Banner Temas de Livros

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Bacalhau | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Canada | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Cuba | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estoril | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Industria | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Patuleia | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Publicidade | Queirosiana | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Viana do Castelo | Vila Nova de Gaia | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

DESCRIÇÃO BIBLIOGRÁFICA CAMILIANA, de uma importante e valiosa colecção de bibliografia activa e passivade CAMILO CASTELO BRANCO

em Bibliografia

Referência:
22

Autor:
CARVALHO, Miguel de.

Palavras chave:
sem palavras chave

Ano de Edição:
sem ano de edição definido

75,00€


Adicionar Sugerir

Título:
DESCRIÇÃO BIBLIOGRÁFICA CAMILIANA, de uma importante e valiosa colecção de bibliografia activa e passivade CAMILO CASTELO BRANCO
Descrição:
In-4º de 141-(1) págs. Brochado. EXEMPLAR DA EDIÇÃO ESPECIAL limitada a 40 EXEMPLARES, numerados e rubricados pelo autor. Impressão em papel de qualidade superior, com os cadernos por abrir e cosidos manualmente. Ricamente ilustrado com reproduções de frontispícios e encadernações. Apresenta também reproduções fieis de diversas páginas das 3 primeiras edições do livro Caleche para distinção editorial.
Observações:
Do prefácio: "Esta colectânea de obras camilianas é das mais completas que se tem apresentado para venda em Livrarias ou Leiloeiras nas últimas décadas. Ordenado ao longo de 500 lotes em Bibliografia Activa e Bibliografia Passiva, nela figuram primeiras tiragens de excepcional raridade que têm sobre o valor do livro sensus lacto, o valor intrínseco bibliofílico em continuada valorização. Não faltam à chamada o Bico de Gaz na edição original de 1854, a tão cobiçada Infanta Capellista (1872), o Caleche, as Horas de Luta, a folha solta de setim de Laura Geordano, os raríssimos folhetos Hossana, Maria não me mates que sou tua mãi, Folhas cahidas apanhadas da lama e o Folhetim do Nacional em primeira reprodução (1861). Um exemplar único da especialíssima tiragem em papel japão do Cancioneiro Alegre, exemplar como que um quase livro-mito das importantes bibliografias camilianas em que todas elas o refereciam mas nunca o viram. Um folheto de poesia desconhecido pelos bibliógrafos e da autoria de Camilo As duas actrizes (1849). Entre os romances cujas primeiras edições são de excepcional raridade figuram o Amor de Perdição (1862), Carlota Angela (1858), o Anathema (1851) e as Scenas Contemporâneas (1855). Entre as muito raras obras as produções poéticas e teatrais de Camilo figuram o Juizo Final (1845), as Inspirações (1851), a Murraça (edição de Freitas Fortuna), os Pundonores Desagravados (tiragem de 5 exemplares), as Revelações (1852), o Agostinho de Ceuta (1847), o Marquez de Torres Novas (1849), as Abençoadas Lágrimas (1861) etc… Um exemplar da edição original com 2 frontispícios de Um Volume que custa 400 reis (1858). Nas traduções de Camilo, algumas raras, enfileiram-se diversas obras primas desde a Formosa Lusitania, Fanny e as obras de Chateaubriand. Para arrematar em grande a descrição desta colecção camiliana, modéstia à parte, apresentamos o manuscrito original devidamente autenticado com a assinatura do romancista, do raríssimo folheto Nacional de segunda feira 26 de Fevereiro de 1850, Folhetim do Nacional. Utilizando as palavras de Matos Sequeira que enchem os prefácios das bibliografias de José dos Santos “ … tem o público à farta onde dessedentar-se de passadas e mal contidas securas (…) É uma maré cheia de Camilianismo …”.
Voltar