Banner Temas de Livros

Palavras chave | Key Words

Açores | África | Afrodite | Agricultura | Alemanha | Alentejo | Algarve | América | Angola | Anti-Clericalismo | Antigo Regime | Antologia | Antropologia | Aramaico | Arqueologia | Arquitectura | Arquitectura Militar | Arquitectura Religiosa | Arte | Arte Monumental | Arte Popular | Arte Portuguesa | Artes Decorativas | Artes Plásticas | Artesanato | Autógrafos | Aveiro | Azurara | Bacalhau | Barrancos | Beira | Bibliofilia | Bibliografia | Biografia | Botânica | Braga | Bragança | Brasil | Cabo Verde | Caça | Calão | Camiliana | Camões | Campo Maior | Canada | Caricaturas | Casa de Bragança | Castelo Branco | Castelo de Vide | Catálogo | Ceilão | Censura | Cervantes | Ceuta | Chaves | China | Ciências | Ciganos | Cinema | Coimbra | Colonização | Conto | Contos | Costumes | Cristãos Novos | Crítica | Crónica | Cuba | Culinária | D. Henrique | Dança | Descobrimentos | Descolonização | Dicionário | Diplomacia | Direito | Ditadura | Douro | Economia | Edição especial | Educação | Educação Sexual | Emigração | Ensaio | Ensino | Epístola | Epistolografia | Ericeira | Erotismo | Escultura | Esoterismo | Espanha | Estado Novo | Estanho | Estremoz | Estudos Pessoanos | Etnografia | Europa | Évora | Fauna | Feminismo | Fernando Pessoa | Figueira da Foz | Filologia | Filosofia | Flora | Folclore | Fotografia | França | Fundão | Galiza | Genealogia | Geografia | Gil Vicente | Goa | Grécia | Guerra | Guerra Colonial | Guerra Peninsular | Guiné | Hagiografia | Hebraico | História | História Natural | Humanismo | Idade Média | Igreja | Iluminura | Ilustração | Imprensa | In Memoriam | Índia | Inglaterra | Inquisição | Invasões Francesas | Itália | Japão | Jesuítas | Jogo de Cartas | Jornalismo | Judeus | Latim | Leiria | Linguagem | Linguística | Lisboa | Literatura | Literatura de Cordel | Literatura de Viagens | Literatura Infantil | Literatura portuguesa | Livro | Livros Proibidos | Macau | Maçonaria | Madeira | Malacologia | Manuel Macedo | Mariana Alcoforado | Marinha | Marquês de Pombal | Marrocos | Medicina | Memórias | Militar | Minho | Misericórdias | Missões | Mitologia | Moçambique | Modernismo | Monarquia | Muçulmanos | Música | Música Portuguesa | Neo-Realismo | Novela | Oriente | Ourivesaria | Patuleia | Pedagogia | Pesca | Pintura | Piratas | Poesia | Polémica | Polícia | Política | Porto | Portugal | Presença | Primeira Guerra Mundial | Primeiras edições | Propaganda | Prostituição | Queirosiana | Quintentista | Raro | Regional | Religião | Religiosa Portuguesa | Renascimento | República | Restauração | Revista | Ribatejo | Romance | Romanceiro | Romantismo | S. Tomé e Príncipe | Salazar | Santarém | Sátira | Sebastianismo | Segunda Guerra Mundial | Sermão | Sexualidade | Sociedade | Solares | Surrealismo | Tauromaquia | Tavira | Teatro | Tecnologia Tradicional | Teologia | Termas | Terminologia Militar | Timor | Tiragem Especial | Torres Vedras | Tradução | Trás-os-Montes | Tratado | Turismo | Ultramar | Universidade | Viagens | Viana do Castelo | Vila Nova de Gaia | Vinho | Viseu | Vista Alegre | Zoologia

Módulo background

A VIDA E MORTE DE JOÃO CABAFUME

em Ultramar & Brasiliana - LITERATURA

Referência:
9366

Autor:
MARIANO, Gabriel

Palavras chave:
sem palavras chave

Ano de Edição:
sem ano de edição definido

14,00€


Adicionar Sugerir

Título:
A VIDA E MORTE DE JOÃO CABAFUME
Descrição:
Vega Editora, Lisboa,2001, In-8º de 149-(3) págs. Br.
Inserido na Colecção "Palavra Africana"
Observações:
Do prefácio de Maria Cristina Pacheco, destacamos os seguintes excertos:
Com base no volume de contos Vida e Morte de João Cabafume, propomo-nos salientar, através de uma reflexão breve, a importância do “efeito de repetição” como um dos alicerces da cabo-verdianidade literária, na narrativa de Gabriel Mariano. Assim, dos textos que compõem o referido volume, reteremos apenas os aspectos que se relacionem com esta perspectiva, o que, naturalmente, trará como consequência uma maior chamada de atenção para um ou outro conto.(...) Convidar o leitor – ou melhor, forçá-lo – a “saborear” o texto “afectivamente”, através do encnatatório, do embalar obsediante da memória, é uma arte magistralmente posta em prática por este excepcional contador de histórias que é Gabriel Mariano. As reiterações de estruturas enunciativas, de avisos, de diálogos com os leitores, de frases e expressões no interior do mesmo conto, de acções de personagens que, não raro, aparecem com o mesmo nome em histórias diferentes e, finalmente, as temáticas constantemente retomadas exercem uma tal força impreessiva no leitor que este fica definitivamente enredado nessa mágica teia de palavras. (...)

Disseminados pelos vários textos, os tratamentos concedidos à seca, à fome, à emigração forçada para S. Tomé, à dificuldade decomunicações entre asilhas, à religiosidade enraizada nas gentes do arquipélago, à separação do agregado familiar e à vida dos estudantes que se encontram m Lisboa, estes tratamentos, dizíamos, porque repetidos, conferem à antologia uma unidade temática louvável, traduzindo o objectivo empenhado de transmitir uma uma visão englobante do SER e ESTAR do Homem Cabo-verdiano
”.
Voltar