leis primordiaes e constitutivas da Monarchia, que o próprio Soberano não pode destruhir por que são ao mesmo tempo o fundamento por que he Rey, deixando de o ser desde esse momento em que o fes"


Inocêncio IV, 358 e 340.
“Diz-se que a primeira edição, constando de menor numero de capitulos, se publicára em Lisboa. Nem a vi, nem d’ella pude achar até agora noticias mais precisas. Da segunda edição possuo um exemplar desde muitos annos. José da Gama e Castro, Era filho de Mauricio José de Castro e Sá, natural de Sernancelhe, empregado na camara ecclesiastica de Coimbra. Nasceu em 1795, sendo baptisado em 21 do mesmo mez na igreja de S. João de Almedina da mesma cidade, sendo padrinho o bispo conde D. Francisco de Lemos. Fez formatura em medicina na universidade de Coimbra no anno de 1819, recebendo o grau de doutor em philosophia em 1820. Consta que exerceu a clinica em Villa Real de Traz os Montes por 1832. Lançado por suas convicções politicas no partido do sr. D. Miguel, a quem serviu com grande zêlo e dedicação, foi por elle nomeado Physico-mór do exercito, e incumbido de outras commissões importantes. Depois de assistir ao desfecho da lucta politica em 1834, emigrou de Lisboa em Dezembro d’esse anno, e apoz uma longa digressão emprehendida por varios paizes da Europa, resolveu transportar-se para o Brasil. Morreu em Paris a 8 de setembro de 1873.”

 

José da Gama e Castro foi Médico desde 1819. Assume-se como miguelista. Físic o-mor em 1834. Emigra para a Itália em Dezembro de 1834, onde redige O Precursor, órgão do miguelismo no exílio. Em 1837 passa pela Suíça e pela Alemanha. Instala-se no Brasil a partir de 1838, onde publica as suas obras, destacando-se a tradução portuguesa de The Federalist e o tratado O Novo Príncipe,considerado como uma espécie de bíblia do pensamento contra-revolucionário português do século XIX, apesar de ser pouco densa e nada original. Considera que a legitimidade é, sobretudo, marcada pela "justiça da aquisição" e pela "diuturnidade da posse", sendo expressa nas leis fundamentais da Constituição histórica: "certas leis primordiaes e constitutivas da Monarchia, que o próprio Soberano não pode destruhir por que são a o mesmo tempo o fundamento por que he Rey, deixando de o ser desde esse momento em que o fes".

 

Preço:50,00€

Referência:13368
Autor:GUERRA, Oliveira
Título:CÉLTICA
Descrição:

Escola Tipográfica da Oficina de S. José, Porto, 1960-1961. quatro números de in-8º com numeração corrida (o primeiro tem 48 páginas, o segundo decorre entre a 51 e 144, o terceiro entre a 147 e 240, e o final entre as 243 e 336). Br. Capas de brochura ligeira mente empoeiradas. Ilustrado ao longo do texto. Arranjo gráfico de António Leite.

COLECÇÃO COMPLETA.

INVULGAR

Observações:

Revista dirigida por Manuel de Oliveira Guerra no início da década de 60 do século passado. Esta
publicação tratava de "quebrar a capa de gelo" entre a literatura português e a literatura galega, e nela se recolheram colaborações de vários autores.
Existia um núcleo de colaboradores permanentes do lado português ( Hugo Rocha, Barata Feyo, Rebelo Bonito); um artista catalão, Tomás Casals Marginet,  e um núcleo galego, formado em volta dos irmãos Carré Alvarellos: Lois, Uxio e Leandro. Revista muito importante para traçar o panorama da relação galego-portuguesa a nível das artes e literatura nos anos 60.

 

Preço:45,00€

Referência:13043
Autor:HERCULANO, Alexandre
Título:HISTORIA DA ORIGEM E ESTABELECIMENTO DA INQUISIÇÃO EM PORTUGAL.
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1975. Três volumes de in-8º de 315-(7), 298-(16) e 344-(6) págs. Br.

Observações:

Obra ainda hoje de referência  sobre a Inquisição portuguesa, e uma das mais importantes da bibliografia de Alexandre Herculano.

"Se é delatado, ás vezes por testemunhas falsas, qualquer desses malaventurados, por cuja redenção Cristo morreu, os inquisidores arrastam-no a um calabouço, onde lhe não é licito ver ceu nem terra e, nem sequer, falar com os seus para que o socorram. Acusam-no testemunhas ocultas, e não lhe revelam nem o lugar nem o tempo em que praticou isso de que o acusam. O que pode é adivinhar e, se atina com o nome de alguma testemunha, tem a vantagem de não servir contra ele o depoimento dessa testemunha. Assim, mais útil seria ao desventurado ser feiticeiro do que cristão. Escolhem-lhe depois um advogado, que, freqüentemente, em vez de o defender, ajuda a levá-lo ao patibulo. Se confessa ser cristão verdadeiro e nega com constância os cargos que dele dão, condenam-no às chamas e os seus bens são confiscados. Se confessa tais ou tais atos, mas dizendo que os praticou sem má tenção, tratam-no do mesmo modo, sob pretexto de que nega as intenções. Se acerta a confessar ingenuamente aquilo de que é culpado, reduzem-no à última indigencia e encerram-no em cárcere perpétuo. Chamam a isto usar com o réu de misericórdia. O que chega a provar irrecusavelmente a sua inocencia é, em todo o caso, multado em certa soma, para que se não diga que o tiveram retido sem motivo. Já se não fala em que os presos são constrangidos com todo o genero de tormentos a confessar quaisquer delitos que se lhes atribuam. Morrem muitos nos carceres, e ainda os que saem soltos ficam desonrados, eles e os seus, com o ferrete de perpetua infâmia. Em suma, os abusos dos inquisidores sãos tais, que facilmente poderá entender quem quer que tenha a menor ideia da índole do cristianismo, que eles são ministros de Satanás e não de Cristo...”
 

Preço:40,00€

Referência:12822
Autor:LEAL, Augusto Soares d’Azevedo Barbosa de Pinho
Título:PORTUGAL ANTIGO E MODERNO. Diccionario Geographico, Estatistico Chorographico, Heraldico, Archeologico, Historico Biografico e Ettymologico de todas as cidades villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias... VOLUME XI
Descrição:

Livraria Editora de Mattos Moreira & Companhia, Lisboa,1886. In-4º de 763 págs. Encadernação meia inglesa antiga em pele com dizeres a ouro na lombada. Com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

 

Observações:

Décimo primeiro volume desta monumental obra corográfica em 12 volumes, organizado alfabeticamente por nome das cidades, vilas e freguesias de Portugal. Sobre cada uma das entradas tem um artigo cobrindo localização, etc. Em alguns deles descreve igrejas e monumentos, factos importantes, efemérides, pessoas notáveis aí residentes e ainda algumas famílias e sua genealogia e heráldica. O conteúdo é bastante variável, muitas vezes baseado em informações recolhidas junto dos abades.

Este volume ocupa-se apenas das localidades começadas por Vil e tem verbetes  sobre localidades como Vila do Conde, Vila Nova de Fozcoa, Vila Seca, Vilarinho, entre muitas outras.

Segundo Inocêncio no "Diccionario Bibliographico":

"Portugal antigo e moderno, diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, etc. Por Augusto Soares de Azevedo Barbosa de Pinho Leal. Lisboa, 1873-1890. 4.o, 12 tomos.
Pinho Leal, benemerito auctor d'este importante diccionario, falleceu em 2 de janeiro de 1884, quando a obra ía approximadamente em meio do tomo X e do artigo Vianna do Castello. Ficando interrompida a publicação, os editores convidaram o rev. abbade de Miragaya para a continuar e concluir, por haver sido o «primeiro cyrenéo» do auctor, como este o citou repetidas vezes no texto da obra.
Acceitou o rev abbade o convite e cumpriu. Escreveu, pois, a continuação e conclusão do tomo X e os tomos XI e XII até final, lastimando que os editores desistissem do promettido e tão preciso «supplemento», e que nem dessem mais um tomo com o indice geral da obra, indispensavel, porque no Portugal antigo e moderno existe grande repositorio de noticias, muitas das quaes estão deslocadas e dispersas por differentes artigos e tomos, sendo ás vezes difficil encontra-las. O indice geral era muito preciso, bom como o «supplemento», onde era facil ampliar uns artigos, introduzir novos, e corrigir outros. A publicação durára dezesete annos e os editores estavam anciosos por que terminasse.
A tiragem do Portugal antigo e moderno fôra de 5:000 exemplares. A impressão foi feita com sacrificio pelos editores, porque representou importante empate de capital, sem nenhum auxilio ou subsidio official.
A empreza editora soffreu, durante a impressão do diccionario, modificações. Principiou com os srs. Mattos Moreira & C.a, que levaram a publicação até o tomo IX; passou depois para os srs Mattos Moreira & Cardosos, que mandaram imprimir o tomo X; e por ultimo para os srs. Tavares Cardoso & Irmão, que tomaram a si o encargo da empreza e mandaram imprimir os tomos XI e XII. Estes ultimos, como se sabe, são livreiros e editores em Lisboa e no Brazil (estado do Pará), e por isso destinaram a primeira edição para o Brazil, e assim que a concluiram mandaram a maior parte para lá, deixando poucos para Lisboa, porque o mercado aqui é insignificante e não dá margem para um editor pensar sequer em rasoavel remuneração do seu capital."

