Banner Vista de Livro
 Aplicar filtros
Livros do mês: Fevereiro 2023
Temas 
Palavras Chave 
Módulo background

Relatos de Viagens

Foram localizados 7 resultados para: Relatos de Viagens

 

Referência:15015
Autor:MAIA, Carlos Roma Machado de Faria e
Título:RECORDAÇÕES DE ÁFRICA verídicas narrativas de viagens, caçadas, combates e costumes indígena, marchas pelo interior e navegação dos rios
Descrição:

Edição de Autor, Lisboa, 1930. In-8º de 396 págs. Brochado. Muito ilustrado ao longo do texto. Capas de brochura com pequenos picos de humidade. Miolo bem conservado, não obstante o amarelecimento do papel, próprio da sua qualidade.

Segunda edição, preferível à primeira.
 

Observações:

Livro de memórias,  muito curioso e apreciado,  sobre o ultramar português, com histórias da época, dos feitos militares e das caçadas. Tem igualmente interesse histórico e etnográfico.

Preço:40,00€

Referência:15031
Autor:NEVES, Diocleciano Fernandes das
Título:ITINERARIO DE UMA VIAGEM Á CAÇA DOS ELEPHANTES por ...
Descrição:

Typographia Universal de Thomaz Quintino Antunes, Lisboa, 1878. In-8º de (7)-283-(2) págs. Encadernação coeva, modesta em skivertex verde com dizeres dourados na lombada. Aparo marginal, sem capas de brochura. Carimbo de livraria e rubrica de posse coeva no frontispício.

Observações:

Trata-se da Única obra em língua portuguesa dedicada à caça do elefante.

No prefácio de Bulhão Pato podemos ler: " ... Ha alguns quadros n'este livro, que são realmente admiraveis. O leão faminto; a chuva; aquella heroica defeza dos hollandezes contra a horda do trucolento. Dingana: a casa do phantasma; scena digna de figurar entre os deliciosos episodios humoristicos de A. Dumas, aparte o primor de estylo; toda a obra, a meu ver, tem o maior interesse. Oxalá, que em breve, o auctor publique outra n'este genero, que já tem quasi concluida. No entanto estou seguro que o publico ha de apreciar devidamente este volume. Fechando esta breve noticia, escripta ao correr da pena, por minha parte, dou os meus sinceros parabens a Diocleciano Fernandes das Neves pelo seu trabalho".

Neste prefácio é-nos ainda descrita por Bulhão Pato, embora em graços gerais, a fisionomia imponente do autor. Esta obra descreve a viagem que durou treze anos (tendo regressao depois por mais três), sendo uma expedição de caça ao elefante no Transvaal efectuada pelo autor, onde este reencontrou o Rei Muzila, já nos seus tempos do exílio. Diocleciano era amigo de Muzila desde 1857, altura em que naufragara nas costas de Inhambane e sendo um dos sobreviventes, fizera uma viagem a pé, de cerca de quinhentos quilómetros, para Sul em direcção ao Presídio Laurentino. Trata-se de igual forma um livro de memórias, onde o autor recolhe visões através de testemunhos de vida com os povos nativos e com os quais se foi cruzando. Reparou imenso nas crenças dos nativos, refere-se muito à escravatura, e sobre os holandeses que se estabeleceram em África (os bóeres) e a sua formação como comunidades independentes. Referiu-se ainda sobre os diversos hábitos dos animais da fauna africana com o qual tirou proveito para seus avanços.

Escreveu outro livro que só um século depois é que viu a luz do dia com o título "Das terras do império Vátua às praças da República Boer" (Lisboa, 1987).

Preço:75,00€

Referência:14471
Autor:SEIDLER, Carl
Título:DEZ ANOS NO BRASIL
Descrição:

Livraria Martins, S. Paulo, 1941. In-4º de 320 pags. Encadernação coeva em sintético vermelho com papel fantasia. Encerra inúmeras ilustrações que constituem documentos fidedignos das vistas das cidades, paisagens, figuras políticas e militares, etc ... Acidez generalizada própria da a qualidade do papel. Conserva capas de brochura. Ligeiro aparo marginal, cabeça do livro carminado.

