Banner Temas de Livros

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Anais | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Barrancos | Batalhas | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camilo | Camões | Campo Maior | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cerâmica | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Cister | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Correspondência | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Diário | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Fauna | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Islão | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Liberalismo | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Erótica | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | medieval | Memórias | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Moda | Modernismo | Monarquia | Monarquia Constitucional | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Novelas | Numismática | Ordem Monástica | Oriente | Ourivesaria | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Poesia Trovadoresca | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Quintentista | Rafael Bordalo Pinheiro | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sintra | Sociedade | Solares | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tipografia | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Vila Real | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

VIAGEM À RODA DA PARVONIA Relatório em 4 actos e 6 quadros pelo Commendador Gil Vaz

em Literatura Portuguesa

Referência:
11660

Autor:
JUNQUEIRO, GUERRA; AZEVEDO, Guilherme

Palavras chave:
sem palavras chave

Ano de Edição:
sem ano de edição definido

35,00€


Adicionar Sugerir

Título:
VIAGEM À RODA DA PARVONIA Relatório em 4 actos e 6 quadros pelo Commendador Gil Vaz
Descrição:
Officina Typographica da Empreza Litteraria de Lisboa, Lisboa, S/d. In-8º de 243 págs. Encadernação meia inglesa em pele, com dizeres a ouro na lombada. Ilustrado com 6 gravuras em extra-texto de Manuel de Macedo.
Observações:
Anotado e comentado por Alberto Braga, Alberto de Queiroz, Alfredo Ribeiro, Antero de Quental, Alexandre da Conceição, Bernardo Pinheiro, C. de Moura Cabral, Carlos Faria, Carlos Lobo de Ávila, Coelho de Carvalho, Cristóvão Aires, Fernando Leal, G. Gorjão, Gervásio Lobato, Gil Vaz, J. de Araújo, Jaime Batalha Reis, Jaime Victor, João de Deus, João de Sousa Araújo, José M. de Alpoim, Júlio César Machado, Leite Bastos, Magalhães Lima, Pinheiro Chagas, Ramalho Ortigão, Rui da Câmara, Sérgio de Castro, Silva Ramos, Urbano de Castro, Vicente de Pindela…

Sátira teatral escrita por Guerra Junqueiro e Guilherme Azevedo sob o pseudónimo de Gil Vaz, e que seria pateada e proibida, mas que Ramalho Ortigão consideraria uma "fiel pintura dos costumes constitucionais".Esta obra é acima de tudo um grande exercício de humor satírico onde a crítica política e social émordaz e sempre demolidora.
Primeiro escrita para ser usada como peça teatral e depois passada a livro, esta obra suscitou uma das mais tumultuosas contestações de que há memória. Disse Antero de Quental, a este propósito: "O público protestou contra a caricatura, provavelmente porque se viu nela..."

“A minha questão é esta: pretendo fundar um banco que se deve intitular: – Sociedade de Agricultura do Pinhal da Azambuja, – destinado a fomentar a pobreza do país, a ruína dos accionistas e a prosperidade dos directores. O nosso programa é simples: levantar o mais que puder e pagar o menos que for possível: ao cabo de ano e meio fugimos e os accionistas são metidos na cadeia.”
Voltar