Preço:45,00€

Referência:13464
Autor:LEMOS, Merícia de
Título:HORAS SEM TEMPO
Descrição:

Editora Lux, Lisboa, 1962. In-8º de 51-(1) págs. Br. Ilustrado com um retrato da autora por Alain Brustlein.

Observações:

Último livro que a autora escreveu antes de uma pausa de 30 anos.
Merícia de Lemos nasceu em 1913 na Beira, Moçambique, e morreu em 1996. Colaborou em diversas revistas e jornais, onde foram publicadas várias poesias suas.
A sua poesia caracteriza-se por um tom directo muito lúdico e subtil, em que uma feminilidade franca sabe encontrar uma intensidade ora graciosa ora melancólica, ora comovente.

Preço:25,00€

Referência:13505
Autor:LIMA, Mesquitela
Título:MIGRAÇÕES E POVOAMENTO o fenómeno cultural português
Descrição:

Edição de autor, Luanda, 1965. In-8º de 37 págs. Br. Edição em stencil. capas de brochura com alguns picos de acidez.

Invulgar

Observações:

Conferência proferida no dia 6 de maio de 1965, integrada nas comemorações da Semana do Ultramar, na Associação dos Naturais de Angola, em Luanda e que versa sobre a expansao e a formação de uma mentalidade ultramarina; a penetração na cultura portuguesa de valores culturais do ultramar (o fenómeno linguístico); a influência do ultramar na litratura e no pensamento luso.

Preço:18,00€

Referência:13005
Autor:LISBOA, Mário Eurico
Título:O SOLAR DO MORGADO DE ALAGOA Os irmãos Cruz e os significados de um património construído – segunda metade do século XVIII
Descrição:

Edições Colibri, Lisboa, 2009. In-8º de 240 págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Monografia histórica sobre os "Cruzes", familia da burguesia que "enobreceu". Encerra os seguintes capítulos: Os “Cruzes”: de oficiais mecânicos a fidalgos da Casa Real; Os “Cruzes” na esfera do público: político, económico e social; A formação da Quinta Nova.

Preço:13,00€

Referência:12901
Autor:LOPES, Alberto
Título:CEUTA origem histórica da expansão portuguesa
Descrição:

Agência Geral do Ultramar, Lisboa, 1962. In-8º de 65 págs. Br. Separata do nº442 do Boletim Geral do Ultramar. Capas com alguns picos de acidez e com um carimbo.

PRIMEIRA EDIÇÃO.
 

Observações:

Obra onde o autor propõe que Ceuta foi “a origem histórica de todas as navegações, pois deu, verdadeiramente, origem à expansão marítima de Portugal”.
Para  ele,  a  história  da  expansão  portuguesa  abre-se  e  fecha-se  com  eventos  relacionados  com  a  guerra no norte da África, a tomada de Ceuta o início e o ataque de  Alcácer-Quibir, em  1580,  como um fim,  pois
após a morte de D. Sebastião,   Portugal  ficou  sob  a  tutela  da  coroa  castelhana.

Preço:18,00€

Referência:13286
Autor:LOPES, Gérard Castello
Título:PERTO DA VISTA
Descrição:

Imprensa Nacional - Casa da Moeda, Lisboa, 1984. In-4º de 63-(1) págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto. Da tiragem especial de 100 exemplares autogrados pelo autor mas sem a prova fotográfica original.

Observações:

Álbum fotográfico com fotografias tiradas entre 1955 e 1957 por Gerard Castello Lopes.

"Ao pensar no que sinto, sempre que contemplo uma grande fotografia, recordo que, nesse fugidio instante, sou invadido por um fulgurante maravilhamento, uma impressão de comunhão e de re-encontro, como se durante esse momento, nada de mau me pudesse acontecer e a imagem me emprestasse, por um segundo, a ilusão de uma imortalidade. Estas jubilosas constatações levaram-me a concluir que o propósito de uma imagem fotográfica deveria ser o de transmitir essa euforia, independentemente do que ela representa."

 

Preço:30,00€

Referência:13456
Autor:LOPES, Iorze
Título:DIREITOS, BENS E PROPRIEDADES DA ORDEM E MESTRADO DE AVIS nas suas três vilas de Avis, Benavila e Benavente e seus termos " Tombo feito pelo Ldº Iorze Lopes: Año 1556
Descrição:

Arquivo Histórico do Ministério das Finanças, Lisboa, 1950-1953. In-4º de 475-(1) págs. Br. Capas de brochura com picos de acidez. Miolo com alguns sublinhados a lápis.

Observações:

Transcrição de um manuscrito inédito, escrito em 1556,  aquando do levantamento de todos os direitos, bens e propriedades da Ordem e Mestrado de Avis. Para além de ser um documento de grande interesse histórico está valorizado pela interessante introdução de José da Cunha Saraiva.

Preço:42,00€

Referência:12990
Autor:MACEDO, Jorge Borges de; BOTELHO, Afonso; LARA, António de Sousa; RAPOSO, Mário; SERRÃO, Joaquim Veríssimo
Título:ESTUDOS SOBRE A MONARQUIA
Descrição:

Tipografia Cardim, Lisboa, 1984. In-4.º de 230-(4) págs. Br.

PRIMEIRA EDIÇÃO. Faz-se acompanhar de uma carta autógrafada.

Observações:

Esta obra é o resultado das conferências no Grémio Literário, que decorreram entre 2 de Novembro e 14 de Dezembro de 1982 e que  contribuíram para uma ideia de  Monarquia que tinha entrado na modernidade. A longa introdução é como que o «ponto da situação» da praxis monárquica ao tempo das conferências. Os textos dos conferencistas foram a base da doutrina que tem acompanhado novas gerações monárquicas.

Preço:24,00€

reservado Sugerir

Referência:13515
Autor:MACEDO, José Agostinho de
Título:O DESENGANO
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1830. Colecção completa de 27 números.  Encadernação não coeva meia inglesa em pele com dizeres e florões a ouro sobre rótulo de pele vermelha na lombada. Apresenta uma gravura do autor aberta a talha doce e no final uma folha com dois sonetos assinados J.J.P.L (Joaquim José Pedro Lopes)  sobre a morte do autor.

COLECÇÃO COMPLETA

INVULGAR

Observações:

Primeira edição deste periódico, que muitos afirmam ter sido o começo do jornalismo político em Portugal o último publicado por José Agostinho de Macedo, tendo o último número sido publicado postumamente. Os temas abordados nos 27 números são:

I - Introdução;
II - Que cousa he Revoluçâo ?
III - Pretextos das Revoluções:
IV - Os Revolucionários mentem sempre;
V - Consequências da Revolução;
VI - Doutrinas da Revolução;
VII - Qual he o fim da Revolução;
VIII - Salvoconducto das Revoluções
IX - Pés de lã da Revolução;
X - Insolência da Revolução;
XI - A Escada voltada na Revolução;
XII - A Casa dos Orates na Revolução;
XIII - Os Cães ladradores, e os Cães derramados na Revolução;
XIV - O Frasquinho de Bálsamo, ou os Charlatães na Revolução;
XV - Ensaio Filosófico sobre as Malhas;
XVI - Confusão de sentimentos políticos, ou, o que querem os homens?
XVII - Quem são os Arquitectos das Revoluções? Os ladrões.
XVIII - Teima invencível;
XIX - A Desgraça universal;
XX - O Maçonismo com outra cara;
XXI - Continuação do maçonismo com outra cara;
XXII - Continuação do maçonismo com outra cara;
XXIII - Que coisa he hum Malhado?;
XXIV - A Força unida obra prodígios;
XXV - Não foi desta, nem vai d'outra;
XXVI - Origem do Mal;
XXVII - A Cegueira pertinaz.

