Banner Temas de Livros

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Batalhas | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre

Módulo background

O CONCEITO DE POESIA COMO EXPRESSÃO DA CULTURA SUA EVOLUÇÃO ATRAVÉS DAS LITERATURAS PORTUGUESA E BRASILEIRA

em Ensaio literário & Biografia

Referência:
9389

Autor:
CIDADE, Hernani

Palavras chave:
sem palavras chave

Ano de Edição:
sem ano de edição definido

15,00€


Adicionar Sugerir

Título:
O CONCEITO DE POESIA COMO EXPRESSÃO DA CULTURA SUA EVOLUÇÃO ATRAVÉS DAS LITERATURAS PORTUGUESA E BRASILEIRA
Descrição:
Arménio Amado Editor, Coimbra, 1957. In. 8.º de 328 págs. Br. Segunda edição, corrigida e actualizada. Rubrica de posse no ante-rosto.
Observações:
Obra onde se traça um panorama amplo dos conceitos de poesia a partir dodesenvolvimento cultural da humanidade. Este desenvolvimento abrangeria o amadurecimento da alma, do espírito, do mundo interior e da inteligência do humano.
Segundo ele, a cultura expressaria-se nos conceitos de poesia, através das épocas da história.
(...)De maneira que, se fôssemos capazes de surpreender, na cultura de cada época, esseteor da vida interior de que ela deriva, teríamos uma visão sintética da poesia. Seria uma visão em profundidade, que supriria o que não fosse possível ou fácil abarcar em pormenores de extensão. Seria uma história da poesia vista por dentro, e em sua íntima relação com as outras formas de cultura que lhe são mais afins; história não do acidental e do circunstancial do produzido, senão da própria virtude e sentido de produzir, determinado por nova concepção da vida e do mundo, nova postura da alma em face deste e daquele.(...)
Voltar