Banner Temas de Livros

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Batalhas | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre

Módulo background

ALMA NACIONAL - REVISTA REPUBLICANA

em História geral

Referência:
4914

Autor:
sem autor definido

Palavras chave:
sem palavras chave

Ano de Edição:
sem ano de edição definido

180,00€


Adicionar Sugerir

Título:
ALMA NACIONAL - REVISTA REPUBLICANA
Descrição:
Typ. "A Editora", Lisboa, 1910. In-8.º de 541 págs. (do n.º 1 de 10 de Fevereiro de 1910 ao n.º 34 de 29 de Setembro de 1910). Encadernado, com lombada em pele.
Observações:
Revista republicana que veio a lume no limiar do 5 de Outubro, constitui um repositório marcante da sociedade que antecedeu a implantação da républica. Foi dirigida e editada semanalmente em Lisboa, pelo médico António José de Almeida e prolongou-se de 10 de Fevereiro a 29 de Setembro de 1910, 34 números. Ao longo das suas páginas, faz o ataque virulento das instituições monárquicas, do rei, perfilhando uma atitude abertamente anti-clérical. Os artigos de carácter doutrinário são da autoria de António José de Almeida, que também assina Álvaro Vaz, e de Raul Proença, que publica textos não assinados ou subscritos por "Varius". A Alma Nacional é predominantemente política e social. Preocupa-se com alguns temas que são pedra de toque da imprensa anarquista da época: libertação da mulher, o casamento burgês, a sexualidade, o feminismo, a educação do povo. Mas apresenta também textos literários e artísticos. No n.º 19, é feita a defesa de Aquilino Ribeiro e afastada a acusação de que aquele escritor participara no regicídio, em 1908. Direcção de António José D'Almeida, com colaboração de Raúl Proença, António José Almeida, Tomás da Fonseca, Aquilino Ribeiro, entre outros.
Voltar