 

Preço:125,00€

reservado Sugerir

Referência:13513
Autor:MACEDO, Pe.José Agostinho de .
Título:OS SEBASTIANISTAS
Descrição:

Na Officina de Antonio Rodrigues Galhardo, Impressor do Conselho de Guerra, Lisboa, 1810. In-8º de V-114 págs.Encadernação moderna meia francesa em pele com ferros a ouro na lombada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Primeira parte desta obra de repúdio ao mito sebástico, que na época das Invasões Francesas voltou a aparecer, cantando-se outra vez o regresso do Encoberto, e que segundo o autor no seu prefácio: 'Na História Universal da Demencia Humana, ainda não apareceo, nem apparecerá hum delírio similhante'.

José Agostinho de Macedo acusa os sebastianistas incriminando-os de quatro graves delitos: são maus cristãos, maus vassalos, maus cidadãos e tolos. Maus cristãos, porque têm a impiedade de equiparar profecias fantasiadas às canónicas; maus vassalos, porque, esperando a vinda de D. Sebastião, não reconhecem sinceramente a Casa de Bragança; maus cidadãos, porque, contando com intervenções milagrosas, se imergem na inércia; tolos, porque acreditam em asneiras.

 

Preço:100,00€

reservado Sugerir

Referência:13151
Autor:MANSILHA, Frei João de
Título:HISTORIA ESCANDALOSA DOS CONVENTOS DA ORDEM DE S. DOMINGOS EM PORTUGAL,extrahida fielmente do inedito de João de Mansilha, encarregado pelo grande estadista Marquez de Pombal da reforma da mesma ordem em 1774 a 1776
Descrição:

Livraria Antiga e Moderna de Francisco Maria dos Santos, Lisboa, 1901. In-8º de    287 págs. Br.  Lombada desconjuntada a necessitar de encadernação. Alguns picos de acidez e vestígio de fita gomada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

Observações:

Primeira edição deste inédito escrito pelo  reformador  da  Ordem  de  São  Domingos.

 

DUAS PALAVRAS

No actual momento, em que a opinião publica tomou asi, comodevia, a santa cruzada da mais absoluta imposição á ideia reaccionária, tem a máxima opportunidade a publicação d'este. livro . As paginas que vão ler-se possuimo-las nós em manuscripto. ha muitos annos. e colligiu-as uma verdadeira auctoridade no assumpto, Frei João de Mansilha, que, encarregado pelo grande estadista Marquez de Pombal da reforma dos conventos da Ordem de São Domingos, as redigiu dictando-as ao seu secretario, que as escreveu. No emtanto, nós só extractamos dà obra as passagens mais interessantes, os escândalos mais notáveis, porque, aliaz, não caberiam no estreito limite dum volume tantas e tão curiosas revelações A lealdade com que estão traçadas e a fidelidade com que aS damos hoje á estampa constituirão o melhor dos depoimentos contra a seita negra, rasgarão o mais eloquente foco de luz que ha de vir mostrar a verdade de todo esse movimento liberal, que óra parece querer guindar-se á altura das mais respeitáveis petições d 'um povo.

Para attestar a competência do auctor basta, de certo, o encargo que sobre elle depoz o notável ministro de D. José I, esse espirito liberal, intransigente e único que o nosso paiz teve a gloria de possuir. O integerrimo defeníor. das regalias publicas, que se chamou Sebastião José de Carvalho e Mello, nao confiaria missão tão espinhosa a individuo que não fosse por elle reconhecido como verdadeira auctoridade.

Posto isto, cremos que a nossa resolução tem o direito de ser julgada utilissima, por quanto, ao mesmo tempo que vem tornar conhecido um documento importantissimo, serve uma causa em que a razão e a justiça apparecem nitidas a todos os espíritos que
não vivam para o reinado das trevas.

Do. publico portuguez, a quem a dedicamos, esperamos nós a cooperação indispensável.

Maio, 1901.

Preço:29,00€

Referência:13611
Autor:MARTINS, António Alves
Título:O NOVE DE OUTUBROou breves considerações sobre a ultima guerra civil. Por um liberal.
Descrição:

Typographia da Revista, Porto, 1849. In-8º de 196 págs. BR. Capas de brochura com algumas manchas de água. Cadernos descojuntados a precisar de  encadernação. Dedicatória autógrafa na capa de brochura.

INVULGAR.

Observações:

Livro escrito anonimamente por D. António Alves Martins que o assinou como "por um liberal". O livro surgiu após a guerra entre liberais e absolutistas na qual ele alinhou, naturalmente, pelo lado da Patuleia.

Preço:50,00€

Referência:13429
Autor:MARTINS, Isabel Oliveira
Título:WILLIAM MORGAN KINSEY uma ilustração de Portugal
Descrição:

Edições 70, Lisboa, 1987. In-8º de 148-(3) págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Da contracapa:

"Muitos foram os ingleses que, durante os séculos XVIII e XIX,  visitaram Portugal e posteriormente publicaram os relatos daas suas viagens. William Morgan Kinsey apesar de nao ser conhecido no mundo literário do seu país, revela-se um autor extremamente interessado na divulgação dos mais variados aspectos da cultura portuguesa. Desde a literatura até aos hhábitos alimentares tudo é focado nesta obra de uma forma viva, acutilante e ainda hoje actual."

 

Preço:10,00€

Referência:13421
Autor:MAURO, Frédéric [coord.]
Título:O IMPÉRIO LUSO-BRASILEIRO 1620-1750
Descrição:

Editorial Estampa,Lisboa, 1991. In-8º de  516 págs. Br. Profusaamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com gravuras, mapas, gráficos e tabelas. Integrado na colecção "Nova História da Expansão Portuguesa" dirigida por Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques.

Observações:

Da Contracapa:

"Com efeito, desde os princípios do século XV até ao terceiro quartel do século actual – a expansão marroquina, os descobrimentos marítimos, a colonização de ilhas e de terras continentais, os tráficos transoceânicos, as permutais culturais, etc. – eis aí uma sucessiva e vária projecção de Portugal no Mundo, sem cujo conhecimento não é inteligível o que foi ocorrendo na metrópole europeia."

Preço:10,00€

Referência:13565
Autor:MELO, António Joaquim de Mesquita e
Título:PALESTRA ENTRE UM CAPUCHO E UM ESCUDEIRO
Descrição:

Na Imprensa da Universidade, Coimbra, 1822. In-8º 86-(2) págs. Encadernação moderna com dizeres a ouro em rótulo de pele na lombada.

RARO.

Observações:

Curioso exemplar de literatura de cordel que embora tenha sido publicado sem o nome do autor, Innocêncio atribuiu a autoria a  a A. J. de Mesquita e Mello, nascido "no anno de 1789, em uma quinta nas proximidades do Porto".

Inoc. VIII e XX

Preço:45,00€

Referência:13265
Autor:MENDANHA, Victor
Título:HISTÓRIA MISTERIOSA DE PORTUGAL
Descrição:

Editora Pergaminho, Lisboa, 1995. In-8º de 366-(2) págs. Br. Ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Livro muito curioso que aborda temas insólitos na história de Portugal, encerra capítulos sobre  as verdadeiras razões que o Infante de Sagres tinha para querer contactar o Preste João; Bandarra não errou nas suas profecias e D. Sebastião regressará no início do próximo milénio; as provas de que Camões pertenceu à organização iniciática dos Iluminados; um arquitecto português viu a Atlântida e desenhou os edifícios do continente perdido, entre muitos outros.

Preço:23,00€

Referência:13409
Autor:MONTEIRO, João Gouveia
Título:OS CASTELOS PORTUGUESES DOS FINAIS DA IDADE MÉDIA Presença, perfil, conservação, vigilância e comando
Descrição:

Edições Colibri, Lisboa, 1999. IN-8º de 332 págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

Estudo muito exaustivo dos castelos portugueses e das respectivas cercas urbanas no final da Idade Média. Analisa os seguintes temas: a distribuição das fortificações no espaço; a análise das características do castelo gótico português; os mecanismos que enquadravam a construção e os restauros; os sistemas de vigilância e de defesa, terminando com o estudo do processo de comando e organização interna das alcaidarias.

