Banner Vista de Livro

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Etnografia | Europa | Fado | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Galiza | Genealogia | Geografia | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Moda | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Poesia Trovadoresca | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Queirosiana | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sintra | Sociedade | Solares | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

República

Foram localizados 36 resultados para: República

 

Referência:12804
Autor:ALMEIDA, António José de
Título:DESAFFRONTA (Historia d’uma perseguição).
Descrição:

Augusto d' Oliveira Editor, Livraria Moderna, Coimbra, 1894. In-8º de 204-(4) págs. Encadernação coeva modesta meia inglesa em sintético com dizeres a ouro na lombada. Miolo com alguns picos de acidez. Apresenta  o fac-símile da polémica "proposta que o Sr. Lopes Vieira apresentou á congregação da faculdade de medicina". Ante rosto e frontspício com manchas de humidade.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

INVULGAR.

Observações:

Obra que trata da denúncia do autor sobre o facto de não ter sido  admitido no corpo docente da Faculdade de Medicina como era o seu desejo, e que ele afirma ser um caso de perseguição política contra ele  feita por  Lopes Vieira  conjuntamente com Augusto Rocha e Costa Alemão por ocasião da revolta de 31 de Janeiro.

 

Preço:30,00€

Referência:12509
Autor:CABRAL, António
Título:AS MINHAS MEMÓRIAS DE JORNALISTA Memórias. Casos da política. Lutas da imprensa. Cartas inéditas
Descrição:

Edições Gama, Lisboa, 1949. In-8.º de 195-(1) págs. Br. Capas de brochura ligeiramente empoeiradas.

INVULGAR.

Observações:

Autobiografia de apreciável interesse para o conhecimento da vida cultural e política de finais do séc. XIX e primeiro quartel do séc. XX, que destaca o papel do autor em assuntos da mais diversa importância, nomeadamente como jornalista monárquico.
Tecendo opiniões pessoais quanto ao papel do jornalista, enquanto profissional condicionado por inúmeros acontecimentos de cariz tanto histórico como político.

“prossiga eu, ou não, na minha labuta de escritor, aqui deixo aos que me têm acompanhado nessa
lida em que tanto me tenho afanado, mais este livro de «Memórias», que, se pouco vale, pode, contudo, servir de lição e ensinamento aos que enveredaram pela carreira dura e áspera do jornalismo, com a irreflexão própria de quem julga ter diante de si estrada recta, plana e lisa, quando é certo que tem de precaver-se contra obstáculos, fossos e trincheiras, que não é fácil transpor”.

Preço:26,00€

Referência:12981
Autor:CABRAL, Manuel Villaverde
Título:O OPERARIADO NAS VÉSPERAS DA REPÚBLICA (1909/1910)
Descrição:

Editorial Presença, Gabinete de Investigações Sociais, Lisboa, 1977. In-8º de 346 págs. Br. Capa de brochura ilustrada.

Observações:

Este trabalho tem um duplo intento: por um lado, inverter a ordem tradicional do discurso histórico sobre a classe operária (ordem que tem quase invariavelmente procedido das organizações para a classe); por outro lado, inverter a ordem do discurso histórico predominante entre nós sobre as relações entre o operariado e a República de 1910 (ordem que tem sempre procedido da esfera político-ideológica para a esfera socioeconómica). Um estudo que aponta, afinal, para uma maneira diferente de abordar a história em Portugal.

Preço:15,00€

Referência:13427
Autor:CASTRO, José Augusto de
Título:CALVARIO E TABÔR
Descrição:

Edição do autor, Lisboa, 1921. In-8º de 264 págs. Br. Capa de brochura com alguns picos de acidez, e com uma pequena falha de papel. Cadernos por abrir. Ilustrado com uma fotografia em extra-texto.

Observações:

Conjunto de crónicas de pendor republicano escritas por José Augusto de Castro, jornalista e poeta queno início do século XX, na Guarda, desempenhou um papel fundamental na luta e defesa dos ideais republicanos antes e depois da implantação da República. Estas crónicas reflectem a defesa dos seus ideais  e o combate feroz aos seus opositores políticos e à própria Igreja Católica.