Observações:

Tradução e notas do General Bertoldo Klinger. Prefácio e notas do Coronel F. de Paula Cidade . Edição brasileira, inserida na colecção Biblioteca Histórica brasileira,

Carl Seidler foi um militar alemão que lutou pelo Brasil na Guerra da Cisplatina. Nas suas andanças esteve em Passo do Rosário, Pelotas, Rio Grande, Porto Alegre, Viamão, Triunfo, Cachoeira do Sul, Piratini, Jaguarão, Torres, Laguna, Florianópolis e Rio de Janeiro, deixando importantes impressões sobre a paisagem física, humana e social daquele período.

Na badana:

"... Tendo vivido dez anos entre nós, como oficial mercenário do exército imperial, Carlo Seidler, pôde observar de perto e com vagar, certos aspectos da nossa vida social e política. Escrito entre os anos de 1833 e 1834, Dez Anos no Brasil encerra em suas páginas pitorescos e movimentados aspectos de nossa vida civil e militar de há um século atrás. Obra de um observador de condições modestas, que escreve o que sente e o que sentem os que o cercam, que diz exactaemnte o que anda na boca do povo, embora por esse modo muitas vezes se afaste da verdade ou deturpe acontecimentos, Dez Anos do Brasil constitui sem duvida alguma, documento útil e digno da atenção de todos quantos desejem ter um panorama dos usos e costumes do Brasil nos seus primeiros anos como Nação independente ...".

Preço:40,00€

Referência:14685
Autor:SOUTO, A. Meyrelles
Título:FEITIÇO ALÉM-MAR. (História e Observação)
Descrição:

Parceria A.M.Pereira, Lisboa, 1970. In-8º de 298-(2) págs. Brochado. Ilustrado em separado sobre papel couché. Vinco ligeiro no canto inferior direito da capa anterior. Exemplar muito limpo, não obstante o carimbo de "oferta editorial" no ante-rosto.

Observações:

Este livro encerra belíssimas páginas descritivas dos lugares por onde o autor andou em viagem. "... Em África, o Homem - ao contrário daquilo que parceria norm e de esperar - não se sente amedrontado e envilecido pela Natureza: tem o sentimento de que a dominará, será ele o vencedor nessa lut com a imensidade sertaneja ou florestal. É talvez esse pensamento aquilo que orienta o europeu: sentir-se dominador, com o seu espírito aventureiro e audacioso; ter a impressão - a segurança mesmo, dentro de si de que no duelo com o ambiente, será sempre este o dominado e vencido. (...) Porque a África, ainda hoje, não é apenas cidades. Ia mesmo a dizer: quase não é cidades, com o conforto moderno, os jardins apetecíveis, as casas elegantes, as avenidas bem traçadas, as árvores simetricamente dispostas a debruar os passeios, floridas e umbrosas. Não! Não é! O mato predomina - e muitíssimo - com as dificuldades, mistérios, riscos e receios, perigos e surpresas, feras, ciladas, obstáculos e pitoresco. Por isso, quem nunca se aventurou para além do ambiente citadino - não conhece, nem avalia, nem sabe apreciar o encanto, o "feiitiço" africano E ele existe, o maroto! E ele prende, ele enlaça, e ele seduz... Como o senti, como o vi, como o conheci, vai ficar nestas páginas."

Do índice:
São Tomé; Cabinda; No Reino do Congo; Luanda e arrabaldes; Sob a égide de S. Filipe; o Deserto de Moçamedes; Subúrbios laurentinos; Feras vivas e empalhadas; Lugares de glória; O Hospital de sangue do Chibuto; Praias Moçambicanas; Na Zambézia; Vistas dos Ar; Terras de Chá; Nas margens do Niassa; Ilha de Moçambique; Moçambique; Arte e Folclore; Riquezas visíveis e encobertas; Dois tratados.
 

 

Preço:17,00€