Preço:17,00€

Referência:13405
Autor:MONTEZ, Paulino
Título:HISTÓRIA DA ARQUITECTURA PRIMITIVA EM PORTUGAL - Monumentos Dolménicos.
Descrição:

Lisboa, 1943. In-4º de 107-(4) págs. Br. Ricamente ilustrado em separado sobre papel couché, com diversos monumentos megalíticos e esquemas gráficos reproduzidos a partir de arte rupestre observados em alguns dólmenes.

Observações:

"... A HISTÓRIA da arquitectura em Portugal não começa com a fundação da nacionalidade. Vestígios arquitectónicos de civilizações anteriores existem entre nós. A história destes vestígeos não deve desligar-se da dos edifícios aqui erguidos durante os oito séculos de vida nacional. Se quisermos conhecer o alicerce mais profundo da arte de construir em Portugal, há que recuar até os domínios dos povos primitivos que pisaram o nosso solo ...".

Preço:65,00€

Referência:13408
Autor:MOUTA, Oliveira
Título:DIREITA VOLVER!
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1939. In-8º de 94-(2) págs. Br. Capa e vinhetas do Artista Húngaro Mestre de Gravura em Madeira Atyila Mendley de Vétyemy”.

Observações:

Curioso livro sobre Salazar onde ele é apresentado como um enviado de Deus para conseguir a  manutenção da independência da nação.

"Estas notas sao impressões gravadas ao acaso, desde que o autor passou a ver os seus compatriotas e a vida portuguesa através da doutrina do chefe inconfundível."

Preço:25,00€

Referência:13048
Autor:MÚRIAS, Manuel
Título:PORTUGAL IMPÉRIO
Descrição:

Livraria Clássica, Lisboa, 1939. In-8º de 273-(2) págs. Encadernação meia inglesa em tela com dizeres a ouro na lombada. Aparado e sem capas de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

"a história de uma nação é a sua vida; e não apenas a sua vida no passado - a sua missão: no passado, no presente, no futuro; a sua vocação. A sua missão na História: a sua cooperação efectiva no labor comum, persistente,vivo e doloroso, do homem na terra."


"Não é imperioso recorrermos exclusivamente às necessidades económicas do país para justificarmos a ida de D. João I a África, mas é indiscutível que, desde muito cedo, impossibilitados de nos alargarmos para a península, pensaram e tentaram os portugueses alargar-se para o mar."

Preço:21,00€

Referência:13350
Autor:NASCIMENTO, J. M. da Silva & PINTO, Augusto Cardoso
Título:CADEIRAS PORTUGUESAS Texto e notas descritivas por ... documentário gráfico organizado por....
Descrição:

Edição dos autores, Lisboa, 1952. In-fólio de 118-(132) págs. Br. Profusamente ilustrado com 296 fotografias em extra-texto. Edição numerada, cabendo a este o nº 789, de um total de 800 exemplares. Restauro tosco na charneira com papel japonês. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

 Edição original desta  obra de referência sobre o mobiliário português focado no estudo da Cadeira portuguesa.

Preço:95,00€

Referência:12674
Autor:NORTE, Amália de Proença
Título:RAÇA ETERNA
Descrição:

Editorial Império, Lisboa, 1953. In-8º de 313-(10) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto. Capa de brochura com ligeira e insignificante falha de papel.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.
 

Observações:

Curioso livro de crónicas e conferências de teor propagandista sobre a importância da Raça Lusa. Aborda aspectos não só históricos como também sociais. A segunda parte do livro exalta os feitos portugueses em Angola e Moçambique.

"A raça -  a raça lusa que ainda hoje trabalha, canta e sofre na terra portuguesa."

 

Preço:20,00€

Referência:13462
Autor:NUNES, José Joaquim
Título:DIGRESSOES LEXICOLOGICAS
Descrição:

Livraria Clássica Editora, Lisboa,  1928. In-8º de 256 págs. Br. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. Conserva capas de brochura.

Observações:

Obra muito exaustiva e interessante que encerra capítulos sobre  variados aspectos da língua e gramática portuguesa, como por exemplo : galicismos, congeminação de formas vocabulares, etimologias, variabilidade e inviariabilidade dos adjectivos, entre muitos outros.

Preço:23,00€

Referência:13690
Autor:Oliveira, Ernesto Veiga de
Título:FESTIVIDADES CÍCLICAS EM PORTUGAL
Descrição:

Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1984. In-8º de 357 págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto. Integrado na colecção Portugal de Perto. Biblioteca de Etnografia e Antropologia.

Observações:

Obra que encerra capítulos monográficos sobre as festividades cíclicas em Portugal, abordando o tema quer na sua componente geográfica quer as suas ligações com a história, mitologia e folclore.

Do indice destacamos: O Entrudo; O Domingo de Ramos em Portugal:  A Queima do Judas; O Primeiro de Maio; As Maias; O S. João em Portugal; O S. Martinho em Portugal; Manjares e refeições cerimoniais; O Culto dos mortos no Natal; Romarias; Touradas em Forcalhos, Figuras gigantescas processionais em Portugal; Alguns jogos populares Poveiros; O Jogo do Pau em Portugal; entre muitos outros.

Preço:25,00€

Referência:13014
Autor:PAIS, Fr. Álvaro
Título:ESPELHO DOS REIS Vol. I
Descrição:

Instituto de Alta Cultura, Lisboa, 1955. In-4º de 489-(7) págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra de Álvaro Pais, Bispo de Silves que antes exercera o cargo de Secretário do Papa João XXII, em Avinhão,  que é uma espécie de manual do bom governo. O autor considera que o poder político vem de Deus, indicando três formas como rectamente chega uma pessoa ao governo. A primeira "quando é posta à frente das outras por geral e comum consenso da multidão (communi consensu multitudinis)"; a segunda, "por especial mandato do próprio Deus, como sucedeu no povo israelítico"; a terceira "por instituição daqueles que fazem as vezes de Deus". Este livro é considerado o primeira obra conhecida de filosofia política escrito em Portugal, contudo as informações nele contidas abrangem aspectos que ultrapassam o pensamento político, abordando temas de interesses diversos para o estudo da Península Ibérica.

Preço:29,00€

Referência:13571
Autor:PATO MONIZ, Nuno Alvares Pereira
Título:A APPARIÇÃO poema elegiaco em 4 cantos, consagrado á memoria da senhora D. Firmina Carlota da Sylva Serva
Descrição:

Na Impressão Regia, Lisboa, 1819.In-8º de 83-(1) págs. Encadernação da época inteira em pele, bastante desgastada mas sem perder a estrutura, com ferros a ouro em cercaduras nas pastas. Corte das folhas brunido a ouro.

PRIMEIRA EDIÇÃO
INVULGAR

Observações:

Poema em quatro cantos que o poeta escreveu aquando da morte da filha de Manoel José da Silva Serva, conhecido maçon e grande protector de Pato Moniz.


Inocêncio VI, 308: “A Apparição: poema elegiaco em quatro cantos, consagrado á memoria da senhora D. Firmina Carlota da Silva Serva. Lisboa, na Imp. Regia 1818. 8.º de 64 pag. Saiu uma analise e juízo critico àcerca deste poema, por autor anonimo, porém amigo e admirador do poeta, no Observador Português, tomo I, pag. 138 e seguintes. Da Aparição foi editor o religioso capucho Frei Henrique de Jesus Maria, e tiraram se 425 exemplares. Nuno Alvares Pereira Pato Moniz, poeta e literato distinto, foi natural de Lisboa e nasceu no sitio do Arco do Cego em 1781.'

 

Preço:45,00€

Referência:13468
Autor:PESSANHA, D. José
Título:A PORCELANA EM PORTUGAL A Fábrica da Vista Alegre
Descrição:

Livraria Aillaud e Bertrand, Lisboa, 1924. In-8º de 31 págs. Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

 

Observações:

Opúsculo com uma conferência proferida por D. José Pessanha no Museu de Arte Antiga sobre a fábrica de Vista Alegre.

"Uma peça destituída de caráter pode ser bonita, mas não pode ser bela. Se o artista, respeitando o caráter da peça, lhe juntar  aquele  quid  que  é  privilégio  do  homem  e  que  tem  o  maravilhoso  poder  de  transformar a matéria mais humilde, como um pouco de barro, em obra de arte, a peça  será, então, verdadeiramente bela."
 