Preço:20,00€

Referência:12309
Autor:CHAGAS, João & COELHO, Ex-Tenente
Título:HISTÓRIA DA REVOLTA DO PORTO DE 31 DE JANEIRO DE 1891 (Depoimento de dois cúmplices)
Descrição:

Empreza Democrática de Portugal Editora, Lisboa, 1901. In-8.º de IV-470 págs. Encadernação inteira em tecido estampado com motivos florais, Ligeiro aparo e com rótulo de pele preta com dizeres dourados na lombada. Ilustrado ao longo do texto e em extra-texto..

Observações:

"Esta obra pretende ser o primeiro passo para a consagração d'esse movimento revolucionário..."

Trata-se da mais conhecida obra sobre a falhada revolta republicana de 1891. Ilustrado com várias fotografias de personalidades da época, reproduções de documentos, etc, algumas em folha à parte e a cores.

Preço:65,00€

Referência:13451
Autor:COSTA, Afonso
Título:DISCURSOS PARLAMENTARES 1900-1901, 1911-1914e 1914-1926 Compilação, prefácio e notas de A. H. de Oliveira Marques
Descrição:

Publicações Europa América/ Livraria Bertrand, Mem Martins, 1973-1977. Três volumes de in-8º de 617-(4), 679 e 460-(2) págs. Br. Ilustrado em extra-texto. Capa de José Cândido.

 

COLECÇÃO COMPLETA

Observações:

Compilação dos discurso proferidos por Afonso Costa nas sessões do Parlamento entre 1900 e 1926. Afonso Costa foi  um dos maiores defensores da causa republicana e após a instauração da República foi um dos políticos mais importantes, tendo feito parte do Governo Provisório e de outros governos. Toda a sua actividade parlamentar se baseava na teoria da República como fundamento “obrigando todos a compreender que a República não é apenas uma substituição de fórmulas, mas a substituição de um regime de inutilização do indivíduo, da família e da sociedade, por um regime de trabalho, de moralidade e de progresso”.

Preço:45,00€

Referência:12517
Autor:DIAS, C. Malheiro
Título:ZONA DE TUFÕES
Descrição:

Livraria Bertrand, Lisboa, 1912. In-8.º de 589-(1) págs. Br. Ocasionais picos de acidez.

Observações:

Obra de análise histórica bastante polémica na recensão dos acontecimentos após a implantação República Portuguesa.

"Este livro continua na intenção e na matéria a obra "Do Desafio á Debandada", e porque lhe faltem as condições essenciaes para ser considerado um trabalho historico, o offerecemos ao leitor como um simples indice, embora prolixo, dos sucessos politicos inlcuidos no período que decorre desde a incursão monarchica de Outobro (1911) até a catastrophe sinistra de Miragaya, que consideramos como o corolario do desvario nacional n'estas sombrias páginas narrado."

Preço:18,00€

Referência:13107
Autor:FREIRE, João Paulo (MARIO)
Título:FOGOS-FÁTUOS
Descrição:

Edição da Renascença Portuguesa, porto, 1923. In-8º de 173-(1) págs. Encadernação moderna inteira de sintético castanho, conservando as capas de brochura com ligeiro restauro. Amarelecimento geral do papel, dada a sua fraca qualidade.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Curioso livro que trata de "Alguns problemas nacionais à margem... da política" (primeira parte) e de "Documentos para a História do Movimento Revolucionário do 19 de Outubro" (segunda parte do livro)

"Tudo quanto se coordenou neste volume sob a rubrica geral de Fogos-Fátuos veio publicado no diário lisbonense A Imprensa da Manhã. Pareceu-me conveniente arquivar em livro as duas partes deste volume. A primeira porque dizendo respeito a melhoramentos e iniciativas nacionais mais facilmente pode ser consultada pelos que a estas ninharias dedicam a sua inteligência e o seu esforço, tão inútil perante a contra-maré imbecil das massas; a segunda porque constituindo por si mesma uma série de interessantíssimos depoimentos para a desgraçada história do movimento revolucionário de 19 de Outubro de 1921, à História pertence e como tal a ela é devida, exactamente como o calhau bruto e informe faz parte do edifício que se constrói."