Preço:15,00€

Referência:13367
Autor:PIMENTEL, Alberto
Título:O CAPOTE DO SNR. BRAZ
Descrição:

Livraria Internacional de Ernesto Chardron, Porto, 1877. In-8.º de XVI-225-(1) págs. Br. Cadernos por abrir.

Observações:

Compilação de crónicas, artigos e folhetins anteriormente publicados no "Diário de Notícias" por este autor contemporâneo de Camilo Castelo Branco.

"O titulo d'este livro é exactamente como esse  mysterioso capote, porque, por detraz d'elle, estão  os mais variados assumptos, as mais oppostas narrativas, que todavia podem constituir um volume como essas mil pequenas coisas, differentes umas  das outras, de que o próprio Braz era portador iam certamente constituir um jantarinho de velho celibatário."

 

Preço:30,00€

Referência:13067
Autor:PIMENTEL, Alberto
Título:A CORTE DE D. PEDRO IV
Descrição:

Parceria A. M. Pereira, Lisboa, 1972. In-8º de 331-(2) págs. Brochado
 

Observações:


 Estudo histórico muito interessante sobre D. Pedro IV e a sua corte.

 

Preço:15,00€

Referência:13445
Autor:PIMENTEL, Irene Flunser
Título:A HISTÓRIA DA PIDE
Descrição:

Círculo de Leitores/ Temas & Debates, Lisboa, 2007. In-8º de 575 págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto.

Observações:

Livro de referência sobre a PIDE. É um estudo exaustivo sobre  o funcionamento e os métodos da actividade da polícia política no tempo da ditadura portuguesa.

Da contracapa:

"Na presente obra analisa-se a forma como a polícia política reprimiu todos aqueles que revelavam qualquer dissidência social, política e até religiosa; como se estruturava e quais eram os seus método; quantos e quem foram os detidos políticos; como era a vida nas prisões da PIDE/DGS e o julgamento político nos tribunais plenários; quais eram as relações entre a polícia política e o aparelho judicial político; e, por fim, descreve a forma como a DGS soçobrou no dia 25 de abril de 1974."

 

 

Preço:12,00€

Referência:13008
Autor:PIRES, Maria Laura Bettencourt
Título:PORTUGAL VISTO PELOS INGLESES
Descrição:

Instituto Nacional de Investigação Científica, Lisboa, 1981. In-8º de  126 págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Antologia de textos escritos por Ingleses sobre Portugal, encerrando não só textos literários como tratados, textos sobre a Guerra Peninsular e relatos de viagens.

 

 

Preço:20,00€

Referência:13551
Autor:RAMALHO, Monteiro
Título:AS RATICES DA RATTAZZI O Pello Nacional
Descrição:

Typ. do Jornal da Manhã, Porto, 1880. In-8º de 20 págs.Br. Capas de brochura com dizeres do frontispício enquadrados numa moldura de composição tipográfica.

INVULGAR.

Observações:

Um dos folhetos  mais apreciados da famosa polémica suscitada pelo livro "Le Portugal à vol d’oiseau".

"A sr.ª Maria Laetizia, Solms, Rattazzi e Rutte, e não sei que mais, quando os innumeros exemplares do seu livro vieram para o explorado Portugal, havia de forçosamente seguil-o passo a passo, com o seu terno affecto maternal, a ver com inexcedivel cuidado o que lhe poderia acontecer. Supponho bem ser este um ponto que não póde admittir duvida, porque todos nós nos interessamos vivamente pelo que mais ou menos nos diz respeito, tanto mais quando o objecto é, como o supracitado livro, filho querido das nossas entranhas. (Não esquecer com isto que nunca femeas pódem conceber, sem o respectivo auxilio productor dos machos).

De maneira que sua altez sua excellencia actualmente, e ainda aqui se revela a sua nenhuma vaidade...havia de portanto procurar logo nos jornaes portuguezes, conhecer as impressões que elle inspirava.

Com o succedido, é mais que natural, como já tive occasião de presagiar aqui mesmo, que -sua excellencia- se risse expansivamente da nossa ingenuidade quasi infantil, saboreando com as maiores doçuras os recentes favos de mel da respectiva lua, que por pouco a não allumia mais vezes do que a sua collega planeta o faz á terra.

Mas se ella se desse todos os dias á improba massada de consultar os ditos jornaes, e os achasse sempre muito caladinhos, mudos e serios, sem caírem na tolice inaudita de lhe popularisar o nome--oh! então é que
deveria ser bom vel-a, mesmo que fôsse à vol d'oiseau !..."

 

Preço:20,00€

reservado Sugerir

Referência:13550
Autor:RAMALHO, Monteiro
Título:AS RATICES DA RATTAZZI. O Pello Nacional.
Descrição:

Typ. do Jornal da Manhã, Porto, 1880. In-8º de 20 págs. Encadernação meia inglesa em pele com dizeres a ouro na lombada. Conserva capas de brochura.

INVULGAR

Observações:

Um dos folhetos  mais apreciados da famosa polémica suscitada pelo livro "Le Portugal à vol d’oiseau".

"A sr.ª Maria Laetizia, Solms, Rattazzi e Rutte, e não sei que mais, quando os innumeros exemplares do seu livro vieram para o explorado Portugal, havia de forçosamente seguil-o passo a passo, com o seu terno affecto maternal, a ver com inexcedivel cuidado o que lhe poderia acontecer. Supponho bem ser este um ponto que não póde admittir duvida, porque todos nós nos interessamos vivamente pelo que mais ou menos nos diz respeito, tanto mais quando o objecto é, como o supracitado livro, filho querido das nossas entranhas. (Não esquecer com isto que nunca femeas pódem conceber, sem o respectivo auxilio productor dos machos).

De maneira que sua altez sua excellencia actualmente, e ainda aqui se revela a sua nenhuma vaidade...havia de portanto procurar logo nos jornaes portuguezes, conhecer as impressões que elle inspirava.

Com o succedido, é mais que natural, como já tive occasião de presagiar aqui mesmo, que -sua excellencia- se risse expansivamente da nossa ingenuidade quasi infantil, saboreando com as maiores doçuras os recentes favos de mel da respectiva lua, que por pouco a não allumia mais vezes do que a sua collega planeta o faz á terra.

Mas se ella se desse todos os dias á improba massada de consultar os ditos jornaes, e os achasse sempre muito caladinhos, mudos e serios, sem caírem na tolice inaudita de lhe popularisar o nome--oh! então é que
deveria ser bom vel-a, mesmo que fôsse à vol d'oiseau !..."

Preço:30,00€

Referência:13251
Autor:RAPOSO, Hipólito
Título:PÁTRIA MORENA
Descrição:

Livraria Civilização, Porto,  1937. In-8º de 335-(9) págs.Br. Capas de brochura com alguns picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Apreciado conjunto de de crónicas sobre Portugal, algumas antes publicadas em jornais e revistas.
Do índice:
Exta He Lixboa Prezada; Terras da Minha Gente; Nos Domínios de D. Fuas: Pelo Reino das Cegonhas; Cuidados Meus.

Preço:18,00€

Referência:13553
Autor:RATTAZZI, Princesse
Título:PORTUGAL À VOL D’OISEAU. Portuguezes e Portuguezas, seguido das apreciações de Camillo Castello Branco à primeira e segunda edição e da nova carta da princeza aos criticos do seu livro
Descrição:

Typographia Litteraria de C. A. de Moraes, Rio de Janeiro, 1880 In-8º de 296 págs. Encadernação moderna em chagrin preto, meia francesa com dizeres e florões em casas fechadas. Conserva ambas as capas de brochura. BELO EXEMPLAR embora apresente papel ligeiramente acidificado próprio da sua qualidade. PEÇA DE COLECÇÃO

MUITO RARA edição brasileira, a primeira na língua portuguesa.

Observações:

Tradução publicada no Brasil e diferente da edição portuguesa deste polémico livro da princesa rattazzi. Encerra também uma apreciação escrita por Camilo Castelo Branco. Saiu um ano antes da edição portuguesa.

Maria Rattazzi escreveu as memórias das suas estadias em Portugal através de cartas. O livro não agradou à maioria dos intelectuais portugueses dando origem a uma polémica, segundo Inocêncio XVIII, 154:
"QUESTÃO RATTAZZI. - Esteve por differentes vezes em Portugal uma dama estrangeira, de origem italiana ou ingleza, que se apresentou com o título de princeza Rattazzi, dizendo se aparentada com a familia imperial Bonaparte, o que, aliás, segundo consta de informações notorias, as auctoridades francezas não permittiam officialmente. Algumas folhas francezas, hespanholas e italianas tinham falado d'ella a proposito de seus escriptos dados ao prelo, dos seus consorcios e de varios incidentes da sua vida aventurosa. Da ultima vez que se demorou em Lisboa, por 1879, lembrou se ella de escrever um livro de viagem acerca de Portugal: mas, ou por falta de estudo, ou por leviandade, acreditando em esclarecimentos ministrados por pessoas de sua intimidade e de acanhada consciencia quanto aos factos que inculcaram, o certo e que fizeram cair Maria Rattazi em dislates e erros gravissimos, como lhe foi demonstrado. O seu livro, pois, deu margem larga e extensa á publicacão de outras obras de refutação aspera, em que a auctora, apesar do sexo, da idade, do nome aristocratico e da fama de que se fazia cercar, e em que desejava escudár se, padecem duros ataques, sendo os mais vivos, mordazes e acerados os que lhe vibraram sem piedade Camillo Castello Branco e Urbano de Castro, que assignava os seus escriptos sob o pseudonymo Chá Ri Vá Ri."

Preço:125,00€

Referência:13484
Autor:RIBEIRO, Álvaro
Título:O PROBLEMA DA FILOSOFIA PORTUGUESA
Descrição:

Editorial Inquérito, Lisboa, s/d. In-8.º de 74(4) págs. Br. Cadernos por abrir.

 

Observações:

Ensaio importante,  publicado na decada de 40, e que constitui um marco na na discussão da existência, ou não, de uma filosofia portuguesa.  Álvaro Ribeiro tenta mostrar a capacidade filosófica portuguesa, baseando-se na obra de nomes como Antero de Quental, Sampaio Bruno, Adolfo Coelho e Teixeira de Pascoaes. Critica o ensino por não cultivar o gosto pela filosofia e termina afirmando que sendo o homem um ser de cultura, não pode viver sem filosofia.

Preço:10,00€

Referência:13530
Autor:RODRIGUES DA COSTA, José Daniel
Título:PORTUGAL ENFERMO por vícios, e abusos de ambos os sexos, dedicado ao senhor José Luís Guerner, Cônsul de S. M. Siciliana
Descrição:

Na Impressão Régia, 1819-1820. Dois volumes de in-8º de 69 e 73 págs. Encadernação moderna inteira de pele com dizeres a ouro em rótulo de pele azul na lombada.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Folhetos onde o autor faz uma sátira  ao Portugal do início do século XIX, cuja sociedade o autor considerava viciosa e perdida, entregando-se a festas e a modas importadas do estrangeiro e ao jogo, desprezando tudo o que é português. Depois da sátira em verso, o autor acrescentou algumas charadas, adivinhas e improvisos, que não tendo relação com o tema principal, tinham a  função de avolumar os impressos e divertir dos leitores.


Portugal, Portugal ! Eu te lastimo !
E bem que velho sou ainda me animo
A mostrar-te os defeitos, e os excessos
Dos costumes, que tens já tão avessos
Dos costumes, que tinhas algum dia,
Quando mais reflexão na gente havia.
Tu de estranhas Nações foste envejado;
Hoje faz compaixão teu pobre estado:
Cada vez te vão mais enfraquecendo,
Todo o brilho, que tinhas, vas perdendo:
Paraiso do mundo te chamavão;
As mais Nações com tigo se animavão;
Ellas porém ficarão sãs, e fortes;
E tu todo o instante exposto aos córtes
Da usura, da ambição, da falcidade,
Do egoismo, da fuga, da impiedade:
Males, que aos que bem pensão cauzão tédio,
A que apenas descubro hum só remedio,
Que outro melhor não ha, a que se apelle,
E muita gente chora a falta d’Elle…

 

Preço:80,00€

Referência:13236
Autor:SABOYA, Salvador
Título:EPISÓDIOS E ANEDOTAS DA HISTÓRIA DE PORTUGAL contados por.... e ilustrados por Rocha Vieira
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1938. In-8º de 193-(3) págs. Br. Profusamente ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Livro muito curioso sobre factos e anedotas da História de Portugal.

Preço:12,00€

Referência:13449
Autor:SALGADO, Heliodoro
Título:O CULTO DA IMMACULADA. Estudos criticos e historicos sobre a mariolatria
Descrição:

Livraria Chardron, Porto, 1905. In-8º de LXIV-380-(1) págs. Encadernação coeva, meia inglesa em pele vermelha com dourados na lombada.

Observações:

Curioso livro anti-clerical que encerra os seguintes assuntos:


A Virgem antes do Christianimo
Crença actual relativa á mãe de Jesus
A virgem à face dos livros santos
Evolução da superstição marinista até Pio IX
A immaculada conceição e a virgindade de Maria
As festas da Virgem
Milagres da Virgem
Lourdes: culto das grutas e das fontes
As manifestações reaccionarias de 1904

Preço:20,00€

Referência:13000
Autor:SALGADO, Plínio
Título:O CONCEITO CRISTÃO DA DEMOCRACIA
Descrição:

Edições Estudos, Coimbra, 1945. In-8.º de 167(4) págs. Encadernação meia inglesa com lombada em pele.
Conserva capas de brochura.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra do fundador do Integralismo Brasileiro e que  encerra  os seguintes temas: O mito científico; Materialismo negativista; Teoria prática do Neo-Marxismo; O Estado Totalitário Nacionalista; Estado, Governo e Povo.

Preço:13,00€

Referência:13500
Autor:SAMPAIO, Albino Forjaz de
Título:A TIPOGRAFIA PORTUGUESA NO SÉCULO XVI. Texto de... Traducções franceza de J. Goldstein e ingleza de Alvaro Pessoa.
Descrição:

Emprêsa Nacional de Publicidade, Lisboa, 1932. In-8º de LII-48 págs. Br. Profusamente ilustrado em extra-texto com 48  reproduções das  folhas de rosto e frontispícios das principais obras portuguesas quinhentistas. Integrado na colecção  Arte - Collecção de vulgarisação. Capa de brochura ligeiramente empoeirada. Trilingue (português / francês / inglês).

 

Observações:

Obra muito interessante sobre a história da arte da impressão em Portugal, com texto de Forjaz de Sampaio tradução francesa de J. Goldstein e inglesa de Alvaro Pessoa.

Preço:15,00€

Referência:13353
Autor:SANTOS, Maria José Azevedo
Título:VIDA E MORTE DE UM MOSTEIRO CISTERCIENSE São Paulo de Almaziva (hoje S. Paulo de Frades) Séculos XIII-XVI
Descrição:

Edições Colibri, Lisboa, 1998. In-8º de 328-(4) págs. Br. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto.

Observações:

"O livro aqui apresentado, composto por vários estudos, constitui, pelo seu objecto, uma importante monografia do mosteiro cisterciense de S. Paulo de Almaziva, hoje freguesia de S. Paulo de Frades, concelho de Coimbra."

 

Preço:20,00€

Referência:13039
Autor:SARAIVA, António José
Título:INQUISIÇÃO E CRISTÃOS-NOVOS
Descrição:

Editorial Inova, Porto,1969. In-8º de 319-(10) págs. Br. Com uma pequena assinatura de posse.

SEGUNDA EDIÇÃO corrigida.

Observações:

Obra muito importante e polémica para o estudo do Judaísmo em Portugal onde o autor defende que  a Inquisição em Portugal não foi mais do que um episódio da luta de classes entre a aristocracia tradicional que tinha o poder e a burguesia mercantil em ascensão.
O livro apresenta aspectos menos conhecidos da Inquisição portuguesa como instrumento da política dos reis de Portugal, desejosos de eliminar o judaísmo e a sua influência no reino.

Preço:19,00€

Referência:13330
Autor:SARDINHA, António
Título:À LAREIRA DE CASTELAestudos peninsulares.
Descrição:

Edições Gama, Lisboa, 1943. In-8º de XVIII-289-(1) págs. Br.. Capas de brochura amarelecidas. Ostenta uma assinatura de posse.

Observações:

Obra póstuma de António Sardinha que reune os artigos publicados pelo autor em diversas revistas e jornais em defesa do seu conceito de hispanismo.

Encerra cartigos como: A lareira de Castela, A descoberta de Espanha, O exército espanhol, Crónica de Espanha, A festa da raça, Paixâo de Espanha, Hispanismo e latinidade, O Pan-Hispanismo, Madre-Hispânia, entre muitos outros.