Preço:25,00€

Referência:12505
Autor:NUNES, Manuel
Título:AS MEMÓRIAS DE UM AGENTE DA POLÍCIA. O chefe Pereira dos Santos contou-me a sua vida.
Descrição:

Editora Marítimo-Colonial, Lisboa, 1945. In-8º  de 291-(5) págs. Br. Ilustrado em extra-texto com fotografias do chefe Pereira dos Santos.

INVULGAR.

Observações:

Curiosa biografia do “Super-polícia” Pereira dos Santos, recheada de episódios, principalmente dos anos que se seguiram à implantação da República, e com referências a  entre outros, Brito Camacho, Afonso Costa, João Franco, Bernardino Machado, Homem Cristo, Sidónio Pais, etc. Contém memórias sobra a organização da Policia Preventiva.

"Nem sempre a biografia é o homem. Mas neste caso é – e longamente vivida, agitada, sofrida. Pereira dos Santos pode considerar-se hoje, dentro da sua profissão, um nome nacional. Todos o conhecem, até mesmo os que não passam pelas malhas da Justiça. Tem um passado e um presente. Aquele serviu-lhe de lição, e agora, já com cabelos brancos, e uma folha magnífica de serviços pode ser considerado o policia n. º 1."

Encerra os seguintes capítulos:

Quem é Pereira dos Santos? O segredo de Brito Camacho. Pereira dos Santos, moço de fretes. O primeiro polícia da República. Como se assaltavam as “batotas”. Afonso Costa e João Franco. Um drama em Estói. O chefe Pereira dos Santos condenado. A campainha do Marquês de Pombal. É preciso prender um. Noblesse oblige! Uma greve operária. A expulsão de Homem Cristo. Um episódio do 14 de Maio. Pereira dos Santos passador de notas falsas. Os amigos são para as ocasiões. Um atentado ao “Sud”. Um cão descobre um crime. A “hidra” no tempo de Liberato Pinto. Atentado frustrado. Uma ordem secreta de Sidónio Pais. As madrugadas do Sr. Bernardino Machado. “Todos ficamos servidos”. O que anda aqui a fazer? “Condessas” a dez contos. O mistério de um crime. Um homem misterioso. Segredo trágico. A arte ao serviço do crime. Madame Brouillard. Policia ou carteirista? O amor não é uma bola. Cuidado com as assinaturas. Os “órfãos” inconsoláveis”. A carteira de Maeterlinck. O bébé Lindberg não foi raptado? O falso Dr. Jacinto Simões. A quadrilha do presidiário. Três incêndios misteriosos. Lisboa por dentro. A sorte grande no Limoeiro. Coisas que sucedem. Matei o professor Gueifão! Amor a quanto obrigas. A polícia também teu coração. O roubo do Ministério das Subsistências. Um automóvel esquerdista. Coma se fazem notas. A estreia de Pereira dos Santos. As botas do padeiro. Alexandre Braga ataca Pereira dos Santos. Um falso denunciante. A arte de enganar o próximo. Quem matou? Romance de uma rapariga pobre. A luta contra os falsários. Um caso de “chantage”. As libras do inglês. Uma aventura amorosa. Nota final.

 

Preço:17,00€

Referência:13250
Autor:PINA, Mariano
Título:O ESPECTRO Castigo semanal da politica
Descrição:

Edição do autor, Porto, 1890. Conjunto de cinco opúsculos  (os quatro primeiros e o nº7) em in-8 de 16-19-15-19-15 págs. Encdernação em papel com picos de acidez. Conserva todas as capas de brochura. Aparado com algum prejuizo para a leitura. O n.º 4 saiu com o título "Novo espectro".

RARO.