"Não há a "Espanha", – expressão política. Há as "Espanhas", – expressão geográfica. Dentro das "Espanhas", Portugal foi a vocação marítima, enquanto que Castela foi a vocação terrestre. Graças a Castela, a Europa se salvou do perigo turco e da anarquia religiosa. Graças a Portugal, novos mundos se dilataram para o domínio da Fé e para o império da Civilização. Assim, por paradoxal que isso possa parecer, é exactamente na separação das duas pátrias que reside a sua unidade imortal. Olhemos para as páginas da História e sem demora se reconhecerá que o desastre de Toro consolidou a vitória de Aljubarrota!"

 

Preço:25,00€

Referência:13293
Autor:SARDINHA, António
Título:ALIANÇA PENINSULARAntecedentes & Possibilidades
Descrição:

Livraria Civilização, Porto, 1924. In-8º de 446-(6) págs. Encadernação em sintético com dizeres a ouro na lombada e nas pastas. Ilustrado em extra-texto. Valorizado pela dedicatória autógrafa ao poeta José Osório de Oliveira. Sem capas de brochura.

Observações:

Prefácio do Exmo. Senhor D. Gabriel Maura Gamazo, conde de la Mortera. Obra onde António Sardinha defende a tese de que existindo uma Civilização Ibérica contraposta a uma Civilização Nórdica, é obrigação de Portugal e Espanha formarem uma verdadeira Aliança, não apenas para melhor se defenderem dos ataques dessa mesma Civilização Nórdica mas, acima de tudo, como única forma de recuperarem a superioridade da sua Civilização, da Civilização Peninsular ou Ibérica.

Preço:28,00€

Referência:12843
Autor:SÉRGIO, António
Título:ANTOLOGIA DOS ECONOMISTAS PORTUGUESES. Selecção, prefácio e notas de António Sérgio. Século XVII. Obras em português
Descrição:

 Oficinas Gráficas da Biblioteca Nacional, Lisboa, 1924. In-8º de VI-LII-392-(2)págs. Br. Capas de brochura com leves picos de acidez.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

RARO.

 

Observações:

Antologia muito interessante com  prefácio e notas de António Sérgio, sobre três obras de três grandes vultos da história portuguesa, inclui  a transcrição dos opúsculos: Diálogos do Sítio de Lisboa, de Luís Mendes de Vasconcelos, 1608; Dos Remédios para a Falta de Gente, por Manuel Severim de Faria, 1655;  e Introdução das Artes do Reino, por Duarte Ribeiro de Macedo, 1675.

 

"Poucos países há, certamente, em cuja história seja tão sensível, de ponta a ponta, o influxo do facto económico, como êste nosso: poucos há, também, cuja história económica fôsse tão desprezada; e será acaso dos maiores obstáculos ao ressurgimento da nossa Pátria a falta geral de conhecimentos sólidos das condições económicas em que evolucionou. Se algum mérito se pudesse achar nos ensaios históricos que delineei, seria de-certo o de pôr em relêvo o condicionamento económico dos nossos feitos, a dependência em que estiveram sempre as necessidades vitais da Europa inteira, e a consciente finalidade, o objectivo comercial, a scientífica execução das empresas de descobrimento"

 

Preço:30,00€

Referência:12945
Autor:SILVA,Andrée Mansuy-Diniz
Título:PORTRAIT D'UN HOMME D'ÉTAT: D. Rodrigo de SouzaCoutinho, Comte deLinhares 1755-1812 Vol. I les années de formation 1755-1796
Descrição:

Centre Culturel Calouste Gulbenkian, Paris, 2002. In-4º de 722 págs. Br. Ilustrado em extra-texto.

Observações:

 Estudo exaustivo sobre a vida e obra  de Dom Rodrigo de Souza Coutinho, um dos maiores estadistas portugueses do final do século XVIII. Este volume aborda a sua educação e os primeiros anos de formação política em Turim, onde permaneceu por quase vinte anos como ministro plenipotenciário na Corte do Piemonte. Durante esse tempo, observou os sistemas políticos das principais nações européias e formulou as bases do seu pensamento reformista, discutindo temas polêmicos como a tolerância religiosa, o combate ao ócio e a reforma fiscal e jurídica.

Preço:20,00€

Referência:12701
Autor:SILVA, Beatriz Bastos da
Título:CRONOLOGIA DA HISTÓRIA DE MACAU
Descrição:

Direcção dos Serviços de Educação, Macau, 1992-1995. # volumes de 198, 216 e 467 págs. Br. Apenas os 3 primeiros volumes desta obra. Profusamente ilustrados ao longo do texto.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra monumental que percorre 500 anos de relações luso-chinesas, fundamental  para o ensino e para a investigação sobre Macau e segundo a autora “É uma obra que vai alargar o conhecimento da História de Macau, não só a estudiosos que dali partirão para outros voos, como para pessoas comuns, naturais de Macau, que visitam Macau e até, como vou lançá-la mais tarde em Portugal, será de muito boa informação para quem nunca saiu de Portugal e não conhece Macau ou para quem já tem saudades de Macau por cá ter vivido”

 

Preço:30,00€

Referência:13422
Autor:SILVA, Maria. Beatriz Nizza da [coord.]
Título:O IMPÉRIO LUSO-BRASILEIRO 1750-1822
Descrição:

Editorial Estampa, Lisboa, 1986. In-8º de 613 págs. Br.  Profusamente ilustrado ao longo do texto e em extra-texto com gravuras, mapas, gráficos e tabelas. Integrado na colecção "Nova História da Expansão Portuguesa" dirigida por Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques.

Observações:

Interessante conjunto de ensaios sobre o império Luso-Brasileiro  durante o período entre 1750-1822.

Da contracapa:

"Com efeito, desde os princípios do século XV até ao terceiro quartel do século actual – a expansão marroquina, os descobrimentos marítimos, a colonização de ilhas e de terras continentais, os tráficos transoceânicos, as permutais culturais, etc. – eis aí uma sucessiva e vária projecção de Portugal no Mundo, sem cujo conhecimento não é inteligível o que foi ocorrendo na metrópole europeia."

Preço:10,00€

Referência:12996
Autor:SILVA, Nuno J. Espinosa Gomes da
Título:HUMANISMO E DIREITO EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI
Descrição:

Edição de autor, Lisboa, 1964. In-4º de 399 págs. Capas de brochura ligeiramente empoeiradas.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Tese de doutoramento em Ciências Histótico-Jurídicas pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, 1964 onde se defende uma nova valoração do direito romano no século XVI.

 

Preço:29,00€

Referência:13355
Autor:SOARES, Torquato de Sousa
Título:CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DAS ORIGENS DO POVO PORTUGUÊS
Descrição:

Universidade de Luanda, Sá da Bandeira,  1970. In-8º de 216 págs. Br. capa com algumas manchas e carimbo de biblioteca particular. Algumas páginas com marcas de fita cola.

Observações:

Estudo muito aprofundado sobre as origens do povo português. Encerra capítulos sobre os povos da Hispania, a dominação romana, a conquista muçulmana e a reconquista cristã.

Preço:32,00€

reservado Sugerir

Referência:13617
Autor:SOUSA, Avelino de
Título:O FADO E OS SEUS CENSORES. (Artigos colligidos d’A Voz do Operario). Crítica aos detractores da canção nacional. Com uma Carta do illustre poeta dramaturgo Dr. Julio Dantas
Descrição:

Editor, O Auctor, Lisboa, 1912. In-8º de VIII-56 págs. Br. Capas de brochura com picos de acidez. Ilustrado com uma fotografia do autor em extra-texto.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Obra de referência para a  história do Fado que reúne nove longos artigos de Avelino de Sousa  anteriormente publicados no jornal A Voz do Operário.

Da carta-proemio de Júlio Dantas:
“Ser-me-hia muito agradavel conversar com os meus amigos dr. Samuel Maia e Forjaz Sampaio, sobre um assmpto que com tanta originalidade trataram. O fado, simples annotação melodica do sentimento popular, não merece, talvez, que se preoccupem tanto com elle,— e muito menos que o discutam sob o ponto de vista da hygiene social. Uma canção não faz degenerados; os degenerados é que podem ter predilecções por determinada canção, — e, em geral, por determinada fórma d’arte.”.

Preço:29,00€

Referência:13044
Autor:TAILLAND, Michèle Janin-Thivos
Título:INQUISITION ET SOCIÉTÉ AU PORTUGAL le cas du tribunal d'Evora, 1660-182
Descrição:

 Centro Cultural Calouste Gulbenkian, Paris, 2001. In-4º de 534 págs. Ilustrado ao longo do texto. Livro em lingua francesa.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Estudo muito aprofundado sobre o papel da inquisição em Portugal através da análise do tribunal da Inquisição de Évora.

Preço:26,00€

Referência:13038
Autor:TAVARES. Maria José Pimenta Ferro
Título:JUDAÍSMO E INQUISIÇÃO estudos
Descrição:

Editorial Presença, Lisboa, 1987. In-8º de 199-(17) págs. Br.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Estudo muito exaustivo sobre Judaísmo e Inquisção escritos por uma das maiores especialistas portuguesas sobre o assunto. Encerra, entre outros.  capítulos sobre os antecedentes da inquisição e  a integração ou a expulsão dos judeus.

"O  fenómeno  inquisitorial  é  demasiado  complexo,  para poder  ser  exclusivamente  definido  nas  suas  vertentes políticas  e  religiosas.  Tão  pouco  a  decisão  do  seu estabelecimento   pertenceu   totalmente   ao   rei   – certamente não iria até esse extremo o ‘absolutismo’ de D. João III –, nem tão pouco coube à Igreja."
 

Preço:21,00€

Referência:13602
Autor:TEIXEIRA, Marianno Vicente de Bastos
Título:BREVE TRACTADO DO BORDADO A MATIZ, E PETIT POINT ornado de um mappa das côres, com os nomes mais conhecidos pelo vulgo, para milhor intelligencia, acompanhado do curioso, symbolo, e significação das côres. O.D.C. ao bello sexo
Descrição:

Typographia da Gazeta dos Tribunaes, Lisboa, 1846. In-8º de 56 págs. Encadernação meia inglesa  com dizeres e florões a ouro na lombada. Ilustrado em extra-texto e com um desdobravél a cores com um curioso Mappa de cores.

INVULGAR.

Observações:

Livro muito curioso, dedicado ao bello sexo, sobre o método de bordar a matiz e a petit-point, que encerra também um capítulo sobre as cores os seus simbolos e o seu significado.

Preço:65,00€

Referência:13411
Autor:TRABULO, Márcia
Título:ELEMENTOS PARA UMA MONOGRAFIA DE VILA NOVA DE FOZ CÔA
Descrição:

Edição da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia de Vila Nova de Foz Côa, V.N.Foz Côa, 1984.  In-8.º de 88-(1) págs. Br. Ilustrado ao longo do texto.

Observações:

Pequena monografia que aborda aspectos da zona de Vila Nova de Foz Côa como por exemplo: os monumentos, os forais, as festas religiosas entre outross. De destacar também a algumas informações históricas. Prefácio do Dr. Henrique Almeida.

Preço:10,00€

Referência:12886
Autor:TRIGUEIROS, Luiz Forjaz
Título:O MINHO
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, s/d. In-8.º de 230 págs. Br. Profusamente ilustrado com imagens pitorescas da província berço da nacionalidade.

Observações:

Este volume da Colecção Antologia da Terra Portuguesa reúne textos sobre a província do Minho, com introdução, selecção e notas por Luís Forjaz Trigueiros.

Preço:15,00€

Referência:13349
Autor:VERTOT, Abade de
Título:REVOLUTIONS DE PORTUGAL nouvelle edition revue & augmentée
Descrição:

Chez Pierre Gosse Junior et Daniel Pinet, La Haye, 1765. In-8º de 276 págs. Encadernação coeva em pele com dizeres em rótulo de pele na lombada.

Observações:

Obra sobre a  Revolução de 1640 e as manobras da sua preparação em segredo escrita pelo Abade de Vertot, membro da Academia das Inscrições que a escreveu em 1690.
Foi posteriormente traduzida, parcialmente ou totalmente em português, nomeadamente por Frei Mateus Brandão, em 1815 e José Ribeiro de Figueiredo, em 1843.

Preço:65,00€

Referência:13573
Autor:VILLAS BOAS E SAMPAIO, António de
Título:NOBILIARCHIA PORTUGUEZA tratado da nobreza hereditaria e politica autor... AGORA NOVAMENTE CORRECTA, emendada, e accrescentada cõ as Armas das Familias, e Cidades principaes deste Reyno, e outras cousas curiosas
Descrição:

Na officina de Filipe Sousa Villela, Lisboa, 1727. In-4º de VIII-350-(15) págs. Encadernação do século XIX inteira em pele gravada a ferros secos nas pastas e com dizeres a ouro em rótulo de pele na lombada. Rubrica coeva de posse no frontspício.

INVULGAR.

 

Observações:

Tratado sobre a nobreza hereditária e política de Portugal, considerado o melhor estudo nobiliárquico português, escrito por um dos maiores genealogista e historiador português.

Inocêncio I, 294. “ANTONIO DE VILLAS-BOAS E SAMPAIO, Bacharel em Leis pela Univ. de Coimbra, Desembargador da Relação do Porto, depois de ter exercido varios outros cargos de magistratura. - N. no termo de Guimarães, segundo uns, ou no de Barcellos, como outros dizem, a 27 de Agosto de 1629, e m. em Barcellos a 26 de Novembro de 1701. Nobiliarchia Portugueza tractado da Nobreza hereditaria e politica Offerecido ao ex.mo sr. D. João da Silva, Marquez de Gouvêa, etc. Lisboa, por Francisco Villela 1676. 4.º de 349 pag. (O sr. Figaniere affirma ter visto duas edições differentes, ambas da mesma officina e impressas no referido anno.) - Ibi, por Filippe de Sousa Villela 1708. 4.º de X-349 pag. - Novamente correcta, emendada e accrescentada com as armas das familias e cidades principaes d’este reino, e outras cousas curiosas. Ibi, na Off. Ferreiriana 1727. 4.° de XII-353 pag. (da qual tenho um exemplar) – E ultimamente, ibi, á custa de Manuel Antonio Monteiro de Campos 1754. 4.º (D’esta apparecem alguns exemplares com differente rosto, declarando ser a obra impressa em Amsterdam.) Apesar de tantas edições, não são muito vulgares os exemplares d’esta obra, e os que apparecem correm por preços variaveis entre 400 ou 600 réis até 800 réis. Como é procurada, e provavelmente se não reimprimirá tão depressa, é de esperar que com o tempo vão subindo de valor. A dicção d’esta obra é facil e pura, e o seu estylo menos inficionado dos vicios do tempo do que poderia esperar-se. O auctor mostra-se ás vezes credulo, ou falto de critica, adoptando tradições confusas, legendas inverosimeis, e factos mal averiguados ou absolutamente fabulosos pelo que não faltou quem o censurasse mesmo em sua vida. Para tornar mais util a sua lição cumpre ter presentes as Advertencias que lhe fez o rei d’armas Francisco Coelho, as quaes foram publicadas no tomo VI das Provas da Historia Genealogica da Casa Real Portugueza de pag. 662 a 703, onde se emendam alguns descuidos e equivocações, fazendo-se varios additamentos e explanações que são de interesse para o assumpto.”

Preço:275,00€

Referência:13418
Autor:XAVIER, Alberto
Título:POLITICA REPUBLICANA EM MATÉRIA ECCLESIASTICA (Estudo sociológico e jurídico dos textos legislativos)
Descrição:

Lamas & Franklin, Lisboa, 1912. In-8º de 334-(15) págs. Encadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Sem capas de brochura. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

 

Observações:

Livro que aborda a separação entre Estado e Igreja.

"O anticlericalismo não é perseguição a qualquer confissão religiosa ou guerra ao Catolicismo, como crença e como culto, ao seu clero como organização hierarquizada e infalível, encarregada da missão de difundir a fé cristã no Universo. Muito menos comporta a ideia de uma política ateísta, isto é, materialista, de negação e combate aos sentimentos religiosos. Seria absurdo e temerário, inconcebível e revoltante, o Estado tentar aniquilar qualquer crença ou confissão religiosa, todo o culto ou qualquer culto. (…) Não é assim que se compreende o anticlericalismo. O Estado republicano e os seus governos pretendem, simplesmente, proclamar a supremacia do poder civil pelo respeito de todas as religiões e garantir a liberdade de desenvolvimento de todos os cultos, dentro de um Estado que adquiriu a sua plena soberania política e moral."
 

Preço:19,00€
página 1 de 6