 

Observações:

Conjunto de cinco opúsculos publicados por Mariano Pina em 1890, em consequência das leis contra a liberdade de imprensa que vigoravam  nessa altura. Numa carta dirigida a Bordalo Pinheiro ele  aborda o assunto " As estas horas já deves ter recebido o 1º numero d’um panphleto semanal, o Espectro que acabo de lançar e que sahirá todos os sabbados. Esse panphleto será a expressão exacta do asco que causa a todo o portuguez a situação politica e financeira que nos criou este governo no estrangeiro, e principalmente na França. Hoje somos perante a Europa mais do que um povo ridículo – somos um povo enlameado.Toda a auctoridade e dictadura tem a sua razão de ser (...) mas d’ahi á mascarada a que estamos assistindo desde a famosa lei de 9 de Abril contra a imprensa – é o que é loucura fazer-se, mais do que uma loucura – um crime.” avisando que ” O Espectro diz
coisas do diabo. Ora enquanto o não suprimem, recommenda-o vivamente aos leitores dos Pontos nos ii e diz-me se a leitura te agradou. Mais te peço (...) que me mandes para Paristodos os jornaes governamentaes em que eu vou passar a ser insultado e difamado ".

Preço:35,00€

Referência:13164
Autor:SOUSA COSTA, Alberto
Título:HERÓIS DESCONHECIDOS Lisboa Revolucionária
Descrição:

Livraria Editora Guimarães,  Lisboa, 1935.In-8º de 324 pags. Br. Cadernos por abrir,

 

Observações:

Livro de memórias relativas aos primeiros anos da República, onde Sousa Costa retrata  protagonistas locais desconhecidos.


"Alguns episódios destas páginas colhi-os em três, quatro e mais fontes – cada uma dando-me a sua versão, a sua verdade, sinceras muitas vezes, embora por vezes absolutamente contraditórias.

Por isso, eu sei que vai repetir-se com o livro Heróis Desconhecidos o caso já experimentado como romance Coração de Mulher – os acontecimentos políticos que condicionam o drama sentimental carimbados de legítimos ou ilegítimos conforme as becas que os julgam. Os republicanos acham-lhe sabor monárquico. Os monárquicos feição republicana. E no entanto, mereceu a António José de Almeida a afirmação, tal a sua comunicativa sinceridade, de que teria adiantado em meses a segunda amnistia aos presos realistas, se meses antes dela tivesse vindo a público."

Preço:28,00€

Referência:12680
Autor:SOUSA, Gen. Gomes de
Título:MEIO SÉCULO DE VIDA MILITAR 1888 - 1938
Descrição:

Coimbra Editora, Coimbra, 1938. In-8º de 209-(5) págs. Br. Cadernos por abrir.

PRIMEIRA EDIÇÃO.

Observações:

Relato autobiográfico muito interessante  onde o autor narra o seu percurso militar que começa no final da Monarquia e vai até ao começo da Ditadura Militar.

Preço:15,00€

Referência:13418
Autor:XAVIER, Alberto
Título:POLITICA REPUBLICANA EM MATÉRIA ECCLESIASTICA (Estudo sociológico e jurídico dos textos legislativos)
Descrição:

Lamas & Franklin, Lisboa, 1912. In-8º de 334-(15) págs. Encadernação meia inglesa com dizeres a ouro na lombada. Sem capas de brochura. Valorizado pela dedicatória autógrafa.

 

Observações:

Livro que aborda a separação entre Estado e Igreja.

"O anticlericalismo não é perseguição a qualquer confissão religiosa ou guerra ao Catolicismo, como crença e como culto, ao seu clero como organização hierarquizada e infalível, encarregada da missão de difundir a fé cristã no Universo. Muito menos comporta a ideia de uma política ateísta, isto é, materialista, de negação e combate aos sentimentos religiosos. Seria absurdo e temerário, inconcebível e revoltante, o Estado tentar aniquilar qualquer crença ou confissão religiosa, todo o culto ou qualquer culto. (…) Não é assim que se compreende o anticlericalismo. O Estado republicano e os seus governos pretendem, simplesmente, proclamar a supremacia do poder civil pelo respeito de todas as religiões e garantir a liberdade de desenvolvimento de todos os cultos, dentro de um Estado que adquiriu a sua plena soberania política e moral."
 

Preço:19,00€